Skip to content

Especialista americano em MMN aconselha brasileiros a não participarem de marketing multínivel.

01/04/2008

Jon M. Taylor estuda marketing multinível há mais de 12 anos, e é considerado o principal consultor e testemunha expert em casos de vendas diretas e produtos vendidos em esquemas de pirâmide. É o autor do livro “The Network Marketing Game“, no qual expõe os problemas do MMN, um sistema que acaba se aproveitando dos laços familiares e de amizade para fins de obtenção de ganhos pessoais.

As conclusões obtidas pelo especialista sobrepõem-se à categoria de mera opinião. Suas pesquisas incluem análise de processos envolvendo empresas de MMN, análise de balancetes financeiros e dados oficiais das empresas de MMN, entrevistas e manifestações por parte de participantes de MMN ao redor do mundo, análises de planos de compensações e marketing de mais de 250 empresas, entrevistas com experts e integrantes do Poder Judiciário, experiência direta em recrutamento e pesquisas com contadores, e pessoas convidadas a participar de empresas de MMN, e consumidores.

Jon Taylor criou um sistema de avaliação de empresas de MMN, e com base nesta avaliação concluiu que várias empresas de marketing multinível apresentam características de “pirâmides” disfarçadas. Nestes casos, o índice de fracasso supera a marca de 90%. A lista das empresas avaliadas pode ser encontrada aqui. Para saber mais sobre Jon Taylor, clique aqui

Através de e-mail obtivemos a seguinte entrevista com ele:

IDD – Você investigou mais de 250 empresas de MMN. Destas, quais têm as características de um negócio legítimo? Há planos de compensações mais legítimos do que outros?

Taylor – Quanto mais planos de compensação eu estudo em MMN – e seus efeitos – mais fico convencido de que o marketing multinível é um modelo de negócio falho, que depende de distorções para prosperar. Isto porque o MMN necessita de uma expansão infinita de recrutamento em mercados finitos. Não há como recrutar uma cadeia de participantes infinitamente. A saturação de mercado significa que, quanto mais pessoas entram no negócio, menos oportunidades elas têm – em alguns caso chega a ser nula. Assim, a empresa muda para países mais vulneráveis. Milhões de pessoas são como ingressos vendidos para um trem que deixou a estação. Para ser bom e operar em marketing multinível, não pode ser marketing multinível, o que é um absurdo.

IDD – Mais de 99% das pessoas que ingressam em negócios de MMN estão condenados ao fracasso. Você concorda com esta estatística? Se concorda, por que os EUA não banem este tipo de negócio de uma vez por todas? Esta atitude certamente influenciaria outros países. O que pode ser feito para prevenir a entradas destas pirâmides em países menos desenvolvidos como o Brasil?

Taylor – Eu concordo com os números, pois trata-se de minha pesquisa (baseada em dados obtidos nas empresas de MMN) que provaram que entre 99% a 99,9% de TODOS os participantes perdem dinheiro – após subtrair mínimas despesas.

No meu site eu postei um artigo, “5 Red Flags”, sobre pirâmides com produtos. Esta foi a metodologia que utilizei quando analisei a compensação de mais de 250 programas de MMN. Em 100% dos casos, nos quais as 5 bandeiras vermelhas apareceram, o percentual de perdas era de aproximadamente 99%. Jogadores saem-se muito melhor.

No meu site, eu discuto esta questão detalhadamente. Favor acessar o site (mlm-thetruth.com) e ler a página “Regulation and Law Enforcement.” Para resumir, a indústria de MMN, representada pela “Direct Selling Association” (Associação de Vendas Diretas), ficou tão poderosa que os respectivos membros podem doar para campanhas políticas para eleição de promotores estaduais e, desta forma, “comprar” influência junto ao governo. Ex-funcionários da FTC que deveriam regular o MMN tem recebido atualmente altos valores para fazer lobby para que a FTC NÃO regule o MMN. A FTC propôs uma “Business Opportunity Rule” que obrigaria aos promotores destes negócios publicarem o ganho médio dos participantes, indices de desistência, etc. Mas a DSA conseguiu 17.000 pessoas para escreverem contra a lei. Assim, o FTC não obrigou as empresas de MMN a publicar tais dados.

Meu conselho para a população brasileira seria EVITAR TODO MARKETING MULTINÍVEL ou esquemas de vendas em cadeia – aqueles nos quais pessoas precisam recrutar outras. Quase todos perderão dinheiro.

IDD – Recentemente, ASAE e Deco, duas associações consumeristas portuguesas declararam que a Agel opera em esquema ilegal de pirâmide. Você tem uma opinião sobre a oportunidade de negócio oferecida pela Agel? Você concorda com as entidades portuguesas? Agel é um esquema ilegal de pirâmide?

Taylor – Encontrei as 5 bandeiras vermelhas no plano de compensação da Agel, assim como em praticamente todos os MMN que estudei. Portanto, sim, eu concordo definitivamente com a ASAE e a DECO.

IDD – O que ocorrerá com MMN no futuro, na sua opinião? Expansão ou regressão?

Taylor – Como a saturação de mercado ocorre rapidamente, as empresas de MMN aprenderam a sobreviver através de abertura de mercados em outros países. Eles iniciam uma nova divisão de produtos e começam tudo de novo. Amway está no Mercado há 40 anos e continua forte. Mas eles precisaram mudar para QUIXTAR e recorrer a todo tipo de engodo para continuarem.

IDD – Está provado que os resultados no MMN são patéticos, com perdas de dinheiro para aproximadamente 99% dos participantes. Por que tanta gente insiste em aderir a empresas de MMN?

Taylor – Os participantes de MMN sofrem grande pressão para recrutar para poderem recuperar o investimento em dinheiro, produtos e treinamento para qualificar para comissões e avançar no negócio. Eles dirão qualquer coisa que soe bem para qualquer potencial recruta, que são costumeiramente os melhores amigos e familiares.

IDD – É possível detectar quando um MMN começa a entrar em colapso? Existe algum sinal visível? O que você pensa sobre a teoria de que todo dia alguém faz 18 anos, propiciando um mercado infinito de recrutas?

Taylor – Os esquemas mais abastados não entram em colapso: eles apenas mudam e adaptam-se para manter a rede de recrutamento operante. Eles driblam as leis, imprensa e o público com uma vasta rede de deturpações. Este tópico está detalhadamente explicado no meu site (“5 Red Flags“).

IDD – É mais fácil criar uma empresa de MMN do que uma empresa no mercado tradicional, considerando-se a grande variedade e proliferação destas empresas com rapidez? Como é possível fundar uma empresa de marketing multinível? Quais são os requisitos?

Taylor – A resposta está na minha página (“Law Enforcement”) no artigo “How to start a Pyramid Scheme that is very profitable for the founders – and get away with it.”

IDD – De acordo com suas pesquisas, você poderia indicar um perfil para pessoas que ingressam no MMN? E o perfil dos que são bem sucedidos?

Taylor – Praticamente qualquer pessoa pode ficar atraída por uma empresa de marketing multinível. Os bem sucedidos são aqueles que estão no topo da pirâmide do negócio que escolheram.

IDD – Você concorda que o marketing multinível é uma “indústria da decepção”?

Taylor – Sim, definitivamente.

IDD – Você citou no seu artigo “5 Red Flags” a importância da dissonância cognitiva para explicar o porquê do distribuidor culpar a si mesmo pelos seus fracassos, e não o próprio MMN. Você conhece princípios e técnicas de PNL e hipnose e, se sim, sabe nos dizer quantas dessas empresas que você pesquisou utilizam-se dessas técnicas de persuasão e manipulação mental? Existe alguma hierarquia na intensidade da utilização dessas técnicas por parte das diversas empresas estudadas?

Taylor – Eu precisaria de mais tempo do que disponho para responder, mas manipulação psicológica está definitivamente incluída na estratégia de recrutamento de MMN. Nem todas são deliberadas, porque até mesmo os líderes já incorreram em decepções e negação.

IDD – Várias pessoas ligadas ao marketing multinível gostam de posar de líderes e transmitir o status de gurus desse setor. No Brasil, um desses líderes chama-se Ricardo Guimarães. Dentre seus vários trabalhos está um e-book chamado “120 Dicas e Pensamentos Para Você Prosperar com Brio no MMN”. Selecionamos algumas dicas desse livro, e gostariamos que você comentasse cada uma delas. As dicas selecionadas são as seguintes:

IDD – “Ao apresentar a alguém um programa de MLM, deve-se justificar a oportunidade dizendo que é um negócio que permite escolher as pessoas com quem se quer trabalhar”.

Taylor – Trata-se de mais uma frase feita para atrair pessoas.

IDD – “Deve-se argumentar que o potencial de ganhos é ilimitado, que pode-se participar de várias viagens”.

Taylor – Obviamente, trata-se de uma mentira.

IDD – “Deve-se argumentar que você determina o número de horas que deseja trabalhar e quando deseja trabalhar”.

Taylor – A verdade é que aqueles que sobem na pirâmide, tem que trabalhar rápido e devem estar dispostos a enganar outras pessoas, tudo isso para convencer que MMN é um negócio sólido.

IDD – “Deve-se argumentar que você se torna bem-sucedido ao ajudar pessoas a alcançarem o sucesso”.

Taylor – Não, você prospera através de recrutamento agressivo, distorção e auto-engano.

IDD – “Deve-se argumentar que você não tem patrão e é você, apenas você, quem determina quanto sucesso você terá”.

Taylor – Outra mentira.

IDD – “Deve-se argumentar que o trabalho é feito a partir de casa, e por isso não é preciso ter que se deslocar para o trabalho”.

Taylor – Mentira, em razão da saturação de mercado, você precisará deslocar-se para recrutar.

IDD – “Deve-se argumentar que o prospecto estará mais próximo aos filhos e à família”.

Taylor – Outra mentira. Assistam aos filmes que mencionei (Believe e The Downline). Sugiro a leitura da página “30 Typical MLM Misrepresentations”, nela encontrarão uma boa lista de mentiras do marketing multinível.

IDD – Por gentileza, comente esse trecho de um artigo de outro famoso especialista em marketing multinível no Brasil, o jornalista Sérgio Buaiz:

QUEM PODE FAZER? Aí é que está o grande diferencial deste mercado. Todas as empresas de Vendas Diretas querem vender mais e oferecem estrutura para atender um número ilimitado de Distribuidores Independentes. Por isso, sobram vagas! Além disso, por não haver qualquer limitação quanto à experiência, faixa etária, formação profissional, o mercado de vendas diretas acolhe todo tipo de pessoa. A única seleção que existe está relacionada a sua vontade de iniciar algo novo e investir o tempo necessário em seu próprio aprendizado. Se você quer, você pode! Algumas pessoas podem iniciar seus negócios de venda direta em meio expediente, para não abandonarem sua fonte de renda principal. Depois, na medida em que os resultados aparecem, podem-se dedicar mais e assim por diante.

Outra coisa importante: por lidarem com pessoas de origens tão diferentes, as empresas de vendas diretas investem muito em capacitação profissional. Todas oferecem cursos e materiais de apoio bem elaborados, que visam ensinar passo-a-passo o que você precisa para galgar os degraus do sucesso. Neste mercado, não há privilégios para quem tem formação A, B ou C.

O diferencial está na determinação de cada um. Pode ser até que uma pessoa com nível superior ou capital para investir comece um pouco mais rápido, mas essa diferença desaparece logo nos primeiros passos da caminhada. A prova disso é que as principais histórias de sucesso deste mercado são de pessoas que começaram da base, com pouco ou nenhum recurso. A verdade é que não há ganho sem dor. Este é um negócio sério como outro qualquer. É preciso trabalhar com afinco e se desenvolver diariamente para chegar a algum lugar”.

Taylor – MMN não é venda direta, mas venda em cadeia. Outra grande distorção.

IDD – Nesse mesmo artigo o autor ainda afirmou que: Ainda não crescemos! A Quinta Onda é, simplesmente, a superexposição do Marketing de Rede na mídia e em todos os lugares, o tempo todo! Acabou aquela brincadeira de gato e rato, porque não temos mais qualquer motivo para nos esconder de ninguém. Temos um negócio estruturado e somos respeitados por quem nos interessa, que são os governos, imprensa e opinião pública. O que vai acontecer? É muito simples: todo mundo que nunca enxergou a força do Marketing de Rede, vai ficar com vergonha agora. E quem disser bobagem sobre isso, vai “pagar mico“. O Marketing de Rede está virando moda e todo mundo vai querer!”.

O que você pensa a respeito da previsão acima?

Taylor – Marketing Multinível tem tido isto por 20 anos – trata-se de outra mentira.

IDD – Agradecemos imensamente sua cooperação. Gostaríamos de ter um expert a sua altura em nosso país. Tem sido difícil atingir os consumidores brasileiros.

Taylor – Boa sorte. Continuem o bom trabalho.

.

Leia também:

.

Entrevista com a especialista em fraudes do MMN – Tracy Coenen

Sofismas e falácias dos distribuidores de MMN

Herbalife, Agel, Amway: MMN legítimo ou MMN pirâmide?

Herbalife: lavagem cerebral na prática – parte 1

Herbalife: lavagem cerebral na prática – parte 2

Um olhar psicanalítico acerca de grupos de distribuidores das empresas de marketing de rede e de fiéis de várias instituições religiosas

Algumas relações entre supervisores e distribuidores da Herbalife

Herbalife conivente com a pilantragem de seus distribuidores

Meu contato com Herbalife e MMN

Monavie: Os números de um bom negócio?

Teste para avaliar se uma empresa de MMN é ou não é pirâmide

Scripts para recrutar trouxas – parte 1

Scripts para recrutar trouxas – parte 2

Scripts para recrutar trouxas – parte 3

Scripts para recrutar trouxas – parte 4

Agel: outra nova Herbalife no mercado brasileiro?

188 Comentários leave one →
  1. 02/04/2008 8:58

    Viva,

    Mais uma entrevista de qualidade a um especialista na matéria.

    Este blog caminha a passos largos para se estabelecer como uma referência única na comunidade de língua portuguesa na Internet. As denúncias e a exposição continuada das falcatruas operadas por importantes companhias de renome internacional são não só importantes como necessárias.

    O vosso trabalho é inestimável para milhares de pessoas que procuram informações sobre uma das mais incríveis fraudes empresariais de sempre.

    ————————

    Sobre o entrevistado, gostaria de acrescentar que ele pertenceu à rede de uma famosa empresa de MLM durante um ano, tendo conseguido subir no plano de compensações quase até ao topo. No final da sua experiência, chegou à conclusão de que o negócio que estava a desenvolver não era eticamente sustentável segundo os seus padrões morais. Explorar a família e os amigos não é uma boa forma de atingir compensações monetárias.

    Vejam o trecho abaixo:

    Another facet of MLM fascinated me even more
    than the money. I discovered a whole range of
    ethical conflicts that for me – as a former teacher of
    ethics and one who considers himself to be an
    honest person – made MLM an unacceptable way of
    doing business. Exploiting friends and family for
    personal gain conflicted with my most basic values. I
    witnessed MLM participants sacrificing their social
    capital, contaminating treasured relationships that
    may have taken a lifetime to build.

    Retirado de:

    http://www.mlm-thetruth.com/5RedFlags2column40pages2Color3-6.pdf

    (últimas duas página)

    Cumprimentos.

  2. renata24 permalink*
    02/04/2008 21:10

    Pedro

    o que me impressionou mais (além da afabilidade e disponibilidade do entrevistado) foi a convicção com a qual ele denuncia o MMN.

    E os defensores não poderão falar que ele é mais um “fracassado”, pois só não ascendeu na NU SKIN porquê optou por ser ético. Palmas.

    E, como havia mencionado em outro post, o Sr. Ricardo Guimarães (aspirante a líder de um sistema que condena milhares ao fracasso) tem o discurso vazio, inconsistente, que vai de encontro a todos os fatos que apresentamos neste blog.

    Adorei ter realizado esta entrevista, juntamente com os demais colaboradores do blog.

    Abraços!

  3. Renata permalink*
    02/04/2008 23:15

    Esqueci de mencionar uma definição que a Tracy Coenen deu para Marketing multinível.

    “On 25 Feb 08 Tracy Coenen said:
    Robert – MLM is a product based pyramid scheme. You got checks because others gave the company money for products they’ll never sell. That is not an honorable business. And in fact, it’s not a business at all.”

    do site http://www.sequence-inc.com/fraudfiles/

    tradução
    Marketing multinível é um esquema de pirâmide com produtos.
    Você recebe cheques porque outros dão as empresas dinheiro por produtos que não conseguirão vender. Não é um negócio honrado. De fato, não chega a ser um negócio.

    Mais objetivo, impossível.

  4. 03/04/2008 6:48

    Renata,

    Imperdoável. Essa definiação escapou-me completamente. A Tracy aponta aí uma questão muito interessante: o “negócio” não se qualifica, sequer, como “negócio”, já que cada “distribuidor” não vende nada a ninguém, apenas aponta pessoas para ingressar na rede. Por outras palavras, não desenvolve uma actividade comercial de espécia alguma, limitando-se a encaixar dinheiro por produtos que não vende e que nunca tencionou vender.

    E que outro “negócio honesto” conhecem em que uma pessoa tem de pagar/comprar produtos para poder receber comissões (aquilo a que o Taylor chama de “pay to play”)? Esta, para mim, é a piada maior! É a prova última da seriedade de uma empresa.

    Por outro lado, quem efectivamente estiver a tentar desenvolver um negócio honrado numa rede destas – vendendo os produtos a terceiros – , vê-se prejudicado por um conjunto de factores a que é alheio, entre os quais um plano de compensações demasiado desequilibrado a favor do “recrutamento”, e a existência de preços proibitivos dos produtos, quando comparados com os do “comércio tradicional” (façam as contas a quantas embalagens é necessário vender na Agel, por exemplo, para se conseguir obter um rendimento decente por mês).

    Cumprimentos.

  5. MARIA JOSÉ permalink
    04/04/2008 17:35

    Excelente o artigo,feito por quem conhece do assunto,além de isento e com análises imparciais.
    Sobre o Sérgio Buaiz,devo dizer que li o seu Livro sobre o Mercado Fantástico que está na Exploração da Indústria do Bem-Estar,além de Palestras como especialista em MMN,em Eventos da Herbalife.
    Vale salientar,que Buaiz não fazia,nem desenvolvia nenhum Marketing,pois,segundo ele,prestava consultoria e era contratado como Palestrante em Eventos das mais diversas Empresas de MMN.
    Apesar disso,o seu Livro mais famoso e também o mais recente, MULTIPLICANDO O BEM-ESTAR,é uma verdadeira edificação da Herbalife.
    Depois disso,o citado Autor,que conhece todos os Meandros do Marketing de Rede,resolveu provar que os seus conhecimentos não estavam apenas no Campo Teórico e resolveu aceitar o desafio,cadastrando-se na Herbalife Internacional.
    Incrível a sua ascensão meteórica no Plano de Marketing,pois em poucos meses já estava no patamar de GET e prometia,realmente,ser um novo fenômeno nos quadros da Herbalife.
    No entanto…Após seu retumbante início,vieram os primeiros obstáculos,segundos,terceiros e…
    Mais um nos belos,gigantescos e florescentes Jardins das Saudades dos que se foram para sempre.
    Digo isso,pois uma pessoa da Família,que insiste em continuar no prejuízo,me trouxe essa Pérola.
    O cidadão em pauta desapareceu dos Eventos da Herbalife,sua Equipe,claro que os poucos que sobreviveram ao Caos,procura desesperadamente pelo seu sábio Guru.
    Senhores,sem dúvida,é mais um na devastadora Estatística apocalíptica da Herbatrouxas.

  6. Renata permalink*
    05/04/2008 16:13

    é médico denunciado na Abeso, é relato de casos de hepatotoxidade, é “guru” desaparecido, é fracasso para 98,5% dos que entram, são inúmeros relatos de perdas financeiras, são números devastadores, são espaços (os tais EVS – espaço vida saudável)totalmente inviáveis financeiramente para distribuidores…

    O que (mais) será necessário para que as pessoas convençam-se que Herbalife é um péssimo negócio, além de eticamente reprovável?

  7. Renata permalink*
    06/04/2008 11:32

    Pessoal

    uma notícia relacionando o mmn, ainda que de forma simplista, a pirâmide….

    http://www.hsbc.com.br/common/seguranca/artigo-seguranca-tipos-fraude-e-mail-parte2.shtml

    Bom domingo a todos!

  8. 06/04/2008 21:01

    Renata,

    De facto, bastante simplista e pouco profunda. Mas a intenção é boa…

    Destaquei a parte do artigo em que falam de MLM e Pirâmides.

    Marketing de múltiplos níveis – O marketing de múltiplos níveis, também conhecido como marketing de rede, pode ser considerado uma espécie de pirâmide, uma vez que é uma maneira de vender bens ou serviços por intermédio de distribuidores. Normalmente, esses planos prometem que, se você se tornar um distribuidor, vai receber comissões, tanto das suas vendas quanto das vendas feitas por aquelas pessoas que você recrutar para serem distribuidores também.

    Ainda que o marketing de múltiplos níveis possa ser legítimo — você realmente venderá produtos, que têm um valor, que serão usados por pessoas interessadas nele, e receberá comissões pelas vendas que fizer — se o plano envolver comissão por recrutar outras pessoas (nos Estados Unidos, por exemplo, isso é proibido) pode considerá-lo uma pirâmide, já que o esquema vai inevitavelmente entrar em colapso quando não houver novas pessoas a serem recrutadas. E assim a maioria das pessoas simplesmente perderá seu investimento — aqueles bem no topo da pirâmide talvez consigam ganhar. Os outros, definitivamente só perdem. ”

    >>> Uma coisa correcta que achei é salientarem a venda de produtos e o ganho de comissões sobre essas mesmas vendas – as próprias e as dos outros que foram recrutados. Isto, como se verifica na prática, não acontece em quase nenhuma das grandes MLM – é um ideia que serve de fachada, já que toda a gente ganha comissões directamente com as compras dos recrutados.

    O que está MESMO errado no artigo, e para além de dizerem que “o MLM pode ser condiderado uma pirâmide porque serve para vender produtos através de distribuidores” (aqui confundem o que é legítimo – as “Vendas Directas” – com o que é ilícito), é a parte onde diz que nos EUA á proibido ganhar dinheiro por recrutar novas pessoas. Não é proibido. Apenas há a advertência, por parte da FTC, de que esses sistemas podem ser pirâmides – é um forte indicador.

    Como resposta a esta “dor de cabeça”, e para contornar sabiamente o assunto, algumas MLM decidiram vender à cabeça logo uma boa quantidade de produtos a quem se inscreve, para poderem dizer depois que tais bónus não premeiam o recrutamento, são antes comissões sobre as compras efectuadas (ex: Agal). Outras decidiram eliminar de todo o bónus de recrutamento e depois cobrarem mais tade a factura: para se subir na rede é necessário pagar forte e feio (ex: Herbalife)

    Cumprimentos.

  9. Renata permalink*
    07/04/2008 13:04

    A maioria das empresas de MMN tem um ótimo “know how” para driblar leis.

    E o DSA ainda faz lobby para que leis mais severas não sejam aplicadas pelo FTC as empresas….realmente, um esquema bem feito, que envolve muito dinheiro. E “ferra” muita gente.

  10. Márcio Corion permalink
    10/04/2008 9:28

    Com certeza o autor desse site é algum fracassado, que entrou para algum MMN e não teve sucesso. Te digo, que onde você entrar e o que fizer na vida será um fracassado. O MMN possibilita o rendimento extra que muda a vida de muita gente.

  11. renata24 permalink*
    10/04/2008 11:41

    KKKK…só rindo.

    Ataque o post, por favor. Mais um comentário OFF TOPIC que faço QUESTÃO de deixar no site para mostrar aos leitores como são consistentes as defesas apresentadas por integrantes de empresas de Marketing Multinível

    Não subestime a inteligência dos leitores e colaboradores deste blog

    “O MMN possibilita o rendimento extra que muda a vida de muita gente.”

    …e condena 99,9% dos participantes ao fracasso. Estatística não refutada e que consta das pesquisas do entrevistado (aposto que o Sr. Márcio sequer dignou-se a ler a entrevista com um especialista que estuda MMN há mais de 12 anos).

  12. ANDERSON AGUIAR SILVA permalink
    12/04/2008 11:50

    EXISTE EMPRESA 100% LEGALIZADA DE MMN NO BRASIL SIM, POREM EXISTEM PESSOAS QUE NÃO SE DEDICAM O MINIMO POSSIVEL PARA TENTAR DESENVOLVER O MMN E SAEM FALANDO MAL.. QUE SO INVESTIRAM DINHEIRO. PESSOAL POR CONTA DISSO.. O BRASIL. NÃO VAI PRA FRENTE.. O POVO PREFERE VER BIG BROTHER.. QUE NÃO PAGA A NIMGUEM SOMENTE A GLOBO, ASSISTIR UMA NOVELA OU 1 FUTEBOL. DO QUE ESTAR TRABALHANDO OU ESTUDANDO.. FORA OS FINAIS DE SEMANA QUE ESTÃO EM BARES E BOATES.. VEJAM AS ESTATISTICAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NOS FINAIS DE SEMANAS.. E SAIBAM UMA EMPRESA QUE Ñ PAGA SEUS TRIBUTOS QUE Ñ EMITE NOTAS FISCAIS, NO BRASIL NÃO SOBREVIVE. O GOVERNO E MUITOS VEICULOS DE COMUNICAÇÃO SÃO A FAVOR DO MMN.. MUITAS EMPRESAS JA FAZEM ISTO POIS OS LUCROS PRA ELAS.. SÃO MAIORES.. E POSSIBILITA REPARTIR C INUMERAS PESSOAS…! COM CERTEZA A EMPRESA VAI GANHAR SEMPRE MAIS.. OU ALGUEM JA VIU ALGUM EMPREGADO GANHAR MAIS QUE O EMPREGADOR?.. PESSOAL PREOCUPEM-SE QUANTO VC ESTA GANHANDO NÃO QUANTO OS OUTROS.. SENDO HONESTO E LEGALIZADO O MMN.. Ñ TEM NADA A VER C PIRAMIDE.. 1º ENTRA QUEM QUER.. QUE Ñ QUER CONTINUA SENDO ESCRAVOOO…!

    • Oseas Maia permalink
      23/02/2013 18:15

      Meu caro Anderson, me responda, caso não tenha mais ninguém pra entrar nessa sua “empresa”, e aqueles que entraram por último, sejam estes a não conseguirem recrutar mais ninguém, como vai ser realizado o alto ganho deles?

    • Roberto permalink
      14/07/2013 21:10

      Cegos pela ganância de ganhar dinheiro sem fazer nada, O Brasil esta vivendo o maior golpe de todos os tempos, muitos perderão o que tem e ainda ficaram devendo.

    • Renata Lima permalink*
      14/07/2013 22:12

      tenho esta preocupação. Conheço pessoas MUITO simples que cairam na telexfree (na bbom não conheço NINGUEM que tenha caído). Estão apavorados, é gente que confia no patrocinador (muitas vezes familiares).
      Este pessoal não tem acesso as infos virtuais, não entende nada de juridico. A corda sempre arrebenta do lado mais fraco e isto, REALMENTE, me chateia. Fico com ODIO dos pilantras profissionais.

    • Marcel permalink
      14/08/2013 17:23

      Monavie, Mary Kay, HerbaLyfe, Bbom, Telexfree, é tudo golpe onde o ganho está baseado no recrutamento de novos bobos consumidores. O verdadeiro sentido do MMN seria a venda de produtos, sem valores minimos a serem consumidos mensalmente. Desta maneira como as empresas montam seu modelo de negocio sem dúvida são como PIRAMIDE, bobo quem compra.

  13. renata24 permalink*
    12/04/2008 14:08

    “EXISTE EMPRESA 100% LEGALIZADA DE MMN NO BRASIL SIM,…”

    Onde foi dito (melhor, escrito) o contrário? Aff…

    “POREM EXISTEM PESSOAS QUE NÃO SE DEDICAM O MINIMO POSSIVEL PARA TENTAR DESENVOLVER O MMN E SAEM FALANDO MAL.. QUE SO INVESTIRAM DINHEIRO. PESSOAL POR CONTA DISSO.. ”

    Que pessoas? Não está referindo-se ao entrevistado né? Ele OPTOU por sair da empresa de MMN na qual estava muito bem colocado por ÉTICA.
    Esta de “sair falando mal” é uma bobagem gigante. Trazemos dados. Isto passa longe de falar mal. Refute os dados. Daí a gente consegue debater

    “O GOVERNO E MUITOS VEICULOS DE COMUNICAÇÃO SÃO A FAVOR DO MMN”

    sou capaz de apostar que o governo não tem a menor disposição para tratar de MMN. Quais veículos de comunicação? A propaganda que vejo por aí é feita pelas empresas de MMN e pelos (iludidos) distribuidores.

    “COM CERTEZA A EMPRESA VAI GANHAR SEMPRE MAIS.. OU ALGUEM JA VIU ALGUM EMPREGADO GANHAR MAIS QUE O EMPREGADOR?.. PESSOAL PREOCUPEM-SE QUANTO VC ESTA GANHANDO NÃO QUANTO OS OUTROS.. SENDO HONESTO E LEGALIZADO O MMN.. Ñ TEM NADA A VER C PIRAMIDE.. 1º ENTRA QUEM QUER.. QUE Ñ QUER CONTINUA SENDO ESCRAVOOO…!”

    Nossa, quanta bobagem, desculpe-me a franqueza. Não, sei que, via de regra, empregado não ganha mais do que empregador. Mas o que tem UM DISTRIBUIDOR INDEPENDENTE DE EMPRESA DE MMN A VER COM O MERCADO TRADICIONAL? Vocês nem tem legislação trabalhista própria para comparar-se com o mercado tradicional. Os lucros das empresas de MMN ficam nas mãos de menos de 1% dos participantes e esta distribuição condena os distribuidores da base a obter rendimentos ínfimos.

    Ninguém aqui tá preocupado com o que os outros estão ganhando. Muito menos os líderes destas empresas de MMN.
    Nossa preocupação é no sentido de ALERTAR as pessoas para o modelo de negócio MMN….que induz 99,9% dos participantes ao fracasso.

    Meio besta a colocação sobre continuar sendo “escravo” como se MMN fosse a libertação.
    Trabalho no mercado “convencional”, não me sinto nem um pouco “escravizada”. O que vejo (usarei o termo que vc mencionou) é um monte de “escravos” do modelo de negócio, que participam de várias empresas e se ferram na grande maioria – e estão sempre de olho para ser pioneiros do próximo negócio do século. Quem sabe conseguem chegar ao topo de alguma pirâ…ops…empresa de MMN?
    Alguns conseguem tirar umas “merrequinhas” aqui e ali. Poucos conseguem mesmo chegar ao topo.

    Curiosidade: você leu a entrevista objeto do post? Tem algo a declarar sobre os dados constantes do site do entrevistado? Eu e os leitores agradeceríamos.

    Abraços.

    • Roberto permalink
      25/02/2009 18:24

      Nao fiquem discutindo atoa, pecam para esses distribuidores e supervisores da Herbalife,ou qualquer ou MMn mostrar os seus Holerits dos ultimos 36 meses,ate hoje nenhum teve coragem de me mostrar,nao adianta ganhar 20 mil num mes e ficar o restante dos anos sem ganhar nada,vamos la desafiem esses caras que falam que ganham 20 mil 50 mil por mes,peca a eles os holerits,eu falei os holerits e nao 2 ou 3 holerits.vcs verao como eles vao ficar caladinhos.

  14. gap permalink
    13/04/2008 18:41

    kkkkk… agora que eu percebi um comentário muito engraçado aqui:

    O GOVERNO E MUITOS VEICULOS DE COMUNICAÇÃO SÃO A FAVOR DO MMN

    não sei de quais veiculos de comunicação ele está falando. Matéria paga em revista não vale… hehehe… é cada figura que me aparece.

  15. 14/04/2008 11:41

    Anderson,

    “OU ALGUEM JA VIU ALGUM EMPREGADO GANHAR MAIS QUE O EMPREGADOR?..”

    >> Bem… segundo a própria gente do MLM, nesse negócio é possível você ficar ganhando mais que seus “empregadores”…

    O problema não é esse, Anderson. O problema é que não há aqui um contrato de trabalho efectivo. Não há um “empregador” e não há “empregados”. Há uma empresa que desenvolve uma rede NA QUAL NÃO PAGA UM SALÁRIO A NINGUÉM. Aqueles a quem você chama de “empregados” começam logo em situação de prejuízo. Eles têm de comprar produtos e recrutar pessoas para ficarem a ganhar dinheiro. Mais de 90% dessas pessoas NUNCA conseguem recuperar o investimento. Agora pergunto eu para você:

    ALGUÉM JÁ VIU UM NEGÓCIO EM QUE OS EMPREGADORES COBRAM DINHEIRO AOS SEUS EMPREGADOS PARA QUE ELE TRABALHEM?

    Se o negócio é assim tão ético e tão atractivo, porque não começar ao contrário? A empresa paga a quem estiver interessado para ingressar na rede e quando a pessoa tiver recuperado o investimento, então ela paga de volta o dinheiro para a empresa? Pensa nisso, sim…

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  16. isaque barbosa permalink
    18/04/2008 22:26

    Eu tenho e divulgo o cartão Megabônus do Banco Unibanco e gostaria de receber alguma informação.

    Quero agradecer aos comentários relativos as empresas de MMN que usam de fraudes e estou aberto aos vossos comentários.

  17. renata24 permalink*
    19/04/2008 20:01

    Oi Isaque

    “O Cartão MegaBônus Unicard é a oportunidade de você ter uma renda extra através do bom relacionamento com as pessoas que você tem contato. Quanto mais amigos, parentes e conhecidos aderirem e usarem o cartão*, melhor para você. E, quanto mais pessoas eles indicarem e fizerem uso do cartão, mais MegaBônus você acumula e mais créditos recebe.
    Com o MegaBônus é possível fazer compras em estabelecimentos credenciados, como nos cartões de crédito tradicionais, e os valores gastos se transformam em MegaBônus, que são convertidos em créditos, para você gastar com o que quiser. Mais do que um cartão de crédito, o MegaBônus possibilita que você forme um círculo de relacionamento, sem limites, com todas as pessoas que foram indicadas por você, as indicadas por elas e assim por diante. Usou o seu cartão para fazer compras? MegaBônus para você. Seus indicados fizeram compras com o MegaBônus? Mais MegaBônus para você. Fez uma porção de amigos e todos eles utilizam o Cartão MegaBônus Unicard no seu dia-a-dia? Muito mais MegaBônus para você.”

    ……..

    “QUANTO VOCÊ PODE GANHAR

    Veja uma simulação simples, com você trazendo 20 x 20 x 20:
    VOCÊ SE CADASTRA: 1
    VOCÊ INDICA DIRETAMENTE 20 PESSOAS NO 1º Nível: 20
    CADA PESSOA DO 1°NÍVEL INDICA 20 PESSOAS NO 2º Nível: 400
    CADA PESSOA DO 2°NÍVEL INDICA 20 PESSOAS NO 3º Nível: 8000″

    ……..

    “Você indicou apenas 20 pessoas, mas sua rede terá aproximadamente 8.500 pessoas. Se todos utilizarem R$ 100,00 de crédito no cartão MEGABÔNUS, seu faturamento (apenas no 3° nível) será de R$ 3.200 em dinheiro para você por mês.”

    fonte: http://www.dirceupock.no.comunidades.net/

    Para ser bem sucedido, precisa indicar pessoas e você ganhará por indicação correto? E se os indicados e adeptos tiverem problemas com limite de crédito, desbloqueio, você continuará recebendo pela indicação, procede?
    Parece-me que o recrutamento é a fonte de renda do negócio.

    Submeta o plano de compensações ao entrevistado (verdadeiro especialista em MMN) e veja o resultado

    http://www.mlm-thetruth.com/mlm_evaluations.htm

    Espero ter auxiliado.

  18. gap permalink
    19/04/2008 21:47

    heheeh… o cara esqueceu de continuar o cálculo, pois no oitavo nivel haveriam mais de 26 BILHÕES de pessoas na rede dele, quase 8 vezes a população do planeta… é só fazer o cálculo de progressão geométrica pra constatar isso… um gringo disse que o MMN só funciona porque as pessoas não conhecem progressão geométrica, e acho que ele está corretissimo nessa observação.

  19. Eu Mesmo permalink
    22/04/2008 11:12

    Brasileiro continua a ser = a DESINTELIGENTE… pra nao ser Burro Mesmo

  20. gap permalink
    22/04/2008 12:55

    Brasileiro continua a ser = a DESINTELIGENTE

    Desinteligente?
    procurem no dicionário michaelis por essa palavra

    http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php

    “nenhum resultado encontrado”… kkkkk

    quando o sujeito fala algo do tipo “brasileiro é…” em seguida ele solta alguma asneira, e esse cara não foi exceção.

    “desinteligente”… kkkkkkkk… eu morro de rir com esses caras… é um asno que inventa as próprias palavras.

  21. Ryan permalink
    23/04/2008 2:40

    é realmente agora eu estou convencido de ki essa parada é uma furada!

    obrigado pessoal pelos dados aki citados e pelos conselhos amigaveis e tenho certeza de ki vamos conseguir abrir os olhos de muita gente!

    pena ki ñ vamos ganhar nada por isso neh! e assim vamos levando a nossa vida cruel como sempre e vamos desfazer as lavagens cerebrais ki as pessoas estam sofrendo por conta de quem só pensa em mais dinheiro.

  22. Renato Aguiar permalink
    27/04/2008 23:16

    Olá! Parabéns pelo blog. Eu gostaria de deixar um comentário pautado pela moderação pois o fundamentalismo não é – nem nunca foi – bom conselheiro.

    A entrevista é muito interessante mas o entrevistado peca pela falta de objetividade. Digo isso pois, como professor de ética ele, melhor que ninguém, deveria saber que tais valores não são absolutos e sofrem variações e influências de diversos quadrantes sejam eles culturais, sociais, econômicos etc. Se a única razão pela qual ele deixou a sua bem-sucedida atividade em MMN foi por esta não estar de acordo com o seu conjunto de valores morais e éticos, dou-lhe toda a razão ao seu nível pessoal mas não depreendo daí a maldade da actividade em si visto que, como mencionei, tais valores não são absolutos e, portanto, não há qualquer objetividade científica na sua afirmação.

    Por outro lado, todos nós conhecemos bem os meandros do MMN e de como ele vem sendo praticado em todos os lugares por onde passa. Muitas pessoas aproveitam-se de outras através de propostas enganadoras e promessas de lucros avultados a troco de pouco esforço. Penso que a ingenuidade das pessoas por vezes é assustadora… Não se pode acreditar em alguém que nos diz que sem fazer nada, ou fazendo muito pouco, ficar-se-á rico em X tempo. Isso não é sério, não é honesto e eu não consigo compreender como ainda há pessoas que se deixam enganar por este tipo de engodo.

    Também não podemos nos esquecer que vivemos num mundo de interesses e que a venda direta, seja através do MMN ou não, tem vindo a crescer e a roubar mercado à distribuição tradicional e esta, quer concordemos ou não, está a lutar para tentar parar o avanço daquela nova tendência e minimizar as perdas que já tem suportado. Parte deste esforço passa pela estratégia de desinformação e alarmismo ao tentar, aproveitando-se do mau exemplo de algumas empresas comprovadamente fraudulentas, classificar todas as empresas que dedicam-se à venda directa (em MMN ou não) como enganadoras.

    É importante que sempre procuremos analisar as questões por diversos pontos de vista pois, metaforicamente falando, um cubo têm seis faces mas o máximo que conseguimos observar ao olharmos de um único ângulo são três.

    Louvo os vossos esforços de conscientização e informação dos menos avisados sobre o MMN mas penso que um pouco de imparcialidade não é de todo desaconselhável. Há sempre bem na pior das coisas e sempre mal na melhor delas; quem lê “coisas” também lê “pessoas”.

    Meus cumprimentos e um abraço fraterno,

    Renato Aguiar

  23. renata24 permalink*
    28/04/2008 11:50

    “Olá! Parabéns pelo blog. Eu gostaria de deixar um comentário pautado pela moderação pois o fundamentalismo não é – nem nunca foi – bom conselheiro.”

    Olá. Obrigada pelo reconhecimento e pela civilidade.

    “A entrevista é muito interessante mas o entrevistado peca pela falta de objetividade. Digo isso pois, como professor de ética ele, melhor que ninguém, deveria saber que tais valores não são absolutos e sofrem variações e influências de diversos quadrantes sejam eles culturais, sociais, econômicos etc. Se a única razão pela qual ele deixou a sua bem-sucedida atividade em MMN foi por esta não estar de acordo com o seu conjunto de valores morais e éticos, dou-lhe toda a razão ao seu nível pessoal mas não depreendo daí a maldade da actividade em si visto que, como mencionei, tais valores não são absolutos e, portanto, não há qualquer objetividade científica na sua afirmação.”

    Entendo perfeitamente sua colocação. Mas entendo também que o entrevistado não tem a intenção de impor sua experiência como verdade absoluta (ele teve o cuidado de informar no site dele que todo o conteúdo tem cunho informativo e extra oficial).
    Acredito que as pessoas, quando estão convictas sobre qualquer assunto, de modo geral, tendem a ser mais “enfáticas”.
    O entrevistado está há 12 anos pesquisando MMN e não colheu dados muito favoráveis sobre o modelo de negócio. Creio que a opinião dele, após tantos estudos, não poderia ser diferente (talvez poderia expressar-se de outra forma, mas aí é questão personalíssima…)

    “Por outro lado, todos nós conhecemos bem os meandros do MMN e de como ele vem sendo praticado em todos os lugares por onde passa.
    Muitas pessoas aproveitam-se de outras através de propostas enganadoras e promessas de lucros avultados a troco de pouco esforço. Penso que a ingenuidade das pessoas por vezes é assustadora… Não se pode acreditar em alguém que nos diz que sem fazer nada, ou fazendo muito pouco, ficar-se-á rico em X tempo. Isso não é sério, não é honesto e eu não consigo compreender como ainda há pessoas que se deixam enganar por este tipo de engodo.”

    Concordo plenamente. Os meandros do MMN favorecem a atuação de várias pessoas inescrupulosas. Mas creio que este favorecimento é derivado do próprio modelo de negócio.

    “Também não podemos nos esquecer que vivemos num mundo de interesses e que a venda direta, seja através do MMN ou não, tem vindo a crescer e a roubar mercado à distribuição tradicional e esta, quer concordemos ou não, está a lutar para tentar parar o avanço daquela nova tendência e minimizar as perdas que já tem suportado. Parte deste esforço passa pela estratégia de desinformação e alarmismo ao tentar, aproveitando-se do mau exemplo de algumas empresas comprovadamente fraudulentas, classificar todas as empresas que dedicam-se à venda directa (em MMN ou não) como enganadoras.”

    Entendo tua colocação.
    O problema é que a grande maioria das empresas de marketing multinível induz os participantes ao recrutamento de pessoas, o que desvirtua o conceito de distribuição através de vendas diretas. A grande maioria dos participantes de MMN, para ser bem sucedida financeiramente, necessita de uma ampla rede de pessoas para tal finalidade. Daí surgem os problemas como a aceitação de produtos mais caros no mercado, saturação, necessidade de recrutamento infinito em mercados finitos, dentre outras questões que entendo ser prejudiciais ao consumidor (e estatisticamente, prejudiciais aos distribuidores de mais de 250 empresas estudadas pelo entrevistado).
    Na minha opinião, é um modelo de negócio falho na essência. Mas é minha opinião.

    “É importante que sempre procuremos analisar as questões por diversos pontos de vista pois, metaforicamente falando, um cubo têm seis faces mas o máximo que conseguimos observar ao olharmos de um único ângulo são três.”

    Novamente, concordo. Tentamos ampliar nossos conhecimentos sob todas as formas…..mas até o momento, nossos esforços não favoreceram o marketing multinível.

    “Louvo os vossos esforços de conscientização e informação dos menos avisados sobre o MMN mas penso que um pouco de imparcialidade não é de todo desaconselhável. Há sempre bem na pior das coisas e sempre mal na melhor delas; quem lê “coisas” também lê “pessoas”.”

    Contamos com a colaboração de leitores como você para aprimorar este blog. O nosso objetivo é bem claro e procuramos não extrapolá-lo. Indique os pontos com os quais não concorda, ou acha por demais parciais, teremos o maior prazer em debater sobre os mesmos e corrigir as falhas. Críticas construtivas são sempre muito bem vindas.

    “Meus cumprimentos e um abraço fraterno,

    Renato Aguiar”

    Abraços, Renato, e mais uma vez, obrigada pela participação!!!!

  24. Renato Aguiar permalink
    28/04/2008 22:20

    Olá Renata! Muito obrigado pelo seu amável comentário.

    Efectivamente quando decidi enviar a minha intervenção para o vosso blog, fi-lo com o intuito de colaborar para o esclarecimento dos seus leitores, dentro dos meus conhecimentos, experiências e possibilidades.

    Por vezes ouvimos tantas vezes uma determinada afirmação que acabamos por assumi-la como verdadeira sem nem pararmos para analisá-la com um pouco mais de profundidade. Nos fóruns e blogs que discutem o MMN e suas consequências por vezes desastrosas nas vidas de muitas pessoas tais afirmações repetem-se e repetem-se. Mas se pararmos para pensar sobre algumas delas por breves instantes logo nos damos conta de que tratam-se de falsas questões ou “não problemas” aos quais atribuem-se efeitos que não foram, nem nunca serão, por elas causados.

    Desta feita gostaria de falar sobre uma dessas afirmações. É o famoso e repetido conceito da saturação do mercado ou como você bem disse “a necessidade de recrutamento infinito em mercados finitos”.

    Essa é, no meu ponto de vista, uma das maiores inverdades que de tão repetida acabou por ser assumida como verdadeira. E é muito fácil para qualquer pessoa perceber isso. Para que houvesse a saturação do mercado seria necessário que todos os consumidores de um determinado tipo de produto consumissem esse produto de um único fabricante, ou seja, esse fabricante teria que deter uma quota de mercado de 100%. Neste caso não haveria a possibilidade desse fabricante angariar novos consumidores pois já os teria todos, não haveria como crescer mais.

    Não tenho esse dado mas penso que o MMN já é praticado há algumas décadas no Brasil e largas décadas no mundo e, juntando-se todos os fabricantes que utilizam esse sistema de distribuição, qual a fatia de mercado que eles detém? Chegará a 1%? Mesmo que fossem 5%, ainda haveria 95% de mercado para conquistar. O que desejo demonstrar com isso é que o argumento da saturação só faz sentido dentro de uma lógica utópica de que haveria um dia em que o fabricante X deteria uma quota de mercado de 100%. Todos sabemos que esse dia nunca chegará pois as pessoas tem gostos diferentes, necessidades diferentes, conceitos de valor diferentes.

    Há muitas razões pelas quais eu recomendo a qualquer pessoa que se sinta atraída pelo MMN a ter cuidado e precaver-se, mas a idéia da saturação do mercado definitivamente não é uma delas…

    Penso que podemos e devemos prestar um bom serviço aos leitores deste excelente blog debruçando-nos sobre as verdadeiras questões, aquelas que efectivamente levam a que pessoas invistam dinheiro, tempo, expectativas e sonhos em determinados projetos e acabem por sofrer desilusões e perdas muitas vezes irreparáveis em suas vidas.

    Estarei sempre à disposição para colaborar, dentro das minhas limitações, no sentido de esclarecer as pessoas sobre os reais “perigos” do MMN mas sem generalizações e diabolizações pois estas não são, na minha maneira de ver as coisas, formas eficazes de atuação.

    Um abraço fraterno,

    Renato Aguiar

  25. renata24 permalink*
    29/04/2008 21:43

    Oi Renato

    Obrigada mais uma vez pela sua (excelente) participação. A questão sobre saturação de Mercado no marketing multinível é, na minha opinião, uma das consequências mais claras deste tipo de negócio.
    Eis o que penso sobre a questão da saturação de Mercado:
    O modelo de negócio proporcionado pelo marketing multinível segue o padrão de “contratar” distribuidores até ultrapassar o ponto de saturação….e continuar.
    Um conceito econômico básico aí: se a oferta excede a procura, o preço cai. Ocorre que os preços dos produtos da grande maioria das empresas de marketing multinível (produtos incríveis, exclusivos – vide propaganda da Monavie, Herbalife e Agel, apenas para citar alguns exemplos) têm preço fixo e não seguem o Mercado. Assim, o excesso de oferta não é acompanhado por aumento de procura provocada por baixa de preço, até atingir um novo equilíbrio. O que ocorre é que a procura tende a ser fixa como o preço e uma parte cada vez maior da oferta fica encalhada – consequentemente, uma grande parte dos distribuidores fica sem conseguir vender.
    Eu acho que este tipo de negócio deveria ter um tipo de limitação (na minha opinião, uma forte atuação legislativa) para evitar que o Mercado atinja o ponto de saturação. Infelizmente, não há o controle e o marketing multinível segue a famosa progressão geométrica, na qual cada nível é “X” vezes maior que o anterior.
    Segue uma amostra da tendência de grandes empresas (tendência derivada da proposta do negócio!!!!) – trata-se de um verdadeiro disparate:

    1. No primeiro nível temos 1 distribuidor que iniciou o negócio
    2. Neste nível temos 3 – total de 4
    3. Neste nível temos 9 – total de 13
    4. Neste nível temos 27 – total de 40
    5. Neste nível temos 81 – total de 121
    6. Neste nível temos 243 – total de 364
    7. Neste nível temos 729 – total de 1.093
    8. Neste nível temos 2.187 – total de 3.280
    9. Neste nível temos 6.561 – total de 9.841
    10. Neste nível temos 19.683 – total de 29.524
    11. Neste nível temos 59.049 – total de 88.573
    12. Neste nível temos 177.147 – total de 265.720
    13. Neste nível temos 531.441 – total de 797.161
    14. Neste nível temos 1.594.323 – total de 2.391.484
    15. Neste nível temos 4.782.969 – total de 7.174.453
    16. Neste nível temos 14.348.907 – total de 21.523.360
    17. Neste nível temos 43.046.721 – total de 64.570.081
    18. Neste nível temos 129.140.163 – total de 193.710.244
    19. Neste nível temos 387.420.489 – total de 581.130.733
    20. Neste nível temos 1.162.261.467 – total de 1.743.392.200
    21. Neste nível temos 3.486.784.401 – total de 5.230.176.601
    22. Neste nível temos 10.460.353.203 – total de 15.690.529.804
    23. Neste nível temos 31.381.059.609 – total de 47.071.589.413
    24. Neste nível temos 94.143.178.827 – total de 141.214.768.240

    Se supormos que cada nível é “preenchido” em um mês, em menos de ano e meio toda a população portuguesa estaria inscrita. A Amway/Quixtar propõe como meta o recrutamento de 5 pessoas em 15 dias…e neste ritmo, em cinco meses TODA a população portuguesa estaria inscrita (e o dinheiro? De onde vem?).
    E o que estas empresas fazem para permanecer no mercado, mesmo saturado? Abrem novos mercados (Há um ótimo exemplo: Herbalife e sua tentativa de conquistaro Mercado chinês com seus bilhões de habitantes – AINDA QUE A CHINA PROÍBA o MMN – http://www.doomedbydesign.com), alteram nome (Amway virou Quixtar), diversificam sua linha de produtos (há um enorme contingente de distribuidores da Herbalife que oferece produtos de nutrição EXTERNA, sendo que o forte da Herbalife durante muito tempo foram produtos de nutrição interna), fazem “dumping” de ações no Mercado (70% das ações majoritárias da Herbalife foram jogadas na bolsa – isto ocorre quando há nuvens negras no horizonte), aproveitam-se da influência do DSA perante o governo para que não haja uma legislação rigorosa. Neste ponto – como o MMN permanence firme e forte apesar dos problemas – eu achei o estudo feito pelo entrevistado muito esclarecedor (http://www.mlm-thetruth.com/law_enforcement.htm).

    Segue um post ilustrativo que aborda a questão da saturação de forma bem técnica – os estudos basearam-se nos números fornecidos pela própria Herbalife. Sugiro a leitura e, caso se interesse, por gentileza, comente as conclusões. Certamente, acrescentará conteúdo ao nosso debate.

    http://industriadadecepcao.wordpress.com/2008/04/21/herbalife-novas-revelacoes-de-fraude-apuradas-pelo-fraud-discovery-institute/

    “Estarei sempre à disposição para colaborar, dentro das minhas limitações, no sentido de esclarecer as pessoas sobre os reais “perigos” do MMN mas sem generalizações e diabolizações pois estas não são, na minha maneira de ver as coisas, formas eficazes de atuação.”

    Nossas opiniões sobre saturação são divergentes, mas nem por isto precisaremos polemizar, não é mesmo?
    Admiro tua postura respeitosa, a clareza e coerência de raciocínio.

    Participe sempre. Tua colaboração é muito bem vinda.

    Abraços.

  26. 29/04/2008 22:14

    Caro Renato,

    Gostei da sua participação, sobretudo pela delicadeza e educação na exposição de matéria e pontos de vista.

    A questão da “saturação de mercado” é das mais controversas e complicadas e discutir/explicar no mundo do MLM. De facto há empresas a trabalhar há largos anos (Amway, Herbalife, etc) em todo o mundo e a saturação, aparentemente, ainda não foi atingida. São exemplos concretos que aparentemente contrariam a teoria de que “um dia a saturação será atingida e a rede comecerá a desfazer…”

    Quando comecei a estudar este assunto, também fiquei intrigado pelas evidências: como é possível que NUNCA seja atingida a saturação de mercado? Depois de décadas em actividade, algumas rede continuam a funcionar normalmente.

    A meu ver, e depois de estudar algumas dezenas de opiniões sobre o assunto, o que se passa na realidade é um pouco diferente. O conceito de saturação é ambíguo e mal utilizado.

    A saturação de mercado efectiva é um conceito que nunca é atingido na prática. A população TODA da terra nunca será, em qualquer momento, recrutada por empresas de MLM. Nem vale a pena pensar muito neste caso. É um facto.

    Em contrapartida, a saturação do mercado de potenciais interessados é algo muito real e presente. É este conceito que interessa discutir. Algo que já foi atingido por essas empresas há muito tempo. Neste tipo de saturação, o mercado gera muito poucos novos interessados em aderir ao negócio com o passar do tempo, pelo que as expecativas eventualmente altas de quem entra são rapidamente goradas.

    Isto leva a duas coisas: 1) uma elevada taxa de desistência de novos recrutados (poucos meses depois de entrarem nas redes), porque não conseguem vender produtos nem recrutar pessoas; 2) uma elevada taxa de pessoas a perderem dinheiro – como todos os anos a rotatividade dos distribuidores nas camandas de baixo é quase total, este número está em constante aumento (e daí as estatísticas de 99,9% de gente a perder dinheiro).

    Mesmo assim, com os novos países/mercados de actuação, as empresas lá vão dizendo que cresceram X todos os anos…

    Espero ter ajudado em alguma coisa.

    Cumprimentos.

  27. renata24 permalink*
    30/04/2008 0:19

    “Em contrapartida, a saturação do mercado de potenciais interessados é algo muito real e presente. É este conceito que interessa discutir.”

    Pedro,
    uma observação relativa aos potenciais interessados. Via de regra, os que desistem do negócio, o fazem para nunca mais voltar.
    No caso específico da Herbalife (que está em foco, em face dos eventos amplamente noticiados na imprensa mundial nos últimos dias), o fator saturação tornou-se tão premente que o FDI acredita que a abertura de novo mercado (no caso, a China) nem é mais uma questão de crescimento, mas de SOBREVIVÊNCIA. A empresa está com dois grandes mercados (Brasil e México) em declínio – em razão da saturação “específica” que ocorre com o marketing multinível (alta expansão inicial/rotatividade constante da base/percentual de desistência alto em até um ano).

    Quanto a progressão geométrica…concordo. E acho “estranho” o fato de que o negócio é apresentado de uma forma inviável na prática.

    Abraços.

  28. 30/04/2008 7:09

    Renata,

    Certo, eu concordo contigo, mas isso não entra em contradição com aquilo que eu afirmo anteriormente.

    Pelos vistos, o que se está a passar no Brasil e no Peru é que há mais gente a desistir do que a ingressar anualmente, ou então que, mesmo havendo mais gente a ingressar, a taxa de aumento de novos ingressos está a diminuir de ano para ano (em conformidade com um dos pontos enunciados pelo FDI no mais recente report).

    Estaremos sempre a falar em saturação de mercado quanto a potenciais novos interessados (e nunca saturação completa efectiva – que é impossível na prática). Quer dizer que a rede pouco ou nada cresce e que as camadas de baixo andam em constante renovação. Ou seja, em minha opinião, e de o mercado fosse estático em termos geográficos (se não se expandisse para novos países), estaríamos a atingir o ponto de inversão na curva de crescimento, sendo que daqui para frente há duas hipóteses: ou a situação se mantem indefinidamente numa alta taxa de rotavidade, e a pirâmide vai-se aguentando, ou começa a decrescer em virtude de haver mais desistências do que ingressos.

    Penso, contudo, que muitos anos vão passar até que haja um desfecho conclusivo desta questão. Infelizmente.

    Cumprimentos.

  29. renata24 permalink*
    30/04/2008 9:34

    Pedro

    Sem dúvidas, apenas fiz uma complementação (fiquei espantada com o percentual de desistência por parte dos SUPERVISORES – aqueles que investem “somente” dez mil reais para qualificar-se ao cargo e comissões…)

    Outra publicação que menciona a questão da saturação (Herbalife), conforme relatado pelo FDI.

    http://www.pyramidschemealert.org/PSAMain/news/HerbalifeChargedwithFraud.html

    Na Herbalife, há efetivamente o fator saturação (que é global…).

  30. gap permalink
    30/04/2008 10:02

    só que tem dois detalhes que sempre passam despercebidos no modelo matemático de saturação:
    1) o modelo parte do principio de que todo mundo aceitaria se cadastrar na empresa, e;
    2) o modelo parte também do principio de que as pessoas que entram, nunca desistem do negócio, portanto mantendo esse acumulativo enorme.

    levando essas duas condições em consideração, o modelo matemático essa corretissimo!

    as empresas sempre revelam o número atual de cadastrados, e nunca, jamais, revelam como está sendo a rotatividade da base e a retenção.

    a maioria dessas empresas vendem produtos carissimos e que são desconhecidos do grande público. A pessoa só conhece em detalhes o produto de uma empresa de MMN se receber a visita de um distribuidor da empresa, ou tiver algum tipo de contato com alguém que trabalha nisso. Diferente da publicidade tradicional. Alguém, que nunca foi da Amway, saberia citar 3 produtos comercializados por essa empresa?

    produtos caros e desconhecidos vão ter um mercado pequeno pra atuar, e toda empresa de MMN que se preza, prega o recrutamento infinito… ou seja, a receita certa para o fracasso de quem entrar por último.

  31. Renato Aguiar permalink
    30/04/2008 12:50

    Olá a todos!

    Muito obrigado pelas respostas e pelos esclarecimentos sobre a saturação. São todos muito bem estruturados e lógicos, inclusive o que apresentei anteriormente, e sempre é interessante conhecer novos pontos de vista. Mas trata-se de um tema complexo e com infinitas variáveis de comportamento imprevisível (os consumidores, seus gostos – que estão sempre a alterar-se – e seus conceitos de valor). Se desta cordial troca de idéias pelo menos um dos vossos leitores puder sentir-se mais esclarecido sobre o tema MMN ficarei muito satisfeito pois essa é, acredito, a motivação de todos nós.

    Voltando à entrevista do Dr. Jon M. Taylor, na minha opinião as três grandes questões que devem ser analisadas em profundidade pelas pessoas que questionam a seriedade de uma empresa que pratica o MMN como forma de distribuição de seus produtos são:

    1) Qual o foco principal de obtenção de rendimentos promovido pela empresa disponibilizadora do sistema: remunera-se as vendas diretas aos consumidores finais ou remunera-se o recrutamento de pessoas?

    2) Qual o preço cobrado pelos produtos comercializados em relação a sua qualidade e durabilidade? O custo de utilização é competitivo em relação ao mercado tradicional?

    3) Qual o enfoque principal da linha de patrocínio que apoia o novo empreendedor e do seu sistema de treinamento: a partilha do conhecimento ou a venda do conhecimento?

    As duas primeiras questões estão diretamente relacionadas com a empresa que disponibiliza os produtos e o plano de MMN. A terceira está relacionada com as pessoas que desenvolvem o plano de MMN.

    Se, por qualquer motivo, a informação for difícil de se obter, truncada ou incompleta parece-me um mau indício. Também parece-me mau qualquer sistema de MMN que remunere o recrutamento de novos empreendedores ou imponha seja o que for em termos de compras ou vendas e não pratique preços competitivos no mercado, seja pela qualidade, seja pelo custo de utilização de seus produtos. Ainda não vejo com bons olhos sistemas de treinamento dentro do MMN que vendam o conhecimento em vez de partilhá-lo. Na minha forma de ver o MMN enquanto método de distribuição de produtos, todos estes são maus indícios.

    Gostaria de saber a vossa opinião…

    Um abraço fraterno,

    Renato Aguiar

    P.S.: Tenho evitado mencionar nomes de empresas de MMN pois penso que é mais importante desenvolvermos conceitos a partir dos quais os leitores poderão tirar suas próprias conclusões que opinarmos diretamente sobre a empresa A, B ou C.

  32. renata24 permalink*
    30/04/2008 23:23

    Bem vindo sempre Renato!

    Quanto as indagações, tentarei respondê-las, dentro dos meus limites….mas irei utilizar alguns exemplos práticos, ok?

    “1) Qual o foco principal de obtenção de rendimentos promovido pela empresa disponibilizadora do sistema: remunera-se as vendas diretas aos consumidores finais ou remunera-se o recrutamento de pessoas?”

    Na minha modesta opinião, a maioria das grandes empresas de marketing multinível privilegia o recrutamento, apesar de TAMBÉM disponibilizar, no plano de compensações, bônus para efetivação de vendas diretas (geralmente menores).

    Vamos aos exemplos:

    a) http://www.monavie.com/pdf/compensation_plan/Comp_Plan_Brazil_Portuguese.pdf

    “…O primeiro passo é simples: atingir a classificação Star e então auxiliar outras pessoas a atingirem a classificação Star em nossa organização MonaVie. O resto do plano seguirá por conta própria.
    Na medida em que você verifica as 8 Formas de Obter Bônus através do Plano De Marketing da MonaVie abaixo, tenha em mente que o programa Auto-envio (recomendado, mas não obrigatório) é a forma garantida de maximizar suas escolhas de bônus e obter mais todas as vantagens do Plano De Marketing.”

    Qualificação Star:
    Pessoalmente ativo e qualificado (um distribuidor independente pessoalmente patrocinado e ativo em ambas as pernas esquerda e direita)*

    Pela leitura do trecho acima (sugiro acessar o link para informação mais completa), notamos que a empresa induz o distribuidor a qualificar-se como STAR (“o primeiro passo é simples: atingir a qualificação STAR…”). Este deve estar “ativo” – efetuando compras de 100 PV a cada 4 semanas – significa que o distribuidor deverá sim, adquirir os produtos para obter bonificações. E recrutar pessoas.

    Segundo exemplo:

    b) http://industriadadecepcao.wordpress.com/2007/10/19/evidenciando-relacoes-entre-distribuidores-e-supervisores-da-herbalife-3/

    Neste caso, o plano de compensações privilegia claramente o recrutamento. A maior parte da receita desta empresa vem da supervisão (para tornar-se supervisor, você precisa investir R$ 10.000,00). A empresa sequer controla o que os distribuidores vendem ao consumidor final.

    O terceiro:

    c) O plano de negócios de uma empresa que pretende ingressar no mercado brasileiro brevemente, na área de suplementos alimentares (Agel). Alguns trechos que considero ilustrativos do foco da empresa:

    1. Ser um Produto dos Produtos. (Use todos os produtos você mesmo, utilize o auto-envio, arranje pelo menos dez clientes preferenciais, leve os seus packs de gel para todo o lado)

    2. Manter-me Ligado ao Sistema de Equipa. (Esteja presente nas Formações em Liderança, transfira a informação para as pessoas que tem na linha da frente, mantenha o sistema sagrado para uma duplicação máxima)

    3. Iniciar o meu Negócio com uma “Grande Inauguração”. (Angarie pelo
    menos 80 a 100 candidatos na sua prospecção para encontrar algumas
    “estrelas” e criar entusiasmo e dinâmica.)

    4. Arranjar um Parceiro de Treino para ambos nos responsabilizarmos. (Dê-lhes os seus objectivos diários/semanais e conversem pelo menos uma vez por semana)

    5. Expor o negócio Agel a pelo menos ____ pessoas por dia, _____ dias por
    semana. (Não pode controlar as inscrições mas pode controlar quantas
    pessoas têm a oportunidade de avaliar a Agel)

    6. Organizar ou Apoiar um Briefing de Negócios Agel (ABB) Regularmente. (Se
    não existe um na sua área, crie um)

    7. Trabalhar “O Meu Plano de Negócio Agel” com todos os meus Inscritos
    Pessoais.

    8. Comparecer e Participar em todos os Eventos Empresariais e de Equipa
    Apropriados. (Traga prospectos, ajude, seja pontual, sente-se na primeira fila,
    vista-se de forma profissional)

    9. Praticar Diariamente o Auto-desenvolvimento. (Comece cada dia com pelo
    menos 30 minutos de crescimento pessoal positivo)

    10. Fazer o que é Correcto em Todos os Momentos. (Diga a verdade, edifique
    os outros, honre os prospectos dos outros membros da equipa, cumpra o que
    prometeu)”

    obs: as orientações são auto explicativas: consumo dos produtos por parte dos participantes e “duplicação máxima”.

    Último exemplo:

    d) fonte: http://www.dirceupock.no.comunidades.net/

    trecho pertinente:

    “QUANTO VOCÊ PODE GANHAR

    Veja uma simulação simples, com você trazendo 20 x 20 x 20:
    VOCÊ SE CADASTRA: 1
    VOCÊ INDICA DIRETAMENTE 20 PESSOAS NO 1º Nível: 20
    CADA PESSOA DO 1°NÍVEL INDICA 20 PESSOAS NO 2º Nível: 400
    CADA PESSOA DO 2°NÍVEL INDICA 20 PESSOAS NO 3º Nível: 8000″

    ……..

    “Você indicou apenas 20 pessoas, mas sua rede terá aproximadamente 8.500 pessoas. Se todos utilizarem R$ 100,00 de crédito no cartão MEGABÔNUS, seu faturamento (apenas no 3° nível) será de R$ 3.200 em dinheiro para você por mês.”

    Postei 4 exemplos por simples amostragem – duas empresas que atuam no mercado brasileiro e duas que pretendem atuar.
    Na minha ótica, a grande maioria das empresas de marketing multinível induz ao recrutamento. Os produtos são coadjuvantes.

    Desculpe-me pela resposta extensa.

    “2) Qual o preço cobrado pelos produtos comercializados em relação a sua qualidade e durabilidade? O custo de utilização é competitivo em relação ao mercado tradicional?”

    Renato, os maiores consumidores dos produtos das empresas de marketing multinível são – via de regra – os próprios distribuidores.
    Eu não faço parte de nenhuma empresa e não consumo produtos de qualquer delas. Não posso atestar a eficácia dos mesmos.
    O que posso afirmar, pelo o que já li, é que os produtos costumam ser bons mas os preços não são competitivos.
    Apenas dois exemplos: em Portugal, uma empresa vende um suco engarrafado (750 ml) por 45 euros. Este suco é composto por diversas frutas tropicais brasileiras, dentre as mesmas, o açaí. Uma tijela de açaí custa 2,50 reais no Brasil. Nem precisa fazer a conversão, para que você entenda o que quero dizer….

    Outra empresa vende gel dental a 20,00 reais, loção por barba a 36,00 e
    shampoo a quase 40,00 reais
    Temos similares no mercado brasileiro, de boa qualidade, a 8,00, 7,00 e 10,00, respectivamente (comparei com produtos que meu irmão utiliza..)

    No ramo dos suplementos alimentares, tenho minha posição que é a seguinte: não há um estudo científico que ateste a NECESSIDADE e EFICÁCIA de tais suplementos. Então, se eu fosse consumir quaisquer produtos desta natureza, procuraria um nutricionista antes. Há alguns relatos no blog que informam que os preços destes suplementos são muito altos, se comparados a similares no mercado. Fico te devendo uma pesquisa.

    “3) Qual o enfoque principal da linha de patrocínio que apoia o novo empreendedor e do seu sistema de treinamento: a partilha do conhecimento ou a venda do conhecimento?”

    Os sistemas de treinamento oferecidos pela Herbalife são pagos pelos distribuidores e estes Hom’s, STS, constituem uma fonte de arrecadação de dinheiro.
    Se as pessoas precisam pagar para receber treinamento, creio que, neste caso, há venda de conhecimento.

    Mas esta questão é por demais complexa e não posso afirmar que os líderes têm o escopo de lucrar com treinamentos que visam partilhar conhecimento. Sinceramente, prefiro acreditar que há pessoas que confiam no modelo de negócio e tentam melhorá-lo. Mas, quanto mais eu leio textos de líderes de MMN, mas me convenço de que há uma grande tendência a manipulação (através de programação neuro linguística) e uma enorme semelhança de argumentos no intuito de……trazer novos participantes.

    “P.S.: Tenho evitado mencionar nomes de empresas de MMN pois penso que é mais importante desenvolvermos conceitos a partir dos quais os leitores poderão tirar suas próprias conclusões que opinarmos diretamente sobre a empresa A, B ou C.”

    Entendo perfeitamente e acho extremamente prudente não mencionar empresas, no teu caso, considerando-se sua posição de leitor que está participando – de forma isenta – deste blog.
    Mas eu, como colaboradora, entendo que não devo expressar minha opinião sem citar casos concretos – mesmo porquê, muito do que postei já consta deste blog, em outros posts.

    Espero ter auxiliado de alguma forma e, por favor, faça tuas observações, caso queira.

    Abraços.

  33. gap permalink
    01/05/2008 10:23

    3) Qual o enfoque principal da linha de patrocínio que apoia o novo empreendedor e do seu sistema de treinamento: a partilha do conhecimento ou a venda do conhecimento?

    é que esse conhecimento deveria levar aspas quando nos referimos aos treinamentos da esmagadora maioria das empresas MMN.
    A Amway é o caso clássico onde os lideres lucravam mais com material de “apoio” e material “didático” do que com o próprio negócio Amway.
    Se vc pegar o material de apoio, e observar os treinamentos de uma empresa de MMN, vc acaba percebendo que o “conhecimento” que eles transferem aos downlines é minimo, e a maior parte dos eventos trata de exaltar a liderança, de depoimentos exagerados dos lideres que não tinham “nada” e graças à empresa agora são milionários.
    Eles puxam só pelo emocional, e o conhecimento racional fica em último plano.
    Vendas é uma área complexa, e a maioria do material de apoio vendido pelos lideres – uplines do topo – é de auto-ajuda, exaltação do negócio, tentativa de isolar os distribuidores das opiniões contrárias. Faz sentido?
    Imagina o sujeito acaba de comprar uma franquia, e no material de apoio ele encontra o dono da franquia só exaltando o negócio, pedindo para que ele se mantenha longe dos “ladrões de sonhos”, e não dando nada de conhecimento técnico necessário para o individuo iniciar seu negócio.

    Sendo assim, pode apostar que o “conhecimento” transferido pelos lideres tem dois objetivos:
    1 – Manter a pessoa investindo no negócio, mesmo que não tenha retorno;
    2 – Lucrar, porque a maioria dos treinamentos são pagos.

    Então, mesmo que a liderança não lucre diretamente com os treinamentos – cobrando por DVDs, material promocional, “didático”, credenciais para eventos – eles já estão lucrando mantendo a pessoa no negócio, mesmo que essa pessoa esteja no prejuizo.

    Então, respondendo sua questão #3 de forma mais objetiva: sim, o intuito é lucrar, direta ou indiretamente.

    abraço.

  34. Renato Aguiar permalink
    01/05/2008 15:55

    Olá!

    Cá estou eu novamente… Estou bastante satisfeito por ter “esbarrado” inadvertidamente com o vosso blog. Não é sempre que conseguimos trocar idéias com pessoas esclarecidas e bem intencionadas sobre os temas em análise!

    Partilhamos os mesmos pontos de vista em praticamente todos os pontos que apresentei:

    1) Remunerar o recrutamento de pessoas definitivamente é uma prática piramidal.

    2) Praticar preços nada competitivos no mercado obrigando os distribuidores a efetuar consumos mínimos é a prática da chamada “pirâmide com produtos”.

    3) Obter lucros, grandes ou pequenos, com a venda dos chamados “sistemas de treinamento”, independentemente da sua qualidade, não me parece correto (apesar deste problema não poder ser atribuído diretamente às empresas e sim a grupos de pessoas que estão a trabalhar em MMN).

    Acho que esses são os grandes indícios da bondade ou não de uma oportunidade em MMN. Se eu, pessoalmente, encontrasse qualquer um dos dois primeiros num plano de MMN nem sequer aceitaria pensar a respeito. Se encontrasse o terceiro a ser praticado por um determinado grupo de pessoas a desenvolver um plano de MMN de uma empresa onde nenhum dos dois primeiros existisse talvez pensasse a respeito pois o plano de MMN pertence à empresa, não às pessoas que através dele desenvolvem sua atividade.

    O que quero dizer, sem querer repetir-me mas já me repetindo (como diria o Jô), é que eu não penso ser todo o MMN igual. Não tenho um conhecimento profundo a respeito mas, dentro do pouco que conheço, já observei modelos diversos o suficiente para dizer que efectivamente não é. E as diferenças saltam logo à vista desde que estejamos atentos às especificidades e não às generalizações.

    Sei que o vosso blog tem um entendimento bastante negativo em relação ao MMN e acredito que isso é estimulado em grande parte pelo plano de MMN da empresa alvo da maioria dos comentários que nele se encontram. Tenho que admitir que o plano de MMN dessa tal empresa não passaria no meu teste pessoal de fiabilidade. Mas acredito que haverá outras que passariam.

    De qualquer modo quero, sinceramente, parabenizá-los pela vossa idéia e dedicação pois acredito que este blog está a prestar um excelente serviço a todos os seus leitores e, em especial, àqueles que procuram alternativas para as suas vidas e, de um momento para outro, podem colocar-se à mercê de esquemas fraudulentos e pessoas inescrupulosas.

    Um grande e fraterno abraço!

    Renato Aguiar

  35. renata24 permalink*
    01/05/2008 19:08

    “O que quero dizer, sem querer repetir-me mas já me repetindo (como diria o Jô), é que eu não penso ser todo o MMN igual. Não tenho um conhecimento profundo a respeito mas, dentro do pouco que conheço, já observei modelos diversos o suficiente para dizer que efectivamente não é. E as diferenças saltam logo à vista desde que estejamos atentos às especificidades e não às generalizações. Sei que o vosso blog tem um entendimento bastante negativo em relação ao MMN e acredito que isso é estimulado em grande parte pelo plano de MMN da empresa alvo da maioria dos comentários que nele se encontram. Tenho que admitir que o plano de MMN dessa tal empresa não passaria no meu teste pessoal de fiabilidade. Mas acredito que haverá outras que passariam.”

    Por favor, indique-nos um plano de compensações que privilegie as vendas (de forma mais vantajosa ao distribuidor) e não o recrutamento.
    Acredito que desconheçamos empresas de médio ou grande porte que assim procedam. Você pode ajudar-nos. Quanto as pessoas envolvidas, conforme mencionei no último comentário, gostaria de acreditar que os líderes prezam pela negociação de forma favorável a todos.

    Obrigada pelas colocações, Renato!

  36. Renato Aguiar permalink
    02/05/2008 13:08

    Olá Renata!

    Antes de responder diretamente à sua pergunta gostaria que você clarificasse a expressão “plano de compensações que privilegie as vendas (de forma mais vantajosa ao distribuidor)”.

    Minha dúvida é, mais especificamente, sobre o “(de forma mais vantajosa ao distribuidor)” pois, da maneira que é colocado, dá a entender que você se refere a um plano de MMN que seja mais favorável aos distribuidores que à própria empresa que o disbonibiliza…

    Acredito que seja uma má interpretação da minha parte pois todos nós sabemos que não há empresa no mundo, em MMN ou não, que desenvolva uma atividade para que outros retirem daí mais lucros que ela própria. O que não significa que não existam empresas que, sempre estando a ganhar mais que seus parceiros de negócios, proporcionem a estes lucros e vantagens interessantes.

    Uma vez esclarecida essa dúvida terei todo o gosto em responder à sua pergunta!

    Um abraço fraterno,

    Renato Aguiar

  37. renata24 permalink*
    02/05/2008 18:14

    Oi Renato!

    Refiro-me a algum plano de compensações no qual o distribuidor pode vir a ganhar muito dinheiro APENAS vendendo os produtos, sem necessitar de recrutamento de pessoas para auferir vantagem financeira.

    O MMN é regulamento por uma associação de vendas diretas, portanto, creio que deveria privilegiar mais as vendas do que o recrutamento.

    Se você conhece algum que difere substancialmente dos 4 que mencionei, ficarei muito satisfeita (sinceramente, não conheço nenhum com proposta muito distinta).

    Espero ter esclarecido a questão.

    Abraço.

  38. 02/05/2008 19:15

    Viva,

    Eu acrescentaria uma coisa no pedido da Renata: um plano de compensações que pague búnus de downline (sobre os níveis hierárquicos abaixo de nós) pelas vendas efectivas que são feitas para fora da rede – ou seja, baseadas no esforço e resultado que os distribuidores fazem para realmente serem vendedores. O pedido da Renata, da forma com está colocado, não se aplica no MLM, uma vez que o “apenas” que é utilizado faz limitar os bonus a um sistema Uni-nível (o mais justo de todos, na verdade) – e sinceramente, acerca deste meu pedido, ainda estou para ver a empresa que o pratica…

    Cumprimentos

  39. renata24 permalink*
    02/05/2008 21:46

    “pelas vendas efectivas que são feitas para fora da rede – ou seja, baseadas no esforço e resultado que os distribuidores fazem para realmente serem vendedores”

    rsrsrs…..vixi Pedro…..nunca vi. Inclusive há empresas que confessam não ter o menor controle sobre os resultados dos distribuidores…

    Expressei-me mal efetivamente. Quis retirar do MMN o fator do comissionamento por vendas dos downlines por completo (o que acaba por abrir a brecha para a ênfase no recrutamento), o que é um erro.

    Ratificando: plano que dê bônus por vendas diretas, na mesma proporção em que premie o distribuidor pelas vendas feitas pelos patrocinados…

  40. Renato Aguiar permalink
    03/05/2008 1:59

    Olá! Obrigado pelos esclarecimentos!

    Quanto à questão da Renata há planos que remuneram exatamente na mesma proporção as vendas efetuadas pelo distribuidor e as vendas dos seus downlines. O que geralmente acontece é que o esforço e o resultado de vendas em termos absolutos é superior considerando-se o grupo de negócios em relação a um único distribuidor. Isso representa um rendimento absoluto maior proveniente das vendas do grupo de negócios do que o das vendas individuais mas, em termos proporcionais, são idênticos.

    Já em relação às questões do Pedro tenho dificuldade em perceber o conceito das vendas efetuadas para fora da rede pois, para revender, um distribuidor necessita comprar. Assim, toda a venda para fora da rede representa uma venda anterior para dentro da rede e é por essa venda inicial dentro da rede que calcula-se o bónus, pelo menos nos planos que conheço. Esse é um sistema excelente, na minha opinião, pois o distribuidor não necessita ter estoques de produtos. Ele faz as vendas, encomenda os produtos e os entrega aos clientes, ou seja, ele só compra aquilo que já está vendido visto que não tem obrigação alguma de perfazer um valor de compras mínimas mensais.

    Mas não podemos perder de vista a noção de que o MMN não é feito exclusivamente das vendas para fora da rede. Todos nós somos comsumidores e se, sendo um distribuidor, tenho a possibilidade de adquirir para consumo próprio produtos em que confio e recomendo em condições privilegiadas face ao preço de venda ao público, por que não fazê-lo?

    Efetivamente penso que nem todo o MMN é igual e que há planos que à partida não são fraudulentos. O problema, insisto, são as abordagens menos sérias, as falsas promessas, os negócios de aproveitamento paralelo etc efetuados por determinados grupos de distribuidores e, em muitos dos casos, à revelia das empresas em questão. Não quero com isso dizer que não haja muitos esquemas fraudulentos por aí. Sabemos que os há e tendem a multiplicar-se.

    Daí a minha convicção de o vosso blog ser um grande instrumento no sentido de alertar as pessoas para essas possíveis fraudes, mas como já disse outras vezes, penso que devemos ter cuidado com as generalizações. Parafraseando Caetano Veloso: “Toda a certeza é burra pois fecha a porta a todo um mundo de novas possibilidades”. Talvez ele tenha alguma razão…

    Um grande e fraterno abraço!

    Renato Aguiar

  41. Lea Villalba permalink
    05/05/2008 13:44

    Participo de Empresa de MMN, trabalho bastante, meus ganhos são muito bons; porém o maior ganho que eu considero haver obtido, são os treinamentos gratuitos, onde eu ganhei confiança em mim mesma, maior desenvoltura, mais cultura, fiz muitos amigos, e absolutamente não é necessário “mentir” para vender os produtos ou cadastrar pessoas para que comprem produtos para seu próprio consumo ou que ganhem com a revenda. Há muitas pessoas vendendo CDs piratas, mercadoria falsificada para poder sobreviver, isso sim provoca prejuizos. Eu não vejo o MMN como um vilão, como tudo no mundo existe o lado bom e o lado mau. Sempre que te pedirem uma quantia enorme para adquirir qualquer coisa, é só recusar. Água doce e cautela, nunca fizeram mal a ninguem. Desejo Paz a todos.

  42. renata24 permalink*
    05/05/2008 13:54

    Oi Renato!!!!

    Vamos por partes:

    “Mas não podemos perder de vista a noção de que o MMN não é feito exclusivamente das vendas para fora da rede. Todos nós somos comsumidores e se, sendo um distribuidor, tenho a possibilidade de adquirir para consumo próprio produtos em que confio e recomendo em condições privilegiadas face ao preço de venda ao público, por que não fazê-lo?”

    efetivamente, o modelo de negócio não privilegia as vendas para fora da rede (a bem da verdade, as empresas não controlam o que é vendido ao consumidor final).

    A recomendação de bons produtos a amigos faz parte do dia a dia e concordo que coisas boas devem sim, ser recomendadas.
    Ainda mais em ótimas condições ($$$$).

    Mas penso que não é o que ocorre com a maioria das empresas de MMN. Ao “recomendar” o produto e recrutar, a pessoa -ainda que com a melhor das intenções – está imponto ao novo distribuidor um ônus complicado. Como provamos neste blog, a grande maioria das empresas de MMN condena 99% dos participantes ao fracasso. É estatisticamente difícil que o novo distribuidor consiga desenvolver o negócio sem incorrer em prejuízo.

    Quanto ao preço, como mencionei antes, creio que os produtos do MMN são mais caros do que os similares do mercado – há uma cadeia de distribuidores a ser remunerada e entendo que isto onera o custo do produto.

    “Efetivamente penso que nem todo o MMN é igual e que há planos que à partida não são fraudulentos. O problema, insisto, são as abordagens menos sérias, as falsas promessas, os negócios de aproveitamento paralelo etc efetuados por determinados grupos de distribuidores e, em muitos dos casos, à revelia das empresas em questão. Não quero com isso dizer que não haja muitos esquemas fraudulentos por aí. Sabemos que os há e tendem a multiplicar-se.”

    Concordo que, a partida, muitos planos não são fraudulentos. E que nem todos são iguais (aliás, são tantos que eu não devo conhecer metade das empresas que atuam no mercado….rsrsrs…)

    As empresas apresentam um número “x” de possibilidade de remunerações…..mas se analisarmos, veremos que a fatia maior do bolo é destinada aos que fazem compras mínimas e montam logo uma rede (recrutamento).
    Nos moldes dos 4 planos que indiquei mais acima. Como te disse, só consigo falar do que sei. Pelo visto, você conhece um MMN diferenciado, que ainda não foi objeto de análise.

    Então…aguardo um exemplo de plano de compensações (não precisa citar a empresa) que você entende ser legítimo e que não induza o distribuidor a focar em recrutar pessoas. Ajude-nos…..

    Abraços!

  43. Renato Aguiar permalink
    07/05/2008 22:41

    Olá Renata!

    Gostaria de responder às suas questões mas, conforme você sugeriu, todos os comentários que farei a partir de agora dirão respeito a um determinado plano de MMN que conheço com mais pormenores. Não irei divulgar o nome da empresa pois, como disse anteriormente, penso ser mais importante discutir conceitos que atacar ou defender a empresa A, B ou C.

    Em primeiro lugar gostaria de discutir dois conceitos cuja má interpretação acredito ser a causa de grandes confusões e base para conclusões que raramente correspondem à realidade dos fatos.

    MMN – Marketing Multinível, Marketing de Rede ou Sistema de Distribuição Interativa. Método de distribuição que utiliza a venda direta a consumidores cadastrados junto ao fabricante que, para além de consumir os produtos, também podem revendê-los (auferindo uma margem de comercialização por eles estipulada) e publicitá-los a novos consumidores, utilizando o seu poder de influenciar o mercado para criar grupos de consumo e auferir a partir do volume de negócios ali gerado uma gratificação (bônus).

    Consumidor Final – Qualquer pessoa que adquira um bem ou serviço para consumo próprio.

    Dito isto, devemos desmistificar algumas afirmações que são feitas e tidas como verdades absolutas.

    Por quê afirma-se com tanta veemência que recrutar novos consumidores é algo de censurável ou negativo? O sistema de MMN baseia-se no recrutamento de novos consumidores para que estes possam adquirir os produtos que desejem diretamente ao fabricante. Afirmar que o recrutamento de novos consumidores é desonesto deita por terra qualquer imparcialidade em termos de análise ao sistema pois, de antemão, declara que o princípio do sistema, a criação de redes de consumidores, não é aceitável. Se não houvesse recrutamento não haveria MMN ou seja, essa realidade não pode nem deve ser apontada como prova de sua honestidade ou desonestidade pois não é nem uma coisa nem outra, apenas uma característica do seu funcionamento.

    Repare que não estou a falar em um consumidor cadastrado ser remunerado por ter recrutado um novo consumidor. Se o novo consumidor não possui qualquer obrigação de comprar seja o que for, como o fabricante vai remunerar o distribuidor que o inseriu no grupo de consumo? É preciso que tenhamos cuidado com as generalizações e que percebamos que há realidades bastante diferentes dentro deste tema. No plano de MMN a que me refiro um distribuidor pode recrutar cem novos distribuidores que, por este fato, não receberá nem um centavo ao fim do mês.

    Muitas vezes é dito que o MMN não estimula a revenda de produtos e sim o recrutamento de pessoas. Penso que, no caso real que aqui apresento, essa é outra afirmação completamente desprovida de sentido. Inicialmente porque é feito um grande esforço por parte do fabricante para demonstrar que uma quantidade regular de revenda de produtos é tremendamente recomendável pois esta gera benefícios pecuniários imediatos (a margem de comercialização praticada pelo distribuidor). Entretanto a componente da construção dos grupos de consumo é a que apresenta maior valor agregado em potencial pois não há como comparar o volume de vendas que uma pessoa sozinha pode gerar com o que cem podem gerar. O diferencial é óbvio e de fácil compreensão. A questão é que o desenvolvimento do grupo de consumo leva tempo e os rendimentos daí provenientes também.

    Gostaria de lembrar quanto à questão dos consumidores finais que, não interessa se uma pessoa está cadastrada para comprar produtos junto ao fabricante ou não, se ela os compra para seu consumo próprio, ela é um consumidor final. Esse fato por si só anula completamente o argumento que por vezes é referenciado como um grande indício de que o MMN não funciona e é enganador, de que as vendas para “dentro da rede” são superiores às vendas para “fora da rede”. É óbvio que sim. Os grupos de consumo são, como o nome diz, grupos de consumo. Consumo. Se algum consumidor cadastrado desejar revender produtos ótimo para ele, vai auferir rendimentos imediatamente com a margem de comercialização que ele desejar. Se desejar construir seu grupo de consumo, ótimo para ele pois vai lançar as bases para algo que poderá, com o devido tempo, vir a gerar recompensas interessantes. Se não quiser fazer nada, ótimo para ele pois ele não é obrigado a nada.

    Portanto penso que essas são outras falsas questões geradas por distorções dos conceitos que apresentei acima. Podem não ser tão falsas para determinados sistemas de MMN que se encontram no mercado, mas são completamente falsas para aquele a que me refiro neste comentário.

    Se tiver mais dúvidas sobre o plano de MMN que refiro terei muito gosto em esclarecê-las dentro das minhas possibilidades e conhecimentos com a única condição de não revelar o nome do fabricante. Pode estar certa de que há boas práticas em empresas do setor do MMN.

    Um abraço fraterno,

    Renato Aguiar

  44. renata24 permalink*
    08/05/2008 23:14

    Renato,

    Efetivamente o conceito de marketing multinível é simples.
    A empresa quer vender um produto e contrata um distribuidor para fazê-lo, pagando uma comissão. A empresa também quer que você recrute e ajude a treinar novos vendedores. Para tal finalidade, a empresa pagará uma comissão sobre as vendas das pessoas que o distribuidor recrutou ou treinou (ou ambos) e de todas aquelas que os patrocinados recrutaram, e assim por diante. Este conceito cria uma espécie de “rede de comissões sobre vendas”.
    A premissa em si está correta, é válida.

    Entretanto, para ser legítimo e válido, o grosso do lucro dos participantes deveria vir das VENDAS e não do RECRUTAMENTO de pessoas.
    A maioria dos planos de compensação exalta a criação e ampliação da rede (como aqueles 4 casos concretos que mencionei, por amostragem apenas) e não a venda propriamente dita…..daí decorre o velho problema da progressão geométrica (o grosso do marketing multinível prega o crescimento da rede ao infinito). Na minha opinião, o modelo de negócio torna-se fraudulento quando os participantes recrutam outros e prometem ganhos rápidos e elevados.

    Dito isto – creio que concordamos que a definição é válida, passo a comentar algumas observações:

    “Em primeiro lugar gostaria de discutir dois conceitos cuja má interpretação acredito ser a causa de grandes confusões e base para conclusões que raramente correspondem à realidade dos fatos.”

    Li o restante do comentário….reitero que o que postamos neste blog tem fundamento em estudos e estatísticas não refutadas. Apresentamos os fatos como eles são. E eles são bem desfavoráveis mesmo. Não é um problema conceitual.

    “Por quê afirma-se com tanta veemência que recrutar novos consumidores é algo de censurável ou negativo?”

    O que afirmo é que o FOCO PRIMORDIAL no recrutamento de pessoas não é legítimo. A necessidade de recrutar deriva do próprio conceito do MMN, concordo. Mas daí para resvalar no desvio de foco é um pulo. E o que vemos por aí é o que relatamos no blog.

    “Se o novo consumidor não possui qualquer obrigação de comprar seja o que for, como o fabricante vai remunerar o distribuidor que o inseriu no grupo de consumo?”

    Penso que não poderia existir obrigação de compra de produtos por parte do novo distribuidor. Obrigação de comprar – quer seja para consumo ou venda – não me parece uma relação negocial saudável.

    “Entretanto a componente da construção dos grupos de consumo é a que apresenta maior valor agregado em potencial pois não há como comparar o volume de vendas que uma pessoa sozinha pode gerar com o que cem podem gerar.”

    Conceitualmente, correto. Na prática, não há nenhuma segurança quanto ao desempenho dos recrutados.
    E isto gera uma situação “desconfortável”: os distribuidores acabam por estocar produtos que não conseguem vender…e os patrocinadores continuam recebendo pelas compras dos patrocinados que ficaram encalhadas. Isto, a meu ver, é um absurdo – e até foge do conceito de negócio.

    Na minha opinião, um plano de compensações legítimo seria o seguinte:

    - Um participante nunca poderia ganhar mais dinheiro com as comissões do patrocinado do que o proveniente de suas próprias comissões. Isto impediria a “parasitagem” – os que ganham muito com o trabalho dos outros e acabam não trabalhando.

    - Produtos no Mercado com preços competitivos (tanto de venda como no tocante ao preço final) e eficácia comprovada. Na prática, isto não ocorre na maioria dos MMNs. Os produtos são superfaturados para pagamento de vários níveis de distribuição. E com inúmeros similares no mercado (nada de inovadores, extraordinários.)

    - Sem valor de inscrição obrigatório. Se quisessem oferecer uma possibilidade de pagamento inicial com contraprestação em produtos (preços promocionais), tudo bem.

    - Cada distribuidor poderia auferir um percentual em cima das vendas efetivas e poderia ganhar comissões relativas às vendas de todos os membros patrocinados (poderia-se comissionar por compras dos patrocinados, mas em percentual bem menor). Para fins de auferir os ganhos, os participantes não teriam obrigação alguma de comprar nada posteriormente.

    - Política justa de aceitação de devoluções, de até 3 meses, desonerando o distribuidor da obrigação de vender o produto ou recrutar alguém.

    - Não houvesse pagamentos/encomendas/consumos mínimos obrigatórios.

    - Foco na verdade absoluta sempre: apresentar a principal finalidade, se é mais lucrativo a venda de produtos a terceiros, se o foco para rentabilidade maior é o recrutamento de mais participantes, o que significa realmente ser um distribuidor, quais as possibilidades de ser bem sucedido e qual a estatística do negócio.

    - Divulgação clara e precisa dos números (participantes, rendimentos médios por hierarquia, número de desistências, volumes de venda para fora da rede) – há inúmeros relatos de pessoas que entraram em diversas empresas de MMN e depois ficaram sabendo das estatisticas (resumo, sem dar “nome aos bois”: a) percentual de desistência de 98% dos participantes em até um ano, b)fracasso de 99,9% em até cinco anos, ausência de remuneração de 88% do total de participantes no ano de 2007, dentre inúmeras outras)

    - Ausência de propaganda enganosa: aquelas promessas de “independência financeira”, “seja seu próprio patrão”, “trabalhe duas horas por dia”, com aqueles treinamentos recheados de relatos de origem duvidosa sobre milagres (“perdi 12 quilos em um mês, ganhei 3000,00 em duas semanas”), com ostentação (viagens maravilhosas, declarações de imposto de renda, carrões). Sou totalmente contra a papagaiada que algumas empresas fazem para recrutar pessoas. Ainda mais num país tão desigual quanto o Brasil.

    Reitero que não questiono o conceito do marketing multinível. Condeno o que o conceito possibilita na prática – pirâmide com produtos legalmente aceita.

    E uma infindável rede de pessoas que perdem dinheiro. Há uma taxa alta de insucesso em diversas empresas de MMN, que vai acumulando-se ao longo dos anos, podendo chegar a 99,9%.

    Fonte:

    http://www.pyramidschemealert.org/PSAMain/news/MythofMLMIncome.doc.pdf

    Obrigada pela colaboração. E espero que a empresa que menciona não seja igual a grande maioria mesmo, que privilegie o desempenho do participante, que não foque primordialmente no recrutamento de pessoas.

    Confesso, ficarei gratamente surpresa.

    Abraços!!!!!

  45. 09/05/2008 7:16

    Olá Renato (e Renata),

    Peço desculpa pelo meu laxismo. Com o fervor de outros tópicos acabei por deixar esta discussão para trás, e de facto aqui há matérias interessantes e importantes – muito mais do que em qualquer outro sítio do blog, neste momento.

    Passo a comentar algumas questões colocadas pelo Renato:

    “Já em relação às questões do Pedro tenho dificuldade em perceber o conceito das vendas efetuadas para fora da rede pois, para revender, um distribuidor necessita comprar.”

    >>> Para efectuar vendas a retalho, sim, um distribuidor tem de comprar. Mas o sistema de vendas para fora da rede pode ser efectuado de outra maneira: o produto ser enviado para o clientes final sem sequer passar pelo “distribuidor”, que apenas ganha a margem de lucro contratada (é o chamado sistema de “clientes preferenciais na Agel). Em qualquer dor casos, estamos a falar em “vendas directas” legítimas, em que o comprador final NÃO obtem nenhuma compensação com o produto que não seja decorrente do seu consumo (por outras palavras, ele não obtem nenhuma compensação monetária pelo facto de comprar os produtos, e não tem essa finalidade em mente).

    ———————

    “Assim, toda a venda para fora da rede representa uma venda anterior para dentro da rede e é por essa venda inicial dentro da rede que calcula-se o bónus, pelo menos nos planos que conheço. Esse é um sistema excelente, na minha opinião, pois o distribuidor não necessita ter estoques de produtos. Ele faz as vendas, encomenda os produtos e os entrega aos clientes, ou seja, ele só compra aquilo que já está vendido visto que não tem obrigação alguma de perfazer um valor de compras mínimas mensais.”

    >>> Lamento, mas aqui discordo totalmente de si, Renato. Como já foi referido anteriormente, há a hipótese de efectuar uma (re)venda sem ter de focar com o stock, e, mais importante de tudo, esse sistema de recompensar as COMPRAS feitas pelo downline de FORMA ALGUMA garantem que a seguir haja uma venda para fora da rede (e portanto ninguém está a comprar “aquilo que já está vendido”) . Este sistema de compensações de compras do downline pode ser muito expedito e facilitador para os distribuidores, mas é também a garantia de que a empresa mãe se está a borrifar para as vendas efectivas ao consumidor final (fora da rede). Para a empresa, tanto se lhe dá como não dá se depois os distribuidores vendem o produto ou não – a maioria, de facto, não vende pois não é compensador. A empresa está a vender em Pirâmide, para dentro da rede, em contrapartida a vender para Fora da rede, num sistema de “Vendas Directas”.

    Renato, pelas suas observações, eu depreendo que a rede que conhece funcione em pirâmide, mas também creio que até agora ainda não se tinha apercebido dessa questão, por causa exactamente das especificidades dos conceitos.

    Imagine o seguinte… Se a empresa estiver sempre a vender para dentro da rede, e uma verdadeira cultura de vendas para fora não for devidamente implementada, encorajada, e controlada, as últimas hierarquias da rede ficam sempre a ver navios, porque não há outra maneira de ganhar dinheiro sem ser através do recrutamento de novos membros e de novas camadas hierárquicas para lhes comprar produtos. É a isto que leva o sistema de recompensas das COMPRAS dentro da rede.

    —————–

    “Mas não podemos perder de vista a noção de que o MMN não é feito exclusivamente das vendas para fora da rede. Todos nós somos comsumidores e se, sendo um distribuidor, tenho a possibilidade de adquirir para consumo próprio produtos em que confio e recomendo em condições privilegiadas face ao preço de venda ao público, por que não fazê-lo?”

    >>> Sim, é verdade. Completamente de acordo, Renato. Mas deixe-me só separar duas coisas que foram aqui misturadas, talvez de forma inocente: uma coisa é haver consumo pelos distribuidores da rede (perfeitamente normal), e outra coisa é recompensar-se esse consumo DE FORMA MAIS EVIDENTE do que as VENDAS de Produtos (para fora da rede). E é aqui que está toda a diferença entra uma pirâmide e um sistema legítimo. Portanto, repare bem, que ninguém está a criticar consumo ou a possibilidade de haver consumo.

    Pense só um bocadito…. pense num sistema piramidal sem produtos à mistura, em que os membros ganham dinheiro APENAS por recrutar mais membros. Qual é a característica que define a piramide? É a impossibilidade de ganhar dinheiro sem ser através do recrutamento de mais membros, pois não há nada para vender a tereiros (fora da rede). Agora imagine uma pirâmide com produtos. Qual é a característica que separa este sistema de um MLM legítimo? É a falta vendas a terceiros. APESAR DE HAVER ESSA HIPÓTESE REAL. É um sistema fechado, à semelhança da pirâmide com produtos.

    ——————–

    Isto foi só uma preparação para as suas afirmações seguintes…

    ——————–

    “Em primeiro lugar gostaria de discutir dois conceitos cuja má interpretação acredito ser a causa de grandes confusões e base para conclusões que raramente correspondem à realidade dos fatos.

    MMN – Marketing Multinível, Marketing de Rede ou Sistema de Distribuição Interativa. Método de distribuição que utiliza a venda direta a consumidores cadastrados junto ao fabricante que, para além de consumir os produtos, também podem revendê-los (auferindo uma margem de comercialização por eles estipulada) e publicitá-los a novos consumidores, utilizando o seu poder de influenciar o mercado para criar grupos de consumo e auferir a partir do volume de negócios ali gerado uma gratificação (bônus).”

    >>> Em parte concordo com esta definição. Mais concretamente, no plano das possibilidades. No MLM, um membro tem a possibilidade de consumir produtos, de vender esses produtos, de recrutar novos membros, e de ganhar comissões com base nas vendas do downline (é para estas possibilidades que todas as definições apontam).
    Não concordo consigo quando afirma que a “venda directa” é a acção que pressupõe a venda de produtos aos consumidores cadastrados junto do fabricante (i.e.: membros da rede). A Venda Directa, enquanto conceito, pressupõe que os distribuidores (re)vendam esses produtos a terceiros. Terceiros esses que são consumidores fora da rede. Se estiverem dentro da rede, então não podemos falar em “Venda Directa”. Passa a ser “Venda em Pirâmide”. É isso de facto que é uma Venda em Pirâmide

    —–

    “Consumidor Final – Qualquer pessoa que adquira um bem ou serviço para consumo próprio.”

    >> Sem dúvida. Coloco a ressalva que já vem de trás: Consumidor final fora da rede = Venda Directa. Consumidor Final dentro da rede = Venda em Pirâmide. ISTO QUANDO HÁ VALORES MONETÁRIOS PAGOS POR CONTA DE COMISSÕES DE VENDAS/COMPRAS.

    ———–

    “Por quê afirma-se com tanta veemência que recrutar novos consumidores é algo de censurável ou negativo?

    >>> Não é o recrutamento que é censurável. Os bónus ou comissões pagas por esse recrutamento é que são censuráveis. Como já referi atrás, o MLM também se baseia no recrutamento. Não tenho nada contra isso. Agora ganhar-se dinheiro derivado dessa acção é um indicador bastante forte de que o sistema é uma pirâmide.

    —————

    “O sistema de MMN baseia-se no recrutamento de novos consumidores para que estes possam adquirir os produtos que desejem diretamente ao fabricante. ”

    >> Tal como um esquema de vendas em pirâmide. Certo? (não é por aqui que temos um factor diferencial)

    ——————-

    “Afirmar que o recrutamento de novos consumidores é desonesto deita por terra qualquer imparcialidade em termos de análise ao sistema pois, de antemão, declara que o princípio do sistema, a criação de redes de consumidores, não é aceitável. Se não houvesse recrutamento não haveria MMN ou seja, essa realidade não pode nem deve ser apontada como prova de sua honestidade ou desonestidade pois não é nem uma coisa nem outra, apenas uma característica do seu funcionamento.”

    >>>> Claro que concordo consigo. Sem recrutamento estaríamos num sistema de Marketing Uni-nível.

    Mas leia vem as respostas anteriores.

    ————–

    “Repare que não estou a falar em um consumidor cadastrado ser remunerado por ter recrutado um novo consumidor. Se o novo consumidor não possui qualquer obrigação de comprar seja o que for, como o fabricante vai remunerar o distribuidor que o inseriu no grupo de consumo? É preciso que tenhamos cuidado com as generalizações e que percebamos que há realidades bastante diferentes dentro deste tema. No plano de MMN a que me refiro um distribuidor pode recrutar cem novos distribuidores que, por este fato, não receberá nem um centavo ao fim do mês.”

    >> Renato: aqui está a sua redenção. Face a tudo o que já foi dito, esse processo de recrutamento é totalmente são.

    —————

    “Muitas vezes é dito que o MMN não estimula a revenda de produtos e sim o recrutamento de pessoas. Penso que, no caso real que aqui apresento, essa é outra afirmação completamente desprovida de sentido. Inicialmente porque é feito um grande esforço por parte do fabricante para demonstrar que uma quantidade regular de revenda de produtos é tremendamente recomendável pois esta gera benefícios pecuniários imediatos (a margem de comercialização praticada pelo distribuidor). Entretanto a componente da construção dos grupos de consumo é a que apresenta maior valor agregado em potencial pois não há como comparar o volume de vendas que uma pessoa sozinha pode gerar com o que cem podem gerar. O diferencial é óbvio e de fácil compreensão. A questão é que o desenvolvimento do grupo de consumo leva tempo e os rendimentos daí provenientes também.”

    >>> Tudo bem com os conceitos. Mas deixe-me que lhe pergunte: a empresa pode facultar informações sobre a quantidade de vendas que os membros fazem realmente para fora da rede? Como garantir que, apesar do encorajamento todo que há em torno dessas vendas, as trocas comerciais por vendas directas estejam mesmo a ocorrer? Como saber se os produtos são bem aceites pelo mercado em geral (consumidores fora da rede)?

    ————

    “Gostaria de lembrar quanto à questão dos consumidores finais que, não interessa se uma pessoa está cadastrada para comprar produtos junto ao fabricante ou não, se ela os compra para seu consumo próprio, ela é um consumidor final. Esse fato por si só anula completamente o argumento que por vezes é referenciado como um grande indício de que o MMN não funciona e é enganador, de que as vendas para “dentro da rede” são superiores às vendas para “fora da rede”. É óbvio que sim. Os grupos de consumo são, como o nome diz, grupos de consumo. Consumo. Se algum consumidor cadastrado desejar revender produtos ótimo para ele, vai auferir rendimentos imediatamente com a margem de comercialização que ele desejar. Se desejar construir seu grupo de consumo, ótimo para ele pois vai lançar as bases para algo que poderá, com o devido tempo, vir a gerar recompensas interessantes. Se não quiser fazer nada, ótimo para ele pois ele não é obrigado a nada.”

    >>> Totalmente em desacordo consigo. Os chamarizes e engodos de muitas empresa de Marketing Multinível, como por exemplo a Herbalife, a Agel, a Amway, a USANA, a Nuskin, a Xango, a Monavie, a NONI, etc, etc, são os rendimentos milionários residuais que os membros podem vir a ganhar se aderiram à rede seguirem o esquema. Não é o consumo dos produtos. Eu sei que o assunto é controverso, mas a realidade é essa: a maioria dos membros destas redes, apesar de gostar dos produtos, junta-se por causa da perspectiva clara de poder vir a ganhar muito dinheiro (coisa que depois, na realidade, não acontece, como provam as estatísticas de desistência altíssimas). A questão do consumo interno VS consumo externo (para fora da rede), é o cerne da questão. Uma rede de consumo interno é uma pirâmide, para todos os efeitos. É este um dos argumentos que é mais utilizados nos casos em tribunal (a para do front-loading exagerado e das falsas possibilidades de rendimentos), e que serviu para fechar algumas empresas e para ilibar outras. É a famosa regra dos 70% e das facturas de vendas. E claro que as pessoas são livres de aderir. Claro que ninguém as obriga a nada. Elas são puxadas pelas promessas muitas vezes exageradas e deturpadas de lucros milionários.

    ———–

    “Portanto penso que essas são outras falsas questões geradas por distorções dos conceitos que apresentei acima. Podem não ser tão falsas para determinados sistemas de MMN que se encontram no mercado, mas são completamente falsas para aquele a que me refiro neste comentário.”

    >>> Não creio que sejam falsas questões, creio que sejam exactamente as questões certas para distinguir entre o certo e o errado (recapitulando: 1) Inexistência de vendas para fora da rede; 2) Front Loading excessivo; 3) Falsas representações de resultados; 4) recompensas por recrutamento de novos membros, ou por conta de compras que estes façam aquando da aderênmcia).

    O reverso da medalha nisto tudo é a dificuldade em adaptar estes conceitos aos modelos reais e provar o que quer que seja. Por evidente falta de informações credíveis e pela disparidade de casos particulares que constituem a população de uma rede de MLM. Como por exemplo o Sr., que me parece alguém honesto, a tentar explicar a sua perspectiva (totalmente válida) da realidade. O que fazer quando algumas pessoas em determinada rede estão a agir de forma legítima e honesta, e outras não estão? O que fzer quando as que estão a agir de forma honesta não se apercebem que podem estar a agir de forma ilegal (na Agel conheço alguns casos concretos desses).

    E pergunto-lhe eu no final: que critérios, na sua opinião, permitirão distinguir entre uma pirâmide com produtos e uma empresa de MLM com produtos? O que separa a legalidade da ilegalidade? Como medir os critério? E que critérios analisar?

    Desculpe-me a extensão da resposta…

    Cumprimentos.

  46. 09/05/2008 8:33

    Renato,

    Peço desculpa, mas esqueci-me de indicar que fiz um resumo dessas matérias numa mensagem no meu blog há uns tempos atrás. De tempos em tempos vou actualizando os dados com informações que me pareçam relevantes. Pode ler aqui:

    http://esgotocapitalista.blogspot.com/2008/01/o-que-uma-pirmide-e-outras-coisas.html

    Cumprimentos,

  47. Renato Aguiar permalink
    10/05/2008 13:20

    Olá Renata e Pedro!

    Muito obrigado pelas respostas.

    De tudo que foi dito penso que fica evidente que o tema é tremendamente polêmico e que, apesar de a uma vista desarmada parecer que temos pontos de vista muito diferentes, na verdade não temos.

    O pedro tocou no ponto que na minha opinião é fulcral quando falamos em MMN: como diferenciar os bons dos maus?

    Na minha opinião pode-se fazer de duas formas. A mais simples é condenar o MMN, colocar todas as empresas que operam neste sistema e seus distribuidores no mesmo saco e dizer que não é possível um sistema de MMN ser legítimo e/ou honesto, caminho seguido, aliás, pelo autor do artigo que estamos a comentar.

    A mais difícil é tratar o tema com sua devida complexidade. Dentro desta segunda linha, eu penso que devemos analisar a questão por dois ângulos:

    1) O que é oferecido e exigido pela empresa mãe no seu plano de MMN?

    2) O que é praticado pelos distribuidores no desenvolvimento das suas atividades?

    Em termos da primeira questão, minha linha de pensamento vai no sentido de que se um plano de MMN não remunera os recrutamentos, não obriga a nenhum volume pessoal de compras, pratica preços correspondentes à qualidade, dá garantia dos produtos que vende, e não promete ganhos avultados num curto espaço de tempo à troca de pouco esforço, esse plano à partida é legítimo.

    O conceito de pirâmide com produtos, em minha opinião, só se aplica a sistemas onda há a obrigatoriedade de compras mínimas mensais. Neste caso se uma pessoa pretende permanecer vinculada à empresa vê-se coagida a comprar produtos até o valor mínimo estipulado quer necessite deles ou não. Aí sim, parece-me haver no mínimo desonestidade.

    Quanto à segunda questão temos que ter cuidado. Isso porque pode muito bem um plano de MMN oferecido por uma empresa ser legítimo e/ou honesto mas, entretanto, pessoas ou grupos delas trabalharem-no de uma forma repreensível. O cuidado que temos que ter é o de separar uma coisa da outra. Se o que um distribuidor no exercício da sua actividade em MMN faz não é honesto não se pode condenar o plano de MMN por isso. Há bons e maus profissionais em todas as atividades.

    Um erro muito comum que é cometido muitas vezes, na minha opinião, é o de tomar como a palavra e o pensamento das empresas de MMN aquilo que distribuidores ou grupos de distribuidores dizem nas suas reuniões.

    Isso não é correto. Os distribuidores não falam pelas empresas. Suas recomendações não são necessariamente as recomendações das empresas. Os valores, recomendações e instruções de venda das empresas estão publicados. Se não estão esse é um mal indício. Quando critica-se a empresa deve-se ter em atenção as suas posições, recomendações e instruções de venda oficiais e não a de porta-vozes não autorizados para esse efeito.

    Se tomarmos esse cuidado perceberemos que muitas vezes, não só nesta matéria mas em muitas situações em nossas vidas, transferimos para uns as culpas de outros.

    Um abraço fraterno,

    Renato Aguiar

  48. 12/05/2008 9:26

    Olá Renato,

    Quando a discussão é longa e comprida, há sempre algumas coisas que nos esquecemos de mencionar. Um ponto muito concreto que eu não foquei é a política de devolução de produtos.

    Um (também) factor identificativo de uma pirâmide é a impossibilidade/dificuldade em recuperar o dinheiro investido na empresa. Isso pode ser feito de diversas formas, três das quais são: 1) cobrar uma quota de entrada e dizer que não é reembolsável em caso algum, 2) um curto período para aceitar devoluções (todo o que seja MENOS de 6 meses, para mim, é criminoso), 3) vender uma grande quantidade de produtos ao distribuidor e incentivá-lo a fazer tudo como ele, CONSUMIR E DAR COMO AMOSTRA A TERCEIROS (desta forma não há como devolver o produto, porque ele já não existe).

    Isto era só um complemento ao que foi dito.

    ———–

    Em relação àquilo que disse:

    “2) O que é praticado pelos distribuidores no desenvolvimento das suas atividades?

    Quanto à segunda questão temos que ter cuidado. Isso porque pode muito bem um plano de MMN oferecido por uma empresa ser legítimo e/ou honesto mas, entretanto, pessoas ou grupos delas trabalharem-no de uma forma repreensível. O cuidado que temos que ter é o de separar uma coisa da outra. Se o que um distribuidor no exercício da sua actividade em MMN faz não é honesto não se pode condenar o plano de MMN por isso. Há bons e maus profissionais em todas as atividades.

    Um erro muito comum que é cometido muitas vezes, na minha opinião, é o de tomar como a palavra e o pensamento das empresas de MMN aquilo que distribuidores ou grupos de distribuidores dizem nas suas reuniões.

    Isso não é correto. Os distribuidores não falam pelas empresas. Suas recomendações não são necessariamente as recomendações das empresas. Os valores, recomendações e instruções de venda das empresas estão publicados. Se não estão esse é um mal indício. Quando critica-se a empresa deve-se ter em atenção as suas posições, recomendações e instruções de venda oficiais e não a de porta-vozes não autorizados para esse efeito.”

    >> Renato, eu entendo o seu ponto de vista. Há sempre “ovelhas negras” em todo o lado e não podemos tomar o todo pelas partes.

    Mas veja agora o outro lado: as empresas permitem que essas “ovelhas negras” explorem o sistema, ao abrigo das suas próprias regras, e que sejam bem sucedidas, e ainda que digam que é essa a maneira correcta de se ser bem sucedido. Mais: não só permitem, como incentivam por trás a que isso aconteça. O que lhes interessa é expandir a rede. É dessa forma que garantem a venda dos seus produtos (maioritariamente para membros da rede).

    A AGEL é um caso FLAGRANTE daquilo que eu estou a falar. A Agel tem uma orientação clausal no CONTRATO que diz que a forma primária para os recém-membros de ganharem dinheiro são as vendas a retalho. Na prática a empresa SABE que ninguém faz isso, fecha os olhos ao assunto, não controla nada, e dá palmadinhas nas costas ao membros que mais ganham dinheiro com o esquema, membros esse que se fartaram de recrutar pessoas e que nunca na vida não venderam nada a retalho.

    Aquilo que diz nos contratos é enganador. Para além de não reflectir a realidade no terreno, serve para ilibar as empresas em caso de haver problemas. Elas nunca se considerarão responsáveis pelas acções dos seus membros, mesmo que por trás as aceitem e incentivem.

    Cumprimentos.

  49. renata24 permalink*
    12/05/2008 15:59

    Renato,

    concordo com o Pedro acerca da questão “ovelhas negras”. Entendo que o modelo de negócio favorece a atuação de muitas pessoas inescrupulosas. E creio que a atuação patética de alguns é consequência de um dos dogmas do MMN: QUALQUER UM PODE FAZER.

    Não acho condenável dar oportunidade a todos…mas acho que não é feito um controle efetivo sobre a atuacão de cada distribuidor. Algumas (a maioria das que conheço, na minha opinião) empresas são sim, coniventes com a “pilantragem” de participantes.

    Exemplo concreto: recentemente, um ex diretor de uma grande empresa de MMN denunciou aos seus superiores a conduta de alguns supervisores, que estariam fraudando o Código de Ética da empresa e o fisco do país de origem……bem, o ex diretor foi demitido. E a empresa não tomou até o momento, qualquer atitude… – fica difícil sair do que ocorre na prática, confesso….rsrsrs.

    A questão é complexa sim….mas o que sei sobre os dados me faz, até o momento, concordar com a opinião do entrevistado. O mmn é um negócio arriscado (arriscadíssimo) e induz a perdas financeiras. Mas tem respaldo legal.

    Abraços.

  50. Adriano permalink
    14/05/2008 16:23

    Parabéns por mais este artigo. O autor realmente fez um trabalho baseando-se em informações, em fatos, buscou um referencial teórico para seus argumentos. É isso aí!
    Com certeza só se ganha muito dinheiro num negócio como esse, como disse o autor, enganando pessoas. Eu mesmo percebi isso quando fui a uma reunião destas. Logo de cara percebi que só ganharia muito dinheiro recrutando o maior número de pessoas possíveis através de muita distorção. (pra não dizer mentira)
    Aliás,(risos) um supervisor de muito sucesso da HBL me confidenciou isso: -”Claro cara! Só com recrutamento você vai ganhar muito dinheiro nesse negócio.” Ou seja, os produtos são apenas um xamariz do esquema.

  51. renata24 permalink*
    15/05/2008 10:57

    Infelizmente, para os que confiam na Herbalife, os dados são desanimadores e, pior: NEM A EMPRESA CONSEGUE (OU TENTA) REBATER AS ESTATÍSTICAS.

    Quer sejam as apresentadas pelo entrevistado, quer sejam as apresentadas pelo Fraud Discovery Institute.

    Tomara que o consumidor brasileiro acorde de vez por todas.

  52. Adriano permalink
    15/05/2008 12:13

    Acredito que vai acordar.
    E outra… não sei se já perceberam, mas a indústria de alimentos do Brasil a base de soja já em grande. Pra quem realmente gosta tanto dos alimentos a base de soja, hoje você encontra nos supermercados pó nutricional para bebidas a R$20,00 a unidade, leite de soja, leite de soja com sabor (shake) que é uma delícia e custa em média R$2,10 a unidade… e por aí vai. Todos supervisionados pela Anivisa e outros órgãos brasileiros. Os empresário brasileiros percebram sim a entrada destes produtos aqui no Brasil e trataram de oferecê-los a um custo mais acessível a população. Soja é saudável e há milenios é usada pelos chineses.
    E com isso gera-se mais empregos.

  53. Fabio Avenir permalink
    25/05/2008 14:57

    Nossa to pasmo sinceramente adorei essa materia quero agradecer e parabenizar a todos que deram seus comentarios quero estar presente aqui ainda por muitas e muitas leituras pois acho extremamente saudavel parabens a todos se depender de mim e se o povo brasileiro souber ler e tiver vontade e gana de conhecimento muitas pessoas vao ainda passar aqui e ler alguma coisa e tirar algum proveito bom abracos
    a todos
    Fabio Avenir
    “a cada dia aprendendo alguma coisa diferente e importante e passando adiante “

  54. jobson permalink
    23/06/2008 20:39

    É lamantável como este comentário se apresenta tremendamente tendencioso, entretando para um trabalho científico falta muito. É interessante como alguém apresenta uma critica de um sistema que não concorda e apresenta-o como um trabalho científico, crítica é uma coisa trabalho cientifico e outra muito diferente. Pois é imparcial e nunca tendencioso, por exemplo deveria iniciar definindo o que é MMN e citar referências bibliográficas de vários escritores que apresentam o seu sucesso.
    E então poderia apresentar seu ponto de vista e citar referências respaldando sua argumentação. Vejo que até recebeu elogios que sem dúvida são com todo respeito de indoltos no assunto Talvez impressione apresentar um americano inimigo ferrenho do MMN porém que tal apresentar também vários, mais vários escritores não só americano TAMBÉM como de outros países que defendem o MMN e o apresentam como um negócio de sucesso.
    Um argumento tão tendencioso como este faz suscitar uma pergunta? O que estaria ganhando para se preocupar um criticar um negócio de sucesso. Ora, será que os craks produzem vírus detruidores por pura maldade? O interessante é que o resultado de sua “PURA E INOCENTE MALDADE” é a esorbitante venda de vários programas de antivirus e empregam varios hackes que são os bonzinhos! Portanto, não estaria o autor destas criticas ao MMN fazendo implicitamente uma apologia ao mercado tradicional que não enriquecem ninguém pois o MMN está quebrando muitos grandes empresários que só fazem henriquecer a si mesmos. Conheço vários amigos que não tinham nem uma bicicleta para se locomover e hoje andam de citroem e fiat punto bem isto é fato e não argumento tendencioso.

  55. renata24 permalink*
    24/06/2008 9:17

    Jobson, seu comentário é lamentável.

    A parte relativa a mercado tradicional vs MMN já foi amplamente refutada neste blog e não repetirei os fundamentos pelos quais sabemos que ambos não se confundem, não se complementam, são dois mercados DISTINTOS.

    sobre a entrevista: os dados que fundamentaram o estudo do Jon Taylor são institucionais, ou seja, tratam-se de dados fornecidos pelas próprias empresas analisadas. A pesquisa do entrevistado poderia ser considerada tendenciosa SE os dados fossem hipotéticos, o que não ocorre. Quanto a opinião dele (tendenciosa), até entendo a sua crítica, mas afirmo: é impossível defender o mmn após estudá-lo por mais de 12 anos e concluir que 99% dos participantes perde dinheiro.

    Infelizmente, nenhum defensor de mmn conseguiu combater qualquer dado númerico postado por especialista (ou não).

    Sobre teus amigos andarem de “citroen” ou “fiat punto”…..e vc informar que este é um FATO e não argumento “tendencioso”….bem, posso inverter este raciocínio e dizer que conheço vários amigos que andam de porsche, mercedes e bmw….graças ao mercado tradicional.
    Mas esta discussão não leva a lugar nenhum e não coloca o mmn em posição favorável.

    Se quiser fazer como o entrevistado e pesquisar o mmn a sério (postar números, refutar dados…), ok.
    Do contrário, vai ser difícil aprovar um comentário seu neste post novamente.

  56. 24/06/2008 9:40

    Jobson,

    O Sr. está a criticar este trabalho por “não ser científico”, e por ser tendencioso e parcial, uma vez que só mostra o lado mau do assunto. Eu aceito esta parte da sua argumentação como válida, mas devo salientar os seguintes pontos:

    - O facto de ser um estudo negativista e parcial (no sentindo de ser anti-MLM) não lhe retira objectividade e razão, uma vez que as informações apresentados foram retiradas de dados institucionais.

    - E não será que as promessas e promessas e promessas feitas pelas empresas de MLM não serão MUITO mais parciais, essas sim, interessadas em vender um produto, essas sim com razões concretas para apresentares informações deturpadas, essas sim com interesse em divulgar APENAS aquilo que lhes interessa?

    - Onde estão as contrapartidas a este estudo? Onde estão as informações concretas publicadas pelas MLM que mostram os valores exactos daquilo que se passa no terreno? Pela sua lógica, que a ser imparcial e não tendencioso, estas empresas deveram publicar todos os valores referentes ao sucesso e insucesso dos membros nas suas redes.

    O que eu vejo por parte do Sr. FitzPatrick é uma tentativa para mostrar a realidade. Se essa realidade é necessariamente má, não vejo porque não juntar a estas provas um sinal de alerta (e que pelas suas palavras, Sr. Jobson, é ser-se parcial e tendencioso).

    Pense um bocadito antes de acusar os outros de serem negativistas e imparciais. Se calhar há fundamentos concretos e verificáveis por detrás destas opiniões, não?

    Cumprimentos.

  57. 24/06/2008 9:42

    Nota: Falei no FitzPatrick e esqueci-me do Taylor – afinal ele é o visado por este ataque…

    Cumprimentos

  58. André permalink
    24/06/2008 16:20

    Boa tarde a todos!

    Quero expressar a minha mais profunda decepção em relação aos dados que constatei no artigo comentado. Eu realmente acreditava na idoneidade dos sistemas de MLM, e agora parece não me restar mais alternativas a não ser continuar na “mesmice” do mercado tradicional. Aliás, ainda estou me dedicando para conquistar minha primeira oportunidade de trabalho, e digo a vocês que tenho formação superior em Nutrição desde Dezembro de 2005 e terminei um curso técnico em Informática neste mês (Junho).

    Agradeço a todos pelo esclarecimento e desejo que continuem com o empenho. Mas quero apenas pedir uma coisa: não digam que o mercado tradicional é “mais justo” que o da Herbalife ou da Agel. No meu entendimento, o máximo que deveríamos dizer a respeito é que o mercado tradicional é “honestamente injusto”. Pois num país em que 90% das riquezas são concentradas nas mãos de apenas 10% da população, nenhum de nós se pode ter o direito de dizer que a distribuição de renda no país é “justa”.

    Sou um cidadão consciente e desejo fervorosamente contribuir para mudar essa triste realidade, não importa em qual tipo de negócio eu vá trabalhar, mas de qualquer maneira espero encontrar uma alternativa iluminada e verdadeiramente justa para receber um salário digno e merecido e proporcionar aos outros as mesmas condições. Isto não é utopia, e não tenho vergonha em dizer que sou uma pessoa sonhadora, pois acredito em todos os meus ideais e me dedico para torná-los realidade.

    Um grande abraço a todos!

  59. gap permalink
    24/06/2008 17:11

    No meu entendimento, o máximo que deveríamos dizer a respeito é que o mercado tradicional é “honestamente injusto”. Pois num país em que 90% das riquezas são concentradas nas mãos de apenas 10% da população,

    Na verdade nós disponibilizamos os dados de rendimentos dos distribuidores da HBL nos EUA, melhor mercado da empresa, e os rendimentos, e a concentração de renda é bem pior que a relação 90%-10%.

    Nesse artigo:

    http://industriadadecepcao.wordpress.com/2008/01/21/os-lideres-mentem-os-numero-nao/

    Ou seja, se Herbalife fosse um pais, teria distribuição de renda muito pior que a do Brasil.

  60. André permalink
    30/06/2008 12:15

    Milena:

    “Se o mercado tradicional fosse pior do que MMN já teríamos mais pessoas trabalhando no MMN do que nele no mundo. Fato.”

    Agradeço ao seu conselho, mas eu não quis em nenhum momento no meu post defender o MMN. Ao contrário, eu expressei a minha desilusão com o sistema.

    “Oportunidade tem, senão não apareceriam tantas ofertas em classificados, corcursos públicos, agências de emprego todo santo dia. O problema é que para algumas pessoas, nada presta e usam mil justificativas para não tentar aquela vaga.”

    Concordo contigo. Entretanto, para cada vaga existem centenas ou mesmo milhares de canditatos concorrendo. Quando me formei em 2005, eu passei um ano inteiro à procura de uma oportunidade, portanto não fiquei de braços cruzados. Além disso, também procurei por vagas em outras áreas, como atendente e balconista, mas quase não fui sequer convocado para uma entrevista. O maior obstáculo que tenho enfrentado é a falta de experiência. Cursos e palestras são importantes, mas sem experiência as chances ficam reduzidas.

    No SENAC recebi muitas orientações voltadas ao empreendedorismo, e realmente pretendo seguir este caminho. Só está me faltando $ para começar.

    Sei que o caminho é duro, mas agora estou muito mais confiante para conseguir meus objetivos. Naquela época, antes de eu começar o SENAC, enfrentei realmente um momento difícil. Foram cobranças de todos os lados, muita insegurança. Eu fiz estágio curricular no IPQ do Hospital das Clínicas, e a supervisora chegou a me chamar para conversar e me disse que eu parecia estar com suspeita de TOC, um transtorno psiquiátrico. Na verdade eu não estava com isto, mas sofria de depressão. Fiz um ano de tratamento, e graças a isso e ao meu convívio no SENAC eu pude superar o problema.

    Um grande abraço a todos!

  61. renata24 permalink*
    30/06/2008 12:17

    http://www.sequence-inc.com/fraudfiles/2008/06/30/monavie-scam-or-not/#comment-161563

    Algumas considerações feitas no link acima sobre a MONAVIE:

    fundador: Dallin Larsen, que ajudou a fundar a USANA, auxiliou a empresa a montar a rede de 70.000 pessoas e saiu para montar a Monavie

    produto: o suco de açaí e outras frutas, que, segundo alegações, tem altos poderes terapêuticos

    custo: uma garrafa custa aproximadamente 40 dólares. Se tomar o que é recomendado, o suco dura uma semana. O custo diário é de (aproximadamente) US 5,71 (imaginem, 5 dólares por dia….)

    Plano de compensações. Complexo. Você constroi “duas pernas” e qualifica-se para comissões baseado na perna mais curta. A perna mais longa? Bônus não são pagos se a perna menor ficar inativa. Uma coisa é certa: quanto mais complicado o plano, menos benefícios aos participantes. Pode-se ter quatro centros de negócios – o que significa mais possibilidade do participante comprar o produto para qualificar-se para comissões

    O “truque” do produto: Aparentemente, não há estudos científicos que provem os alegados benefícios do suco. Não se nega o valor nutricional do suco, como em todos os demais sucos de frutas. O que causa suspeita são as alegações de altos benefícios para a saúde. (Ah, claro, a empresa nega conhecer as alegações feitas pelos seus “distribuidores independentes”)

    O recrutamento: Assim como outros mmn’s, o foco parece estar no recrutamento, muito mais do que nas vendas. O produto é parte integrante do negócio – sem ele, a empresa poderia legalmente ser considerada simples pirâmide financeira (e fechada). Com o produto, não temos como identificá-la legalmente como uma pirâmide – até que o Federal Trade Comission (FTC) resolva reforçar o controle legislativo sobre estas empresas.

    As comissões: Para qualificar para comissões, o distribuidor deve comprar no mínimo 4 garrafas do suco por mês – o que totaliza aproximadamente U$ 130,00, mais despesas e taxas. É comum em mmn esta estipulação de compra mínima, com a “possibilidade” de vender facilmente este produto inovador e diferenciado ao consumidor final. Ocorre que, na prática, o produto raramente é vendido ao consumidor final – por questões mercadológicas (preço pouco competitivo, produto de eficácia não comprovada).

    Enfim, mais uma empresa que entrou no mercado brasileiro com todas as características de induzir a grande maioria dos participantes a perdas financeiras….

    E que venha a Agel….(já devidamente avaliada pelo entrevistado – possui as 5 bandeiras vermelhas, indicativas de empresa lesiva ao consumidor)

    http://www.mlm-thetruth.com/EvalsA-D.htm#Evals%20A-E

  62. Distribuidor Independente Eduardo Mello permalink
    01/07/2008 10:50

    Olá Milena achei excelente sua colocação que vc acredita que nem toda empresa de MNM seja furada fico muito mais tranquilo de saber que nossa profissão tb têm boas empresas e bons profissionais.

  63. renata24 permalink*
    01/07/2008 16:44

    Eduardo,

    o MMN, como meio de distribuição, não tem nenhum problema conceitual.

    A prática constitui um problema – sério. A imensa maioria das empresas privilegia o recrutamento de pessoas ao invés de privilegiar as vendas. E isto caracteriza pirâmide financeira, havendo ou não produtos. Por quê você não testa pessoalmente o plano de compensações da empresa que você representa?

    http://industriadadecepcao.wordpress.com/2008/06/27/teste-aqui-se-sua-empresa-de-marketing-multinivel-e-ou-nao-e-uma-piramide/#comment-2501

    É importante que os leitores tirem as próprias conclusões.

  64. presunto permalink
    01/07/2008 18:26

    caramba eu assiti duas reunioes da forever e iria entrar para o negocio esse sabado…vlw galera…obrigado pelo alerta…puxa vlw msm…ufa ..quase…auhauha
    boa semana pra vcs!

  65. Giu permalink
    16/08/2008 3:04

    Olá! Gostaria de saber onde posso encontrar o documentário “Doomed by desing”, “Belive” ou “The downline”??? Se alguem puder me ajudar ficaria muito grato!

  66. renata24 permalink*
    18/08/2008 13:25

    O Doomed by Design não foi lançado.

    Para o Believe:

    http://www.believethemovie.com/

    Para assistir aos trailers:

    http://www.believethemovie.com/trailers.php

  67. Fabricio R permalink
    22/09/2008 23:59

    Prezados amigos,

    Gostaria de compartilhar a experiência que tive este fim de semana.
    Eu estive em uma reunião da Herbalife, no qual foi informado o plano de negócio baseado mo MMN, confesso que fiquei bastante atraído pelo negocio, porem entendi o que realmente estava sendo proposto e vi que realmente pode se ganhar dinheiro com esse tipo de negócio, porem acho que hoje seria muito difícil eu ganhar dinheiro entrando neste negocio agora, devido a grande rede que já está presente. No decorrer da reunião vi que os que mais ganhavam eram pessoas que já estava no negócio já alguns anos e percebi que o lucro não vinha da distribuição em si, e sim do recrutamento, hoje depois de ler boa parte deste blog, fico sem esperança de entrar para este negócio. Gostaria se possível de obter mais informações ou onde obter mais informações sobre a empresa Herbalife. Vou convidar aos amigos que conheci nesta reunião a visitar este blog, pois todos ficaram muitos entusiasmados com o que viram. Obrigado

  68. Dalbert Batista permalink
    27/09/2008 13:03

    Tenho plena certeza se todas trabalhassem sem distorcer informaçoes das pessoas todos estaria trabalhando e empenhado em ganhar dinheiro.
    o sucesso depende sim da pessoas senao padaria não falia, ser advogado tambem sempre passaria na prova OAB, pois ter loja de roupa fali ou não fali

    então se vc entrar em qualquer negocio tem que entrar a ir ate o final e nao jogar energia em outras coisas se vc entra no marketing de rede vc tem que jogar 100% de sua energia e se vc tem 2 ou 3 trabalhos vc nunca joga energia suficiente em 3 ao mesmo tempo.
    entao vc tem que ter foco e isso sim pois e isso que da certo muitas pessoas ganham dinheiro em marketing de rede so e mesmo trabalhar.

  69. augustohf permalink*
    28/09/2008 14:36

    “Tenho plena certeza se todas trabalhassem sem distorcer informaçoes das pessoas todos estaria trabalhando e empenhado em ganhar dinheiro”.

    ————- Hehehe, vá falar isso hoje pras instituições financeiras que estão no meio de uma tempestade nos EUA, tempestade essa que tende se alastrar pelo mundo inteiro!! Os agentes do mercado financeiro (o que inclui as instituições financeiras, hipotecárias e de crédito que quebraram) também tinham certeza de que os empréstimos baseados em hipotecas subprime eram seguras, top de linha. Bastou uma mudança na magnitude das taxas reais dos contratos, inadimplência aumentou e contaminou o sistema financeiro. O estado “malvadão” foi chamado pra colocar ordem na casa. Maiores regulações e controles sobre essas instituições e sobre os fluxos de capitais estão novamente por vir.

    É… eles também tinham certeza de que não estavam distorcendo informações em nome do “livre-mercado”. Agora estamos numa crise altamente complexa, pq o mercado financeiro ficou muito mais complexo de 30 anos pra cá. Talvez a pior crise desde 1929, e que vai obrigar a ajustes e ciclos cada vez mais curtos e recorrentes, com crises cada vez mais recorrentes também. Haverá recessão nos EUA, na Europa, Japão e queda de atividade econômica nos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China), a taxa de desemprego irá aumentar nos EUA, o consumo diminuirá e isso contribuirá para que haja uma piora nas contas externas do Brasil e um crescimento menor, mas nada desesperador. Por enquanto…

    Essa passeada rápida pelos últimos acontecimentos o sistema financeiro internacional foi pra mostrar que vivemos num mundo no qual os agentes possuem racionalidade limitada, um mundo marcado pela INCERTEZA e pelas informações assimétricas (ou seja, sempre terão uns que se beneficiarão mais com determinados eventos do que outros, por terem mais informações relevantes e, portanto, agir com mais êxito perante a realidade). A derrocada acelerada vem justamente quando vc ignora a incerteza, aumentando seu grau de certeza sobre a realidade para influenciar outros agentes, pessoas, a terem maior CONFIANÇA naquilo que é moda no momento, naquilo que vc defende. E é exatamente isso o que fazem não só empresas de marketing multinível, como instituições de toda a sociedade: criação de clima positivo em busca da prosperidade. E essa de criar confiança em algo sem base de sustentação real é uma metáfora perfeita para descrever o que fazem empresas e distribuidores de MMN.

    Quem tem certeza demais de alguma coisa sempre tende ao dogmatismo, colega. Tende a ficar cego, surdo e sem sensibilidade para com o ambiente externo.

    “o sucesso depende sim da pessoas senao padaria não falia, ser advogado tambem sempre passaria na prova OAB, pois ter loja de roupa fali ou não fali”

    ————o esforço pessoal é apenas um dos componentes para o sucesso. Dependendo do ambiente, das crenças do sujeito e de sua atitude perante o mundo PODE SER a principal variável. No caso das empresas de MMN, a Milena já te disse o principal fator que influencia no “sucesso” e o que acontece se vc não consegui-lo: RECRUTAR, sempre, pra sempre.

    “então se vc entrar em qualquer negocio tem que entrar a ir ate o final e nao jogar energia em outras coisas se vc entra no marketing de rede vc tem que jogar 100% de sua energia e se vc tem 2 ou 3 trabalhos vc nunca joga energia suficiente em 3 ao mesmo tempo.
    entao vc tem que ter foco e isso sim pois e isso que da certo muitas pessoas ganham dinheiro em marketing de rede so e mesmo trabalhar.”

    ———— Esse é um argumento estapafúrdio, daqueles utilizados pra legitimar que a pessoa largue seu emprego, sua faculdade pra embarcar na ilusão do MMN, na ilusão de que o sistema é perfeito e não existe problema algum com ele. Distribuidor não é empresário, muito menos empreendedor. Atente pra isso, colega.

    Mas vc é barriga verde no “negócio”, já deu pra perceber. Ainda tem jeito…

  70. warner abreu vanderlei permalink
    11/10/2008 18:51

    Agora me parece clara a correlação entre MMN e Evangelismo Televisivo.
    Tecnicas de embuste para manipulaçao de corações e mentes.
    Venda pura e simples de esperança.
    Ufa como é bom poder analisar estando de fora, e com a mente aberta.
    Bom trabalho, que inteligencia admiravel.

  71. 24/10/2008 11:22

    Boa tarde;
    Recebi o convite para participar da rede da Monavie, no início achei interessante, porém, fiquei meia receosa, pois acredito que quando a esmola é demais o santo desconfia rs. Bom, ouvi muitas coisas boas sobre esse negócio e resolvi pesquisar, ainda bem que encontrei esse blog e pude constatar a minha suspeita!
    Obrigada!

  72. 07/03/2009 12:11

    Ótimo post e cometários melhores ainda. Eu continuo acreditando no potencial do MMN, mas não da forma como é praticado ou colocado hoje no mercado. Se o MMN de hoje fosse algo espetacular empresas como AVON, NATURA e até Boticario (que não é venda direta) teriam optado por mudar seus métodos de negócios.

    Não são loucas para fazerem isso.

    Mesmo assim creio que ainda está por vir algum dia alguma empresa que revolucionará o MMN, talvez um misto entre o mesmo e o sistema de venda direta – cortando os males do MMN atual e corrigindo a postura de seus “distribuidores”.

    Um MMN “finito” – vc pode recrutar sua equipe mas até determinado numero/níveis, bonificação voltado para vendas e não recrutamento, preços dos produtos competitivos (que podem gerar lucros nas vendas diretas a clientes e não bonus nas compras de estoques de seus “downlines”) – talvez seja este o caminho.

    Enfim, podem ser soluções a médio prazo para o MMN.

    A própria Herbalife ma atraiu muito como negócio (sou usuário dos produtos – quanto a isso não tenho o que dizer e tb não vou dar meu “testemunho de sua eficácia”), mas estudando o sistema percebe-se uma dás principais máculas do MMN atual que é eminente saturação de mercado, fora o fato que lendo o contrato as regras constantes nele vão totalmente em desacordo com o que ví em reuniões e no chamado “STS”.

    Ou seja, distribuidores mentem descaradamente para atrair mais distribuidores a uma rede já superlotada. E a empresa faz vista grossa – dando um tiro no pé.

    Uma pena.

    Mas voltando as mudanças que podem ser feitas no MMN – que tipo de modificações seriam aceitáveis e tornar uma empresa de MMN realmente “rentável’ para seus distribuidores a longo prazo ?

  73. Fernando permalink
    10/05/2011 13:50

    Prezados:
    Li o artigo d vcs sobre mmn, não entendo muito do negocio mas a alguns meses atras entrei na Forever living através d um amigo d infância!
    entrei apenas p comprar o produto mais barato pois os achei d boa qualidade!
    enquanto meu amigo ta dando um ralo!!
    Gostaria d saber quais os riscos e as falhasq esta empresa possui e como posso orientar meu amigo
    Att

    • Renata permalink*
      11/05/2011 12:24

      Por favor, procure neste blog os artigos sobre forever living…adiantando
      1) o percentual de desistência é alto, assim como o percentual dos que perdem dinheiro neste negócio (falha estrutural de mmn)
      2) produtos são superfaturados (não são fáceis de vender) – aliás, se entrou para comprar produtos mais baratos, sugiro verificar análogos no mercado, creio que o “mais barato” de mmn ainda é caro em comparação com outros que são vendidos em canais usuais de distribuição (super mercados, lojas, farmácias, etc…)
      3) qualquer negócio cuja fonte primordial de lucro é através de recrutamento é lesivo

      Portanto, não só pra forever living….analise as empresas de mmn e verifique se o foco é recrutamento…se for, desista – minha opinião. O risco é de vc perder dinheiro e enfiar gente em rede que provavelmente perderá dinheiro tambem.

  74. Rafael permalink
    11/05/2011 20:45

    Boa noite, Renata

    Concordo com voce que pessoas perdem dinheiro no mmn por não saber fazer o negocio, como muitos empresarios, empregados e ate voce mesmo já perdeu dinheiro em algum negocio, mmn é um negocio seu se voce trabalhar de mandeira correta voce terá um resultado financeiro.

    Eu não entendo voces, porque voces não falam das pessoas que ganham dinheiro com o mmn, porque tem muito mais empresaario falidos do que empresario de mmn.

    • Renata permalink*
      11/05/2011 21:46

      Desculpa, Rafael, mas não existe “empresário” de mmn. Vcs todos são distribuidores sem legislação trabalhista regulamentadora. Então, não tem empresário de mmn, nem falido e nem milionário. Por isto nunca nos referiremos a distribuidores de mmn como empresários…simplesmente porque não o são (de fato e por definição).

  75. 13/05/2011 23:25

    Estava louco por uma oportunidade extra pois meu salario como pintor automotivo precisava ser aumentado. atraves de um amigo, conheci a forever e de cara me identifiquei com a proposta e tudo mais, realmente e muito bem montado. eles querem pessoas que tenham sonhos e pelo que eu ganhava na epoca jamais realizaria meus sonhos como o gerente safira, Bruno dias. ele falava como vc vai realizar seus sonhos ganhando o que vc ganha ,aquilo entrou na minha cabeça e não tinha quem tirava envolvi minha esposa alguns vizinhos e principalmente colegas de trabalho todos falavam como vc mudou claro, pra pior, mas pra eu na época entendia que era pra melhor. nada tirava o sucesso da minha cabeça e claro uma grande organização e eu como um gerente reconhecido. quando abri os olhos vi que era um chato e todo respeito na empresa que conquistei ao longo de 12 anos de trabalho estava perdendo, me enxergavam de outra forma a ponto do encarregado pensar em me mandar ate embora. por ironia do destino, depois de ser humihlado por um gerente a ponto de quase sair no braço com ele descobri realmente o que e forever, eles sabem que vc vai desistir pois chega um ponto que vc não aguenta e começa descobrir os podres da gerencia acima, resumindo esse negoçio e para pessoas falsas e que so pensam somente nelas. quando estava empolgado e enganado, achava que os que saiam eram fracassados. os proprios lideres nos fazem pensar assim. e parecido como uma seita, vc tem que seguir as recomendacões ou melhor a receita do bolo, quero pedir desculpas a todos que convidei a participarem disso e perder tempo com isso me desculpem. como toda experiencia tem seu lado positivo tudo que passei em forever me fez aprender muito com a vida, o sucesso que tenho hoje na minha profissao não mais como pintor, eu devo a deus e depois as decepções com forever se fosse viver com o salario do cheque bonus tava frito. aprendi muito com os falsos gerentes da forever pois lidando com eles hoje lido com pessoas falsas numa boa, ja conheco de longe. vc que esta na forever desejo boa sorte e sucesso mas la na frente vai se lembrar do que eu falei principalmente na parte de podres na gerencia. fico ate com pena de lembrar de alguns gerentes comprando 4,200,00 reais de produtos e recebendo o cheque de 3,250,00 e tendo a cara de pau de dizer que estava ganhando dinheiro. seu quarto ja não cabia de tantos produtos e não tinha tempo nem para vender os produtos muitas vezes no desespero vendia por menos da metade do preço mesmo assim não dava, não vou falar mais nada, isso e so o começo tem muito mais. cuidado quem não conhece, não entre talvez pra eu tenha um lado positivo talvez pra vc não. cuidado.

    • RAFAEL permalink
      14/05/2011 11:39

      Oi welingtonpereiragaldino, voce ten razão, mais voce tem dinheiro.

      Quando voce diz que era um chato talves era mesmo, mais tudo é um negocio voce tem que saber como chegar nas pessoas falar da oportunidade, voce deve assistir televisão as propagandas são chatas,e o pior as pessoas caem e voce pensa que é para elas ganharem dinheiro, que nada é para gastar mais ainda. Enquanto voce fica pensando que é um chato, tem pessoas que te agradecem pense assim, ele querem que voce pense assim mesmo, existe um sistema na economia onde poucos ficam com muitos, e muitos ficam com pouco.O mundo é assim e o mkt multinivel é um negocio que se voce fizer direito voce vai ter uma renda residual sem limites, só que muitos dizem não dar certo, mais analisa quantos pessoas perdem diariamente em seus trabalhos em suas empresas, e agora só porque voce tem um negocio que pode mudar sua vida voce é um chato, chato é passar a vida e voce não tentar, ou voce acredita que silvio santos ficou rico da noite para o dia, esse é o problema mkt multinivel e de 2 a cinco anos, mais é trabalhado, com o sivio santos tambem trabalhou, Mais se para voce não deu certo, vou para voce que não deu, mais para muitos deu e esta dando resultado, não se fruste segue avante, não pare de sonhar, tenta outro negocio, vai vender salgadinho, cachorro quente, procure por outra renda, não dependa somente do teu salario. Pense nisso e mude sua historia.

    • Renata permalink*
      14/05/2011 16:00

      “resumindo esse negoçio e para pessoas falsas e que so pensam somente nelas. quando estava empolgado e enganado, achava que os que saiam eram fracassados. os proprios lideres nos fazem pensar assim”

      Outra característica de mmn…..as pessoas que saem consideram-se “fracassadas”. Balela, indução, lavagem cerebral. Quem entra não sabe da estatística enorme de “fracasso” (leia-se perdas financeiras). Não adianta focar em democracia profissional em um sistema que tem problema estrutural. Acredito que a realidade mudará quando todos os que “fracassaram” começarem a narrar suas experiências. Comparando-as com as de pessoas que estão há no mínimo uns 2 anos no negócio (por aqui ainda não apareceu distribuidor com mais de 5 anos de forever, salvo engano, quem vem neste blog geralmente é “iniciante” em forever), a estatística prevalecerá.

  76. Vitor permalink
    16/05/2011 18:57

    Estive presente em uma desses reuniões, na Forever Living. Estava empregado na época e realmente me senti seduzido. A lavagem cerebral nesses eventos é FORTÍSSIMA, eles pegam pesado no lado da emoção, via muita gente empolgada a minha volta sem nem saber do que se tratava. Eu é claro não cai nessa, pesquiso muito sobre tudo antes de fazer, sem contar que achei ridículo aquele “culto” da Forever. Também logo após o “culto” vieram os patrocinadores falar pra comprar isso e aquilo, que aceitavam cartão etc. Sinceramente, eu senti e sinto pena das pessoas que entraram/entram nesse negócio, acreditam cegamente que se forem “boas”, “ensináveis”, “100% dedicadas” vão ganhar muito dinheiro com isso. Em 90% dos casos a lavagem cerebral é tão grande que os integrantes dessas empresas amam as mesmas e defendem elas até o último suspiro, como se fossem ganhar mais dinheiro ou dignidade com isso… Em todos os casos, ficam nervosos e irritados quando contrariados sobre a empresa, mesmo sem estar faturando e se dando bem com o “negócio”. É ou não é lavagem cerebral?

  77. Carlos permalink
    15/07/2011 1:56

    Muito bacana a entrevista. Já fui quase enganado por uma das pioneiras do MMN, a “queridinha” Herbalife. Disse QUASE, pois não cheguei nem a ir à primeira reunião, tendo conhecimento de imediato do que seria o conceito de MLM. Que no kit decisão eles citaram. Hoje tenho uma empresa, que cresce de forma sólida e saudável, sei que é impossível obter esse crescimento sem conhecimentos básicos de gestão de um negócio. Coisa que os difusores do MMN escondem. Imagino também que, se por ventura eu fizesse da minha empresa um MMN, acabaria desvalorizando os meus produtos, pois teria que enfatizar o recrutamento. Para mim é impossivel fazer as duas coisas. Quando uma empresa focaliza seu marketing em recrutar (e cobrar por isso), seus produtos caem para segundo plano. ISSO EU NÃO ADMITO NO MEU NEGÓCIO. No meu caso, uma pessoa despreparada não serviria. Tem que ser BOM pra vender o meu produto. Ele é que tem que ser valorizado. Por tudo isso não acredito em MMN. Definitivamente, posso afirmar: Não existe MMN honesto. Vendedores demais para produtos de menos SEMPRE FOI E SEMPRE SERÁ PICARETAGEM.

  78. Rodrigo Oliveira permalink
    16/10/2011 22:36

    E eu pergunto:
    Se o MLM faz tantos fracassados, tem vários pontos ilegais, e milhares de pontos negativos, como citados,
    PORQUE as autoridades não fazem NADA pra impedir?
    Faço parte de uma MLM e não me arrependo, pois tenho uma renda boa, VENDENDO os produtos e tenho um outro emprego que me garante uma renda também.
    Se 99,9% das pessoas que fazem parte fracassam, 00,1% cresce.
    Esse especialista pode até estar certo, mas se MLM fosse de fato um veneno na nossa sociedade, políticos e autoridades já teriam posto um freio e banido as empresas desse marketing do nosso mercado, certo?

    • Renata Lima permalink*
      17/10/2011 9:18

      “Esse especialista pode até estar certo, mas se MLM fosse de fato um veneno na nossa sociedade, políticos e autoridades já teriam posto um freio e banido as empresas desse marketing do nosso mercado, certo?”

      Errado, leia neste blog as razões pelas quais a indústria de mmn não tem freio. Dica, muito “lobby”, politicagem e interesses econômicos.

  79. 19/10/2011 1:54

    Pois é. Essas empresas geralmente têm marketing agressivo, alcançam rapidamente um numero de consumidores elevado, com isso faturam alto, muito alto. Assim, se tornam empresas de alto cacife, contratam inúmeros advogados, mantêm um nome forte e uma postura inabalável. Diante desse cenário, apesar do fracasso de muitas pessoas, se torna fácil manobrar os altos escalões dos governos a seu favor, criar defesas inquestionáveis utilizando-se da solidez de uma marca respeitada no mercado e perpetuar-se no mundo corporativo.
    Essas empresas, de fato, sabem utilizar muito bem o marketing a seu favor e reverter toda e qualquer acusação que porventura venha a sofrer.
    Atacar um esquema primitivo de pirâmide é muito fácil, porém formalizar uma acusação contra uma empresa sólida que pratica marketing de rede de relacionamentos com produtos geralmente de boa qualidade, que atende a uma demanda de mercado, que tem um batalhão de seguidores e consumidores espalhados pelo mundo, que, em alguns casos, sustenta creches ou mantém fundações de serviço social… isso é um pouco mais difícil. Tem que ter peito pra enfrentar uma gigante dessas!
    E se, no Brasil, é possível comprar uma autoridade com alguns reais, em qualquer lugar no mundo é possível comprar um político influente com alguns milhões de dólares.

  80. Daniel Chiovetti permalink
    13/11/2011 23:54

    Ouvi falar agora de uma empresa de MMn nova, a G3W concept, por favor pesquisem sobre, muita gente tem aderido a ideia e se prejudicando às custas de uma manipulação que aflige quem conhece os que trabalham com isso!!! Comentem sobre!

  81. Não-me-chama-que-não-vou permalink
    14/11/2011 18:22

    Pirâmide financeira, sem a menor dúvida.
    Já existem pessoas reclamando em outros fóruns.

  82. Não-me-chama-que-não-vou permalink
    16/11/2011 9:28

    Alguem conhece a empresa Dinastia?
    gostaria de informações sobre a mesma, se trata do tipo de negócio mencionado nos comentários acima.
    Obrigado.

    • Renata Lima permalink*
      16/11/2011 10:06

      Pesquise neste blog – há posts dissecando o plano de marketing da Dinastia.

      Resumindo – trata-se do tipo de negócio mencionado em inúmeros comentários e, a despeito da fervorosa defesa por parte dos participantes, é um negócio matematicamente escabroso. Uma roubada.

  83. Rafael permalink
    28/12/2011 17:30

    Boa tarde gostaria de saber mais sobre MMN. Fui convidado por um amigo a assistir uma palestra da MonaVie ontem. E fui certamente embarquei numa nau com vários vídeos de pessoas esbanjando dinheiro com frases de efeito, dizeres motivacionais entre outros. Nada disso me impressionou, pelo contrário, odeio coisas que não me pareçam sóbrias.

    No entanto eu vi que poderia vender o produto ofertado por eles, compraria no caso caixas de energéticos e venderia para algum estabelecimento, festa ou coisas do tipo. Seria isso possível? Seria lucrativo dentro do esquema de MMN vender apenas o produto e “lucrar” com os pontos de compra dessas caixas? Exemplo, compraria uma lata por R$ 4,05 e venderia por R$ 5,00, lucraria aí R$ 0,95 mais os R$ 360 pela compra de 288 latinhas que geram 200 pts, 1,80 cada ponto. No final das contas se vendesse isso por mês eu sairia com R$ 633. Isso excluindo qualquer ganho de recrutamento, descarto minha dedicação em ficar recrutando pessoas para isso, por mais que a empresa “dê” R$ 72,00 por pessoa recrutada.
    R$ 72,00 é uma mixaria perto dos R$ 1400 que o novo distribuidor vai gastar para se cadastrar.

    Tentem entender minha situação, sou estudante e não tenho tempo de trabalhar ainda, vender essas caixas para mim seria uma solução, eu só precisaria achar mais pessoas interessadas em comprá-las e vende-las para o consumidor final, aqui onde moro uma lata de energético não sai por menos de R$ 8,00.

    Goste ou não, isso soa para mim como tradicional, eu compro o produto da empresa e revendo. Gostaria saber de vocês, que estudam isso se é viável eu fazer isso.

    • Renata Lima permalink*
      28/12/2011 19:27

      Rafael

      o lucro proveniente de vendas costuma ser baixo…mas apenas a venda de produto não tem o condão de prejudicar pessoas, ao contrário do recrutamento que induz muita gente a perder dinheiro, por falha estrutural do mmn. Leia mais neste blog que encontrará muita informação, dado e estatística.

      Boa sorte.

    • luiz carlos custodio permalink
      26/05/2013 0:25

      eu acho que voce deveria vender as latinhas e tentar colocar pessoas no negocio. realmente 99% das pessoas nao conseguem ganhar dinheiro em mmn. mas se voce se esforçar e trabalhar serio, pode fazer parte desse outro universo de 1%.. tudo que é dificil da certo, é só persistir

  84. 01/03/2012 20:34

    Boa noite me chamo Thiago Gomes, fui apresentado a uma empresa de MMN que se chama MY TRAVEL AND CASH, ela vem tomando mercado de muitas outras empresas de MMN com seus membros chamando de MMN do futuro.

    Gostaria da opnião de vocês sobre esta empresa que nos oferece um ganho igual ou superior a R$5000,00.

    • Renata Lima permalink*
      01/03/2012 21:22

      Logo escreveremos sobre esta my travel aí. TODAS as “novas” empresas de mmn apresentam-se como “tendências) do mmn no futuro, mas é tudo a mesma coisa. Já tem discussão comendo solta pela internet. Faça o teste das 5 bandeiras para certificar-se.

  85. 28/03/2012 10:37

    Depois de ler isto é impossível que uma pessoa de boa fé, integridade, honestidade e respeito,continue a propagar falsas verdades de interesses obscuros de outros.

  86. 18/04/2012 4:13

    Caros,
    Após ter lido o The Case Against MLM by Jon Taylor entendi uma chave muito importante deste negócio. Realmente é possível ter sucesso com o Marketing Multi Nível. Os 99% dos recrutados mencionados desistem do programa antes mesmo dos primeiros 5 meses. Isso se deve a falta de qualificação, disciplina, foco e constantes atualizações dos afiliados e associados. E sabemos que boa parte da população brasileira se encaixa neste perfil. Conforme o autor destaca, é um sistema insustentável a longo prazo, porém é prazo o suficiente para enriquecer qualquer um que se disponha a trabalhar sério. Pensem que no mundo existem aproximadamente 7 bilhões de pessoas. Fico muito contente em saber que faço parte de 1% dos profissionais de MMN e após ler o artigo tenho muito a agradecer o trabalho do site. Parabéns por nos mostrar também o outro lado da moeda. Só conhecendo a crítica é que podemos fazer julgamentos coerentes a respeito do objeto de estudo.

    • Renata Lima permalink*
      18/04/2012 11:44

      “Realmente é possível ter sucesso com o Marketing Multi Nível. Os 99% dos recrutados mencionados desistem do programa antes mesmo dos primeiros 5 meses. Isso se deve a falta de qualificação, disciplina, foco e constantes atualizações dos afiliados e associados.”

      E vc quer acreditar MESMO que quase TODO MUNDO desiste por falta de qualificação, disciplina, sei lá o quê. Não mesmo. Inferir que quase todo mundo que entra em negócio de recrutamento, que investe, é indisciplinado é bobagem. É fato que o mmn tem falha estrutural e que os produtos são super caros. Não se iluda. Quem está no topo precisou que muita gente fosse prejudicada para isto.

    • Mailson Sant' Anna permalink
      12/12/2012 16:24

      @Renata Lima

      Participo de um Multi Nível e ví um cara que desistiu com menos de 20 dias de negócio. Ele levou um convidado em uma reunião e outro convidado em outra, os dois convidados disseram não e ele simplesmente parou, disse que consumiria os produtos e que não queria saber mais disso.

  87. Victor permalink
    02/08/2012 2:27

    Renata,
    No caso da Monavie, está comprovado então que é mais uma que veio para prejudicar a grande maioria?
    Na reunião que eu participei comentaram que há somente 30 mil distribuidores no Brasil. Assumo então que quem estiver na empresa ou entrar agora tem chances maiores de ter lucros altos, e quem esperar a rede crescer para centenas de milhares de distribuidores antes de entrar, estará fadado ao prejuízo?
    Seria agora uma questão de timing?

    Grato
    PS: Eu entendi sim que para lucrar neste meio, tem que prejudicar muita gente.

    • Renata Lima permalink*
      02/08/2012 12:01

      O pioneirismo é um fator super relevante em mmn.

      Boa sorte

  88. Agnaldo Gonçalves de Lara permalink
    13/10/2012 18:09

    Preciso de uma orientação sobre a empresa Telex free , que também e sistema MMN , o produto que ela oferece é telefonia Voip , achei muito interessante , pois não precisa dizer que o produto faz milagre,na era que vivemos todos usamos telefonia, na telex free você compra uma franquia para fazer postagem e anunciar o produto na internet, e ganha pelas postagens e anúncios que faz,e é um ganho ate razoável, você compra uma franquia R$2,791,25 e ganha durante 12 meses R$800,00 o lucro é de R$6,809,00 , então aparentemente não tem perda nesse sistema , só com as postagens terá o retorno do investimento, se construir equipe terá ganhos maiores. Alguém tem conhecimento dessa empresa?

  89. 15/11/2012 21:06

    VAMOS LÁ! kkkk , é muita falta de conhecimento e experiência , mas ok,

    -Primeira coisa, as pessoas que vem aqui e falam que um sistema satura é TOTALMENTE MEGA MASTER IGNORANTE, pois se a caca dia entram no mercado de trabalho 500 mil novas pessoas e as grandes empresas de Marketing Multinível legítimas, (vamos excluir essas empresas de fundo de quintal que sujam o nome do Marketing Multinível ok), e essas grandes empresas estão sempre inovando trazendo produtos com excelência em qualidade e com vários selos certificação que trazem benefícios reais, como que o mercado Satura???? é impossível pela velocidade com que as coisas acontecem, não se constrói uma rede num passe de mágica como o amigo ai fez uma prospecção com números.

    -Esse Taylor nem se fosse o Batmam conseguiria ser o sabe tudo de MMN, para uma pessoa avaliar sistematicamente uma empresa de Marketing Multinível deve-se ter feito um trabalho por um bom tempo com a empresa, analises por fora não tem como saber realmente se é boa ou não, principalmente como ele diz que analisou mais de 250 empresas, nem o X-MEM pra ter tanta convicção e autoridade no que fala, espera lá, pra falar se um sistema funciona ou não deve-se viver cada dia e cada hora se dedicando naquilo e aprendendo de acordo com o tempo, não é lendo um artigo e vendo um vídeo que terá toda compreensão do sistema até porque a maioria dos planos de compensação são bastante complexos, aqui eu tenho certeza que não tem um que seja bem sucedido no MMN, já pode ter feito algum negócio mas fracassaram e agora ficam gastando tempo tentando denegrir a imagem desse setor fantástico, e nem que uma delas tenha feito o trabalho em uma empresa vai saber diferir de outra empresa, repito, necessita viver o trabalho e ter a experiência própria para dar uma opinião com um pingo de autoridade!

    • Renata Lima permalink*
      16/11/2012 10:05

      Seria menos vergonhoso se você tivesse ao menos lido o currículo do Jon Taylor e verificado que ele foi distribuidor de mmn (nu skin), ao invés de dizer que ele fez análise “por fora”. E sou capaz de apostar que pessoas “Por dentro” fizeram análise SIM, mas não vão divulgar senão mmn acaba. Os números são tétricos de tão ruins.

      No mais, suas colocações sobre saturação e sobre o trabalho do taylor beiram a infantilidade. Explicamos com critério a questão da saturação e os NÚMEROS dos estudos do taylor NÃO FORAM COMBATIDOS POR NENHUMA das empresas analisadas. Neste contexto, só lamento, mas não é você quem vai conseguir desqualificar estudos.

      Se tiver algo concreto para postar (dentro das regras), agradecemos. Se não, passar bem (e em outro espaço virtual…hehehe)

  90. 04/01/2013 12:00

    Rodrigo Mark.

    Todo e qualquer assunto gera polêmica e tem a sua oposição.
    É fato que o sistema de MMN funcional, não há nada mais rentável do que você formar
    um cadeia de pessoas trabalhando para você, esse é o poder o MMN. Todavia o sistema
    está queimado por diversas ilusões de ficar milionário da noite para o dia e a garantia de rentabilidade e lucro altíssimo. Como todo e qualquer negocio você corre riscos,ex: Abrir um empresa, você terá grande chance de crescer ou de quebrar. Não tome decisão apenas por uma opinião formal por um representante bem representado. Procure exemplos de pessoas que ganhar dinheiro com isso, não se preocupe de 99% não deu certo, acredite que você ficará no 1%.

    • Fernando permalink*
      04/01/2013 17:00

      Vc fica no 1% às custas dos 99%. Que tipo de “negócio” e valores são esses exibidos por essa configuração? Pare e pense e nisso. E tome cuidado ao comparar um distribuidor de MMN com um empresário. É a mesma coisa que comparar uma azeitona a um peixe.

  91. 16/02/2013 10:00

    Os comentários trazem dois fatos:

    O primeiro é que a maioria das pessoas não realiza sequer alguma pesquisa ou busca referências sobre o negócio ou sobre a empresa na qual irá investir, sendo todos espectadores de uma opinião bem formada ou de uma boa referência(ponto forte do MLM).

    O segundo parte é time que não se deixa influenciar pela provocação de ganho fácil e que valorizam o suor do dia-a-dia.

    É fato que o MLM gera possibilidades de ganho fácil, de possibilidades absurdas para o convencional atingirem em pouco tempo, somente empresários conseguem tais façanhas com ideias inovadoras, e estes estão dentro dos 1% “multi-milionários” do mundo que com suas visões de negócio conseguem destaque pela coragem de investir no que acreditam.

    Vejam que a ideia de MLM não é nova! Já existe a mais de 20 anos no mundo e diversas empresas já utilizaram dessa estratégia para ter suas vantagens comerciais, e este 1% de pessoas bem sucedidas está sempre a frente do mercado, investindo em suas ideias em diversos lugares do mundo (as empresas de MLM migram de países sempre que o mercado fica saturado ou até mesmo mudam o slogam para atrair novo público).

    Não há receita nova de sucesso, mas sim inovadores que acreditam no seu ideal de comércio.

    Quem aqui acha que o Mac vende hamburguer com carne de minhoca?
    Quem acredita que a Coca Cola derrete os ossos?
    .
    .
    .
    Agora quem parou de comer Mac ou beber Coca-Cola por causa dos motivos acima?

    Os que pararam realmente foram estudar os malefícios da gordura trans existente no fast-food e do sódio existente nos refrigerantes.

    Todavia, Mac e Coca cola são sucesso mundial pois são ideias fortes, com produtos bem estabelecidos, sob o olhar de um visionário que a muito tempo chegou no mercado trazendo um conceito novo ao mundo. Mac é uma franquia, como qualquer outra empresa de MLM.

    E em minha opinião só vejo sucesso em MLM se você for pioneiro ou estiver entre eles.
    E como muitos já comentaram e até mesmo como foi citado na entrevista, está com você ser ético ou não na venda do seu produto.

    Existe até MLM em algumas frentes religiosas e tem gente que compra a vaga no céu sob o benefício da fé e de estar colaborando com suas respectivas crenças!

    E quem somos nós para desencorajar as pessoas a terem fé?!?!

    P.S: Apenas seja ético em suas condutas.

  92. André permalink
    16/02/2013 14:48

    “as empresas de MLM migram de países sempre que o mercado fica saturado ou até mesmo mudam o slogam para atrair novo público”

    Você falou tudo. Migram porque o sistema depende fundamentalmente da entrada de novos recrutas, e quando estes param de entrar o sistema entra em colapso.

    Você citou exemplos de empresas comuns, como McDonalds, que também atuam em toda parte do mundo. Agora me diga, além das picaretas do MMN, qual empresa você conhece que simplesmente abandonou o negócio em um país e foi para outro por estar “saturado”?

    “Mac é uma franquia, como qualquer outra empresa de MLM”

    BULLSHIT. MMN não é e nunca será franquia de nada. Recruta não é franqueado, nem empresário, nem nada. É quando muito “distribuidor independente”, porque na verdade são mesmo é consumidores de produtos superfaturados e recrutadores.

    “E em minha opinião só vejo sucesso em MLM se você for pioneiro ou estiver entre eles”

    Falou tudo de novo. Quem entra no começo leva toda a grana, quem fica na base da pirâmide só engorda os bônus de quem tá por cima da carne seca e realiza prejuízo invariavelmente.

    “E como muitos já comentaram e até mesmo como foi citado na entrevista, está com você ser ético ou não na venda do seu produto”

    BULLSHIT AGAIN. Ninguém vende produto em MMN, a idéia é recrutar. Vende-se apenas a idéia de um negócio fantasioso. Conheço gente que, em tese, é “distribuidor” de suco de açaí que NUNCA fala nada sobre açaí, só abre a boca pra falar de ~~~oportunidade de negócio~~~, de diamantes e mercedes. Quem ainda tenta vender alguma coisa é quando já desistiu do negócio e quer pelo menos diminuir o prejuízo vendendo o estoque que fez em casa enquanto ainda era necessário comprar para continuar no jogo.

    Você fala com naturalidade de problemas estruturais do MMN como se fossem vantagens competitivas. Só não sei se por puro desconhecimento da síntese do negócio ou assumiu mesmo que o negócio é lesivo pra maioria, mas tudo bem, desde que você esteja na minoria que ganha algum trocado.

    • Renata Lima permalink*
      16/02/2013 17:15

      “Conheço gente que, em tese, é “distribuidor” de suco de açaí que NUNCA fala nada sobre açaí, só abre a boca pra falar de ~~~oportunidade de negócio~~~, de diamantes e mercedes.”

      Verdade isto…se olharem os videos de “treinamentos” de mmn (de qualquer empresa), não verão foco em produto, o negócio é a oportunidade. Script de herbalife tem um foco = levar o recruta pro evento.

      a comparação de mmn com franquia me causa espanto. O que um distribuidor que precisa comprar produto ou serviço tem a ver com FRANQUEADO…pois é, mais uma balela que o pessoal compra como correta.

    • 16/02/2013 20:40

      Andre, aparentemente você já caiu do cavalo com alguma dessas “oportunidades” e sequer conseguiu entender minha opinião sobre MLM.

      Sobre o conceito de franquia, bom.. nada melhor do que compartilhar o conhecimento(link abaixo de uma cartilha do GF) e com isso, talvez eu consiga agregar algum valor às críticas de vocês.

      http://www.portaldofranchising.com.br/Arquivos/O%20QUE%20%C3%89%20FRANQUIAFinalVCx.pdf

      Abs.

    • Renata Lima permalink*
      16/02/2013 20:45

      Conceito de franquia o blog sabe. O que não procede é a comparação mmn com franquia.

      obs – besteira desqualificar crítica com papo de “se deu mal”. Ninguem precisa entrar na fervura pra saber que queima, né. Menos.

    • Renata Lima permalink*
      16/02/2013 21:17

      Vai lá na página 15 e veja PORQUÊ mmn e franquia não tem identificação.

      Dica, no item “conhecer com profundidade os números do negócio” vc já vê clara distinção (mmn é pródigo em NUNCA divulgar números).

      Se você tivesse lido e estudado, saberia que mmn e franquia são distintos

      Obrigada pela participação.

  93. André permalink
    17/02/2013 13:27

    PH, não sei da onde você tirou isso, mas nunca entrei e nunca entrarei em esquemas picaretas como MMN. Bom senso já basta pra não entrar nesses esquemas, mas ainda conhecendo um pouquinho de estatística, números, aí que não dá pra ser engabelado MESMO!

    Eu entendi sim sua opinião, só não entendi se é por desconhecimento de causa ou por má fé mesmo a defesa dos problemas do MMN como se fossem soluções.

    Quanto a franquia, sem maiores comentários. Tal qual o seu argumento inicial, os dados que você trouxe só mostram o contrário (!).

    Meio esquizofrênicos seus comentários. Será uma nova tática de persuasão do MMN? Cadê o Fernando (moderador) nessas horas pra esmiuçar esse tipo de argumentação?

    • Fernando permalink*
      19/02/2013 17:13

      É pq às vezes, depois de dizermos que MMN não tem a ver com franquia, alguns comentários acima mesmo, os caras vêm escrevem a mesma postagem replicante. Aí é dose.

      Mas numa coisa o PH está certo: do ponto de vista das EMPRESAS e pioneiros o MMN pode dar bons frutos. No entanto, para a massa de recrutas… é oferecida a sarjeta.

  94. Jéssica Cunha Borean permalink
    27/02/2013 18:21

    Boa tarde,

    Ingressei no programa Polishop com Você, o qual se identifica como sendo MMN e gostaria de receber informações sobre essa oportunidade.

    Quero agradecer aos comentários relativos as empresas de MMN que usam de fraudes e assim como o Isaque Barbosa estou aberta aos vossos comentários.

  95. 08/03/2013 22:22

    Meu já estive dentro da roubada MMN, só prejuízo qto mais tempo vc espera mais tenso fica sua situação, e nada de retorno mais um mês e o suplicio aumente….O melhor mesmo e fugir dessas tentações dinheiro fácil só Mega sena , mesmo assim sem exageros…

  96. 30/04/2013 13:51

    Concordo com o entrevistado… quando fala que quando o mercado satura em um país eles tratam de ir para outro…. deixando as milhares de pessoas da base da pirâmide no prejuízo… e basta um pouquinho de noção de matemática pra saber que o crescimento da pirâmide é exponencial, tendendo ao infinito em poucos níveis…. mas infelizmente a maioria das pessoas que entram nessa roubada só sabem as 4 operações básicas da matemática e talvez nunca ouviram falar a palavra “exponencial”…. daí saem por aí desfilando no seu Fiat Uno 88 com uma adesivo enorme colado no vidro de trás: “quer ganhar dinheiro…. pergunte-me como”…. acho que se fosse pra perguntar como ganhar dinheiro certamente eu perguntaria a alguém que desfila num Porche ou numa Ferrari ….. Nada contra os Fiats Uno… até porque eu já tive um…. mas apenas citei porque é um carro popular e não é sinônimo de tanto sucesso, ao ponto de fazer tal divulgação. Daí alguns podem pensar: Talvez ele tenha um Porche na garagem e use o uno pra trabalhar… então fica a dica….
    cole o adesivo apenas no Porche certamente virão mais pessoas te pergungar como ganhar dinheiro…

    Um grande abraço a todos.

  97. ande permalink
    21/06/2013 22:04

    olá agluém aqui conhece sobre a BBOM?

    • Renata Lima permalink*
      21/06/2013 23:06

      Outra piramide descarada. Fuja disto, sugiro. A menos que vc nao se importe de participar de um esquema fadado a prejudicar muita gente. Boa sorte.

  98. Luis Costa Junior permalink
    30/06/2013 17:16

    Enquanto: Donald Trump, Robert Kiyozaki, T. Harv Eker, Max Gehringer, Roberto Shinyashiki, Dr.Lair Ribeiro, Mauro Halfeld e Warren Buffet defendem fervorosamente o Marketing Multinível, vem esse indivíduo que ninguém sabe de onde veio, denegrir uma forma tão consagrada de negócio… Em quem será que eu vou acreditar? É incrível a propagação desses pseudo-especialistas pela Internet. É brincadeira…

    • Renata Lima permalink*
      30/06/2013 19:38

      Me diga então, bem informado…qual destes defensores começou como DISTRIBUIDOR de alguma empresa de mmn???? Dica, nenhum, endossam um modelo de negócio que eles mesmos não praticam.

      Então

      1) endossam porquê ganham dinheiro obliquamente (livros, donos de empresas, palestras, etc)

      ou

      2) endossam porquê acham o mmn um negócio da china, AINDA QUE nenhum deles tenha feito “carreira” em alguma empresa do ramo

      Esqueça os mensageiros e foque na mensagem, senão será apenas outro que sai por aí dizendo (entre outras bobagens) que mmn movimenta mais de 20% do pib Americano ou mmn é ensinado em Harvard. Boa sorte.

      obs – mmn é tão “consagrado” que atualmente a justiça brasileira (que sabemos não ser a mais atuante em casos de pilantragem) começou a agir pra tirar pirâmides financeiras de mmn do Mercado. Tão consagrado que não fez NENHUM dos 200 mais ricos do mundo. Acorda.

  99. otoniel permalink
    01/07/2013 18:15

    Vai ver que a Renata entende mais de MMN do que esses especialistas Luís… e o que ela tenta passar parece ser verdade absoluta… mesmo vendo que o artigo é de 2008 e até hoje a herbalife continua no mercado…

    • Renata Lima permalink*
      01/07/2013 19:35

      O que é verdade absoluta são NÚMEROS do negócio, seja lá quem os passe (eu, você, lula, Gloria maria, boechat, etc).

      Obs – o artigo é de 2008, mas o Taylor continua na ativa e continua desaconselhando o mmn (quanto mais ele estuda – NÚMEROS – mais ele desaconselha).

      Quanto a herbalife, continua no Mercado, fazendo milhares de distribuidores mais pobres ano após ano. Boa sorte!!!!

    • Fernando permalink*
      02/07/2013 10:02

      Sujeito, argumento de autoridade não vale aqui. Valem os fatos crassos que demonstram que a maioria daqueles que fazem MMN (e suas variantes) PERDEM dinheiro.

  100. Luis Costa Junior permalink
    02/07/2013 19:03

    Renata, sei que você ficou deslumbrada com esse artigo desse tal de Taylor. Mas vamos pensar bem… Todas essas pessoas que eu citei são os principais gurus de economia do mundo, autores renomados, colunistas consagrados, palestrantes. Todo mundo que vai fazer qualquer tipo de investimento, consulta pelo menos um desses caras. Não dá pra ignorar isso só porque um ilustre desconhecido resolveu dizer que dois mais dois não é quatro. Se eles nunca foram divulgadores desse tipo de negócio, é porque na época em que eles iniciaram sua carreira provavelmente o Marketing Multinível ainda era incipiente. E essa história de “ganhar dinheiro obliquamente” parece mania de conspiração de filme de terceira… O Marketing Multinível é a forma mais inteligente já inventada pelo homem para propagar um produto ou serviço. o problema é que esse modelo de negócio vem sofrendo muitas distorções. As pessoas ainda tem dificuldade para compreender a matemática exponencial que uma rede de afiliados proporciona. Sem falar na confusão que ainda se faz entre o Marketing de Rede e as pirâmides financeiras . Quer um conselho, Renata: diversifique mais suas fontes. Não deposite toda a sua crença em apenas uma pessoa. Pesquise mais. Faço parte de uma rede de afiliados (não convém citar o nome!) baseada em Marketing Multinível. Antes de entrar, pesquisei em mais de 50 sites, li mais de 30 artigos, só então me decidi. Não me considero nenhum especialista no assunto, mas acho que fiquei mais embasado pra fazer uma melhor escolha. Espero que você aproveite o conselho e faça o mesmo.

    • Renata Lima permalink*
      02/07/2013 23:13

      Ué, já que você estudou tanto, me mostra aqui onde eu encontro os seguintes dados sobre mmn (pelo menos das principais empresas)

      1) rendimento médio de distribuidor

      2) percentual de desistência em até dois anos

      3) percentual de vendas pra fora da rede

      4) plano de marketing que privilegia VENDA pra fora de rede ao invés de formação de rede

      5) empresa com produto ou serviço de preço competitivo.

      Acredito que, com tanto estudo e pesquisa, você deve ter tido acesso aos numeros. Claro que teve.

      Pra mim, negócio bom se prova com dados. E não, não confio somente em uma pessoa. Confio nos dados que foram apresentados por mais de uma pessoa, confio nos numeros divulgados pelas próprias empresas .

      “As pessoas ainda tem dificuldade para compreender a matemática exponencial que uma rede de afiliados proporciona.”

      lembrei agora do Rolando lero…kkk. Defenda seu negócio com dados concretos. E uma boa ideia NEM SEMPRE exprime uma boa experiência prática

      Se puder, prove que mmn é bom pra PELO MENOS, 10% dos participantes. Se não puder, inverto e te aconselho, vai atrás desta informação….porquê a que tenho – e com base em análise de numeros das empresas – demonstra que MENOS DE 1% ganha alguma coisa.

      A sua visão de mmn é utópica, romantica e não tem respaldo algum em números. Argumento de autoridade é fraquíssimo para defender qualquer negócio.

      Boa sorte, paro por aqui, a menos que você traga DADOS OFICIAIS.

  101. adeilson de lima permalink
    05/07/2013 18:19

    vc sempre cita 99% isto quer dizer que 1% dar certo

    • Renata Lima permalink*
      05/07/2013 19:02

      MENOS de 1%.

  102. 07/07/2013 4:35

    Renata Lima, me cadastrei na telexfree achando que seu plano de marketing é sustentável e não vai prejudicar ninguém, naturalmente que todo investimento tem risco, só que a empresa faz o contrato de um ano e na renovação vc paga 20% do lucro do ano anterior e assim sucessivamente, entrei de boa fé e não tenho experiência nenhuma em MMN, por isso gostaria, se possível sua opinião sobre este modelo de MMN da telexfree.

    • Renata Lima permalink*
      07/07/2013 13:25

      Telexfree sofre uma ação civil pública, na qual é pedida sua dissolução, dentre vários outros pedidos. O MP do Acre, o Ministério da Justiça, vários Procons entendem que a telexfree é pirâmide

      No momento, telexfree não pode pagar nem cadastrar, por determinação judicial.

      Minha opinião é que telexfree realmente é uma pirâmide financeira (pra mim, mal disfarçada) e sua proposta de negócios é vergonhosa. O “produto” (voip) serve apenas para mascarar o esquema.

      Desconfie de propostas análogas. Boa sorte. Tem muito material sobre telexfree no blog.

  103. Francisco Machado permalink
    12/07/2013 10:50

    Não sou expert em MMN, mas eu conheço várias pessoas que conseguiram melhorar sua condição financeira com ele. O que está errado com o MMN é a forma como algumas pessoas mal intencionadas o fazem: prometem altos ganhos sem a necessidade de vender, consumir ou trabalhar, ou seja, dinheiro fácil. Quando uma rede é formada, ela passa a ser um canal de distribuição de produtos e serviços, que são de uso contínuo, como por exemplo, cosméticos e suplementos alimentares, entre tantos outros. O Taylor pode ser um especialista, mas pode ser também um pau-mandado de quem é incomodado pelo marketing multinível. Existem legiões de defensores e críticos do MMN no mundo todo. E muitos dos que defendem também estudam o MMN a muito mais que 12 anos. Eu diria que antes de levantar a bandeira do Mr. Taylor, alguns leitores que opinam sem saber o que é ou como funciona o MMN (a maioria), deveriam procurar ver a opinião de especialistas que são a favor do MMN como um modelo de negócio legal e moral. Afinal, o brasileiro é massacrado por operadoras de telefonia, por bancos, por montadoras (temos o carro mais caro do mundo), pelos altos impostos, pelos serviços públicos de péssima qualidade, pela falta de infraestrutura, pela corrupção, etc. Bem, mas isso tudo é legal, moral e ético.

    • Renata Lima permalink*
      12/07/2013 16:49

      Especialistas “a favor” do mmn NÃO. Especialistas que tenham sido (ou sejam) bem sucedidos no MMN, se vocè fala pras pessoas ouvirem quem conhece, quem conhece deve ter feito parte, concorda????

      NENHUM dos “a favor” ganhou fama ou respeito tendo começado como distribuidor de mmn. O taylor traz NÚMEROS e fez parte da nuskin. A coenen foi da mary kay. Temos quase herbalóides no blog…kkk.

      Se tiver NUMEROS apresentados pelos especialistas “a favor”, fique a vontade.

      O blog trabalha com DADOS que podem ser comprovados. Gostaria que os comentaristas tambem trouxessem dados. De “achar bom ou ruim”, o mundo tá cheio. MOSTRE porque é bom e GAME OVER.

      obs – conheço POUQUÍSSIMOS que se deram bem em mmn e uma LEGIÃO de gente que entrou e achou uma palhaçada.

      obs2 – o blog não é contra o MMN, como modelo de negócio, não é contra a IDEIA. Mas o blog SABE que o mmn, NA PRÁTICA, induz a maioria a perder dinheiro.

      Obrigada pela participação.

  104. 13/07/2013 17:40

    Estou impressionado com tantas pessoas sábias que entendem tudo da vida. Imagino que encontraram uma solução para o mundo. Vocês são heróis, os verdadeiros vingadores estão nesse “Piramideblog”. O topo da piramideblog é o criador do mesmo, que influencia muitos a acreditarem naquilo que ele escreve como se fosse o mais certo a se fazer. E nesse MMN disfarçado todos irão compartilhar esse conteúdo gratuitamente. Mas essa piramideblog só vai beneficiar o dono que talvez consiga patrocinios ou um tão sonhado emprego de colunista. E a maioria terá seus sonhos ou oportunidades frustradas porque acreditaram nele e não em si mesmos. Ele chamou o nosso Pais de subdesenvolvido, ou seja, é mais um que quer justificar seu fracasso tentando convencer outros de que o caminho é ser negativo e destrutivo. O Brasil não precisa disso mas mesmo assim tem lugar até para pessoas como você.

    • Renata Lima permalink*
      15/07/2013 11:36

      quanta abobrinha. Diga aí, você participa das pirãmides da moda??? qual??? telexfree, bbom, blackdever, priples…porquê este discurso “o mundo é uma pirâmide” tem sido exclusivo de defensor de esquemas Ponzi.

  105. Jorge permalink
    15/07/2013 12:46

    A questão é que o “negócio” não se sustenta,o “negócio milionário” só existe pra poucos….
    Vamos para de querer enriquecer as custas dos outros,vamos trabalhar,estudar…
    Chega desses pseudo-negócios “fique rico sem fazer força”… Até admito que as pessoas entrem por inocência ou por terem sido enganadas… Mas depois, admitam que erraram e sigam em frente…

    Esse “jeitinho brasileiro” é triste.

  106. armando filho. permalink
    15/07/2013 13:04

    telexfree telexfree telexfree telexfree tudo de bom, só no brasil foi prejudicada que vergonha de ser
    brasileiro, o brasil não é uma democracia tele sena mega sena quina tudo é piramide e está ai.

    • Renata Lima permalink*
      15/07/2013 13:46

      reza, faraó, reza. Um mês suspensa…

  107. armando filho. permalink
    15/07/2013 16:06

    só os deputados e os ricos podem viver bem não é trouxas.
    telexfree telexfree telexfree para todos.

    • Renata Lima permalink*
      15/07/2013 19:52

      trouxa é quem fica em blog xingando os outros enquanto o esquema SEGUE bloqueado pela justiça. Vá trabalhar!!!!! Se vc fosse competente e produtivo não vinha aqui perder tempo.

    • Egiptólogo permalink
      15/07/2013 19:54

      300% ao ano de lucro com 0 de risco só pra postar anúncios padrão em sites que apenas os próprios divulgadores leem? E você ainda quer me convencer que isso é sustentável?

  108. Jorge permalink
    15/07/2013 16:30

    Kkkkkkkkk,….. Estou preocupado,pois como tudo é uma pirâmide e pirâmide é ilegal… Posso ser preso,afinal sou dono de uma empresa e por estar “explorando” a mão de obra,posso ser preso….

    Aja reza Renata Lima…

    • Renata Lima permalink*
      15/07/2013 19:53

      eu também sou faraó, Jorge, sou socia de uma empresa e tenho funcionários. Acho que vou me juntar a familia telexfree. hahahahaha

  109. 24/08/2013 17:01

    Tudo é duvidoso, se você se diz a favor ou contra. Acredito que o MMN já está saturado, é um negócio como outro qualquer. Os argumentos usados para fazer parte deste ramo já estão manjados. Gosto da ideia de negócio, mas é exatamente isto ele é igual a outros negócios e que você terá que ser o “dono”, claro todo negócio tem suas diferenças. Mas como sou leigo, ainda estou querendo descobrir qual será o próximo GRANDE NEGÓCIO, TENDÊNCIA DE MERCADO,, BOOM DOS NEGÓCIOS, Me avisem.

  110. 24/08/2013 17:13

    Excelente matéria, como disse antes gosto da ideia do MMN, estou no ramo a 10 anos e tenho que confessar, esta matéria é real na prática. E por expor as verdades do MMN, realmente não é fácil construir rede. Você precisa desenvolver algo que gosta, que usa, e que realmente fará mudanças na vida de uma pessoa sem pensar nos R$, e se for assim esteja disposto a pagar um alto preço de paciência, para poder obter uma renda digna.
    Se me permitem eu desenvolvo Z7.Gosto da liberdade do MMN, e do aprendizado, pois aprendi a ter autonomia, e trabalhar com algo que leva algo de valor as pessoas, mas tive muitas decepções e uma recentemente, porém persisto, porque gosto da liberdade que não terei em outra profissão, e consigo obter uma renda que teria na mais simples que fosse exercer. Mais uma vez parabéns a matéria e ela é REAL NA PRÁTICA.

  111. GABRIEL permalink
    06/09/2013 10:32

    estou convencido de que o MMN é um negócio muito bom para se ter um retorno financeiro!!!!!!VOU TRABALHAR COM ISSO PRO RESTO DA MINHA VIDA!!!

    • Arthur permalink
      06/09/2013 16:03

      O pior cego é aquele que se recusa a enxergar….

    • Renata Lima permalink*
      06/09/2013 18:42

      opção perspicaz e inteligente. Boa sorte.

  112. Santos permalink
    11/10/2013 10:34

    Prezados, muito se fala nesse negócio de MMN. Sou leigo, mas sei de uma coisa: O CAPITALISMO É FALHO, AS EMPRESAS SÃO FALHAS, A JUSTIÇA É FALHA, OS POLÍTICOS SÃO FALHOS, ETC. Em fim, levante a mão quem é perfeito. Todo negócio tem seus pontos fortes e fracos, inclusive as pessoas. Concluindo: o MMN tem pontos fortes e fracos.

    • Fernando permalink*
      14/10/2013 9:21

      E?? Falhas por acaso são justificativas para as coisas continuarem como estão? Que tipo de defesa do MMN é essa?

  113. Guilherme permalink
    08/12/2013 22:12

    Discordo totalmente , um bloguezinho desses qualquer pessoa faz. Eu e diversos amigos estamos ganhando muito dinheiro, pesquise e a empresa é boa, mas por quem se da bem, pelo o que eu vejo no site, só tem pessoas que se deram mal e muito desinformadas.

    Vejam quem apoia o MMN:
    Lair Ribeiro
    Ronald Trump
    Max Gehringer
    Robert Kiosaki
    Roberto Shinyagshik
    Bill Clinton

    • Renata Lima permalink*
      10/12/2013 10:12

      desinformado (com força) é você que elenca quem apóia mmn mas NUNCA entrou como distribuidor de qq empresa. Só quem mora em outro planeta não sabe que mmn é péssimo negócio para a maioria. Não é o blog que afirma, são os NÚMEROS.

    • 10/12/2013 14:46

      Caro Guilherme, se o negócio é tão bom assim …. o Max Gehringer, o Bill Clinton e Você não devem se preocupar com estes
      “bloguezinhos”, e simplesmente contabilizar o seu dinheiro….

      Agora uma coisa eu tenho que concordar com você quando diz:
      “pelo o que eu vejo no site, só tem pessoas que se deram mal”
      ….. por que será??

      Simplesmente porque para cada pessoa que se dá bem nesse negócio…..
      existem centenas ….. milhares de pessoa na base da pirâmide indignadas saindo no prejuízo…. e se dando mal
      por isso que a proporção de comentários defendendo o MMN é infinitamente menor aos que se sentem prejudicados
      e que condenam esta prática.

      Nunca participei de nenhum tipo de pirâMMNide, porque tenho algum conhecimento de Econômia e Matemática

      Aliás nem é preciso ter um conhecimento tão vasto assim, pois Progressão Geométrica e Função Exponencial
      a gente aprende ainda no ensino médio.

      E a única pessoa que conseguia fazer multiplicação de pães e peixes já morreu há quase 2.000 anos atrás.

      Sei que você deve estar bastante ocupado contando seu dinheiro….
      mas se sobrar um tempinho…. dá uma lida neste texto que separei pra você…..

      Lendo o texto eu faço a seguinte comparação:

      1ª casa do tabuleiro – Bill Clinton (Multi-Bilinário)
      2ª casa do tabuleiro – Max Gehringer (Bilionário)
      3ª casa do tabuleiro – Lair Ribeiro (Multi-Milionário)
      4ª casa do tabuleiro – Ronald Trump (Milionário)
      5ª casa do tabuleiro – Robert Kiosaki (Riquíssimo)
      6ª casa do tabuleiro – Roberto Shinyagshik (Muito Rico)
      6ª casa do tabuleiro – Nosso Amigo Guilherme (Rico?? … 1 milhão na conta??? … 1 Camaro na garagem???… Talvez!!)
      .
      .
      .
      .
      64ª casa do tabuleiro – Pode ser você que está lendo esta mensagem e só está dando dinheiro pra enriquecer os caras lá de cima

      Um Forte Abraço.

      Gustavo.

      _______________________________________________________________________________________________________

      Texto:

      “Em uma época viveu e reinou na Índia um rico e generoso rei chamado Jadava.
      …o rei é informado de que jovem sábio. Seu nome era Lahur Sessa que inventara o jogo de xadrez.
      Ele apresenta ao rei sua invenção, um grande tabuleiro quadrado, dividido em 64 casas iguais; sobre esse tabuleiro
      colocavam-se 2 coleções de peças distinguidas pelas cores brancas e pretas e curiosas regras que lhe permitiam
      movimentar-se de várias formas.

      Sessa explicou o jogo pacientemente ao rei e aos que o rodiavam. O monarca aprendeu rápido e após várias partidas
      ganhas o rei agradece ao jovem e tenta lhe recompensar pelo presente. Sessa permanece imperturbável e diz que não
      deseja nenhuma recompensa, queria apenas proporcionar momentos agradáveis ao soberano. O rei não crendo na sinceridade
      de Sessa insiste que ele escolha uma recompensa tão valiosa quanto o jogo de xadrez; diante de tal insistência, o
      jovem pede-lhe o pagamento em grãos de trigo, 1 grão de trigo pela 1ª casa do tabuleiro, 2 pela segunda, 4 pela terceira,
      8 pela quarta, até a 64ª casa do tabuleiro, formando assim uma progressão geométrica. Todos riram do estranho pedido,
      pois Sessa poderia pedir tesouros e palácios.
      O rei chama o jovem de insensato e diz que com 2 ou três medidas de trigo pagaria facilmente o pedido. Mandou chamar os
      matemáticos da corte e ordenou-lhes que calculassem a porção de trigo.
      Obtiveram um número cuja grandeza era inconcebível para a imaginação humana. A medida de trigo equivalia a uma
      montanha 100 vezes mais alta que o Himalaia e se a Índia semeasse todos os seus campos, não produziria em 2000
      séculos a quantidade de trigo prometida pelo rei.
      Sessa não querendo deixar o rei constrangido perante os seus súditos, abre mão do seu pedido e acrescenta:
      Os homens mais avisados iludem-se não só diante da aparência enganadora dos números, mas também com a falsa modéstia dos ambiciosos.
      Infeliz daquele que toma sobre os seus ombros o compromisso de uma vida dividida cuja grandeza não pode avaliar.
      Mais avisado é o que muito pondera e pouco promete.
      Com essas sábias palavras o rei contratou o jovem Sessa para ser um de seus conselheiros.

      Texto retirado do livro “O Homem que Calculava” – Beremiz Samir

  114. andre permalink
    10/12/2013 13:25

    Então renata lima..passa pra gente o melhor investimento do mundo com risco zero e sem ter que trabalhar, que eu entro na hora, me fala se os números são realmente péssimos então vc como entendida deve ser o melhor negócio do mundo…

    • Renata Lima permalink*
      12/12/2013 0:15

      Risco ZERO? Desconheço…mas MELHOR do que mmn, vai de abrir uma micro empresa até jogar em las vegas. Não precisa ir longe pra achar negócio melhor que mmn.

    • andre permalink
      13/12/2013 11:47

      Não posso concordar com seu comentário, sabe pq? micro empresa vc precisa ter contador, vc pode até lidar com empregados, poucos, questões trabalhistas,etc.. eu como faço parte da bbom neste novo plano, vamos ser microfranqueados então, eu posso vender os produtos e indicar pessoas a fazer o mesmo, não sei se uma micro-empresa é o melhor não… e outra muitas vezes entro e vejo comentários do tipo, não faça ninguém rico, o que ta la em cima ta ficando cada vez mais rico? mas te pergunto, oq é que vc compra que não faz o outro rico? se vc vai a padaria vc faz o dono dela mais rico, se vc compra um carro, vc faz o dono da concessionaria mas rico, então se formos para pra pensar, eu prefiro estar em um negocio, onde sim faça onde ficar rico e posso tbm ficar rico com meu trabalho,

    • Renata Lima permalink*
      13/12/2013 14:43

      Acorda, André, falamos aqui de estatística e não de opinião. Dê uma estudada nos dados negociais, ainda que superficialmente você saberá do que falamos por aqui, você mesmo constatará que a estatística desfavorece mmn e favorece Mercado tradicional.

      obs – esta analogia da padaria é das mais velhas e combatidas em mmn.

      obs 2 – eu teria VERGONHA de participar de um esquema como o da BBOM. Mas isto vai do perfil de cada um.

    • Gustavo permalink
      12/12/2013 15:36

      Quer ganhar muito dinheiro sem trabalhar???
      Investe na Bolsa de valores, assalta um banco, ou joga na Mega-Sena da Virada….
      Qualquer coisa menos piramide…..

      Porque me diz quem é que encontra uma galinha dos ovos de ouro e sai
      por aí querendo dividí-la com os outros pra deixar todo mundo rico…..

      só mesmo quem tá numa piramide e precisando recrutar trouxas pra
      ficar na base do galinheiro e pagar o milho que a galinha dos ovos de ouro precisa comer…..

      Abraço.

    • andre permalink
      15/12/2013 10:57

      kkkk o seu comentário nem merecia uma resposta, de tanto quanto burra, muitos de vcs, acham que trabalhando com mmn eu to querendo ficar ultra bilionário,só quero minha independência financeira amigo, não to de olho no que é dos outros, não…”Investe na Bolsa de valores, assalta um banco, ou joga na Mega-Sena da Virada….
      Qualquer coisa menos piramide…..” me diz que tipo de analogia vc quis fazer com esse comentário? vc acha que mmn é galinha de ovos, vc está completamente engando! aqui não tem nada de dinheiro fácil, agora bolsa valores? faz um favor, pela amor…assalta um banco? rapaz fica quieto porque tú já falo merda demais, venha aqui com comentários pertinente e não como as falácias e clichês….

    • Renata Lima permalink*
      16/12/2013 18:01

      “me diz que tipo de analogia vc quis fazer com esse comentário?”

      andré (abilio), ele não fez analogia, ele fez uma afirmação. Assim eu entendi. E acredito também que ele não ache que mmn é galinha dos ovos de ouro. Desculpa a franqueza, mas não vi nada falacioso no comentário dele…e não tô endossando conteúdo, apesar de achar que mmn não presta, nem pra fonte de renda residual ou primária. MMN é um negócio ruim de doer…hahaha. Boa sorte.

  115. andre permalink
    13/12/2013 11:49

    *faço o outro ficar rico…

  116. andre permalink
    15/12/2013 10:58

    com as mesmas*

  117. andrei permalink
    07/03/2014 12:30

    Olá Renata Lima tudo bem? queria que você falasse sobre o MMN da Polishop, o Polishop com vc, tem uma boa aceitação confiabilidade no mercado já que é uma empresa que antiga que a princípio não surgiu para fazer MMN ao contrario de varias se não todas as outras, espero sua resposta, desde já muito obrigado.

    • Renata Lima permalink*
      09/03/2014 20:19

      mais do mesmo, outra empresa típica de mmn, na qual a maioria se ferra e pouquíssimos (pioneiros e recrutadores) ganham. Boa sorte.

      obs – para você saber mais sobre a estrutura negocial de mmn, sugiro a leitura deste blog. Obrigada por participar.

    • Roberto Mendonça permalink
      23/05/2014 18:43

      Há uma lógica para o MMN tanto quanto para qualquer outro tipo de negócio, ele assusta pelo fato de as pessoas não conhecerem apenas e terem sido condicionadas a aceitar o tradicional. Logicamente, como qualquer outra empresa pioneira, o faturamento da sua rede é maior no começo, vamos tomar a franquia Habibs como exemplo, será que um novo restaurante hoje fatura tanto quanto quando foi lançada a novidade? O sistema do MMN não é diferente, porém baseado em micro-franquias, por isso o valor é bem mais baixo. Entrando no começo, a rede cresce e, é claro, uma hora vai diminuir o ritmo e o lucro vai estabilizar, por isso é necessário que haja um produto de grande aceitação para fazer o capital girar, muitas empresas pecam nesse sentido e acabam tendo dificuldade em continuar no mercado e chegam até a ser confundidas com pirâmides. Uma empresa de MMN sólida precisa ter uma grande saída de produto para que a rede dos que nela entram esteja sempre em crescimento. Abraços.

    • Renata Lima permalink*
      24/05/2014 16:39

      Mmn não e “novo” e não assusta, ao contrário do que querem fazer acreditar….e produto e apenas coadjuvante do modelo de negócios (focado em recrutamento de pessoas). Abraço.

  118. Roberto Mendonça permalink
    23/05/2014 18:28

    Pergunta aos arrogantes, humildes, cultos ou ignorantes aqui presentes neste post: se minha rede parar de crescer, mas tenho um ótimo produto que vendo tanto que ganho mais com ele do que muito concursado, gerente de banco, até mesmo advogado por aí, estou enganando alguém caso queiram fazer o mesmo que eu, apenas vender muito bem e lucrar com isso? Grande abraço e sucesso a todos.

    • Renata Lima permalink*
      24/05/2014 16:38

      Venda direta ao consumidor final não e o problema, se leu algo no blog saberá que o problema e a questão do foco em recrutamento. Boa sorte.

    • Marcelo Neves permalink
      26/05/2014 11:41

      Caro Roberto… respeito sua opinião, apesar de não concordar nenhum pouco com sua comparação com Franquias como o Habibis, pois a exemplo do Habibis, Subway, McDonald’s… e por aí vai…. se você adquire uma destas franquias, quanto menos franquias da mesma rede tiver em sua cidade será melhor pra você pois terá menos concorrentes, sem contar que se você adquiri uma franquia destas, não precisará fazer com que seu irmão… primo …. tio …. amigo… cachorro ….. papagaio…. etc. também adquiram uma franquia do Habibis pra você ganhar dinheiro ….. ao contrário das redes de MMN que quanto mais gente tiver na sua rede…. mais dinheiro você ganhará…. lógico que cada um puxa a brasa pra sua sardinha…. e você defenderá seu negócio mas certamente conheço muito mais gente que se deu mau com MMN do que pessoas que se deram bem… tanto que nunca vi nenhum Camaro ou Porsche com adesivo da Herbalife colado atrás….
      Um Grande Abraço e boa sorte amigo.

  119. Beto permalink
    31/07/2014 11:34

    Antes de nada afirmo que não faço parte de nem um MMN até ler este artigo. Porém, essa argumentação do Jon Taylor tem um forte ar de “fake”. Afinal, 100% das argumentações do “guru” dizem que não prestam e tudo ele sugere acessar seu site. Porque? Acesso o site e vejo um mercado bom para ele ganhar dinheiro. Prestando consultoria, vendendo livros e aí vai. Parabéns e acredito que ele tenha potencial para isso.
    Colocar que existem 1.300 formas de ganhar dinheiro no lugar do MMN. Pois eu, posso passar mais do que o dobre deste número. Isso é simples e não atitude de um bom guru financeiro.
    Antes de escolher seu investimento ou empresa, faça uma escolha de ser um bom gestor e tome essas atitudes.

    Cheguei aqui, por interesse de informações no MMN. Assisti uma apresentação da Monavie e até eles, demonstram as chances e caminhos do fracasso na sua própria empresa.

    Como generalizar? Como? Vou incluir Avon e Natura, importantes vinículas em Pirâmides?

    É óbvio e claro que existe um objetivo financeiro camuflado.

    Sou mais Donal Trump, Robert Kiyosak, Max Gehringer, Werner Voigt e dezenas de outros símbolos de sucesso.
    Uma pessoa de sucesso fala de seus produtos e não justifica o seu fracasso com o sucesso dos outros.

    Pirâmide é crime e furada, não entre. Mas MMN não é tendência e já um mercado definitivo.

    Obrigado por despertar meu interesse MMN Mr. Taylor, mas sou mais otimista e mais feliz que você.

    • Renata Lima permalink*
      31/07/2014 19:09

      Argumentação “fake”? Jesus, o cara estudou mais de 200 planos de marketing destas empresas e as conclusões são numéricas! Preciso nascer de novo para entender como qualquer pessoa desqualifica pesquisa numérica sem nada para contrapor. De todo modo, obrigada pela participação e boa sorte na monavie.

    • Renata Lima permalink*
      31/07/2014 19:13

      Obs – nenhum destes “gurus” foi distribuidor de empresa de mmn. NENHUM alcançou o “sucesso” através de mmn. Também não entendo como os adeptos do mmn não questionam isto. Se fosse bom negócio, algum destes “defensores” deveria participar, não acham?

    • Vinícius Barcellos permalink
      31/07/2014 21:44

      MMN É pirâmide.Não tem essa de que são coisas distintas.
      É o mesmo tipo de pilantragem, só que com outra roupa.

      Parece que você infelizmente já veio esperando defender a Monavie.
      Vamos ver se eu acerto: você assitiu a primeira palestrinha ou a primeira apresentação de slides de algum amigo ou conhecido seu que te apresentou o negócio;o cara te enrolou usando várias técnicas manjadas;disse que o fracasso do negócio só aconteceria se você não se dedicasse de verdade, porque no fundo o negócio é inovador e só gente empreendedora de verdade consegue sucesso; você até pensa em pesquisar o que eles dizem, mas na sua cabeça ta martelando a idéia do cara de que tudo aquilo é mesmo incrível.Como pode Robert Kiyosak estar errado né??Como pode ser pirâmide se ela ganhou premio do Ernst & Young e está na ABEVD, não é??
      Mesmo que esse Kiyosaki nunca tenha sido um distribuidor de nenhuma empresa (bem colocado pela Renata), e no fundo já tenha criado empresas do tipo, não tem problema.Ele disse que é ótimo e acabou.
      Mesmo que seja só um cara, que escreve livros mais de auto-ajuda do que de estudos econômicas sérios, não pode estar errado.
      Milionários também não, mesmo que eles nunca tenham entrado no negócio como recrutadores, e sim como donos.
      Ai depois disso tudo, você prefere discordar do que todos falam, mesmo que com argumentos plausíveis, para justificar que sua idéia é fabulosa, e que você vai conseguir muito dinheiro.

      Acertei??

      Bem, não importa.
      E só um detalhe: mesmo que o John Taylor realmente só quisesse ganhar dinheiro.Ele está tirando dinheiro de quem??
      Ele está prejudicando quem??Pelo contrário, está ajudando a desmascarar fraudes.
      Até porque, se você realmente tivesse visto o site ( o que me parece que não ocorreu), você vê que todos tem acesso as empresas que ele cita.Você não precisa desembolsar um tostão pra ver que a Monavie por exemplo, é claramente um embuste.

      Já em um MMN da vida, você acaba trazendo sérios prejuízos a muitas pessoas, e ainda por causa de um ideal estúpido e sem nenhum propósito.
      Apenas pura vaidade, querendo ter carrões de luxo que eles mostram nos slides, mesmo que tenha que enganar gente pra conseguir isso.

  120. 26/09/2014 14:38

    Já participei em alguns programas MMN , e dá para ganhar dinheiro, mas temos que ser experientes e cautelosos.

    Por exemplo todos os dias surgem novos sites de MMN, dizendo que são «O Novo sucesso na internet».

    EU NUNCA, nunca, entro como membro numa empresa recente, bebezinha que acabou de surgir, pois ela não tem qualquer reputação nem solidez!

    Mas há milhares de pessoas inexperientes que vão aderir :-)
    São esses peixinhos que as empresas buscam, os milhares de peixinhos curiosos.

    EU SÓ ENTRO numa empresa que esteja online há mais de seis anos, com boa reputação, que seja sólida.
    Se sobreviveu esses anos todos, pagando aos membros, é porque é Sólida.

    Nunca invisto 150 euros ou 200 euros para aderir, (há empresas que pedem essa exorbitância).

    Eu só entrei em programas que paguei 20 ou 30 euros, um preço acessível, assim fica fácil recrutar pessoas. Pois qualquer pessoa pode pagar 20 ou 30 euros. .-)

    Todos entram e ganham e recuperam IMEDIATAMENTE o dinheiro, quando entra 2 ou 3 pessoas na sua downline.

    HÁ QUE TER MENTE E ESPÍRITO FORTE e nunca se deixar ser manipulado pelos membros supervisores. :-))

    Estive na Herbalife também, sabiam!? E quando o supervisor me tentou incentivar a comprar vários produtos (2000 euros em produtos), para subir rápido a categoria de supervisor e lucrar 50% de desconto nos produtos, eu mandei-os à merda :-)

    Não gastei 2000 euros, heheheheh.

    Aí eles desinteressaram-se em mim.

    lembre-se:

    escolha uma empresa certa, séria, sólida, há muitos anos no mercado, com boa reputação.

    seja cauteloso, nunca invista mais $$ do que o seu orçamento permite.

    muitos dizem que ficaram na ruína, porque será? Porque foram incentivados a gastar mais $$ do que poderiam gastar.

    há que ser cauteloso.

    • Gustavo permalink
      29/09/2014 9:27

      Bom Dia Silvio,
      Apesar de eu nunca ter participado de nenhum MMN, e nem ter a mínima vontade de entrar,
      Achei seus comentários interessantes e me parece que você é uma pessoa consciente…. ao contrário destas que comentam aqui, defendendo o MMN até a morte…. parabéns pelos comentários…. apenas complementando sua idéia….. meu conselho a todos é que nunca larguem seu emprego para entrar em algum MMN…. só porque conhece alguem que participa e está ganhando dinheiro…. se você quiser entrar…. leve isso como algo paralelo….. até ter certeza que vai dar certo…. pois já vi muita gente ficar sem emprego e quebrar a cara….

      abraço.

  121. 01/10/2014 1:29

    Ai eu olho o começo do blog está escrito “Não precisa vender só indiciar”, o cara que entrar em uma empresa que diz ser MMN falando que não precisa vender, ele é doido, eu faco MMN, mas se eu não vender e nem minha equipe vender produtos, eu ganho dinheiro nenhum, posso ter 100 mil pessoas na equipe, mas se não vender produto eu vou receber nada, não existe dinheiro fácil, e iludido quem acha que vai ficar rico da noite para o dia sem fazer nada, só colocando pessoas, desconfie empresa que vende produto sem giro no mercado, mesmo se realmente for MMN, você vai tomar prejuízo pois não vai conseguir vender o produto, e cuidado com as empresas que fala que é MMN mas na verdade é Piramide mascarada de MMN, essas empresas não fica mais de 1 ano no mercado,

  122. Diego Costa permalink
    20/10/2014 19:41

    Boa noite a todos!!

    Bom, antes de começar a escrever sobre o assunto que anda assombrando muita gente vamos saber um pouco sobre cada um especificamente.

    - Marketing Multinível:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Marketing_multin%C3%ADvel

    e

    - Esquema em Pirâmide ou Pirâmide Financeira:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Esquema_em_pir%C3%A2mide

    Pois bem…

    Estou há pouco tempo numa empresa chamada CIDIZ. Uma empresa brasileira, fundada em 2012, que trabalha com moda (vestuários masculino e feminino), que utiliza o Mercado de Vendas Direta e o MMN.

    Na apresentação da empresa em relação aos seus Produtos e seu Plano de Negócio, os Distribuidores Independentes que realizaram a apresentação foram bem francos. Eu não precisaria deixar meu emprego atual e que eu poderia fazer isto nos meus tempos livres, encarando como uma renda extra paralelamente. Eu entrei porque no meu ponto de vista valeria a pena ingressar nela, tanto vendando quanto trabalhando com pessoas em forma de rede. É inevitável trabalhar com rede sem patrocinar ninguém, é fato.

    Mas o que mais me chamou atenção foi que eles deixaram bem claro que a maneira mais confiável era praticando as Vendas Diretas, pois os distribuidores comprariam os produtos por 50% de desconto podendo assim revendê-los com “até” 100% de lucro, e se eu quisesse galgar um encarreiramento na empresa e ter uma oportunidade de crescer mais, que eu trabalhasse também o MMN, que também não seria fácil e que teria que me dedicar para obter êxito em cruto, médio ou longo prazo.

    Pois bem, peço a opinião dos moderadores sobre a CIDIZ, independentemente de eu estar dentro ou fora.

    Um abração!!!

    • Renata Lima permalink*
      21/10/2014 17:07

      A distinção entre mmn e pirâmide via wiki é muito frágil. Para opinarmos sobre civis, você poderia informar o ano de marketing desta empresa? Posta o link por favor? para adiantar, sugiro que leia o post sobre teste para saber se a empresa e boa ou não. Obrigada e boa sorte.

    • Pablo Correia permalink
      22/10/2014 15:17

      Renata Lima, o MMN é exatamente isso, a venda de produtos e serviços e a prospecção, que é a criação de equipes de trabalho, que podem ganhar ou não em relação ao seu upline, dependendo do crescimento e da gerencia das equipes, pois bem o especialista se sábio no assunto, quantas empresas no país trabalha com MMN, que são os maiores e mais influentes empresários que falam que esse mercado é perfeito, no TOP de Donald Trump, Warren Buffett e Robert Kiyosaki autor do maior livro de finanças pessoais do mundo e do livro O Negócio do Século XXI, esse Especialista é frustado, me parece que não estudou nada, pois bem manda ele apresentar os números, o que está errado no modelo ou nas empresas, apenas falar, eu posso criar um blog e ficar falando mal ou bem de algo, falar todos podem, mas provar nem todos!!!

    • Renata Lima permalink*
      23/10/2014 15:54

      Aiaiai será q os argumentos pro mmn não mudarão nunca? Kkkkk veja no currículo dos defensores se algum deles foi distribuidor de empresa. Nenhum. Desqualificar como “frustrado” uma pessoa que apresentou números e o cúmulo da desinformação. Saia da bolha, por favor, e verifique se os números do negócio que você defende são bons. Se negativo, game over, pode ter endosso de Deus que não é bom. Boa sorte!!!!

  123. Vinicius permalink
    07/11/2014 10:35

    Porque quase nenhum link, de quase todo post desse bolg não funciona? Estou tentando checar as fontes e não estou conseguindo.

    • Fernando permalink*
      07/11/2014 16:04

      Pq vários links foram redirecionados para outros sites, outros caducaram, outros mudaram o domínio mesmo. Mas nada que vc não possa achar pra confirmar se fizer a pesquisa correta. No caso desse post, é só vc vasculhar o site que achará:

      http://www.mlm-thetruth.com/

      Saudações

  124. Pablo Correia permalink
    08/11/2014 13:36

    Que pensa no Networking Marketing por um blog, acredito que deve estudar mais, pois não devemos acreditar em apenas uma fonte de informação, procurem outras confiáveis, procurem o que fez Silvio Santos retornar a lista dos homens mais ricos segundo a Forbes, Warren Buffett diz do mercado, Donald Trump entre outros empresários e consultores financeiros falam sobre o mercado,este blog para mim é mais como qualquer outro que eu, você e qualquer pessoa criaria, estudar é fundamental e leem mais antes de falar sobre o assunto!!!

    • Renata Lima permalink*
      11/11/2014 0:20

      Números mostram o que é um bom negócio. Este papo de fulano e beltrano recomendam é superficial e não indica que mmn é bom negócio. Isto sem contar que os que recomendam nunca foram distribuidores de empresas, há um interesse econômico Por trás destas recomendações. O trump foi dono de uma empresa de mmn, apenas para exemplificar.

      Concordo que ler é fundamental…mais ainda, saber procurar boas fontes e ter bastante senso crítico para questionar os argumentos pro e contra o mmn. Boa sorte, se tiver alguma informação para contrapor aos estudos do jon taylor, o blog agradece.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 462 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: