Skip to content

FBI convoca vítimas da TelexFree e formaliza acusação contra sócios; divulgadores podem ser responsabilizados criminalmente

27/05/2014

FBI convoca vítimas da TelexFree e formaliza acusação contra sócios

Site da polícia federal americana pede ajuda às pessoas para levantar informações sobre esquema de pirâmide financeira da empresa

 

A polícia federal americana, o Federal Bureau of Investigation (FBI), lançou nesta quinta-feira um site para cadastrar “vítimas” da TelexFree. A empresa é acusada de crime de pirâmide financeira e levantou mais de 1 bilhão de dólares no mundo. Chamado de “Victim Assistance” (assistência às vítimas), o FBI pede a colaboração dos chamados divulgadores da empresa com o preenchimento de um questionário sobre a relação com a TelexFree. “Se você é um cliente da TelexFree e acredita que tenha sido prejudicado, você deveria preencher o questionário abaixo”, diz a página. As perguntas estão em inglês, português e outros 80 idiomas.

O cadastro é voluntário e tem o objetivo de coletar informações para a investigação federal e para a identificação da abrangência criminal do caso, principalmente saber quantas pessoas foram prejudicadas com o esquema fraudulento. Para a ação, o FBI conta com a parceria da Homeland Security Investigations, órgão federal que investiga questões relacionadas a direitos de consumidores americanos e imigrantes.

No texto, consta a informação de que “em 9 de maio, James Merrill e Carlos Wanzeler, os principais sócios da TelexFree e empresas relacionadas, foram acusados ​​em um processo criminal federal de conspiração para cometer fraude eletrônica”. Merrill está preso e teve seu pedido de fiança negado nesta semana, assim como a esposa de Wanzeler, Kátia, pega ao tentar sair do país. Já Carlos está em Vitória, no Espírito Santo, mas teve sua prisão decretada nos EUA.

Na sequência, é citado um trecho do comunicado de imprensa emitido pelo gabinete do procurador dos EUA, do distrito de Massachusetts:

De acordo com o depoimento, a TelexFree Inc e a TelexFree LLC (ambas a mesma empresa) ofereceriam serviço de telefonia por internet (VoIP) para consumidores que se cadastrassem e mantivessem uma conta em seu site. Alega-se que TelexFree era, na verdade, um esquema de pirâmide, e que, entre janeiro de 2012 e março de 2014, pretendia promover fortemente seu serviço de VoIP, recrutando milhares de ‘promotores’ para que eles publicassem anúncios do produto na Internet. Cada divulgador foi obrigado a ‘comprar’ um pacote da TelexFree a um preço determinado, pelo qual seria posteriormente compensado, sob uma complexa estrutura de pagamento semanal baseado nos anúncios postados.

Alega-se que a exigência de posts de anúncios era um exercício sem sentido, no qual cada divulgador cortava e colava os mesmos em sites previamente passados pela própria TelexFree, que já estavam saturadas de anúncios feitos pelos participantes mais antigos. As vendas de VoIP representam menos de 1%, ou 100 milhões de dólares, da receita total da TelexFree nos últimos dois anos. A esmagadora maioria de sua receita (99%) vinha da entrada de novas pessoas no esquema. A TelexFree só seria capaz de pagar as compensações que havia prometido a seus promotores existentes trazendo novos divulgadores.

Atualização – A polícia diz ainda que, devido ao potencial número de vítimas ser muito grande, ela não conseguirá responder todos os casos, mas que poderá contatar alguns para mais informações, se achar necessário. Todas as pessoas cadastradas serão informadas do andamento da questão na Justiça americana e terão acesso a seus direitos. O FBI deixa ainda um contato da Procuradoria do Estado de Massachusetts, em caso de dúvidas: ‘USAMA.VictimAssistance@usdoj.gov’.

 

Telexfree: divulgadores podem ser responsabilizados criminalmente

Do Folha Diário

O Ministério Público do Acre, que está à frente das investigações sobre a Telexfree, disse esta semana que os divulgadores que recrutaram novas pessoas para fazer parte do suposto esquema de pirâmide financeira, podem ser responsabilizados criminalmente durante o processo que investiga a operação da empresa no Brasil e no exterior.

A suspeita é de que este seja o maior crime já praticado contra a economia do país, já que as investigações levam a crer que o negócio era operado como uma “pirâmide” sob o disfarce de empresa de marketing multinível, negócio que coloca em risco o sistema financeiro brasileiro.

Em Videira, a adesão foi uma das maiores operações da Ympactus no Brasil. A empresa operava com o nome Telexfree, que por sua vez, é sediada nos Estados Unidos e prometia a venda de pacotes de ligações a longa distância a preços menores e também e remuneração de seus “divulgadores” por anúncios feitos na internet, chegando aos 200% de rentabilidade.

Segundo apurou o Ministério Público, os valores contabilizados pela Telexfree com a venda dos produtos que prometia não passava de 1% do faturamento, pois a verdadeira renda tinha como procedência a entrada de novos integrantes no negócio para que ele pudesse se manter.

No Brasil, a Telexfree está impedida de fazer pagamentos e cadastros de divulgadores desde o dia 18 de junho do ano passado. A investigação da Secretaria de Estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, também concluiu que a Telexfree é uma pirâmide financeira e que ela arrecadou cerca de US$ 1,2 bilhão em todo o mundo com um esquema ilegal de venda fraudulenta de títulos. Na  denúncia, as autoridades norte-americanas pediram  o fim das atividades da empresa, a devolução dos lucros obtidos e o ressarcimento das perdas causadas aos “divulgadores”.

Suspensão das atividades
A Telexfree anunciou através de comunicado publicado em sua página na internet que suspendeu todas suas atividades de negócios, enquanto cuida de pendências com a Corte de Falências dos  Estados Unidos, agências governamentais e a Securities and Exchange Commission (SEC), órgão equivalente à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) brasileira. No Brasil, a sede da empresa também estampou um comunicado na porta em que diz que as atividades estão temporariamente suspensas, apesar de vários funcionários serem vistos trabalhando dentro do estabelecimento.

Ações na justiça
Em Videira, já são dezenas as ações na Justiça com o propósito de fazer com que os consumidores que adquiriam os pacotes da Telexfree tenham seu dinheiro de volta. Algumas delas, já possuem ganho de causa por parte dos “divulgadores”, dentre elas, ações com valores acima de três dígitos. Dessa forma, advogados tem aconselhado as pessoas que se sentiram lesados pela empresa, que entrem na Justiça para buscar os valores que deixaram de receber após a empresa ter seus ativos bloqueados e ainda os recursos que foram investidos inicialmente. No último levantamento feito pelo governo dos Estados Unidos, a empresa não terá valores suficientes para pagar todos as suas dívidas caso for liquidada.

Fundador está preso

O americano James Merrill, um dos fundadores da Telexfree, foi preso no último dia 9, no Estado de Massachusetts. A Justiça americana também expediu mandado de prisão de outro fundador, o brasileiro Carlos Wanzeler, que está foragido. Se forem condenados, cada um pode pegar até 20
anos de prisão.

FBI VAI CADASTRAR VÍTIMAS DA TELEXFREE

A polícia federal americana, o Federal Bureau of Investigation (FBI), lançou nesta quinta-feira um site para cadastrar “vítimas” da TelexFree. Chamado de “Victim Assistance” (assistência às vítimas), o FBI pede a colaboração dos chamados divulgadores da empresa com o preenchimento de um questionário sobre a relação com a TelexFree. “Se você é um cliente da TelexFree e acredita que tenha sido prejudicado, você deveria preencher o questionário abaixo”, diz a página. As perguntas estão em inglês, português e outros 80 idiomas.

O cadastro é voluntário e tem o objetivo de coletar informações para a investigação federal e para a identificação da abrangência criminal do caso, principalmente saber quantas pessoas foram prejudicadas com o esquema fraudulento. Para a ação, o FBI conta com a parceria da Homeland Security Investigations, órgão federal que investiga questões relacionadas a direitos de consumidores americanos e imigrantes. 

No texto, consta a informação de que em 9 de maio, James Merrill e Carlos Wanzeler, os principais sócios da TelexFree e empresas relacionadas, foram acusados em um processo criminal federal de conspiração para cometer fraude eletrônica”. Merrill está preso e teve seu pedido de fiança negado nesta semana, assim como a esposa de Wanzeler, Kátia, pega ao tentar sair do país. Já Carlos está em Vitória, no Espírito Santo, mas teve sua prisão decretada nos EUA. 

A polícia diz ainda que, devido ao potencial número de vítimas ser muito grande, ela não conseguirá responder todos os casos, mas que poderá contatar alguns para mais informações, se achar necessário. Todas as pessoas cadastradas serão informadas do andamento da questão na Justiça americana e terão acesso a seus direitos. O FBI deixa ainda um contato da Procuradoria do Estado de Massachusetts, em caso de dúvidas: ‘USAMA.VictimAssistance@usdoj.gov’.

.

Leia também

.

Telexfree é uma Telexfria

Ministério da Justiça (também) no encalço da Telexfree

Decisão que proíbe a Telexfree de cadastrar e pagar mantida pelo TJ do Acre

MPE pede e Justiça determina suspensão de pagamento e novos cadastros da Telexfree

O fim do golpe da Telexfree

Ministério da Fazenda: modelo de negócios da Telexfree sugere esquema de pirâmide financeira

BBom: decretada a proibição do recrutamento de novos associados

BBom: considerações acerca de seu plano de marketing e de sua sustentabilidade

BBom na mira da Justiça: decretada a indisponibilidade de bens da empresa e sócios

Marketing multinível: subproduto da degradação do tecido sócio-econômico-moral

O Sistema existe para resolver os problemas do Sistema

Entrevista com o especialista em fraudes do MMN – Jon Taylor

Entrevista com a especialista em fraudes do MMN – Tracy Coenen

Sofismas e falácias dos distribuidores de MMN

Herbalife: lavagem cerebral na prática – parte 2

Um olhar psicanalítico acerca de grupos de distribuidores das empresas de marketing de rede e de fiéis de várias instituições religiosas

Teste para avaliar se uma empresa de MMN é ou não é pirâmide

Scripts para recrutar trouxas – parte 1

28 Comentários leave one →
  1. Renildo Miranda de Oliveira permalink
    27/05/2014 18:30

    Não vi o meu nome na lista. Logo, eu sou honesto. E você RENATA LIMA, é uma fraude! Toma vergonha da sua cara e me processa pelo crime de pirâmide! Prove que eu enganei alguém e eu te darei um troféu. Mas se não provar, eu te darei um lugar no banco dos réus e vou pedir um bom dano moral. Por favor, mesmo que você não publique, guarde todos os meus posts. Eu ainda vou ver a sua carinha em uma audiência.

  2. Tatiana permalink
    29/05/2014 14:58

    Aonde encontro essa ficha para preencher???

  3. Fernando permalink*
    29/05/2014 18:21

    Mais um:

    Agência norte-americana derruba argumento da Telexfree sobre venda de sistema VOIP

    http://jornalggn.com.br/noticia/agencia-norte-americana-derruba-argumento-da-telexfree-sobre-venda-de-sistema-voip

  4. Renata Lima permalink*
    29/05/2014 21:18

    “Os números derrubam as insistentes defesas dos representantes da empresa”. Sempre os malditos números….rs. Você viu a quantidade de dinheiro que estes picaretas levaram, Fe???? Os caras compraram FROTAS enquanto publicavam vídeos com lorotas e cheios de invocações ao nome de deus. Outra coisa que chama a atenção….a simplicidade e rapidez da investigação. A SEC apurou precisamente o que ganharam os líderes e representantes, além de apurar tudo o que gastaram, e concluir que pouquíssimo $$$$ vinha de venda de voip. Temos muito o que aprender….

    • Fernando permalink*
      30/05/2014 9:45

      Pois é, vi sim Re. Não há como eles argumentarem. Não há como defensores de outros sistemas multinível argumentarem quanto a números, também. Há um ano atrás já escancarávamos isso, junto a outros blogs. Mas infelizmente aqui o Ministério da Justiça, CVM e Tribunais não deram muita atenção ao super golpe (como não dão mesmo a essas vagabundagens).

      Cambada de bandidos essas lideranças. Carlos Costa é um dos sujeitos mais cínicos, hipócritas e cara lavada que já vi. Vários fugiram dos EUA, tipo Wanzeler bandido que invocador de divindades, para onde? Brasil, a casa da mãe Joana. Realmente temos muito, muito o que aprender em relação à aniquilação dessas vagabundagens.

  5. Fernando permalink*
    30/05/2014 12:39

    Olhem só quem receberia medalha de picare… er, digo, personalidade do ano em MMN em salão nobre do SENADO Federal, concedida pela Cicesp, e que teve a homenagem abortada de última hora: Sann Rodrigues! Ele mesmo, nosso velho conhecido, o maior divulgador da Telexfree, encrencado nos EUA até a raiz dos cabelos.

    http://economia.ig.com.br/2014-05-29/homenagem-a-lider-da-telexfree-no-senado-e-cancelada.html

    Pois é, ele mesmo, que se diz vítima da empresa. Quem promove palhaçadas como essas só podem ser considerados cúmplices de picareta. Difícil imaginar outra coisa.

  6. Fernando permalink*
    30/05/2014 17:18

    Mais uma para os arquivos:

    Chefões de pirâmides como a Telexfree atuam há muito tempo

    http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2014/05/noticias/dinheiro/1487714-chefoes-de-piramides-como-a-telexfree-atuam-ha-muito-tempo.html

    • Renata Lima permalink*
      30/05/2014 22:24

      Vixi…já estão de olho na luvre lá fora. Podiam pegar todos estes líderes também. O mundo agradece.

  7. Caçador de Piramideiros permalink
    02/06/2014 4:47

    Eu estou criando uma lista contendo todas as pirâmides que operam no Brasil. Minha ideia, a princípio, era a de criar um blog e denuncia-las uma a uma, mas vi que seria impossível fazer isso sozinho, pois quando comecei a pesquisar vi que existem centenas desses esquemas espalhados pelo país. Até o momento encontrei 131 deles.

    Minha ideia é, nesta lista, colocar informações como: O nome da suposta pirâmide, denúncia, quando foi criada, quando quebrou, Website, Fanpage, Proprietário(s), Líderes e Vitimas. Em ‘denúncia’ colocar o link para o post do blog ou site que a fez. Acredito que esta organização ficou boa, mas ainda estou vendo se há como melhorá-la.

    Para deixar a lista dinâmica imaginei o seguinte: Colorir o nome das empresas com duas cores, uma para as que já quebraram ou foram fechadas pela justiça e outra para as que estão em processo de quebra (atraso nos pagamentos, mudança do plano de compensação, insatisfação dos associados). As empresas que ainda não apresentaram problemas permanecem sem cor.

    Queria que todos pudessem ver o quão comum são estas pirâmides financeiras disfarçadas de marketing multinível, todas usam o mesmo discurso e todas tem o mesmo fim. Todo ano surgem novas e quebram antigas.

    Estou procurando pessoas para colocar esta lista em funcionamento. O mais complicado nisso vai ser atualiza-la constantemente, por isso quanto mais gente melhor. Estou indo nos blogs que falam sobre pirâmides para pedir essa ajuda, acho que se interessariam em colocar esta lista em seus blogs.

    Se puder participar ou saiba quem possa agradeceria bastante, se não puder não tem problema, agradeço também, só responde o comentário pra eu saber se a mensagem chegou até vocês.

    Vlw, até mais.

    • Renata Lima permalink*
      03/06/2014 20:43

      Olá, a mensagem chegou e eu, a princípio, prefiro ver o trabalho pronto para ver se participaria, em razão de implicações legais. De todo modo, apoio a ideia de informar fraudes em redes sociais. Boa sorte. O Fernando (Adm. Do blog) deve manifestar-se sobre isto também, creio.

    • Fernando permalink*
      18/06/2014 12:12

      Ótima iniciativa. Dei uma olhada na planilha e ficou organizada e clara. Se quiser trocar alguma ideia envie e-mail para augustoliveirahf@gmail.com

      Bom trabalho

    • Caçador de Piramideiros permalink
      14/06/2014 3:16

      A lista é essa: https://docs.google.com/spreadsheets/d/1btpRNmYmEh6JqMffSpq3pbcD4q-3rHq1zxhPXQGLHGI/pubhtml# acho que ficou bacana, se puder ajudar te coloco como editora, só precisa de um gmail.

  8. Anderson permalink
    02/06/2014 11:16

    Por DEUS ate hoje me arrependo de ter entrado neste empresa porem “graças a este site “não recrutei ninguém”,porem acho de uma PICARETAGEM enorme ,pessoas que depois de a empresa foi bloqueada aqui ainda recrutou pessoas para investir na empresa via EUA ………um ABSURDO!!!!!!!

  9. 09/06/2014 19:57

    Renata e Fernando. Os piramideiros agoram partiram para uma tal de GetEasy…ridicularmente igual a BBOM. Mais uma vez querendo enganar pessoas inocentes. Ou seja. Vc compra o pacote não faz nada e recebe o valor.

    • Fernando permalink*
      18/06/2014 12:03

      Clickprime, Geteasy, Louvre… farinhas do mesmo saco.

    • Renata Lima permalink*
      13/06/2014 20:24

      Obrigada. Meu deus, outro piramidao. Get easy, FUJAM!!! Este pessoal não tem o que inventar mais nesta “área” de pirâmides????

    • 14/06/2014 2:52

      Faltou aí a Luvre, que reúne piramideiros conhecidos como Paulo Ricardo Figueiró, Fernando Augusto, Sann Rodrigues e a “celebridade” Sandro Rocha. A ideia dessa empresa é mascarar uma pirâmide por meio de reflorestamento. O senhor Pedro Aparecido Ciriello, idealizador do esquema de pirâmide da Luvre, também tem a ficha suja e prega que o preço do ouro oscilou muito em 40 anos, mas o da madeira nobre apenas aumentou.

    • Renata Lima permalink*
      14/06/2014 23:57

      Esta luvre naufragou, inventaram uma parceria com green gold, maquiaram uma “separação” porque o esquema afundou logo e agora ta todo mundo esperando receber. Soube que as redes migraram pra outros “negócios”. Com o bloqueio de pirâmides, estes esquemas atuais tem tido vida curta.

  10. Soares permalink
    07/07/2014 12:24

    Mais notícias de “investidores”…
    http://jornalggn.com.br/noticia/telexfree-atingiu-50-mil-pessoas-na-espanha

  11. Luiz permalink
    28/07/2014 10:32

    Só pra contar, que a falida PayMony gerou duas outras pirâmides, a PowerMony do Marcus França e a MonyEuro dos outros dois golpistas.

  12. jose izaac permalink
    14/02/2016 19:38

    e a nova sensação do momento a fuelage alguém já conhece… será mais uma piramide aqui em manaus tá uma loucura. ganhos de 200%. Acho que se colocarem uma lista atualizada vai chegar a 5.000 piramides.

  13. Felipe permalink
    07/11/2016 8:45

    Algum site como o do Ministério Publico,por exemplo, poderia publicar nomes de empresas que oferecem oportunidade de mmn, que eles consideram confiáveis. Acho que é um pouquinho mais valido vindo do governo. Ou será que nunca existiu nenhum negócio de mmn confiável? Um dos motivos pra minha sugestão é que talvez uma empresa possa mudar de uma hora pra outra de marketing de rede pra “pirâmide”. Assim, além de não resultar em renda extra, estaria tirando dinheiro dos participantes. Mas talvez seja quase impossível pra esses órgãos do governo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: