Skip to content

AGEL e agelóides

20/10/2008

Artigo de Pedro Menard, do blog “Agel, o esgoto do capitalismo”, intitulado “A AGEL é uma PIRÂMIDE ILEGAL!”

“Por trás de cada grande fortuna está um crime” – Balzac

“Absolute Justice!” – Edmond Exley em “L.A. Confidential”, de James Ellroy

Menard comenta os pareceres da DECO e da ASAE
(na sequência das três mensagens anteriores
1 – perguntas
2 – respostas DECO
3 – respostas ASAE)

1. As opiniões da DECO (uma prestigiada associação de defesa do consumidor em Portugal) e da ASAE (a entidade estatal que regula e fiscaliza o diploma que trata das “vendas ao domicílio” e das “vendas em pirâmide”), são coincidentes: a Agel está a operar ilicitamente, em situação de incumprimento para com a lei portuguesa. A Agel é um “esquema de Vendas em Pirâmide”.

2. O parecer da DECO apresenta uma interpretação da lei em sentido lato. Em vez de responder directamente às questões que coloquei, e em vez de as cruzar com o decreto em questão e com as práticas da Agel, a DECO analisa a informação fornecida e deduz o mecanismo em geral que identifica a empresa como uma pirâmide (leiam bem a terceira mensagem de resposta da DECO). É uma abordagem, na minha humilde opinião, feliz. As leis não foram apenas feitas para serem analisadas e aplicadas com base no pormenor ínfimo (e espalharem-se ao comprido em questões de vírgulas): há que reconhecer o princípio geral, o âmbito, e as razões que estão por detrás da sua construção. Este é um bom exemplo do caso.

3. O parecer da ASAE é mais directo – é uma interpretação da lei em sentido estrito. Refere-se especificamente às minhas questões, e aponta o seguinte: tanto as comissões derivadas das compras dos novos aderentes (o recrutamento, para todos os efeitos, e para utilizar a palavra correcta que todos os Agéis não gostam ouvir), como o processo de ganho de comissões no plano da “necessidade de comprar mensalmente produtos para receber os bónus do downline”, são práticas ilegais à luz da lei em questão.
O processo de ganho de bonús do downline inclui não só o bónus de “10% sobre a perna mais fraca”, em que é necessário encomendar uma caixa de produtos para o receber, como também o “bónus de alavancagem”, uma série de estatutos hierárquicos que ficam disponíveis para os membros quando for atingido um valor de 2000 VC, e outros patamares acima, na perna mais fraca, e que exige a encomenda mínima de duas caixas de produto por mês. A DECO faz inclusive uma alusão a este último procedimento quando fala em: “ganhos até à 7ª geração”.
Não posso deixar de mencionar que estas três formas de bónus/comissões são aquelas que os manos Grilo (a família que mais dinheiro saca deste esquema cá em Portugal) costumam apresentar nas reuniões como sendo as mais importantes para desenvolver o negócio.

4. A DECO observa depois que, uma vez identificada a empresa como estando a operar um esquema de “vendas em pirâmide”, todas as pessoas envolvidas na promoção do negócio estão, também elas, em incumprimento com a lei. Consequentemete, todos os sites portugueses que estão a promover o negócio estão em situação de incumprimento legal. Esta informação é interessante de ser cruzada com o que se está a passar no Brasil: como os produtos Agel ainda não foram regularizados pela Anvisa, qualquer promoção aos mesmos está em incumprimento com a lei brasileira (podem ler mais sobre o assunto: aqui ).
Temos portanto o mercado português e o mercado brasileiro carregadinho de sites Agel ilegais.

5. Partindo do mesmo pressuposto (que a Agel opera um “esquema de Vendas em Pirâmide”), a DECO conclui que toda e qualquer proposta contratualizada entre a empresa e os seus “distribuidores” é considerada nula (e aqui era eu que estava enganado: pensava que um contrato que dissesse “North American Edition” e/ou que estivesse todo escrito em estrangeiro não era considerado válido).

6. A ASAE informa ainda que qualquer fonte que forneça informações enganosas sobre o conceito de vendas em pirâmide, como por exemplo as falsidades de não movimentarem produtos e de não serem geridos por empresas, está em incumprimento com o Decreto-Lei n.º 330/90, de 23 de Outubro que regula a “publicidade enganosa”.

O artigo 11º do mesmo Decreto-Lei, diz o seguinte:

Artigo 11º (Publicidade enganosa)

1 – É proibida toda a publicidade que, por qualquer forma, incluindo a sua apresentação, e devido ao seu carácter enganador, induza ou seja susceptível de induzir em erro os seus destinatários ou possa prejudicar um concorrente.

2 – Para se determinar se uma mensagem é enganosa devem ter-se em conta todos os seus elementos e, nomeadamente, todas as indicações que digam respeito:

a) Às características dos bens ou serviços, tais como a sua disponibilidade, natureza, execução, composição, modo e data de fabrico ou de prestação, sua adequação, utilizações, quantidade, especificações, origem geográfica ou comercial, resultados que podem ser esperados da utilização ou ainda resultados e características essenciais dos testes ou controlos efectuados sobre os bens ou serviços;

b) Ao preço e ao seu modo de fixação ou pagamento, bem como às condições de fornecimento dos bens ou da prestação dos serviços;

c) À natureza, às características e aos direitos do anunciante, tais como a sua identidade, as suas qualificações e os seus direitos de propriedade industrial, comercial ou intelectual, ou os prémios ou distinções que recebeu;

d) Aos direitos e deveres do destinatário, bem como aos termos de prestação de garantias. 3 – Nos casos previstos no número anterior, pode a entidade competente para a instrução dos respectivos processos de contra-ordenação exigir que o anunciante apresente provas de exactidão material dos dados de factos contidos na publicidade.

4 – Os dados referidos no número anterior presumem-se inexactos se as provas exigidas não forem apresentadas ou forem insuficientes.

7. A propósito das coimas a aplicar no caso das “vendas em pirâmide”, e se de facto o seu processo de aplicação avançar conforme a lei prevê, gostaria de saber: (1) como vão ser as mesmas “distribuidas”, em termos de valor, pelos membros da pirâmide, (2) como vai a Agel ser intimada a cumprir com as responsabilidades, uma vez que presença legal, cá em Portugal, é mentira. Uma coisa é certa: a actividade da empresa deveria de ser imediatamente suspensa – por iniciativa própria – até que as situações de incumprimento sejam resolvidas. Como não creio que a Agel seja uma empresa honrada e ética o suficiente a ponto de avançar com uma medida destas, a ponto de congelar o negócio e de se apresentar às autoridades nacionais para corrigir a situação, até porque, afinal de contas, Portugal é o pais onde o esquema mais cresce a seguir aos States, sugiro que todo e qualquer negócio/actividade da empresa seja banido de território nacional.

A meu ver, e aqui só para nós que ninguém nos ouve, é uma miragem pensar que: 1) A Agel vá fazer seja o que for para corrigir a situação. Acho que vai ficar sentada à espera, para ver se a lei actua, e se não actuar, melhor, não se passa nada, não se passou nada, o negócio prossegue como de costume. 2) a lei vai ser célere e exemplar com este caso. Acho que este processo vai acabar a apanhar pó nalguma estante de cacifos estatal com um carimbo por cima a dizer “arquivado por falta de tempo”. Casos mais importantes que este não faltam para aí, e com a falta de meios que é sobejamente conhecida nas entidades estatais, acho difícil que os próximos tempos tragam alguma novidade importante.

Só para recapitular, aquilo que está escrito no decreto lei é o seguinte:

1 – Constituem contra-ordenações puníveis com as seguintes coimas, quando cometidas por pessoa singular:

c) De (euro) 500 a (euro) 3700, as infracções ao disposto nos artigos 26.º, 27.º, 28.º, 29.º, n.º 1, e 30.º

2 – Constituem contra-ordenações puníveis com as seguintes coimas, quando cometidas por pessoa colectiva:

c) De (euro) 3500 a (euro) 35 000, as infracções ao disposto nos artigos 26.º, 27.º, 28.º, 29.º, n.º 1, e 30.º

Ora, mesmo que a Agel venha a ser multada pelo valor máximo, a coima é irrisória face aos milhões de euros que a empresa já sacou aos membros da rede cá em Portugal. Para os grandes, está visto, o crime compensa.

Ainda acerca das leis que regulam as “vendas em pirâmide”, gostaria de manifestar o meu desagrado público pelo conceito adoptado pela União Europeia através da Directiva 2005/29/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 11 de Maio de 2005. Segundo esta directiva, temos o seguinte:

PRÁTICAS COMERCIAIS CONSIDERADAS DESLEAIS EM QUAISQUER CIRCUNSTÂNCIAS
Práticas comerciais enganosas

14. Criar, explorar ou promover um sistema de promoção em pirâmide em que o consumidor dá a sua própria contribuição em troca da possibilidade de receber uma contrapartida que decorra essencialmente da entrada de outros consumidores no sistema, e não em vez da venda ou do consumo de produtos.

A minha questão com este texto é o facto de ser extremamente complicado, se não mesmo impossível, medir as várias componentes numa mesma base equalitária. Como se mede que a “entrada de outros consumidores no sistema” produz mais contrapartidas do que as “vendas de produtos”? Pior: como raio pode o “consumo de produtos” gerar uma contrapartida que não em sentido subjectivo? Como avaliar/medir as contrapartida decorrentes do “consumo de produtos”?
E. por outro lado, “venda ou consumo de produtos” por parte de quem ao certo? Pode-se considerar as vendas de terceiros (do downline) para o cálculo? Vago… tudo muito vago…

É uma lei que não faz muito sentido quando aplicada a pirâmides que utilizem produtos. Faz-me lembrar a política de avaliação de professores do actual governo: baseia-se em factores completamente subjectivos, alguns deles impossíveis de quantificar e de serem comparados uns com os outros.

Uma coisa é certa: para os países que nenhuma lei contra “esquemas em pirâmide” tenham implementada, esta directiva é melhor que nada, na medida em que restringe de imediato as pirâmides sem produtos.

Para que não restem dúvidas a ninguém, e para que a Agel não se ponha agora a tentar abrigar-se sob o manto impalpável desta directiva, fica a informação: sempre que existirem leis específicas que rugulamentem as matérias em questão nos estados membros, essas leis tomam precedência sobre a directiva em questão.

8. De quem é a culpa desta “mentira” toda? Como vai a Agel justificar perante os membros da rede que, afinal de contas, toda a informação passada de membro para membro, de cima para baixo, e referente aos assuntos “Marketing Multinível”, “Vendas Directas” e “Esquemas em Pirâmide”, e para o mercado português, estava errada? E será que esse “erro” foi cometido propositadamente – terá constituido mais uma omissão calculista?
Ainda tenho bem presente aquilo que foi dito por um dos representantes legais da empresa no ínicio de uma reunião que teve lugar na Casa do Comércio em Lisboa, em princípios de Fevereiro de 2008: “Acabei de falar com os nossos advogados cá em Portugal e quero-vos assegurar que tudo está legal.”. Terá também esta afirmação sido mentira? Ou terá sido mesmo, e mais uma vez, incompetência de alguém?

9. Todas estas conclusões, prestadas pelas entidades credenciadas e legitimadas para o efeito, vêm avalizar a minhas “teorias” sobre a actividade da Agel, aquelas tenho estado a publicar neste blog ao longo dos últimos quatro meses. Tudo aquilo que tenho vindo a dizer foi, numa ou noutra altura, contestadado uniforme e generalizadamente pela comunidade Agel. Tenho pena que em vez de empreenderem por vossa conta uma investigação para saberem/aprenderem a realidade, tenham optado por me apelidar de “frustrado”, “curioso”, “incompetente”, “mentiroso” e até mesmo de “difamador”, entre outros “epitáfios”.

É ténue a fronteira que separa a difamação da denúncia, é certo. Creio que ficou agora bem claro de que lado da linha fica toda esta minha exposição.

10. E agora, Agel? E agora Agéis? O que é que vão dizer aos potenciais interessados em juntar-se à rede? Que não é um “Esquema em Pirâmide”? Que é uma rede de legítimo Marketing Multinível? Que está tudo TOTALMENTE legal? Como vão agora impingir a terceiros um negócio que foi chumbado, em termos de legalidade, pela ASAE e pela DECO? Vão dizer que é um negócio com futuro? Um negócio que pode, no entanto, acabar de um dia para o outro e que pode vir a multar os membros já inscritos? Vão dizer que tudo aquilo que publico neste blog é uma mentira descarada, uma difamação, um monte de absurdos sem qualquer sentido? Vão dizer que as cartas da DECO e da ASAE foram escritas por mim? Como vão, em último caso, questionar as vossas própria crenças na matéria?

Para saber mais sobre a AGEL, clique aqui

.

Leia também:

.

Entrevista com o especialista em fraudes do MMN – Jon Taylor

Entrevista com a especialista em fraudes do MMN – Tracy Coenen

A procura do MMN perfeito

O que está errado com o marketing multinível?

Sofismas e falácias dos distribuidores de MMN

Herbalife, Agel, Amway: MMN legítimo ou MMN pirâmide?

Um olhar psicanalítico acerca de grupos de distribuidores das empresas de marketing de rede e de fiéis de várias instituições religiosas

Algumas relações entre supervisores e distribuidores da Herbalife

Monavie: Os números de um bom negócio?

Teste para avaliar se uma empresa de MMN é ou não é pirâmide

Scripts para recrutar trouxas – parte 1

Scripts para recrutar trouxas – parte 2

Scripts para recrutar trouxas – parte 3

Scripts para recrutar trouxas – parte 4

141 Comentários leave one →
  1. Nuno Andrade permalink
    03/11/2007 18:51

    Mais Importante que uma Empresa é uma Industria do Marketing Multinivel e a projeção que esta pode ter nas nossas vidas. Herbalife é uma referência de sucesso na Industria do Marketing Multinivel e como a Herbalife existem umas outras centenas de empresas de MLM como a Avom, Nu Skin etc… actualmente a empresa maior é a Avon. Como em tudo na vida todos os dias nascem pessoas novas e não é por serem novas que devem ser despresadas e maltratadas. Contudo de 7 em 7 Anos aparece uma empresa inovadora no MLM e a Agel é essa empresa. Não é por aparecerem empresas novas que as antigas deixam de ser uma referência para a Industria. Se na realidade a Agel não fosse uma empresa com um potêncial tão assustador ninguem estaria a falar dela nem bem nem mal. Entendido isto julgo que cabe a cada um fazer a sua opção, tranquilamente.

  2. Cid Mata permalink
    12/11/2007 16:04

    Li atentamente o seu post. E tanta é tamanha a agrecividade como a ignorancia. Existem empresas que praticam o MLM. Isso é algo legitimo. Tal como empresas de venda de automoveis existem centenas de empresas de MLM. Uns vendem em stands outros vendem boca a boca. Nos stands ganha uma pequena comição sobre o carro vendido o dono do tal stand. Na venda boca a boca ganha a pessoa que passou a palavra que por sua vez a faz passar também. Creio que o bota a baixo é mais facil do que construir algo. Talvez emagrecer certo? Pense nisso.
    Cumprimentos,
    Cid Mata

  3. Milena permalink
    12/11/2007 22:31

    Cid
    Atualmente estou no meu peso ideal graças a uma reeducação alimentar sadia e um pouco de exercícios, então emagrecer mais para mim estaria fora dos padrões de saúde. Eu ficaria abaixo do peso o que não é nada saudável. E me sinto muitíssimo bem neste momento. Agora, atacar o lado pessoal quando não se tem argumentos é o forte dos defensores de MMN, isso é fato.

    Sobre construir algo, nós estamos construindo muito aqui neste blog. Acredito que passar conhecimento e informação através de pesquisas seja o modo mais interessante de se construir algo. E de salvar pessoas também.
    Abraços

  4. antimmn permalink
    12/11/2007 22:36

    Cid mata
    Ah se as empresas de MMN fossem desse jeito mesmo que vc descreveu, provavelmente esse blog nem existiria. Tua comparação foi simplória demais, e totalmente nonsense. Nós nos esforçamos pra escrever, ao menos se esforce pra entender.

  5. Sónia permalink
    18/11/2007 14:45

    A ARMADILHA INVISÍVEL QUE O IMPEDE DE TER UMA VIDA PRÓSPERA E CHEIA DE SUCESSO

    Todos nós sabemos que nada de graça. Tudo tem um custo. Mas existe um Segredo para escapar da Armadilha em que maior parte de nós vive.

    O Segredo é: Alavancagem ou ganho residual.

    Existe uma armadilha, uma grande armadilha em que maior parte das pessoas vive.

    A Armadilha é: As pessoas trocam tempo por dinheiro.

    Você trabalha 8 horas por dia, você é remunerado por essas 8 horas. Você trabalha 40 horas por semana e é remunerado essas 40 horas. Se você quiser oferecer à sua familia uma televisão topo de gama, trabalha mais umas quantas horas extra para ser remunerado elas e ganhar um pouco mais.

    Isto é trocar tempo por dinheiro – tempo por dinheiro. Horas por euros, horas por uma casa melhor, horas por um carro novo, horas por roupa, horas por tudo que deseja ter. E não tem tempo para si, para o seu lazer, nem para os seus. Gasta maior parte do seu tempo a troca-lo por dinheiro.

    Se troca tempo por dinheiro você jamais se tornará numa pessoa próspera e com riqueza. É uma grande Armadilha. É esta a Armadilha que mantem as pessoas falidas ou sem possibilidades de ter as coisas que tanto ambicionam e gostariam de ter. Além de nunca terem tempo para disfrutar delas, quando as conseguem ter.

    Se quer ser financeiramente independente e ter uma vida próspera tem de usar o Segredo. Tem de ter uma forma de ganho residual ou alavancagem a trabalhar para si.

    Para colocar em prática o Segredo são necessárias duas coisas:

    1: Ser o seu próprio patrão.

    Olhar todos os dias para o espelho e ver o seu patrão. Mesmo que tenha um óptimo emprego como advogado ou engenheiro, se não for o seu próprio patrão, jamais sairá da Armadilha em que troca o seu precioso tempo por dinheiro.

    2: Ganhar através de um rendimento residual ou Alavancagem.

    Este tipo de ganho acontece de duas formas. Quando existem direitos autorais sobre algo como por exemplo um disco, ou um livro ou até a própria imagem, o autor ( patrão de si próprio ), ganha um valor residual sempre que algo de sua autoria é vendido.

    Ou então através uma empresa inserida no Marketing de Rede, em que você ( patrão de si próprio ) ganha um valor residual sobre os membros da sua Equipa. – Alavancagem.

    E agora só existem duas opções.

    Ou continua a viver toda a vida numa Armadilha em constante desespero a contar o dinheiro que nunca é suficiente ao fim do mês e sem tempo para si e para o seus.

    Ou dá a si, aos que mais gosta, e aos seus sonhos uma última OPORTUNIDADE para uma vida melhor.

    Novembro 16, 10:13 AM www.***.com diz:

    FRAUDE, PIRÂMIDE ILEGAL OU NEGÓCIO LEGITIMO E HONESTO?

    Existe uma explicação pela qual as pessoas costumam falhar ou desistir num Negócio Próprio em Casa.

    Todos nós seres humanos, ou evitamos o sofrimento ou a falta de prazer.

    São estes os dois únicos motivos pelos quais existe rejeição a algo.

    A ausência de prazer quando fazemos alguma coisa. Ou o medo de falhar e com isso estar exposto ao sofrimento, faz com que as pessoas se deixem ficar na sua zona de conforto e não invistam o seu tempo e capacidades, em ter uma vida mais próspera e feliz.

    Uma história verídica:

    “Venho de uma família de empresários ou comerciantes e nunca gostámos de “trabalhar para os outros”. A razão é simples: quando se trabalha “para os outros” é para outros, está tudo dito. Quando trabalhamos para nós, é para nós. Eu queria duas coisas: não ser empregado de ninguém, mas também não ser patrão de ninguém.

    E só existe uma solução: o Marketing de Rede.

    Temos uma posição de “patrão”, com muita gente a trabalhar connosco (diferente de trabalhar “para nós”) e, ao mesmo tempo, não somos “patrão” de ninguém, somos, isso sim, motivados a inspirar as pessoas. Esse é o maior desafio de todos, ter muitas pessoas que trabalham contigo, sem mandar em ninguém, apenas a motiva-las.

    O modelo de Marketing de Rede baseia-se em algo muito simples:

    É melhor ganhar 1% de 100 pessoas do que 100% de uma pessoa só.

    Esta é a base de todo o negócio. Por vezes é polémico, é confundido com as pirâmides. Quando entra alguém numa pirâmide paga aos de cima. Quando param de entrar pessoas, deixa de haver pagamentos. A Dona Branca pagava juros de 10% ao mês enquanto existiam pessoas a entrar, mas rapidamente acabou. Uma pirâmide é algo ilegal.

    O Marketing de Rede é totalmente diferente, porque ninguém ganha dinheiro pela entrada ou saída de pessoas, mas sim pela movimentação de produto. São comissões pagas por conta das movimentações de produto, exactamente como o comércio tradicional. Quando um produto chega a uma loja, já foram pagas comissões a várias pessoas: ao produtor, aos distribuidores, custos pagos pelo consumidor final. Nas empresas de Marketing de Rede, a grande diferença é que o produto sai da fábrica directamente para o consumidor, através de um só distribuidor.

    É esse tipo de força e rentabilidade que o Marketing de Rede tem.

    Tudo o que é novo, as pessoas desconfiam. Quando surgiu o Franchising e empresas como a Macdonalds ou o Kentucky Fried Chicken, também houve bastante resistência em aderir a esse tipo de negócio e abrir uma loja dessas! Hoje em dia, quem dera a todos que querem ter um negócio próprio, ter um Franchising desses onde a garantia de sucesso é de 93% no caso da Macdonalds. O investimento de dezenas ou centenas de milhar de euros é que é proibitivo comparado com o Marketing de Rede que não chega maior parte das vezes a ultrapassar um investimento superior a 1000 Euros

    • Luiz Carlos Bressam permalink
      27/03/2011 22:52

      Uiiiiiii!!!!! Franquia é uma coisa bem salutar e sadia no mercado…. Agora este lixo de que vc. vai ficar rico vendendo ou recrutando novos pretendentes para a Foreba, herba bike, agela e tudo mais, é pura ilusão onde os desenvolvedores de tal idéia ficarão ricos e vc. pobre…. Franquia é uma idéia onde todos ganham, uma rede onde não só o dono fica rico, mas vc. tbém!!!

  6. Ricardo Serra permalink
    19/11/2007 22:56

    Boa Noite

    É com grande satisfação que vejo este blog e os seus comentarios. Apenas me entristece o extremismo das pessoas na defesa de qualquer um dos pontos de vista. Haja bom seno e razoabilidade meus senhores. O marketing multinivel é uma forma legitima e legal de comercialização e distribuição de produtos. Ao longo dos anos grandes fortunas foram formadas neste tipo de negócios. Por quem? Pelos primeiros, pelas pessoas que tiveram a visão e o alcance da oportunidade que tinham a sua frente. Contudo, ao longo dos anos surgiram muitas pseudo-empresas que sob a “mascara” de uma rede formavam piramides, muitas delas sem produtos, que assentavam num comissionamento directo apenas pela “entrada” de novos membros na estrutura. Grandes burlas foram efectuadas, o cuidado e a precaução são inevitaveis. Como em tudo na vida apenas temos que nos informar, que raciocinar, que alcançar toda informação disponivel ao nosso redor. Façam isso. Os produtos AGEL sao reconhecidos mundialmente. Sao certificados pela ASAE, temos a certificação Koscher (Israel) ou o Halal (certificado que permite a entrada de produto na cadeia alimentar dos paises Islâmicos). São economias protecionistas que defendem intransigentemente a entrada de produtos nocivos. A Agel tem estes certificados meus senhores. Temos tambem um plano de comissionamento honesto e transparente, para nao falar do potencial lucrativo, que é fabuloso!!! Acho bem que se discutam pontos de vista. Mas sejamos Honetos e sinceros. Depois disso…so nos resta pensar.

    Cumprimentos,

  7. 27/11/2007 1:02

    Boas,

    Eu gostaria que me explicassem os defensores de Agel e afins, o que é que acontece à Pirâmide, quando não entrar mais gente? Ou melhor, o que acontece às pessoas dos níveis mais abaixos, quando não entrar mais ninguém abaixo delas para pagarem o seu investimento inicial (€940/€240) e o investimento mensal (+/- €130)?

    Não é transparente que a coisa vai ruir por aí fora???
    É claro como água!!! É só uma questão de tempo.

    Quem ganha são os que estão no topo. É portanto um negócio de risco, com o tempo cronometrado para implodir. E esse tempo é entre outros, a medida da confiança das pessoas que estão fora da rede, de que recuperam o investimento fazendo outros recrutas, da capacidade de investir dos portugueses – e estamos num tempo em que nem para poupar há! – e no limite do rídiculo, a quantidade de pessoas no Planeta – ou dp vão recrutar para Marte?

    E assim natural, que quem esteja em níveis intermédios e baixos na rede, lute com todos os argumentos e não argumentos, pela honestidade e transparência do esquema. Estão basicamente a lutar pelo dinheiro que enterraram.

    Mas transparente é dizer que este é um esquema que dá dinheiro pelo facto de recrutar e cobrar por isso, e por comissões de vendas fícticias, e não pela legítima venda do produto, que alías em Portugal nem é possível vender!!!

    Explicando, se não forem as comissões de recrutamento e comissões sobre compras e a consequente aumento aritmético da pirâmide, as vendas não sustentam o Animal. Tudo isto poderia existir, com berlindes, selos – como no caso da Afinsa – bolotas, ou peças de lego. O produto é indiferente, o importante é a cadeia de comissões. Como tal é indiferente qualquer certificado, que afiance, que a gelatina é de boa qualidade.

    A Gelatina Royal, também é rica em Vitamina C!!!

    De relevante em termos de números, é que a cada novo nível da pirâmide, é necessário que seja recrutado o dobro para o nível seguinte. Pelos meus cálculos e para o nível anunciado de um patamar de nível 15 de 4000 portugueses actualmente no esquema (verdade ou expeculação????), será necessário estes terem abaixo de si, +/- 24.576 para pagarem o seu investimento mensal, isto dá uma média de 6 pessoas – a nível Executivo, ou seja dispostas a desembolsar €960, sabendo que vão para um nível que as obriga a recrutar +/- 98.304 (para um total de +/- 131.000 portugueses no esquema), que por sua vez teram que encontrar no mínimo e para o break even outros 393.000 (para um total de +/- 524.000 portugueses no esquema). Ora, se o potencial de crescimento em Portugal são 400.000… está tudo dito.

    Tendo em conta o potencial anunciado, há 32.000 portugueses, que em potencia, vão pagar o seu investimento, e outros tantos que vão ganhar algum, com os do topo sempre na melhor posição e regalados, mas à conta do dinheiro irrecuperável de quase MEIO MILHÃO de outros portugueses!!!!! Honesto, ah!!?

    Honesto seria explicar que tudo isto é o princípio da coisa, ou seja, que se trata de um pirâmide de progressão geométrica e que quem entra no início, vai ganhar algum à custo dos tolos que ficam para o fim!

    Se a distribuição dos piramistas na pirâmide, fosse aleatória para um qualquer nível da pirâmide, e não por recrutamento directo para patamares inferiores, cada pessoa nova entrava com uma probabilidade de ganhar dinheiro de 6%, de pagar o seu investimento de 6% e com 88% de probabilidade de perder dinheiro!!

    Só por curiosidade o esquema de crescimento e esforço por patamar. Ou seja, quantas pessoas sustentam, cada patamar acima, até ao limite populacional do planeta Terra. Cada patamar tem que recrutar na melhor das hipóteses, mais dois patamares para fazer o break even, pagar o seu investimento mensal. Não tomei em consideração que já existe desde 2005, fiz de conta que começou agora e em Portugal!! Era bom!! :)

    1 ————-> Mister Money Agel!!
    2
    4
    8
    16
    32
    64
    128
    256
    512
    1.024
    2.048
    4.096 ———> Posição actual em Portugal!!!
    8.192
    16.384
    32.768 ——-> Até onde vale a pena entrar para ganhar algum!
    65.536 ——-> Os que entram e na melhor das hipóteses recuperam o que investiram sem prejuízo!!!
    131.072
    262.144
    524.288 ——-> Potencial de crescimento anúnciado pela Agel para Portugal
    1.048.576
    2.097.152
    4.194.304
    8.388.608 —–> População adulta portuguesa
    16.777.216
    33.554.432
    67.108.864
    134.217.728
    268.435.456 —-> +/- População Europa
    536.870.912 —-> +/- População Estados Unidos e Europa
    1.073.741.824
    2.147.483.648
    4.294.967.296
    8.589.934.592 –> População Terra 6.000.000.000

    Cumprimentos,
    Ricardo

  8. 27/11/2007 16:57

    Hello,

    Sr. Ricardo Serra, se algum produto Agel é certificado pela ASAE, mostre lá o certificado que estou mortinho por ver.

    O Halal e o Kosher não são comprovativos de qualidade. São comprovativos de ausência de produtos proíbidos, e de técnicas de prepação de comida proibidas, pelas leis religiosas Judaica e Islâmica. Grande coisa! Se os sumos da Agel não têm ingredientes derivados de Camelo, ou de Dromedário, ou lá que animais são, isso não lhes confere qualidade. A água da torneira está nas mesmas condições.

    É que nem sequer é essa a questão que me irrita mais no vosso modus operandi (o certificado da ASAE trará poucos ou nenhuns benefício para vós, membros da Agel), o que me irrita mais é o saberem que o negócio é uma pirâmide desonesta e quererem ocultar a verdade sem NENHUM argumento válido em contrário (o que é que a Avon é para aqui chamada?ou os Stands de automóvesi? que raio de comparações são essas?).

    O comentário da Sónia é dos mais reles em termos de marketing que já vi.
    A respeito desse texto, Sra. Sónia, a certa parte a Sra. diz: “Uma pirâmide é algo ilegal.” Gostaria que me explicasse porque que uma pirâmide é ilegal, está bem? Faça-me lá esse jeitinho. É que se calhar, no final da sua explicação, ir-se-ia aperceber que o esquema da Agel é de facto uma Pirâmide. Há coisas com piada, não há? (já sei que nem sequer se vai dignar a responder-me. Aliás, nos comentários colocado lá no site dos anúncios, nunca mais lá apareceu, nem o Sr. Cid, a dizer nada.)

    Sr. Ricaredo, tem a minha concordância em tudo o que diz. Sem tirar nem pôr.

    Gostava de lhe perguntar onde encontrou a informação relativa aos 400.000. Sabe, acho que deviamos falar os dois um bocadito melhor. Duas cabeças sempre pensam melhor que uma.

    Estou a ficar farto de ser enxovalhado e agredido pelos tipos da Agel. Qualquer dia passo-me da cabeça e não ponho mais os pés naquelas discussões.

    Cumprimentos,

    Pedro

  9. gonçalo permalink
    02/12/2007 23:19

    Caros Ricardo, Pedro, etc
    Tão triste quanto a não possibilidade da última cadeia de membros da Agel fazer dinheiro (quase todos os negócios têm o seu tempo de vida útil) é ver pessoas revelando para lá do cepticismo, uma frustração obvia por não terem capacidade de superar alguns fantasmas.
    É claro que o negócio não dura para sempre, é claro que nem toda a gente irá lucrar como deseja e ainda é mais claro que quem tirará melhor proveito do negócio serão as pessoas que se posicionaram melhor. Pergunto se não é isto que acontece com quase todos os negócios?
    Os produtos não só estão aprovados pela ASAE, como têm sido analisados por diversíssimas pessoas com excelentes percursos profissionais em desporto e medicina sendo unânime a aprovação.
    Caro Ricardo, este negócio não sobrevive somente do meio milhão de Portugueses de que fala e que diz virem a ser prejudicados mas, da qualidade dos produtos e de um número indifinível de pessoas que poderão vir a ser consumidores.Cabe agora a esse meio milhão e muitos mais ter a capacidade para dinamizar o seu negócio e garantir que no seu “m2” alguém realmente consuma os suplementos.
    Apesar de realmente não achar comparável, dando preferência à Agel gostava de chamar a atenção para a Herbalife que depois de quase 20 anos no mercado continua a criar postos de trabalho e a viver com tamanha força que lhes permite entre outras coisas serem patrocinadores do “financeiramente modesto” clube de futebol La Galaxi entre muitas outras coisas.
    Essa sabedoria toda está muito incompleta e cheia de pormenores de consciência para serem resolvidos! ‘
    Na pior das hipóteses perde-se o dinheiro investido 900 ou 250 euros, mais os pagamentos mensais que forem feitos em nada diferente por ex de um investimento em bolsa falhado, na melhor ganha-se dinheiro, divertimento e entusiamo coisas que vejo não atingirem realmente a grande parte dos portugueses.

    Gonçalo

    Nota: Os humanos são mais do que parecem…não penses que uma cadeia destas se esgota com facilidade.
    Desejo-vos sorte com os vossos negócios .Eu, de consciência perfeitamente tranquila e sem qualquer problema de contribuir para o enriquecimento de quem teve mais esta magnífica ideia, continuo a trabalhar com paixão no meu negócio pessoal e na Agel que me tem dado uma rentabilidade muito boa.

    Cumprimentos

    Gonçalo

  10. 04/12/2007 16:14

    “Tão triste quanto a não possibilidade da última cadeia de membros da Agel fazer dinheiro (quase todos os negócios têm o seu tempo de vida útil) é ver pessoas revelando para lá do cepticismo, uma frustração obvia por não terem capacidade de superar alguns fantasmas.”

    > Lá que é triste, isso é. É muito triste para essa útima cadeia e para as duas que lhe estão acima, ou seja, para cerca de 80% dos inscritos à data de saturação do mercado.
    Que frustração óbvia é que está a falar? Será da impossibilidade de elaborar argumentos concretos para refutar as nossas opiniões? Será desses fantasmas que está a falar? Só pode, porque até agora ainda não vi nada do vosso lado a contrabalançar a tonelagem toda. Do vosso lado há apenas um vazio fantasma.

    “É claro que o negócio não dura para sempre, é claro que nem toda a gente irá lucrar como deseja e ainda é mais claro que quem tirará melhor proveito do negócio serão as pessoas que se posicionaram melhor. Pergunto se não é isto que acontece com quase todos os negócios?”

    > É verdade. Mas há diferenças de montra. Na maior parte dos negócios, as pessoas efectivamente dependem delas próprias. Dependem do esforço que colocam a desenvolver uma ideia. Não dependem de uma empresa que se posiciona no mercado através de práticas anti-concorrênciais, e que pode desaparecer de um momento para o outro. E nesses negócios, de qualquer forma, não há uma CERTEZA na taxa de insucesso na ordem dos 80%.

    “Os produtos não só estão aprovados pela ASAE, como têm sido analisados por diversíssimas pessoas com excelentes percursos profissionais em desporto e medicina sendo unânime a aprovação.”

    > Mostre lá essa certificação. E já agora explique-nos em que é que consiste.
    E essas análises todas de pessoas com percursos profissionais em medecina e desporto, onde é que estõa? Que análises em concreto está a falar? Ou será tudo ar? Será tudo isto também fantasmas?

    “Caro Ricardo, este negócio não sobrevive somente do meio milhão de Portugueses de que fala e que diz virem a ser prejudicados mas, da qualidade dos produtos e de um número indifinível de pessoas que poderão vir a ser consumidores.Cabe agora a esse meio milhão e muitos mais ter a capacidade para dinamizar o seu negócio e garantir que no seu “m2″ alguém realmente consuma os suplementos.”

    > Pois cabe. Na minha óptica, isso não vai acontecer.

    “Apesar de realmente não achar comparável, dando preferência à Agel gostava de chamar a atenção para a Herbalife que depois de quase 20 anos no mercado continua a criar postos de trabalho e a viver com tamanha força que lhes permite entre outras coisas serem patrocinadores do “financeiramente modesto” clube de futebol La Galaxi entre muitas outras coisas.”

    > A HBL, ao menos, tem im sistema que preveligia as vendas para fora da rede, ao contrário da AGEL. Talvez seja por isso que ainda exista.

    “Na pior das hipóteses perde-se o dinheiro investido 900 ou 250 euros, mais os pagamentos mensais que forem feitos em nada diferente por ex de um investimento em bolsa falhado, na melhor ganha-se dinheiro, divertimento e entusiamo coisas que vejo não atingirem realmente a grande parte dos portugueses.”

    > Esta é a mentalidade que serve na perfeição à Agel. É mesmo assim que eles gostam que as pessoas pensem – “Se não der, não deu, não se perdeu muito”. De qualquer forma, eles ficam sempre a ganhar.

    Cumprimentos

    Pedro

  11. agel_team permalink
    05/12/2007 16:20

    eu sinceramente não vou discutir nada de nada e muito menos de MMN até porque só entrei nisto faz 3 semanas…e entrei com certeza pela “agel” não sei como é o futuro desta empresa até pode ser que daqui a 1 ano ou talvez menos ela já nem exista…mas um facto e esse para mim é bem real é de que eu já estou a ganhar dinheiro…em apenas 3 semanas com a entrada de novos menbros ganhei 635 dolares o que dá um ordenado minimo de portugal mais uns trocos…nada mal…é claro que trabalho e tem dias que mal pouso a cabeça num travesseiro…só por curiosidade qual a marca que vocês vendem???

  12. Atençao permalink
    18/12/2007 11:25

    O ESQUEMA AGEL É SIMPLES: OBRIGAR AO CONSUMO MENSAL, OU SEJA GARANTEM A VENDA DO SEU PRODUTO E NO ENTANTO GANHAM DINHEIRO COM O JOGO DA “LIXA O OUTRO E NAO O MESMO” OU JOGO “DA BATATA QUENTE” BASICAMENTE É ASSIM… GASTAS DINHEIRO SE NAO LIXARES O PROXIMO É OBVIO QUE ASSIM COM UM ESQUEMA DE PIRAMIDE QUALQUER PRODUTO É RENTAVEL POIS TENS QUE TRAMAR SEMPRE ALGUEM LOL
    E DEPOIS HA O BLUFF , AHHH GANHEI 50.000 EUROS VENHAM PARA A MINHA” PERNA DO MEIO” É OBVIO SE TODOS CAIREM NA CANTIGA ACABARÁ POR GANHAR 50.000 EUROS LOL ESPERTOS SAO OS GAJOS DA AGEL VENDEM O PRODUTO E GANHAM DINHEIRO COM ISSO E COM O ESQUEMA PIRAMIDE.
    ENQUANTO HOUVER GENTE PARA ENTRAR “PARA ENGANAR” DARÁ SEMPRE RENDIMENTO

  13. JPRAM AGEL TEAM MEMBER permalink
    26/12/2007 19:20

    Acho que ainda não olharam bem para o plano de compensações,se olharem e ao contrario de uma piramide nós só ganhamos sobre um dos lados,se quiserem posso provar que quem está abaixo pode como qualquer outro sistema de vendas ganhar mais do que o que está acima(basta ser melhor que o outro).

    Segunda falsidade eu tenho pessoas a quem só vendo algum dos produtos e conheço outros menbros que tambem o fazem (já experimentaram algum,se calhar deviam).

    Se fizerem alguma pesquisa encontram pessoas que de facto têm conhecimentos cientificos sobre a matéria e aprovam os produtos(devem ser malucos ao pôr a reputação em causa).

    Os produtos para serem vendidos em Portugal só precisam de estar rotulados em Português (e já começaram a vir) não precisam de estar aprovados por ninguem,muito menos pela ASAE tal como toneladas de outros produtos que existem em Portugal.

    Quanto a legalidades ,de facto talvez sejam legais as lojas onde pedimos uns guardanapos e com sorte trazem-nos um secador de cabelo com uma etiqueta com ieroglifos (talvez aprovada pela ASAE) onde vemos crianças que devem frequentar uma escola online pois passam lá o dia inteiro,talvez não se fale disto porque dá jeito comprar qualquer coisa baratinha.

    Talvez tambem sejam legais e aprovados pela ASAE os anuncios que vêm nos jornais diarios com convites tambem eles de fazer crescer a perna do meio,mas claro essa para alguns têm que crescer de alguma forma.

    E poderiamos continuar ……………………………………….

  14. Joao L. S. permalink
    27/12/2007 17:39

    Meus amigos, a relidade é que eu entro já na ” piramide” a partir do início de 2008, e o que vos posso garantir é que, vou ganhar dinheiro, agora pergunto, os que estao aqui a comentar sobre a agel, sem terem a minima sensibilidade comercial, será que vão viver para o resto das vossas vidas com o rendimento minimo nacional, sem terem a minima ambiçao!?
    Parece-me bem que sim!!!
    Aqui apenas quero defender a minha causa, e vocês, defendem o quê?
    Não vendam Agel, não ganhem dinheiro, não sejam ambisiosos?
    O Mundo é composto por vencedores e vencidos!
    Tanta preocupação com os bons principios, bom censo, valores, etc… fantastico!!!
    Concelho, olhar para o lado é perder tempo!
    Façam algo produtivo, por vos e pelos vossos.
    Abraço e boas vendas, todos juntos vamos ter sucesso!!!

  15. antimmn permalink
    28/12/2007 14:19

    Te recomendo o blog do Paulo Menard, http://esgotocapitalista.blogspot.com/ , lá vc encontra mais material contra a Agel. Inclusive no blog dele vc vai encontrar argumentos muito interessantes que contrariam aquilo que vc disse: “posso provar que quem está abaixo pode como qualquer outro sistema de vendas ganhar mais do que o que está acima(basta ser melhor que o outro)” … pode provar mesmo?… então prove. por favor.

  16. JPRAM AGEL TEAM MEMBER permalink
    28/12/2007 18:16

    Estou na zona de lisboa,o meu mail é jpfrsr@hotmail.com,se houver mais alguma duvida que possa esclarecer eu estou totalmente disponivel para lhe provar essa afirmação assim como outras que entenda necessárias.
    Diga-me por mail aonde se quer encontrar.

  17. JPRAM AGEL TEAM MEMBER permalink
    28/12/2007 22:05

    Não sei em que é que cada um dos que aqui deixaram a sua opinião trabalha nem tenho essa pretensão,no entanto deixo aqui um repto,se me mostrarem um negócio seja ele qual for onde eu possa investir +-900 €,não dependa de pessoas,nem de estruturas,e vislumbre algum tipo de rendimento eu estou disposto a analisá-lo.

  18. antimmn permalink
    01/01/2008 15:18

    Ok JPRAM, mas pode colocar tua explicação por aqui mesmo. Depois de um certo tempo, quando o mercado saturar, como que os novos recrutas vão ganhar dinheiro? Eles não vão, mas tenho certeza que nos treinamentos os lideres vão falar que o mercado ainda está “fresco”, e isso é que achamos injusto. Se as pessoas lucram com a compra daqueles que estão abaixo, como vai lucrar aquele que não consegue atrair ninguém ao negócio, coisa comum num cenário de saturação?

  19. antimmn permalink
    01/01/2008 15:28

    “… se me mostrarem um negócio seja ele qual for onde eu possa investir +-900euros, não dependa de pessoas, nem de estruturas, e vislumbre algum tipo de rendimento eu estou disposto a analisá-lo” … bem, conheço um cara que começou um negócio com R$12, algo em torno de 4 euros, e hoje está muito bem. O nome dele é David Portes, e aqui vai a história dele http://www.palestrarte.com.br/system/palestrante.asp?id=178
    O mundo dos negócios exige criatividade e não uniformização.

  20. JIX permalink
    02/01/2008 16:06

    Meus caros… os gostos não se discutem, respeitam-se. A agel não é para todos… libertem-se disto. Quem entra entra, e sai quando deixar de consumir os produtos, quem está de fora parabéns também, estamos cá para o mesmo.

    O meu conselho é que estudem a evolução do Network Marketing e a sua aplicação por grandes grupos como a Coca-Cola ou a Toyota.

    Façam a vossa Due Diligence, pensem positivo e sigam os vossos sonhos!

    Cumprimentos a todos,
    Team Member agel
    Jix

  21. JIX permalink
    02/01/2008 16:50

    A agel foi nomeada em 2007 pela American Business Awards para:

    – site agel: – Overall Design;
    – Software Programming/Design.
    – produto; Best New Product (FLX)
    – Glen Gensen – Best executive.

    Como é que há pessoas que conseguem pôr em causa a licitude destes negócios e seus produtos… estamos no século 21 !!!

    Mais cumprimentos a todos,
    Team Member agel
    Jix

  22. João Alves permalink
    03/01/2008 7:54

    Acho importante deixar aqui o meu testemunho. É engraçado o incómodo que a Agel está a provocar….porque será?
    Só vos digo isto…eu sou Agel (e pesquisei bem a empresa antes de entrar), acredito na Agel, e agradeço por ter sido convidado para entrar. Foi a melhor coisa que já fiz e hoje posso respirar quando acordo. Não vivo com medo do dia seguinte, da renda da casa, do carro…Meus amigos…acreditem, informem-se bem e depois decidam…foi o que eu fiz…e hoje…dia 15 de cada mes…é uma lufada de vida na minha conta.

    Qualquer esclarecimento podem contar comigo: ***@hotmail.com

    Cumprimentos a todos e um excelente ano de 2008!

    *** – N.E – publicidade não é permitida aqui nesse blog.

  23. antimmn permalink
    03/01/2008 10:00

    Acho importante deixar aqui o meu testemunho. É engraçado o incómodo que a Agel está a provocar….porque será?

    Porque daqui há alguns anos começam as perdas nesse negócio, e os lideres vão começar a iludir as pessoas com promessas de que elas poderão alcançar a mesma riqueza que eles alcançaram no negócio. Se isso já não estiver ocorrendo em certas regiões de Portugal, pois a Agel já opera há um bom tempo por ai.

    Foi a melhor coisa que já fiz e hoje posso respirar quando acordo. Não vivo com medo do dia seguinte, da renda da casa, do carro…Meus amigos…acreditem, informem-se bem e depois decidam…

    Parabéns. Mas a questão discutida aqui é bem mais embaixo. Estamos visualizando a Agel do ponto de vista coletivo e do impacto que essa atividade implica para o coletivo, principalmente depois da IMINENTE e INEVITÁVEL saturação de mercado. Obviamente os que entrarem agora poderão lucrar algum, a questão é que depois de certo tempo esse lucro será oriundo dos prejuizos que as pessoas na base do negócio terão. Se vc conseguir dormir tranquilo com isso também, então a Agel é o lugar certo pra vc, e provavelmente tu ficará milionário.

    foi o que eu fiz…e hoje…dia 15 de cada mes…é uma lufada de vida na minha conta.

    Por favor, mostre-nos seu extrato de ganhos com a Agel. Publica uma cópia eletrônica em algum site de compartilhamento, como flicker ou imageshack, para que possamos ver essa lufada de vida.

  24. 03/01/2008 10:16

    Caro JIX,

    Conhece o caso “Afinsa”/”Fórum Filatélico”? Uma empresa BASTANTE prestigida durante várias décadas nos mercados português e espanhol, chegando a ser elogiada em alguns meios de comunicação importantes?

    Sabe o que aconteceu? Fechou por mando da lei. Era um esquema em pirâmide muito bem disfarçado. Os novos membros pagavam, com a prestação inicial, os rendimentos dos membros que já lá estavam.

    Não venha com essas conversas de legitimidade e séc. 21. Isso é conversa da treta. Não prova absolutamente nada.

    Desafio-o a apresentar os rendimentos actuais médios dos inscritos no esquema da Agel, por nível hierárquico. Se a empresa é assim tão transparente, divulguem essa informação, tal como a Amway teve de fazer em tribunal, no Reino Unido. Quero ver quanto ganham as pessoas que fazem parte deste negócio milionário. É que apresentar apenas alguns casos de sucesso é omitir uma parte da verdade. É ser mentiroso, para todos os efeitos.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  25. gap permalink
    03/01/2008 10:22

    A agel foi nomeada em 2007 pela American Business Awards para:

    – site agel: – Overall Design;
    – Software Programming/Design.

    pra começar isso nada tem a ver com o negócio Agel. Toda empresa terceiriza os serviços de site, então as congratulações vão para a empresa que fez o site da Agel, ou no minimo para as pessoas que fizeram o site. E isso não tem nada a ver com o negócio Agel. E outro detalhe, a Agel até agora não possui um site em português, sendo que a internacionalização é um dos parâmetros chave na análise de qualidade de um site. Isso já levanta suspeitas de um prêmio comprado.

    – produto; Best New Product (FLX)
    – Glen Gensen – Best executive.

    Quem é Glen Gensen? Que desafio existe no gerenciamento de uma empresa de MMN como a Agel? Os distribuidores fazem tudo sozinho! Em Portugal os produtos nem sequer ganharam embalagem em português, ou seja, a Agel não teve a decência de montar um simples centro de distribuição para adequar os produtos Agel às normas portuguesas. E vc quer me dizer que esse é o melhor executivo da atualidade? Tá bom, sei, me engana que eu gosto.

    Como é que há pessoas que conseguem pôr em causa a licitude destes negócios e seus produtos… estamos no século 21 !!!

    Ah sim, como se os negócios fraudelentos fossem coisa do século XX.

  26. gap permalink
    03/01/2008 10:28

    Meus caros… os gostos não se discutem, respeitam-se. A agel não é para todos… libertem-se disto. Quem entra entra, e sai quando deixar de consumir os produtos, quem está de fora parabéns também, estamos cá para o mesmo.

    Claro que muitos vão entrar e sair, mas o importante não é isso, o importante é que eles deixem suas contribuições para os gordos cofres da Agel. Correto? Ai nessa de entrar e sair quando quiser, algumas(a maioria?) já terão perdido um bom dinheiro sem ter tido retorno algum. É assim que caminha o negócio.

    O meu conselho é que estudem a evolução do Network Marketing e a sua aplicação por grandes grupos como a Coca-Cola ou a Toyota.

    Por favor, nos mostre onde Coca-cola e Toyota aplicaram o MMN.

  27. gap permalink
    03/01/2008 11:14

    Meus amigos, a relidade é que eu entro já na ” piramide” a partir do início de 2008, e o que vos posso garantir é que, vou ganhar dinheiro, agora pergunto, os que estao aqui a comentar sobre a agel, sem terem a minima sensibilidade comercial, será que vão viver para o resto das vossas vidas com o rendimento minimo nacional, sem terem a minima ambiçao!?

    A previdência social é um problema para praticamente todos os paises do mundo, inclusive EUA. No entanto existem N maneiras de fazer um “pé de meia” para o futuro, Agel não é o único caminho, e pelo visto não é muito honesto tb, já que beira à pirâmide financeira quase pura, exceto por ter um produto. E vc confunde ambição com ganância. São duas coisas completamente distintas.

    Aqui apenas quero defender a minha causa, e vocês, defendem o quê?
    Não vendam Agel, não ganhem dinheiro, não sejam ambisiosos?

    Ninguém falou pra não venderem Agel. Vc mora num pais livre, faz o que bem entender. E mais uma vez vc confunde ganância com ambição.

    O Mundo é composto por vencedores e vencidos!
    Tanta preocupação com os bons principios, bom censo, valores, etc… fantastico!!!
    Concelho, olhar para o lado é perder tempo!

    Essa parte do comentário expõe muito bem sua preocupação com o próximo. Olhar para o lado é perder tempo? Parabéns, com essa atitude vc ficará milionário na Agel.

    Façam algo produtivo, por vos e pelos vossos.

    Já estamos fazendo, alertando as pessoas sobre a Agel.

  28. JPRAM AGEL TEAM MEMBER permalink
    04/01/2008 19:55

    ”Ok JPRAM, mas pode colocar tua explicação por aqui mesmo. Depois de um certo tempo, quando o mercado saturar, como que os novos recrutas vão ganhar dinheiro? Eles não vão, mas tenho certeza que nos treinamentos os lideres vão falar que o mercado ainda está “fresco”, e isso é que achamos injusto. Se as pessoas lucram com a compra daqueles que estão abaixo, como vai lucrar aquele que não consegue atrair ninguém ao negócio, coisa comum num cenário de saturação?”

    Pois é como qualquer negócio do mundo,lembro-me de á uns anos houve epidemias de pizzarias,croassenterias(com chocolate quente e outras coisas),clubes de video,e tantas outros negócios que entretanto foram fechando por não terem viabilidade económica,este negócio neste momento baseia-se em consumo (a maior percentagem) e venda (menor percentagem) é perfeitamente aceitavel que daqui a alguns anos a venda possa ser numa maior percentagem,isto se não houver uma evolução com novos produtos para atrair novos consumidores que não viam interesse nos existentes,tal como qualquer outro tipo de negócio .
    Eu lembro-me de que no meu ramo sempre que se falava em introdução de novas tecnologias iria ser a morte de muitas empresas e no entanto elas adaptaram-se e eu ainda estou a trabalhar no mesmo ramo desde os 16,e já agora o meu ordenado nunca baixou.

    Volto a pedir ás pessoas que não querem entrar neste negócio(o que eu respeito)mas criticam-no, me indiquem um negócio que não dependa de pessoas ou de produtos ou de serviços,(não me vão dizer que todas as pessoas que compram produtos ou serviços realmente precisam deles)que eu analiso.

    Se me convidassem para abrir uma padaria,um café ou outra coisa qualquer eu diria que não,e não tenho nada contra esses negócios sómente não tenho espirito para muitos deles, mas existem pessoas pessoas muito felizes com eles.
    Já agora experimentem os produtos agel,façam testes e depois com fundamento digam que ninguem no mundo devia sequer chegar ao pé deles muito menos tentar vende-los .

  29. gap permalink
    04/01/2008 21:25

    este negócio neste momento baseia-se em consumo (a maior percentagem) e venda (menor percentagem) é perfeitamente aceitavel que daqui a alguns anos a venda possa ser numa maior percentagem

    Bem, vejamos. Digamos que eu queira consumir os produtos da Agel, há duas maneiras de adquiri-los:
    1) Entrando na rede de consumo, e sendo pago pra consumir;
    2) Comprar o produto de algum membro da Agel.
    Correto? Pois bem, a saturação que me refiro é à demanda pelos produtos Agel pelos consumidores, e vc há de convir que uma hora essa saturação chegará, pois todo produto possui uma penetração limitada de mercado, e nem todos vão querer consumir determinado produto. Sendo assim não há lógica nesse raciocionio que depois que as inscrições para entrar na rede de consumo estiverem fracas (por estar atingindo o limite de saturação da demanda por produtos Agel) os distribuidores lucrarão vendendo o produto, pois a demanda pelo produto Agel será a mesma, e no ponto de saturação estará fraca. Desse ponto em diante, os membros das camadas superiores só lucram com o prejuizo dos que estão abaixo, pois esses por sua vez não conseguirão botar os produtos Agel no mercado, seja vendendo ou inscrevendo membros para participarem como consumidores, e portanto não irão nem sequer recuperar seu investimento, quem dera lucrar algo. Percebeu? Creio que sim, e faz tempo. E quando chegar no ponto de saturação, o que vcs vão fazer? Parar o recrutamento para evitar que pessoas tomem prejuizo com o negócio? Óbvio que não, pois se parar o recrutamento as camadas mais baixas saem rapidinho pois precisam recuperar o investimento. O que vcs vão fazer nessa situação de saturação? Te digo, vão agir como se nada estivesse acontecendo e continuarão falando para os novos recrutas que “o momento é agora”, que “o mercado está fresco” e etc. Eu conheço mto bem tudo isso.
    E outro detalhe, vc se referiu aos negócios tradicionais, como padarias, e realmente vc está correto, se abrirem muitas padarias em determinado ponto, alguma(s) fecha(m) as portas, a diferença é que ninguém vai iludi-los falando o quão bom é o negócio de padarias, ou que fulano ganhou mta grana com padarias e etc. A pessoa vai abrir uma padaria por puro e simples empreendedorismo, e haja empreendendorismo nesse caso, pois não é fácil abrir um negócio novo.

    me indiquem um negócio que não dependa de pessoas ou de produtos ou de serviços,(não me vão dizer que todas as pessoas que compram produtos ou serviços realmente precisam deles)que eu analiso.

    Isso não existe. Como que um negócio vai existir sem esses três entes? E afinal de contas por que precisamos te indicar esse negócio? A Agel é assim, por acaso?

  30. AGEL TEAM MEMBER permalink
    04/01/2008 22:52

    Acho que passou por cima dos produtos,existem,vão surgir novos e portanto não me parece que o fim do mundo esteja assim tão próximo,veja o exemplo de outro mlm bastante conhecido e que está no mercado á cerca de 20 anos e ainda á pessoas a realizar dinheiro mesmo entrando de novo.
    O comentario do negocio sem pessoas foi porque li aqui comentarios que este era um negocio que se aproveitava de pessoas,e eu acho que todos dependem de pessoas como é obvio,cabe a cada um analizar o tipo de negócio que melhor lhe serve.
    Se algum dia tiverem disponibilidade de ir a uma apresentação da Agel podem constactar que sómente são apresentados os produtos,o plano de compensação e exemplos de pessoas que realizam dinheiro com a Agel,é obvio que já ouvi disparates de pessoas que ainda não analizaram o negócio,a potencialidade pessoal para ele e já vêem os euros a entrar sem sequer se terem tornado membros.

    Só mais uma questão que coloco como exemplo de cenário hipotetico:
    Se algum dos sr tiver uma empresa de informatica por ex e eu disser que vou abrir um escritorio de qualquer coisa (advogados,contabilidade,emfim qualquer coisa) e preciso de uma dezena de computadores mais gestâo de rede,software,etc fazem-me um orçamento ou vão-me dizer que não me vendem porque o meu escritório não vai facturar dentro de alguns anos e é melhor pensar noutra coisa porque vou investir e não vou ter retorno etc,etc.

  31. AGEL TEAM MEMBER permalink
    04/01/2008 23:03

    ”E outro detalhe, vc se referiu aos negócios tradicionais, como padarias, e realmente vc está correto, se abrirem muitas padarias em determinado ponto, alguma(s) fecha(m) as portas, a diferença é que ninguém vai iludi-los falando o quão bom é o negócio de padarias, ou que fulano ganhou mta grana com padarias e etc. ”

    Conheço muitas pessoas que abriram cafés e restaurantes porque é generalizada a ideia de que se faz muito dinheiro com esses negócios,e de facto é possivel mas não é para todas as pessoas nem em todos os sitios,por isso não é o tipo de negócio que está errado mas sim as circunstancias com que se abre esse negócio tal como na Agel.

    E digo mais, se estiver mais atento como eu tenho estado existe uma tentativa de aproximação ao MLM por parte de muitas empresas bem conhecidas no mercado tradicional e isso começará a ser cada vez mais visivel,basta estar atento.

  32. gap permalink
    04/01/2008 23:05

    sto se não houver uma evolução com novos produtos para atrair novos consumidores que não viam interesse nos existentes,tal como qualquer outro tipo de negócio .

    Nisso vc está correto, o lançamento de produtos realmente é uma maneira de atingir novos mercados aumentando a margem de demanda. Mas ainda me resta uma dúvida: a Agel possui controle sobre essa oferta X demanda de produtos, de maneira a garantir que novos produtos cheguem ao mercado antes da saturação do portfolio atual ocorrer? Só quero lembrá-lo que as fábricas, por exemplo, investem fortunas em sistemas computacionais para evitar um excesso de oferta de produtos ou uma escassez de oferta, pois isso representa prejuizo no primeiro caso, e perda de lucro potencial na segunda.

    Só mais uma questão que coloco como exemplo de cenário hipotetico:
    Se algum dos sr tiver uma empresa de informatica por ex e eu disser que vou abrir um escritorio de qualquer coisa (advogados,contabilidade,emfim qualquer coisa) e preciso de uma dezena de computadores mais gestâo de rede,software,etc fazem-me um orçamento ou vão-me dizer que não me vendem porque o meu escritório não vai facturar dentro de alguns anos e é melhor pensar noutra coisa porque vou investir e não vou ter retorno etc,etc.

    Eu entendi tua colocação, mas não encontrei paralelo com a atividade Agel.

  33. AGEL TEAM MEMBER permalink
    04/01/2008 23:10

    ”1) Entrando na rede de consumo, e sendo pago pra consumir;
    2) Comprar o produto de algum membro da Agel.
    Correto?”
    Incorrecto, falta uma ,pode ser indicado como cliente preferencial encomendando directamente sem qualquer obrigatoriedade mensal contando o seu volume de compras para as comissões de quem o indicou como qualquer outro tipo de venda numa qualquer outra empresa de vendas tradicionais.

  34. AGEL TEAM MEMBER permalink
    04/01/2008 23:43

    Caro Gap terei todo o gosto em lhe mostrar os produtos,explicar-lhe o plano de compensações e se desejar, acompanhá-lo a uma reunião e mais prometo que não levo pistola,a decisão de alguem se inscrever só a ela lhe pertence,eu não engano ninguem até porque não vejo grande forma de o fazer e digo mais já me disseram que queriam entrar e eu sabendo que a pessoa não tinha analizado bem a situação disse-lhe para primeiro o fazer pois o meu interesse neste ou noutro qualquer negócio é que ele seja isso mesmo um bom negócio e só o é se fôr para as partes envolvidas ***@hotmail.com

  35. AGEL TEAM MEMBER permalink
    04/01/2008 23:49

    ”Eu entendi tua colocação, mas não encontrei paralelo com a atividade Agel.”

    O paralelismo com a agel é o mesmo nós temos um produto e um plano de compensações para quem quer entrar no negócio,cabe á pessoa saber se vê potencial nele.

  36. 06/01/2008 22:20

    Engraçado é o facto de nesse plano de compensações haver um bónus para recrutar outras pessoas para a rede, que é o INDICADOR nº1 de um ESQUEMA EM PIRÂMIDE.

    Vendas? Não sei o que isso seja na Agel. o que interessa é mesmo recrutar outras pessoas para depois ganhar comissões à pala das compras que essas pessoas fazem. Atá ao dia em que não houver mais interessados.

    Continuo a achar piada às comparações que fazem entre o negócio da Agel e os negócios tradicionais. As únicas conclusões que se podem tirar dessas comparações é que não tem nada a ver uma coisa com a outra.

    Continuo, de igual forma, a achar piada à ideia do “ninguém lhe está a apontar uma pistola à cabeça para se inscrever”. Não. De facto não estão. Estão, por outro lado, a acenar com carros de luxo, viagens a ilhas paradisíacas e a dar a entender que determinados membros que se juntaram à rede nem há um mês já vão começar o novo com o investimento pago e uma boa margem de lucro. Será mentira? Pode não ser. Mas então e onde estão os casos todos de desistências? E os casos todos de membros que estão a perder dinheiro? Hmmm? Esses é que seriam interessantes de analisar.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  37. 07/01/2008 10:14

    Caro Pedro porque insiste em mandar a baixo a AGEL se está a ser tão boa para tanta gente? Será porque está a ser má para outro tanto ou mais ainda? É como tudo na vida. Se todos tivessem sucesso, o Sr não exisitira da forma que existe mas sim estaria feliz com o seu sucesso. Tal como estão os que se estão a dar bem com a Agel. Infelizmente para os outros isso não acontece. Mas é a lei da vida. Se todos os leões fossem os machos dominantes, não existiriam machos dominantes.
    Abraços.

  38. AGEL TEAM MEMBER permalink
    07/01/2008 19:02

    ”Engraçado é o facto de nesse plano de compensações haver um bónus para recrutar outras pessoas para a rede, que é o INDICADOR nº1 de um ESQUEMA EM PIRÂMIDE.”
    No minimo exige-se a não omissão da verdade, o bónus é exactamente a correspondencia em comissão para o nº de produtos que a pessoa adquire (16 cx ou 4 cx), numa pirâmide não há mais nada a não ser pessoas verdade?

  39. AGEL TEAM MEMBER permalink
    07/01/2008 19:24

    ”Continuo, de igual forma, a achar piada à ideia do “ninguém lhe está a apontar uma pistola à cabeça para se inscrever”. Não. De facto não estão. Estão, por outro lado, a acenar com carros de luxo, viagens a ilhas paradisíacas e a dar a entender que determinados membros que se juntaram à rede nem há um mês já vão começar o novo com o investimento pago e uma boa margem de lucro. Será mentira? Pode não ser. Mas então e onde estão os casos todos de desistências? E os casos todos de membros que estão a perder dinheiro? Hmmm? Esses é que seriam interessantes de analisar.”

    Todos os dias o comercio tradicional acena a todos com publicidade falsa como por ex os bancos com spreads a 0% mas que afinal só são para quem compra casas com valor superior a certos valores, e altos e só valido no 1º ano,as marcas de automóveis com prestações a 1€ por dia mas claro quando vamos ver é só para emprestimos a 7 anos e com uma entrada de 60%,não sei se isso lhe faz confusão?
    Nas varias reuniões da Agel a que fui só foi apresentada a estrutura do negócio que é igual para todos,e se de facto quem lhe apresentou o negócio lhe disse que lhe caiam euros do ceu e lhe punham um carro á porta é mentiroso mas como em qualquer negócio existem pessoas serias e outras que nem por isso.

    Quanto a uma certeza tão grande das falencias no negócio Agel,era boa ideia que prova-se que é de facto muito superior ás existentes nos negócios tradicionais,nesses eu vejo muitos lucros á custa de salários baixos,horas extras não remuneradas e uma constante desculpabilização com a crise,e mais,no caso Português vemos de facto o que são piramides com os nossos gestores a serem os mais bem pagos da Europa em relação aos funcionarios abaixo,na Agel não há cunhas,não há cargos por decreto nem bónus por conveniencia,é igual para todos.

  40. AGEL TEAM MEMBER permalink
    09/01/2008 18:17

    Boas,

    Fico contente por saber que os produtos da AGEL vos tem enervado um pouco, é sinal que temos bons produtos e um bom esquema de remuneração, senão nem sequer falavam em nós.
    Para os senhores que dizem que o esquema é de pirâmide vou vos pedir primeiro que estudei o que é uma pirâmide e depois falem, como já foi dito aqui por várias pessoas quem está em baixo pode ganhar muito mais do que as pessoas que estão em cima.
    Há! Já me esquecia, os senhores da H….. podem sempre aderir ao nosso grupo desde que tenham espírito de equipa e vontade de vencer.

  41. gap permalink
    09/01/2008 22:27

    Para os senhores que dizem que o esquema é de pirâmide vou vos pedir primeiro que estudei o que é uma pirâmide e depois falem, como já foi dito aqui por várias pessoas quem está em baixo pode ganhar muito mais do que as pessoas que estão em cima.

    Ah sim, na Agel isso não vai acontecer? Então por que o argumento usado pra recrutar é o fato de que aqueles que entram primeiro vão ganhar mais dinheiro que aqueles que entrarem depois? Por que vc não entra na Agel daqui a 10 anos então, lá na parte mais baixa da organização? Se o que vc falou está correto, entrando daqui a 10 anos, lá no fundo da organização, vai ser possivel ganhar muito mais do que os que estarão no topo.
    Não insulte nossa inteligência.

  42. 10/01/2008 8:29

    “Fico contente por saber que os produtos da AGEL vos tem enervado um pouco, é sinal que temos bons produtos e um bom esquema de remuneração, senão nem sequer falavam em nós.”

    >>>> Que argumentação mais estranha e deslocada da realidade, mas tudo bem, cada um tem a sua opinião.

    “Para os senhores que dizem que o esquema é de pirâmide vou vos pedir primeiro que estudei o que é uma pirâmide e depois falem, como já foi dito aqui por várias pessoas quem está em baixo pode ganhar muito mais do que as pessoas que estão em cima.”

    >>> Eu estudei e estudei e estudei, e só chego a uma conclusão: é uma pirâmide. Pode ler no meu blog os porquês exactos e detalhados. Aliás, ainda não terminei o post que estou a construir sobre o assunto, mas pode ir lendo a argumentação.

    Quem não estudou, pelos vistos, foi o Sr., ou então anda a tentar fazer passar gato por lebre. Desafio-o a indicar o que é que cosidera em esquema em pirâmide, que é para todos ouvirmos.

    Por outro lado, se essa parte das pessoas que estão por baixo ganharem mais dos que as que estão por cima pode acontecer, é um facto, isso não é a prova de que o esquema não é uma pirâmide – concordo consigo que é um indicador contrário. Mas acho que é mesmo o ÚNICO. A favor, temos uma catrefada deles, a começar nos recrutamentos PAGOS (ilegais em Portugal) e a terminar na inexistência de VENDAS para fora da rede, passando pela tentativa de mascarara a rede de MLM legítimo (e consequente inscrição na DSA, por exemplo).

    “Há! Já me esquecia, os senhores da H….. podem sempre aderir ao nosso grupo desde que tenham espírito de equipa e vontade de vencer.”

    >>>> Poder, podem, só há um problema, têm de desistir da HBL, conforme o contrato da AGEL.

    Não… esperem lá… estou a dizer disparates… isso de facto está no contrato, mas como ninguém liga ao contrato, podem muito bem fazê-lo.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  43. MestreAfazerguita permalink
    12/01/2008 1:55

    http://esgotocapitalista.blogspot.com/

    :)
    Abram alas po noddy

    A primeira evidência que podemos salientar, olhando assim à vista desarmada para o plano de compensações da Agel e comparando-o com esta definição de MMN, é de que algo não bate certo: a Agel não premeia o upline com comissões relativas às vendas para fora da rede, premeia-o invés com as comissões derivadas das compras efectuadas por membros da própria rede, o tal auto-consumo de que falam os Agéis. É um facto estranho, que não faz sentido aparente, sobretudo vindo e uma empresa que à partida estará interessada em vender o maior número de produtos ao maior número de consumidores, sejam eles membros ou não membros (penso que todos concordamos neste ponto). Porque não, então, premiar a venda, como diz a definição? Ao premiar a venda, estaria a dar um forte incentivo para que também houvesse uma compra, matando assim dois coelho com um só golpe. Para um membro vender o que quer que fosse, teria necessariamente de comprar. Com uma grande quantidade de membros a venderem os produtos, toda a rede teria ganhos (ainda mais) astronómicos, para além do que os distribuidores no final da pirâmide poderiam de facto ter uma base de suporte e um apoio concreto. É fácil de fazer estas contas – imaginem cada membro a vender três ou quatro pacotes de gel por mês… imaginem o que o upline ganha à conta dessas acções… (é muito triste observar a realidade, e ver que ninguém na rede da Agel anda com vontade de vender produtos).
    Pelo contrário, ao premiar as compras feitas por membros do donwline, a Agel indica que não se preocupa, na prática, com o que os membros fazem com os produtos. Podem consumir (o destino que considero mais provável), podem oferecer à família e amigos, podem dar como ofertas promocionais para vender o negócio, podem deitar no lixo, e podem até vender a terceiros, se essa for a sua escolha e se legalizarem o acto com os necessários documentos fiscais. A questão é que não há nenhum incentivo às vendas nesta suposta rede de Vendas Directas. Para além disto, a Agel não sabe patavina acerca do volume exacto dessas vendas, mais um aspecto que não tem cabimento para uma empresa de Vendas Directas.

    LINDO

  44. MestreAfazerguita permalink
    12/01/2008 2:01

    A Agel e as Vendas em Pirâmide

    Recapitulando: Vendas em Pirâmide, segundo a lei portuguesa (Decreto-Lei n.º 143/2001. de 26 de Abril) = “procedimento que consiste em oferecer ao consumidor determinados bens ou serviços fazendo depender o valor de uma prometida redução do seu preço ou a sua gratuitidade do número de clientes ou do volume de vendas que, por sua vez, aquele consiga obter, directa ou indirectamente, para o fornecedor, vendedor, organizador ou terceiro.”

    Face a este conceito, como está a Agel em incumprimento da lei?

    De duas formas, se não mais ainda:

    1º forma – O recrutamento de novos membros.
    Quando nos inscrevemos na Agel, temos de pagar um valor mínimo de cerca de 260€ no plano básico (que diz respeito a uma taxa de inscrição e mais à compra de 4 caixa de produtos), e 960€ no plano executivo (16 caixas de produto). Mais tarde, quando recrutamos alguém, ganhamos um bónus chamado “comissão de início rápido”, que varia conforme consigamos aliciar um alguém para o plano básico (35€) ou para o plano executivo (200€).

    Aos olhos da lei, isto pode ser visto assim:

    (A Agel) oferece ao consumidor (nós, como membros da Agel) determinados bens ou serviços (as tais caixas que pagámos com a inscrição) fazendo depender o valor de uma prometida redução do seu preço ou a sua gratuitidade do número de clientes (os novos recrutas) que por sua vez, nós (como membros da Agel) consigamos obter, directa ou indirectamente, para o fornecedor / vendedor / organizador / terceiro (Agel).

    As contas relativas à redução de preço/gratuitidade são fáceis de fazer, basta calcular a diferença entre o que pagámos pelos produtos quando fizemos a nossa inscrição e o valor que ganhámos por recrutar novos membros. Por exemplo, se pagámos 260€ pelas compras da inscrição e recrutarmos 2 novos membros plano básico, obtemos uma “redução no preço” das compras (- 260€ + 35€ + 35€ = – 190€); se por acaso tivermos conseguido recrutar 2 novos membros plano executivo, obtemos uma “gratuitidade” e a ainda uma margem de lucro (- 260€ + 200€ + 200€ = + 140€).

    Um membro da Agel pode, de facto, viver apenas à custa de uma cadeia infindável de novos membros recrutados, sem nunca ter de efectuar uma única venda para ganhar dinheiro ou pagar o investimento inicial. Isto é a lógica base de um Esquema em Pirâmide, qualquer que ele seja: pagar o investimento através do recrutamento de novos membros; basicamente é passar a bola ao próximo para não sermos nós os lesados.

    LINDO QUEREM + ainda seus piramistas :D

  45. 14/01/2008 12:56

    Boa tarde
    Já fui contactada pela Agel, e a verdade é que gostei dos produtos, pois penso que irão melhorar a nossa qualidade de vida. Qualquer pessoa minimamente enteressada no seu bem estar e que procure produtos naturais ou complementos para a sua alimentação, encontrará nestes produtos a solução.
    A nível económico, não sei se será o método mais aconselhado para a divulgação dos produtos, mas a verdade é que estimula que falemos sobre eles, e que façam parte do nosso dia a dia.

  46. 14/01/2008 14:58

    Cara Sofia,

    Em relação aos produtos da Agel, neste momento não tenho maneira de dizer que são bons ou que são maus. Admito que possam ser excelentes ou até mesmo vulgaríssimos. Não sei. Não faço ideia.

    O que sei é que há uns anos atrás pratiquei desporto num ginásio e fui três vezes ao nutrucionista do ginásisio (uma no início de cada ano), e em nenhuma consulta ele me indicou que tomassa produtos suplementares. Nada de suplementos alimentares, nada de produtos para fazer crescer os músculos, nada de produtos para repor os níveis energéticos durante o treino. Recomendou-me sim uma dieta mais rigorosa em certo tipo de alimentos e um cumprimento mais apertado dos horários das refeições.

    Também posso dizer que, para quem mesmo assim está interessado em consumir estes produtos, e para cada uma das gamas apresentadas pela Agel, há alternativas no mercado bem mais baratas. Por exemplo, no sector dos múltivitamínicos, há produtos a 20€ nas lojas (contra o 60€ que se paga se se for membro da rede, ou 70/75€ se se estiver de fora).

    Eu concordo que deva haver discussão sobre o assunto, e que devemos olhar para as alternativas todas – entre elas duas de primeira importânica: 1) a real necessidade de consumir este tipo de produtos, 2) a vontade de pertencer a uma rede que só tem por finalidade gerar dinheiro através de de procedimentos ilícitos e fraudulentos.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  47. mota permalink
    15/01/2008 16:07

    Porque nao aparece nenhum comentario de quem entrou e perdeu dinheiro???

  48. Rui permalink
    18/01/2008 12:43

    Em resposta ao nosso amigo, ou não, Pedro Menard

    “””””O que sei é que há uns anos atrás pratiquei desporto num ginásio e fui três vezes ao nutrucionista do ginásisio (uma no início de cada ano), e em nenhuma consulta ele me indicou que tomassa produtos suplementares. Nada de suplementos alimentares, nada de produtos para fazer crescer os músculos, nada de produtos para repor os níveis energéticos durante o treino. Recomendou-me sim uma dieta mais rigorosa em certo tipo de alimentos e um cumprimento mais apertado dos horários das refeições.””””””

    Eu sou atleta profissional (de alto nível), isto é, não faço desporto apenas para ter boa saude, mas tambem porque sou apaixonado pelo desporto e porque recebe dinheiro a fazer o que gosto.

    Sou avaliado todos os dias pela equipa técnica e médica.

    Sou AGEL desde Setembro, consumo os produtos AGEL com autorização e recomendação das equipa anteriormente referidas. Os produtos são MUITO BONS, eu sei porque tenho visto os resultados na minha prestação (treino mais tempo a uma maior intencidade e tenho menos dores nas minhas articulações.

    Os produtos AGEL são bons, ao ponto de toda a equipa medica ter entrado para a AGEL, não pelo negocio em si, mas para poderem ter produtos de qualidade superior disponivel para fornecer aos diferentes atletas.

    É um exemplo daquilo que voces criticam:
    toda as pessoas entram para a AGEL apenas pelo negocio – MENTIRA

    Só para informação, eu neste momento tou a ter muito lucro na AGEL, passando-se o mesmo com todos os meus colegas.

    Só um comentario final,

    é verdade que o negocio AGEL mais tarde ou mais cedo vai chegar a um ponto de ruptura, mas o exemplo que apresentei (um medico e um fisioterapeuta) é a prova de que existem pessoas que compram AGEL pelos produtos, que embora mais caros são muito superiores a toda a concorrencia.

    uito obrigado por falarem da AGEL, estão a dar uma grande ajuda divulgando o produto AGEL

    RUI FERREIRA

  49. 18/01/2008 13:51

    “O Esgoto do Capitalismo”

    Á parte da Agel ser um bom ou mau negócio, ser lícito ou (i)lícito, se há algo que me deixa profundamente irritada é a hipocrisia que se aplica a esta troca de argumentos (mas se calhar é defeito meu!)…

    Neste blog encontrei algumas questões e argumentação fortes às quais penso que só o tempo e a Agel poderão dar resposta. Numa coisa estou efectivamente de acordo e será uma preocupação muito relevante que é a “aparente” falta de focus nos produtos, que afinal deveriam ser a base de todo o negócio. Contudo achei algo hipócrita ou ingénua afirmações como esta:
    “ O preço é elevado de mais para um suplemento alimentar que tem produtos concorrentes no mercado a um preço muito mais baixo.”

    O que me conduz à seguinte questão:

    – Porque é que alguém compraria saquetas de Gel ao dobro do preço de outros produtos no mercado com os mesmos princípios activos?
    Mas será que somos todos ingénuos e não percebemos que o fazemos em relação a todos os outros produtos?! Sim, caso não tenha reparado, a maioria das pessoas compra “produtos de marca” (alimentação, vestuário, artigos de beleza, saúde e bem-estar…) quando na verdade existem produtos de qualidade semelhante, às vezes até superior, a metade do preço…

    Qual é o espanto?

    Portanto, ditar o (in)sucesso de uma empresa com base neste indicador não me parece viável.

    Por outro lado, ao ler o site brasileiro “A indústria da decepção” com relatos de famílias destruídas com o endividamento provocado pelo “investimento” em negócios similares, deixou-me com a sensação de estar a assistir a uma novela (não brasileira!)… Trabalho na área da banca e diariamente deparo-me com pessoas em situações parecidas, mas nenhuma delas por ter investido num negócio como a Agel, mas sim por acharem que poderiam ter um carro topo de gama, uma casa de luxo ou simplesmente um guarda roupa e um estilo de vida que em nada se enquadrava com o recibo de vencimento mensal, ou simplesmente por uma fatalidade, uma reviravolta do destino, algo que tomaram como certo e de repente deixou de existir.

    Mas de tudo o que me deixou mais perplexa foram as causas sociais, a ideia de que 90% iria alimentar os restantes 10%.

    O que me conduz à seguinte questão:

    – Qual é a grande empresa que não funciona de acordo com estes parâmetros?
    Em que 90% ganha 10x menos que os restantes 10%. Com uma diferença: o tempo que cada um investe num emprego/negócio tradicional, muitas vezes ultrapassa em muito as ideais 8h/dia de trabalho.

    Portanto, mais uma vez, qual é o espanto?

    O que acredito sinceramente que pode ditar o sucesso desta empresa será a vontade da mesma em aumentar as suas vendas directas, para garantir a continuidade do projecto e ganhos para todos os elementos da estrutura, assim sendo estamos perante uma empresa com grandes potencialidades, com um produto inovador, com uma forte capacidade de distribuição e com um sistema de compensações absolutamente extraordinário. Naturalmente serão os que melhor se posicionaram que irão obter maiores proveitos, os que tomaram a iniciativa de arriscar um pouco para conseguir algo maior… Os que não arriscarem não perdem nada, mas também não terão hipóteses de ganhar!
    Cumprimentos,
    M

  50. 21/01/2008 16:02

    Caro Rui,

    “Em resposta ao nosso amigo, ou não, Pedro Menard”

    > Na sequência de um longo debate que nem sempre tem sido amigável e respeitoso entre as partes envolvidas, vou tentar debater este assunto da forma mais séria possível. Eu sei que de minha parte tenho abusado de alguns excessos de ironia e rispidez, mas não ajuda nada quando alguém entra aqui logo com a metralhadora na mão.

    Gostaria que o Sr., ao longo da leitura de minha resposta, tivesse em mente o seguinte: eu nunca critiquei a qualidade do produto em lado nenhum. Não tenho bases para o fazer. Já admiti que pode ser excelente (assim como também pode ser normalíssimo). A questão é que não há estudos publicados sobre o assunto. E não é com base na sua opinião de uso pessoal que vou acreditar que sim. Idem aspas para a equipa médica que o acompanha. Publiquem um estudo baseado em exames/estudos científicos concretos, e não apenas no vulgar “eu uso e sinto-me melhor”, que então eu acredito. Espero que entenda a minha posição.

    —————————

    “””””O que sei é que há uns anos atrás pratiquei desporto num ginásio e fui três vezes ao nutrucionista do ginásisio (uma no início de cada ano), e em nenhuma consulta ele me indicou que tomassa produtos suplementares. Nada de suplementos alimentares, nada de produtos para fazer crescer os músculos, nada de produtos para repor os níveis energéticos durante o treino. Recomendou-me sim uma dieta mais rigorosa em certo tipo de alimentos e um cumprimento mais apertado dos horários das refeições.””””””

    Eu sou atleta profissional (de alto nível), isto é, não faço desporto apenas para ter boa saude, mas tambem porque sou apaixonado pelo desporto e porque recebe dinheiro a fazer o que gosto.

    > A sua posição nesta matéria, desde já, é completamente diferente da minha. O Sr. pratica desporto a nível profissional. Eu, por meu turno, não fiz nada do género. Usei um ginásio durante três anos, praticando musculação e cardio-fitness numa base de três visitas por semana, duas a três horas cada. No início de cada ano fui sujeito a um exame para determinar o meu nível de aptidão física (lembro-me especificamente de uma avaliação à condição cardíaca, numa bicicleta, e a uma balança usada para “pesar” a massa gorda). Por livre iniciativa consultei também o nutricionista do ginásio por três vezes, e, tal como já referi, em nenhuma altura me foi aconselhado tomar qualquer sumplemento alimentar (quer vitamínico, quer para as articulações, quer para aumentar a recuperação física durante o treino). Em contrapartida, foi-me sugerido que tomasse muita atenção com a alimentção, nomeadamente no que respeita a horários, e a certo tipo de alimentos que devia consumir mais vezes (verduras e legumes, fruta, massa, pão integral, assim do que me lembro).
    Conclusão -> se eu que faço/fiz este desporto numa base moderada não necessito de nenhum suplemento alimentar para ajudar, porque é que milhares de pessoas que não fazem sequer isto, hão de nessecitar? O que esta gente toda necessita é de uma alimentação equilibrada, não é de encherem-se de produtos que NÃO SERVEM como substituto.
    Note que não estou a falar em quem pratica desporto de competição. Convenhamos que quem pratica desporto de alto nível está evidentemente sujeito a outro tipo de necessidades. Convenhamos também que esses representam uma pequen parcela do mercado alvo da Agel, que está mais interessada na base “tudo o que vem à rede é peixe”.

    ——————————–

    “Sou avaliado todos os dias pela equipa técnica e médica.

    Sou AGEL desde Setembro, consumo os produtos AGEL com autorização e recomendação das equipa anteriormente referidas. Os produtos são MUITO BONS, eu sei porque tenho visto os resultados na minha prestação (treino mais tempo a uma maior intencidade e tenho menos dores nas minhas articulações.”

    >> Como já disse, publiquem um estudo com as bases cietíficas que atribuam o seu aumento de rendimento ao uso do produto, e não a outros possíveis factores.

    ————————-

    “Os produtos AGEL são bons, ao ponto de toda a equipa medica ter entrado para a AGEL, não pelo negocio em si, mas para poderem ter produtos de qualidade superior disponivel para fornecer aos diferentes atletas.”

    > Como deve calcular, quem só está interessado no produto, pode comprá-lo sem entrar na rede. Se quer que lhe diga concretamente o que é que acho: acho muito mau para um médico aderir a uma rede por onde pode ganhar dinheiro através dos produtos que aconselha aos “clientes/pacientes” que o consultam. Há uma coisa chamada código deontológico que previne esse tipo de actuação.
    Note que não estou a dizer que eles não têm razão quanto à qualidade do produto. Apenas estou a dizer que fariam melhor em o recomendar SEM aderirem à rede. Para mim, qualquer médico que prescreva um artigo qualquer e esteja a ganhar dinheiro à conta dele, é um médico a evitar.
    Isto é a minha posição. O Sr. pode ter a sua como é natural.

    ——————–

    “É um exemplo daquilo que voces criticam:
    toda as pessoas entram para a AGEL apenas pelo negocio – MENTIRA”

    > Também acho que seja mentira. Mas já acredito que haja uma muito pequena minoria que o faça só pelo produto. A grande maioria (não todos) é pelo negócio.

    ————

    “Só para informação, eu neste momento tou a ter muito lucro na AGEL, passando-se o mesmo com todos os meus colegas.

    > Óptimo para vocês. Agora diga-me quanto desse lucro é feito à base de “vendas para fora da rede” (VENDAS DIRECTAS) e quanto é feito com base no recrutamento e nas comissões sobre o consumo?

    ——————

    “é verdade que o negocio AGEL mais tarde ou mais cedo vai chegar a um ponto de ruptura, mas o exemplo que apresentei (um medico e um fisioterapeuta) é a prova de que existem pessoas que compram AGEL pelos produtos, que embora mais caros são muito superiores a toda a concorrencia.”

    > Certo. Há casos. Há casos pontuais. Não duvido disso.

    —————————-

    “Muito obrigado por falarem da AGEL, estão a dar uma grande ajuda divulgando o produto AGEL”

    > Pois, a má publicidade também é publicidade, certo? Pois. Mas acredito também que a crítica negativa fundamentada não entra nesse tipo de publicidade. Antes alerta aslgumas mentes para as falácias escondidas. É nessa base que alicerço o meu trabalho.

    Queria deixar-lhe um pedido: diga-nos que desporto pratica e que produtos Agel toma diariamente, por favor. Diga-nos também quais são os respectivos produtos da concorrência que não são tão bons na sua opinião. Quero saber para poder confrontar as respectivas empresas com as suas alegações, para ver o que é que dizem. E não duvide que o vou fazer.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  51. 21/01/2008 16:52

    Caro M,

    “Á parte da Agel ser um bom ou mau negócio, ser lícito ou (i)lícito, se há algo que me deixa profundamente irritada é a hipocrisia que se aplica a esta troca de argumentos (mas se calhar é defeito meu!)…”

    > A Hipocrisia que, pessoalmente, me faz confusão é a da atitude da Agel em relação ao seu próprio negócio, apenas e porque lhe convém agir de determinada maneira e lavar as mãos quando e se alguma vez for questionada.
    Sei que estou a ser vago na minha nesta minha acusação, mas a Sra. também está a ser vaga na sua. A que é que se refere ao certo, quando fala em hipocrisia na troca de argumentos?

    ————————-

    Neste blog encontrei algumas questões e argumentação fortes às quais penso que só o tempo e a Agel poderão dar resposta.

    > Totalmente de acordo.

    ————-

    ” Numa coisa estou efectivamente de acordo e será uma preocupação muito relevante que é a “aparente” falta de focus nos produtos, que afinal deveriam ser a base de todo o negócio. Contudo achei algo hipócrita ou ingénua afirmações como esta:
    “ O preço é elevado de mais para um suplemento alimentar que tem produtos concorrentes no mercado a um preço muito mais baixo.”

    O que me conduz à seguinte questão:

    – Porque é que alguém compraria saquetas de Gel ao dobro do preço de outros produtos no mercado com os mesmos princípios activos?
    Mas será que somos todos ingénuos e não percebemos que o fazemos em relação a todos os outros produtos?! Sim, caso não tenha reparado, a maioria das pessoas compra “produtos de marca” (alimentação, vestuário, artigos de beleza, saúde e bem-estar…) quando na verdade existem produtos de qualidade semelhante, às vezes até superior, a metade do preço…”

    >Tem razão quanto às escolhas que fazemos baseadas na marcas, na diferenciação do produto, no preço mais caro por conta da qualidade e do estatuto. Não há nenhuma ingenuidade nisso.
    Não é esse, contudo, o caso da Agel por exemplo no que concerne aos produtos multivitamínicos. O porduto comercializado não oferece nenhum factor de diferenciação que justifique uma diferença de preço tão grande. O facto da mais rápida absorção por parte do organismo (a possível vantagem competitiva que justificaria a escolha) não tem qualquer relevância para o caso concreto: se o intestino demora mais 20 ou 30 minutos a digerir as vitaminas, o consumidor não deixa de beneficiar à mesma das qualidades das ditas.
    O problema da escolha que fazemos, neste caso concreto, prende-se directamente com o negócio. A situação que temos em cima da mesa é a seguite: de um lado um produto multivitamínico que custa 8€ (nalguns Hipers) e 20€ nas lojas de produtos dietéticos, e que não oferece dinheiro a quem o comprar/consumir; do outro lado temos o MESMO produto, embora diluido em gel, a 60€, e a possibilidade de ganhar uns trocos que talvez cheguem para comprar um Ferrari – só temos de convencer as pessoas que conhecemos a entrarem também na rede.
    Adicione-se a isto um mercado de consumidores onde 80-90% (fdigo eu) não consome nem nunca consumiu multivitamínicos regularmente.
    Portanto, a sua questão de escolha ponderada com base na diferenciação não se aplica de modo tão simples a este caso, visto haver um outro factor em cima da mesa: o factor “nós pagamos-te para consumires o nosso produto e para convenceres outras pessoas a consumir também”.

    ———-

    “Portanto, ditar o (in)sucesso de uma empresa com base neste indicador não me parece viável.”

    > Não só não é viável como ninguém o está a fazer. Não é nesse indicador concreto que baseio o possível insucesso da empresa. Esse é apenas um deles – o problema é muito mais complexo do que uma simples abordagem pela diferenciação do produto – ainda por cima com bases inviesadas.

    ——————–

    “Por outro lado, ao ler o site brasileiro “A indústria da decepção” com relatos de famílias destruídas com o endividamento provocado pelo “investimento” em negócios similares, deixou-me com a sensação de estar a assistir a uma novela (não brasileira!)… Trabalho na área da banca e diariamente deparo-me com pessoas em situações parecidas, mas nenhuma delas por ter investido num negócio como a Agel, mas sim por acharem que poderiam ter um carro topo de gama, uma casa de luxo ou simplesmente um guarda roupa e um estilo de vida que em nada se enquadrava com o recibo de vencimento mensal, ou simplesmente por uma fatalidade, uma reviravolta do destino, algo que tomaram como certo e de repente deixou de existir.”

    > Por aquilo que está a dizer, parece-me que a Sra. é portuguesa. Saberá então que a nossa pequena realidade nada tem que ver com o modelo prático brasileiro ou norte americano. Cá por Portugal não há registo de grandes golpes piramidais que deixam muita gente descalça. Não há sequer informação sobre o assunto. Mas essa base de raciocínio seria a mesma que negar que houve um holocausto por nunca ter havido um caso registado de gaseamento de Judeus cá por Portugal. Sei que a comparação é sobremaneira exagerada, mas a mensagem é inequivoca: o facto de a Sra. nunca ter ouvido falar, não quer dizer que não se passe.
    Enfim, cá temos o nosso Ponzi doméstico, já de há mais de 20 anos, com a D. Branca, que já ninguém se lembra, e temos também o mais recente Ponzi Iberico, com a Afinsa, que se calhar não lhe chegou aos ouvidos.
    Por outro lado, considero a Agel uma empresa comedida. Ninguém vai ficar a perder muito dinheiro com eles. Vai haver muita gente a perder dinheiro, mas nunca grandes quantias. A inteligência do plano presta-se a esse detalhe, a essa atenção. Mais uma vez, é só uma opinião.

    ——-

    Mas de tudo o que me deixou mais perplexa foram as causas sociais, a ideia de que 90% iria alimentar os restantes 10%.

    O que me conduz à seguinte questão:

    – Qual é a grande empresa que não funciona de acordo com estes parâmetros?
    Em que 90% ganha 10x menos que os restantes 10%. Com uma diferença: o tempo que cada um investe num emprego/negócio tradicional, muitas vezes ultrapassa em muito as ideais 8h/dia de trabalho.

    Portanto, mais uma vez, qual é o espanto?”

    > Creio que a Sra. não leu bem aquilo que escrevi, ou então não raciocinou o suficiente para o atingir.
    A diferença principal entre nos dois sistemas 90%-10% que estamos a discutir, é que num deles 10% dos inscritos GANHAM DINHEIRO, enquanto os outros 90% PERDEM TODOS DINHEIRO (não fazem qualquer lucro); no outro sistema, TODA A GENTE GANHA DINHEIRO (há uma coisa chamada salários, que assegura essa questão), embora a distribuição dos rendimentos seja feita com base numa hierarquia de responsabilidades/qualificações, que só faz mesmo é sentido – um gestor ganha de acordo com aquilo que a sua qualificação lhe exige.

    A Sra. pode discutir a injustiça na distribuição dos rendimentos, e eu sou o primeiro a entrar consigo nessa luta, mas não venha baralhar as coisas metendo um esquema piramidal na comparação – nesse, é matematicamente comprovado que 90% não ganha um tusto (quer um exemplo concreto: leia o que se está a passar no Reino Unido com a Amway e olhe bem para os valores dos rendimentos)

    ——————

    O que acredito sinceramente que pode ditar o sucesso desta empresa será a vontade da mesma em aumentar as suas vendas directas, para garantir a continuidade do projecto e ganhos para todos os elementos da estrutura, assim sendo estamos perante uma empresa com grandes potencialidades, com um produto inovador, com uma forte capacidade de distribuição e com um sistema de compensações absolutamente extraordinário. Naturalmente serão os que melhor se posicionaram que irão obter maiores proveitos, os que tomaram a iniciativa de arriscar um pouco para conseguir algo maior… Os que não arriscarem não perdem nada, mas também não terão hipóteses de ganhar!”

    > Só para complemetar o que foi dito aqui: Quando uma empresa se apresenta como sendo de “Vendas Directas” e depois ninguém na rede vende o que quer que seja, e mesmo assim o negócio expande à velocidade da luz, o que é que se conclui? – Conclui-se que estamos na presença de uma pirâmide. Que mais se conclui? Conclui-se que a empresa fecha os olhos à situação, porque até lhe convém que o negócio se oriente dessa forma, e que opera no mercado numa evidente pseudo-imagem, numa fachada de hipocrisia bem intencionda (a saude) capaz de enganr meio mundo.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  52. Josawa permalink
    29/01/2008 15:58

    Deixem-se de tretas!
    O que leio neste blog é muita falta de educação e muita prepotência de alguns indivíduos, que para fazer valer os seu pontos de vista recorrem a dados fictícios e absurdos.
    Ninguém vai cair em banca rota por se associar á Agelmania nem sequer vai ter problemas de saude por tomar o dito gel, portanto se assim é, qual é o problema? O problema é a mesquinhês daqueles que só sabem dizer mal.
    É apenas um jogo! E num jogo existe sempre a possibilidade de ganhar, por mais remota que seja.
    Vai a jogo quem quer quem não vai…… beba água.

  53. 30/01/2008 8:07

    “Deixem-se de tretas!”

    > Quer elaborar o que é que considera “tretas” ao certo?

    —-

    O que leio neste blog é muita falta de educação e muita prepotência de alguns indivíduos, que para fazer valer os seu pontos de vista recorrem a dados fictícios e absurdos.”

    > Quais são esses dados fictícios a absurdos? Podemos saber? É que isso é uma afirmação VAGA, VAGA, VAGA.

    ———–

    Ninguém vai cair em banca rota por se associar á Agelmania nem sequer vai ter problemas de saude por tomar o dito gel, portanto se assim é, qual é o problema?

    >> Alguém afirmou alguma dessas coisas? Por acaso até defendo exactamente isso que a Sra. está a dizer: Ninguém vai ficar na bancarrota com a Agel e acho que ninguém vai ter problemas de saúde (nesta segunda afirmação não ponho as mãos no fogo).

    ————

    O problema é a mesquinhês daqueles que só sabem dizer mal.

    > Grande verdade. Dizer mal dos outros sem explicar fundamentos e razões é uma grande mesquinhez. Olhe, dou-lhe um exemplo: os tipos da Agel que me apresentaram o negócio, fartaram-se de me dizer que a Herbalife era um mau negócio, porque já estava em fase de saturação do mercado, e no entanto não apresentaram nenhum estudo válido para sustentar essas afirmações. É só um exemplo. Há outros.

    ————-
    “É apenas um jogo! E num jogo existe sempre a possibilidade de ganhar, por mais remota que seja.”

    > A Sra. chama-lhe um jogo? Está bem. É um ponto de vista aceitável. O que não é aceitável e propor o jogo a muita gente e divulgar as regras erradas, baseadas em falsos pressupostos. Numa coisa a Sra. tem razão: há sempre a possibilidade de ganhar, POR MAIS REMOTA QUE ELA SEJA.

    Cumprimentos,

    Pedro

  54. Eduardo permalink
    30/01/2008 10:44

    Josawa,

    Obrigado pela dica, prefiro mesmo água.
    Ah, também prefiro o jogo claro e a honestidade, tá?

  55. Paulo Silva permalink
    31/01/2008 21:08

    Por favor, entendam-se. Esclareçam de facto todos os que se dedicam investigar, aprender, obter informação! Aqui (penso) não devem prevalecer ódios intestinais – sábe-se lá com que origem. Negócio é risco ! Sem vendas não há empresas ! Será a AGEL o monstro roubador ? Por que será que nenhum dos comentários anexos têm origem em pessoas que foram de facto prejudicadas pela AGEL ? Não sou parte interessada de momento mas penso vir a investir. Talvez na AGEL (porque não?) Agradeço no entanto as críticas de todos os presentes, que até agora, tendo em conta o que li, nunca arriscaram nenhum cêntimo, pelo menos nesta empresa. Bom, esses, pelo menos, de certeza que não tiveram prejuízo! “Gosto muito do sorriso das crianças dos outros…” De resto agradeço a filantrópica preocupação de todos os que não ezitam em proteger os que não estão em perigo, mas virão a estar ! Pelo menos não desmotivem quem faz pela vida, (sem armas não mão, claro) Já agora comecei a estudar os produtos. Sabem que a glutamina está na origem dos glucosaminoglicanos , que por sua vêz promovem a condroprotecção? (condrócitos = células da cartilagem) ou será que o produtos não tem glucosamina de acordo com a composição ?= Isto sim seria caso de polícia ! Cumprimentos respeitosos para todos, sem excepção.

  56. 01/02/2008 8:37

    Sr. Paulo,

    Não entenda os meus comentários como críticas negativistas, por favor.

    “Por favor, entendam-se. Esclareçam de facto todos os que se dedicam investigar, aprender, obter informação! Aqui (penso) não devem prevalecer ódios intestinais – sábe-se lá com que origem. ”

    > E como propõe o Sr. que façamos isso? Eu estou a tentar esclarecer muita coisa no meu blog, embora admita que a prosa por vezes tenda a passar da fronteira da isenção.

    ————–

    “Negócio é risco ! Sem vendas não há empresas ! Será a AGEL o monstro roubador ? Por que será que nenhum dos comentários anexos têm origem em pessoas que foram de facto prejudicadas pela AGEL ?”

    Porque ainda não há muitos prejudicados pela Agel (embora já haja alguns). E de facto essa é uma posição interessante para ser discutida: eu estive quase a entrar para a Agel e se tivesse entrado neste momento estaria a GANHAR DINHEIRO, mas preferi, por uma questão consciência, não o fazer, porque acredito que é um negócio desonesto e fraudulento, com alguns procedimentos ilegais nos mecanismos de funcionamento. E então pergunto-lhe eu: já que não fui prejudicado directamente pelo negócio, e que nem sequer cheguei a entrar na rede, não posso partilhar com os demais tudo aquilo que penso da Agel?

    ———

    “Não sou parte interessada de momento mas penso vir a investir. Talvez na AGEL (porque não?) Agradeço no entanto as críticas de todos os presentes, que até agora, tendo em conta o que li, nunca arriscaram nenhum cêntimo, pelo menos nesta empresa. Bom, esses, pelo menos, de certeza que não tiveram prejuízo! “Gosto muito do sorriso das crianças dos outros…” De resto agradeço a filantrópica preocupação de todos os que não ezitam em proteger os que não estão em perigo, mas virão a estar ! Pelo menos não desmotivem quem faz pela vida, (sem armas não mão, claro)”

    > Então sugere que nos calemos? Sugere que “deixemos de proteger aqueles que não estão em perigo”? Para não desmotivar quem faz pela vida?
    Ao menos que esses tenham à disposição um ponto de vista diferente daquele que lhes é impingido pela Agel (no caso).
    De facto, não arrisquei um cêntimo, mas mesmo que já entrasse a ganhar, sem qualquer risco envolvido, eu não entraria. NÃO É PELO DINHEIRO. NÃO É PELO RISCO.

    ———

    ” Já agora comecei a estudar os produtos. Sabem que a glutamina está na origem dos glucosaminoglicanos , que por sua vêz promovem a condroprotecção? (condrócitos = células da cartilagem) ou será que o produtos não tem glucosamina de acordo com a composição ?= Isto sim seria caso de polícia ! ”

    > Peço desculpa, mas aqui deixou-me completamente para trás… O que quer dizer com isto – confesso que não percebi. O Sr. fala em termos técnicos que desconheço.

    Cumprimentos,

    Perdro Menard

  57. Paulo Silva permalink
    01/02/2008 15:18

    ” E como propõe o Sr. que façamos isso? Eu estou a tentar esclarecer muita coisa no meu blog, embora admita que a prosa por vezes tenda a passar da fronteira da isenção.”
    Como disse e bem talvez a proza não o ajede a credibilizar e insentar a sua honesta intenção (note que deste facto não tenho em boa verdade qualquer dúvida!).


    (…se tivesse entrado neste momento estaria a GANHAR DINHEIRO, mas preferi, por uma questão consciência, não o fazer…)

    Por necessidade avalio neste momento todas as possibilidades de realizar dinheiro ( honestamente, claro! ). Há quem não nessecite. Não tenho nada contra. De resto haveria muito a dizer sobre as pessoas acima de nós, socialmente que colocados política, e socialmente, ou integradas em lobbis, fazem escandalosamente da nossa prezada sociedade, uma verdaddeira pirâmide ! Pior do que ser declaradamente ilegal, desonesto ou não solidário é mascarar-se a coberto de leis que nas entrelinhas nos prejudicam a todos… mas bom, este não é o tema.

    ” Então sugere que nos calemos? Sugere que “deixemos de proteger aqueles que não estão em perigo”? Para não desmotivar quem faz pela vida? ”

    Nunca !, e agradeço desde já a sua preocupação es trabalho neste blog !
    O que sinteticamente discordei foi a forma como foi posta em causa este negócio!
    Ninguém questionou os prudutos na sua composição, utilização ou forma de apresentação! Ninguém os comparou objectivamente com a concorrência!
    Não concordo com a forma como estes produtos são apresentados. De facto parece-me que se trata de um foco exagerdao no plano de compensações e mais valias económica que possam advir da sua comercialização/divulgação. É cultural meu caro! A malta por cá quer enriquecer depressa e bem. (perdoe-me a brejeirice mas não é só neste caso…)
    Eu próprio tenho dúvidas:
    Qual a garantia dada ao consumidor destes produtos ?
    Quem assume a responsabilidade prática e objectiva dessa garantia ?
    Como se efectual legalmente uma reclamação?
    Como se vende o produto sem factura no caso de venda directa?
    Como se retem a matéria colectável com origem no plano de compensações
    se não são exigidos recibos verdes?
    Aonde se encontra o certificado de homolgação (=licença de comercialização)
    Qual o perecer do INFARMED nesta matéria (imprescindível dado o tipo de produto e sua utilização)?
    Porque é que as embalagens de Gel não têm o preço afixado (nas que vi, pelo menos)?
    As amostras/encomendas farse-ão acompanhar de guia de remessa/transporte?
    Qual a formação necessária para o aconselhamento de cada um dos produtos? Há ? Quem forma?

    … enfim, haveria mais…

    Perdoe-me mais uma vêz mas parece-me que só depois de respondidas questões como estras se deverá questionar todo o resto.

    ” Peço desculpa, mas aqui deixou-me completamente para trás… O que quer dizer com isto – confesso que não percebi. O Sr. fala em termos técnicos que desconheço ”

    Eu é que devo pedir desculpa por talvez ter sido impreciso no objectivo do comentário. Existe um produto designado Agel FLX. Ao ler a sua composição
    conclui que alem do excipientes contem Cloridrato de Glucosamia e Condroitina. Após pesquisa concluí que são realmente produtos utilizados pela industria farmacêutica para o objectivo proposto pela Agel. Não gosto de comentar algo que não compreendo. Proponho que consulte Sites como: Infarmed, Apifarma, EMEA… onde após selecção da informação disponível (não é fácil mas com um pouco de paciência…) poderá encontara algo objectivo. Não encontrei ainda muito mas …

    Finalmente e reportando-me a algo mais atráz:

    ” Numa coisa estou efectivamente de acordo e será uma preocupação muito relevante que é a “aparente” falta de focus nos produtos, que afinal deveriam ser a base de todo o negócio. Contudo achei algo hipócrita ou ingénua afirmações como esta:
    “ O preço é elevado de mais para um suplemento alimentar que tem produtos concorrentes no mercado a um preço muito mais baixo.”

    Provavelmente os dois têm razão (não na totalidae, considero.)
    O preço é discutível. Só comparando efectivamente. vteria que se esclarecer a vantagem a formulação galénica (Gel) de forma inquestionável.

    Em relação ao primeiro comentário, não tenho dúvida, o produto deveria ser o foco da Empresa, não todo o resto.

    Melhores cumprimentos

  58. 01/02/2008 19:07

    Sr. Paulo Silva,

    “Ninguém os comparou objectivamente com a concorrência!”

    Aguarde mais uma ou duas semanas e terá um estudo comparativo no meu blog. Unicamente digirido à questão PREÇO e COMPETITIVIDADE, contudo.

    Daquilo que já andei a investigar, há dezenas de produtos concorrentes à venda no mercado português, alguns deles comercializados exlcusivamente em farmácias, e com um preço bastante mais baixo (na ordem das 2x a 3x). Não estão em gel, mas são concorrentes, na medida em que anunciam os mesmos benefícios.

    Cumprimentos,

    Perdro

  59. 05/02/2008 10:56

    Produtos AGEL

    Em relação aos produtos, de salientar as qualidades do FLX composto por Glucosamina, Chondroitina, MSM, Celadrina, se for efectuar alguma comparação que o faça com produtos com as mesmas substâncias (desde já o informo que terá dificuldades em encontrar produtos que concentrem todos os 4 “ingredientes”, muito mais difícil será encontrar a metade do preço), de referir que a inovação da Agel se prende com a forma de distribuição (GEL) e com a capacidade de absorção por parte do organismo das substâncias contidas no gel .

    Efectivamente existem no mercado produtos semelhantes a 50% do preço e o facto de ser em gel não tem apenas como efeito o facto dos produtos entrarem mais rapidamente na corrente sanguínea, mas e sim com o facto de poderem ser absorvidos a 100% pelo organismo, o que não sucede com a maioria dos produtos em cápsulas duras e de difícil absorção.

    Cumprimentos,
    M

  60. Pedro permalink
    07/02/2008 13:03

    Olá,
    não consegui ler todos os comentários….começei a ficar chateado….
    Aos pseudo-inteligentes, que me parece que sabem tudo e mais alguma coisa peço apenas uma ajuda:
    – Sabem de algum negócio\investimento que não tenha risco? Se algum souber e parece que devem saber, s.f.f. DIGAM-ME.
    Tudo depende da capacidade de cada um em gerir o seu negócio, ponto final…
    O COMBOIO PASSA, UNS APANHAM O COMBOIO, OS OUTRS FICAM A OLHAR…
    Tudo bem, não cabe toda a gente no comboio, agora não digam mal ou não critiquem quem o apanhou…
    Para quem nos critica, digo apenas, BONS NEGÓCIOS, isto se os tiverem, porque prvavelmente têm o seu emprego numa empresa estável e pronto, não estão para se chatear…OK, Também é uma opção e igual a vocês existem e vão continuar a existir muitos…..
    Abraço!!!

  61. 07/02/2008 15:26

    Caro(a) M.,

    “Em relação aos produtos, de salientar as qualidades do FLX composto por Glucosamina, Chondroitina, MSM, Celadrina, se for efectuar alguma comparação que o faça com produtos com as mesmas substâncias (desde já o informo que terá dificuldades em encontrar produtos que concentrem todos os 4 “ingredientes”, muito mais difícil será encontrar a metade do preço),”

    >>> Se eu fosse comparar com produtos que têm as exactasm mesmas substâncias, nunca iria poder fazer a comparação de nenhum produto, Agel ou não Agel, poruq cada marca diferente publicita e comercializa uma solução composta por substâncias diferentes – por vezes algumas delas repetem-se de produto para produto. Se um porduto da concorrência não tem determinadas substâncias que os da Agel têm, os da Agel também podem não ter outros que os da concorrência têm. LOGICAMENTE!

    Também me parece claro que cada marca tende a dizer que é melhor que as outras PORQUE tem esses ingredientes diferentes. Estaria sempre entre a spada e parede se fosse fazer as coisas dessa forma.

    Não. A minha abordagem vais ser outra. Dou-lhe um exemplo: produtos para emagracer que não necessitem de receita médica (podem ser suplementos alimentares) – quais é que há no mercado? quanto custam? que benefícios oferecem ao consumidor?

    A perpsectiva será SEMPRE: “Se eu quiser emagrecer (e não me apetecer fazer exercício), o que é que eu posso tomar para atingir o objectivo.

    ———————————————–

    ” de referir que a inovação da Agel se prende com a forma de distribuição (GEL) e com a capacidade de absorção por parte do organismo das substâncias contidas no gel .”

    >> Concordo consigo quando diz que há aqui uma inovação. Pelo menos no que concerne a disponibilizar, em gel, algumas soluções que não existiam no mercado (português) nesse estado. Contudo, devo salientar que essa inovação deve representar uma mais valia para o consumir, e que essa mais valia tem de ser comparada com outras possíveis mais valias existentes noutros produtos concorrentes.
    O consumidro final deverá depois avaliar as soluções disponíveis e optar pela que melhor se adequar ao seu gosto/possibilidade.

    ———————–

    “Efectivamente existem no mercado produtos semelhantes a 50% do preço e o facto de ser em gel não tem apenas como efeito o facto dos produtos entrarem mais rapidamente na corrente sanguínea, mas e sim com o facto de poderem ser absorvidos a 100% pelo organismo, o que não sucede com a maioria dos produtos em cápsulas duras e de difícil absorção.”

    > Não queira tirar já conclusões precipitadas.

    Ponto 1 – Se estiver na disponibilidade de me mostrar um estudo/artigo recente que aponte para essa evidência – que “a maioria dos produtos em cápsulas é de difícil absorção” hoje em dia -, eu depois mostro-lhe outros que apontam em sentido contrário. Isto no que diz respeito a multivitamínicos, pelo menos.

    Ponto 2 – O seu argumento acaba, também e por outro lado, no instante em que o produto concorrente estiver sob a forma de líquido.

    Ponto 3 – 50% é uma percentagem eufemística. Que tal se eu lhe mostrar concorrentes a 30%? e a 25% do preço? (no sector dos multivitamínicos, há umas cápsulas a 8€ – que são só mesmo vitaminas, verdade eja dita – isso dá a incrível percentagem de 13% em relação a uma caixa de saquetas Agel).

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  62. jota permalink
    12/02/2008 8:49

    Oi, pessoal

    Para todos os que fazem comentários aqui…os meus parabéns!

    Primeiro porque dão importância a um negócio como a Agel.

    Depois porque ajudam a esclarecer dúvidas que surgem.

    E ainda porque fazem ver que todos os lados têm o seu ponto de vista, uns a favor outros contra, uns com razão outros sem razão, mas todos de consciência tranquila.

    Abraço

  63. Angela permalink
    13/02/2008 1:50

    Entao depois de ler alguns dos comentários, fiquei preplexa com algumas das alegações efectuadas, contra e favor. Deve haver um pouco de racionalidade naquilo que dizem ou criticam. Só entra quem quer. Cada pessoa tem direito à escolha de uma forma de vida, se todos fossemos médicos, não existiam mecânicos, cozinheiros etc…. Ainda bem que todos temos opiniões diferentes que nos levam a seguir caminhos diferentes.
    Quanto aos produtos Agel, conheço muito pouco, mas tal como foi alegado por algumas pessoas….. que os produtos deveriam ser testados para que se soubesse realmente se actuam ou não. E como podem garantir que nao foram testados? E porque ingerem tantos alimentos no dia-à-dia, e também nao exigem os seus testes para verificar se são reais as alegações das empresas produtoras?
    Qts pessoas bebem leite “enriquecido” em cálcio? E será que é assim tao real…. “ossos mais fortes”??? Será que sim???
    E quanto aos estudos cientificos…. uns dizem que sim…. outros dizem que nao…. claro tds defendem as suas ideias. A ciencia não é assim tao linear tao exacta tao simples, e tb tem mts falhas.
    Segundo o conhecimento que possuo, os produtos Agel sao constituidos com base em produtos vegetais. E a eterna discussao dos produtos de origem animal como é a gelatina royal. Segundo a ciencia os produtos mais saudaveis pra o ser humano sao tds os que provenham de uma origem vegetal.
    E outro factor que pude verificar é que o produto teve autorizaçao da ASAE para ser comercializado( Julho de 07), por tal acredito que os produtos hao-de ter algumas credenciais de qualidade e segurança.
    Mais a mais, nao sei se tem conhecimento mas o marketing multinivel é um futuro muito proximo para todas as empresas, esta mais que provado que é economico, rentavel, com poucas politiquices, dinamico, inovador. Claro que também tem os seus defeitos………mas o que nao tem defeitos neste mundo???? Tudo tem pros e contras.
    Acho que as pessoas deviam crescer e deixar de ser mesquinhas, e adaptarem as mudanças que sao cada vez mais rapidas devido a evoluçao que o homem provoca todos os dias, é claro que todos sao livres de dar a sua opiniao, mas se assim for, pensem primeiro 20x antes de falar ainda metem os pes pelas maos.
    Qt ao aspecto da concorrencia ainda bem que existe, é graças a ela que no mundo dos negocios ocorrem inovações e tantas outras coisas.
    Qt à historia de negocio por piramide…… nao sei qual é a novidade aí……. o que é que sucede em todas as empresas ou quase todas???? Nao é uma piramide??? Presidente no topo, operario na base….. e….. quem garante ao operario que vai ficar ali o resto da vida, com um ordenado seguro???? Ninguem…. (e eu sei o q isso é) Hoje em dia em qq tipo de emprego, trabalho ou algo que se pareça correm-se riscos a toda a hora. E como se diz “quem nao arrisca nao petisca”.
    Sabem o que vos digo….. Isto é óptimo sabem para quem….????? AGEL…… porque já alguém disse “Falem bem ou mal nao me interessa. O que me interessa é que falem”. É que além de a Agel ganhar no marketing multinivel, ganha no marketing boca-a-boca. Axo que existem situaçoes bem mais gravosas neste país pra se discutirem, situações essas que vao afectar o futuro de mta gente (país inteiro) e aí ninguem tem escolha se quer correr o risco ou nao, todos tem de sofrer com as consequencias disso. Por isso vejam se discutem algo com mais peso e mais significado para td a sociedade portuguesa. Como os casos de corrupçao em bancos, em partidos, em clubes. A construçao do novo aeroporto, do TGV, e tantas outras coisa smais que nos vao afectar a todos……. o que pode suceder de forma positiva ou mto negativa…..
    Boa noite

  64. lisboa permalink
    16/02/2008 11:20

    avon,agel,herbaterra ,ferro de engomar voadores,esfregonas super,raladores de legumes,facas ginzo etc.. ,cartilagem de tubarãoFOI O MELHOR .fui vendedor vendemos muito. toda equipe de norte a sul de portugal ,somos profissionais hoje ja não atuamos ,na verdade tudo e fantasia ilusão ,não existe nada milagroso era o poder de persuasão e mais tecnicas,vendemos para Advogados,doutores,apresentadore,aposentados e facil ,domesticas,cientistas metidos a espertos,gahamos muito… dinheiro ,a noite riamos ,demostrçoes para 50 pessoas 35 caiam ,ingleses,portugueses,africanos as vezes o aparelho ate pegava fogo,mas nao deixava-mos o cliente notar ,tenho saudades ,recebi propostas de imobiliaria lider no mercado,telefonia movel entre outras tantas,escolhi uma multi nacional portuguesa credivel,lembre-se que o show do vendedor as vezes vale mais do que o produto ,e um momento de distrção.o ser humano as vezes pede para ser ludibriado.entao viva a ageleloides herba,esfregona,tiramancha,crecimento para cabelo e ralador de legumes.LP 28 Anos

  65. sam permalink
    17/02/2008 17:21

    Realmente os produtos sao bons, tomo e ja dei para experiencia a amigos que realmente notaram os efeitos do FLX,o OHM e o FIT, com resultados comprovados.
    Depois de tudo o que li aqui , chego a conclusao que ha muita gente que fala do que nao sabe…
    Acho que ainda ninguem referiu o facto de o GelMATRIX estar patenteado por 15 anos…

    Sam, eusoAGEL.

  66. 18/02/2008 12:40

    tenho pena de so ter encontrado este blog neste exacto momento,porque quero muito responder a muitas perguntas, acusaçoes, teorias não fundamentadas, que aqui li neste blog.
    desde ja tao todos de parabens porque a bem ou a mal estao a fazer com que as pessoas pesquisem as diferenças entre marketing multinivel e esquemas de piramides, o que para mim é uma optima publicidade para alertar contra o negocio de esquemas maliciosos.ç
    daqui a duas semanas voçto a afixar um post sobre marketing multinivel e esquemas de piramides
    um grande bem haja para todos
    torra

  67. m jõao permalink
    23/02/2008 22:25

    caro sr Pedro Menard
    O sr escreveu agel o esgosto do capitalismo…… Nao admira a sua boca é uma FOSSA

  68. m jõao permalink
    23/02/2008 22:53

    Caro sr Pedro Menard e orbitoídes
    Não se dê ao trabalho de me retribuir o piropo. Só não percebe quem não quer, o sr é habil com as palavras, mas para lhe facilitar a eloquência tenho a dizer-lhe que SOU AGEL GRAÇAS A SI; que me espicaçou o interesse de conhecer a AGEL.
    Como quem desdenha quer comprar…. fui ver e espante-se gostei, assim como vão gostar muitas e muitas pessoas.
    Não se preocupe com o acabar dos interessados….. porque onde o sr e os seus orbitoídes só viram desgraça outras pessoas vêm um negócio que pode não ser de milhões, mas se certeza absoluta vai ajudar a aumentar os ganhos de qualquer família.
    O sr desafia as pessoas que chegam hoje da Agel a mostrarem oos seus e eu desafio-o a montar um negócio com 930€ (investimento máximo).
    Como o sr se acha um expert nestes assuntos (gostava de saber a sua formação e credebilidade) o que aconselha as “pobres pessoas enganadas”…
    Que tal investir na bolsa? Se calhar com a sua visão distorcida, è seguro, sem riscos, compram-se umas acções baratinhas, não è MLM, ñão é piramide… não é nada é um jogo.
    Dos fracos não reza a história, A AGEL É MESMO BOM, por isso merece tantos comentários a tentar roubar o entusiasmo as pessoas.
    Vá de férias, que é o que precisa
    JÓ (mas não sou tão pobre como o da Biblia, mas acredito que se esforçar e trabalhar, vou alcançar os meus sonhos)

  69. 24/02/2008 18:59

    Caro(a) m João,

    “Não se dê ao trabalho de me retribuir o piropo.”

    >> Não faz bem o meu género e não tencionava.

    ———————

    ” Só não percebe quem não quer, o sr é habil com as palavras, mas para lhe facilitar a eloquência tenho a dizer-lhe que SOU AGEL GRAÇAS A SI; que me espicaçou o interesse de conhecer a AGEL.”

    >>> Prefiro acreditar que só está a dizer isso para me espicaçar.

    —————————

    Como quem desdenha quer comprar…. fui ver e espante-se gostei, assim como vão gostar muitas e muitas pessoas.”

    >>>> Acredito. É difícil resistir a uma tão bem-intencionada oferta de dinheiro.

    ———————–

    “Não se preocupe com o acabar dos interessados….. porque onde o sr e os seus orbitoídes só viram desgraça outras pessoas vêm um negócio que pode não ser de milhões, mas se certeza absoluta vai ajudar a aumentar os ganhos de qualquer família.”

    >>>> Falácia. Mentira. Falta de raciocínio, no limite. Mais de 90% dos inscritos nunca vão ter qualquer lucro. É a matemática que o prova. Qualquer sistema piramidal acaba nesta realidade e a Agel não é um excepção.

    —————————

    “O sr desafia as pessoas que chegam hoje da Agel a mostrarem oos seus e eu desafio-o a montar um negócio com 930€ (investimento máximo).”

    >>> Para que é que eu faria isso? Que interesse tem? Qualquer MLM que haja para aí tem valores de entrada desse nível, ou até mais baixos. Sabe quanto é que paga para entrar na Amway em Portugal? Não? então investigue, por favor. É quase NADA. É um bom negócio? Não sei. Será talvez tão bom ou tão mau como o da Agel. E também comercializam um produto feito à base de Gel…

    —————

    Como o sr se acha um expert nestes assuntos (gostava de saber a sua formação e credebilidade) o que aconselha as “pobres pessoas enganadas”…”

    >>> Está enganado(a). Eu não me considero um expert. Pelo contrário. Considero-me tão ignorante como qualquer outra pessoa.

    ————–

    “Que tal investir na bolsa? Se calhar com a sua visão distorcida, è seguro, sem riscos, compram-se umas acções baratinhas, não è MLM, ñão é piramide… não é nada é um jogo.”

    >>> Mas quem lhe diz que eu não invisto na bolsa?

    “Dos fracos não reza a história, A AGEL É MESMO BOM,”

    >>> Desculpe, mas não acredito nas suas palavras. Prefiro acreditar na minha intuição (baseada, claro, em quatro meses de investigação a fundo).

    ” por isso merece tantos comentários a tentar roubar o entusiasmo as pessoas.”

    >>> Juizo de Valor. Eu não tento “roubar o entusiasmo as pessoas”, tento antes alertar para a enormidade de contradições e falsidades que a Agel representa. Quem está dentro da rede tentará sempre deitar-me a baixo – até agora sem sucesso. Mas não se preocupe, o Sr.(a) não é o primeiro a tentar e certamente não será o último.

    Cumprimentos.

  70. AGEL MEMBER permalink
    29/02/2008 20:07

    Caro PM,
    Nós todos que estamos neste negócio,afirmamo-lo com a convicção de que não devemos nada a ninguem,gostaria se fosse possivel nos disse-se qual é o ramo de negócio de que é proprietario/funcionario?

    Concerteza não terá nenhum problema em faze-lo pois será um negócio/emprego sério,credivel onde o seu vencimento provem de serviços necessários a qualquer um ou produtos que qualquer pessoa deveria comprar.
    Não necessita de dizer o nome da empresa como é obvio,caso a sua resposta não seja concreta ficarei bastante desiludido com alguem que com convicções baseadas em estudos profundos não tenha a noção ou tenha algum tipo de reserva em relação ao que faz na vida.
    Cumprimentos

  71. 03/03/2008 13:33

    Caro Agel Member,

    “Nós todos que estamos neste negócio,afirmamo-lo com a convicção de que não devemos nada a ninguem,”

    >>> Eu tenho pena que toda essa convicção seja um engano. O Sr., e todos os que estão nesse negócio, estão-se a basear numa mentira. Pior que isso, estão a defendê-la cegamente – provavalmente porque há dinheiro ao virar da esquina.

    O Sr., por acaso, fez alguma investigação por sua conta, para saber se o que lhe dizem na Agel é verdade ou é mentira? Ou limitou-se a engolir a comida que estava no prato e a sugeri-la às outras pessoas?

    ———————

    “gostaria se fosse possivel nos disse-se qual é o ramo de negócio de que é proprietario/funcionario?”

    >>> Trabalho numa empresa relacionada com publicidade – como funcionário. Não tenho jeito para ser patrão, mesmo que quisesse sê-lo.

    ——————————

    “Concerteza não terá nenhum problema em faze-lo pois será um negócio/emprego sério,credivel onde o seu vencimento provem de serviços necessários a qualquer um ou produtos que qualquer pessoa deveria comprar.”

    >>> Certo. Sério e credível, pelo menos do ponto de vista que não está a enganar ninguém com a sua actividade – nem eu ando a enganar ninguém com o trabalho que presto para esta empresa.

    —————

    “Não necessita de dizer o nome da empresa como é obvio,caso a sua resposta não seja concreta ficarei bastante desiludido com alguem que com convicções baseadas em estudos profundos não tenha a noção ou tenha algum tipo de reserva em relação ao que faz na vida.”

    >>> Não percebi muito bem esta parte.

    Poderia o Sr., pela hipotética resposta que lhe desse a propósito daquilo que faço na vida, e caso esta (resposta) não fosse concreta, inferir que eu “não tenho a noção” ou “que tenho algum tipo de reserva” em relação a esse mesmo trabalho?

    Como consegue o Sr. essa proeza?

    Pessoalmente, estou-me nas tintas se o Sr. ficar (bastante) desiludido comigo ou não. Eu não pauto a minha actuação pelas alegrias e tristeza de alguém que não conheço de lado nenhum.

    Cumprimentos.

  72. Ceptico permalink
    04/03/2008 10:41

    Realmente não vejo ninguem a mostrar indices de riqueza e ate conheço quem tenha aderido, mostrem-me essas traferencias a dia 15, vá lá, mostrem-me o vosso IRS, mas irei ficar feliz quando toda a população portuguesa q a grande parte n tem onde cair morta, aderir á AGEL e resolver todos os problemas finaceiros deste país, mundo, universo e arredores….

    Se o governo descobre esta forma de rendimento facil tambem irá a deriri e provavelmente criar uma lei de obrigatorieadde, par sair de crise.

  73. 04/03/2008 12:02

    O que eu gostava de ver era mesmo toda a gente da Agel que se qualificou acima do ranking de “Director” em 2007 a divulgar publicamente as declarações de rendimentos e folha do IRS.

    Duas coisas eram logo verificáveis: se eles estão a receber aquilo que dizem receber, e se não está a haver fuga aos impostos (basta não prencher o anexo J, ou, optar por criar contas bancárias no estrangeiro para os recebimentos).

    Mas como já sei que isso nunca vai acontecer – até porque eles estão proibidos pelo contrato de divulgar qualquer valor respeitante aos rendimentos…

    Tem piada, não tem? Uma empresa que promete mundos e fundos a quem se inscrever, depois proíbe as pessoas de divulgarem os rendimentos efectivos. Mais um ponto favor da transparência!

    Cumprimentos.

  74. 06/03/2008 8:47

    Caro Rui Batalha,

    De facto começo a perder a paciência para comentar comentários como o esse, que nada de útil trazem à discussão. O seu, em particular, limita-se a tentar insultar-me de várias maneiras (— parvalhão, idiota, espertalhao —).

    Cumprimentos.

  75. Renata permalink*
    06/03/2008 14:29

    Respeito e civilidade sao obrigatorios e muito me espanta ter que escrever este tipo de coisa.

    Comentarios insultuosos e sem relacao com o objeto do post nao ficarao no blog.

    Os leitores nao merecem.

  76. 07/03/2008 9:46

    Está feito. Acabo de publicar provas concretas da ilegalidade da Agel no meu blog.

    Aguardo, com espectativa, os comentários da comunidade Agel.

    Para que não restem dúvidas, e resumindo as coisas a uma única frase: a Agel está a operar um esquema ilegal de Vendas em Pirâmide em Portugal.

    Cumprimentos.

  77. permalink
    09/03/2008 23:38

    “Ha e tal.. e se nao arranjar ninguem…” Quem aderiu à agel, pode estar interessado nos produtos e na forma de negocio; ou simplesmente apenas nos produtos!!

    “Ha pois,…kem entra depois fica sempre a perder ou ganhar menos do que o de cima, logo é piramide” Mentira!!
    Uma pessoa abaixo de outra pode muito bem ganhar mais do que outras que estao acima. Porque? Bem antes de começarem a discutir aquilo que pouco sabem, procurem saber…

  78. gap permalink
    09/03/2008 23:44

    Uma pessoa abaixo de outra pode muito bem ganhar mais do que outras que estao acima. Porque?

    kkkkk… então responda o porquê, pois eu acho isso a maior mentira do mundo. Se é assim, então por que os sites da Agel estão enfatizando que as pessoas devem entrar agora, no começo? Ora, então por que vc não entra daqui a 10 anos na Agel, pra comprovar tua teoria de que é possivel ganhar mais estando na base da pirâmide?

    Nota: provavelmente um comentarista “chupim” que não fornecerá tréplica.

  79. 10/03/2008 8:29

    Relativamente aos produtos milagrosos da agel:
    cada cx com 30 saquetas custam +- 50 €
    O bem ou mal que possam fazer é relativo; até os produtos considerados naturais podem ser prejudiciais e terem contraindicações( vitamina C em excesso pode ser muito prejudicial).
    Se tomar 2 produtos gasto cerca de 100 € por mes! Parece-me que na relaçao qualidade/preço devo ficar pelos suplementos que existem no mercado( os quimicos).

    Na verdade todos somos da opiniao que nada melhor que uma alimentaçao saudavel e um pouco de actividade fisica para nos sentirmos bem; se optarmos por suplementos estamos a optar pelo caminho mais facil( mas para isso é preciso muito dinheiro!!)

    Como tudo mais a agel entusiasma no inicio; daqui a uns meses o entusiasmo nao sera o mesmo.

    Os adeptos esclarecem que uma mais valia da agel é que os produtos vêm directamente do produtor para o consumidor, nao havendo nem canais de distribuiçao, nem armazenamentos nem marketing´s milionarios, etc. Pensei que com isso os produtos fossem claramente mais baratos; parece que o dinheiro que nao investem para promover o produto, sao todos os que aderem a agel que pagam!!!! Fantastico!!!

    Vem uma onda apanha e coloca alguns lá em cima; depois a onda passa e os que estavam em cima ficam em baixo; entretanto a onda já está um pouco mais à frente e coloca outros lá em cima!! Este movimento torna-se ciclico; muita gente será apanhada pela onda. Quando a onda chegar à praia só vao restar os comentarios de quem esteve na “onda”.
    Bons negocios !!

    cmpts

  80. 10/03/2008 9:14

    Caro Zé,

    Cumpre-me aqui e agora desmistificar um mito. Uma tecla em que vocês, AGÉIS, muito batem e não passa de uma falsidade absoluta:

    “Ha pois,…kem entra depois fica sempre a perder ou ganhar menos do que o de cima, logo é piramide” Mentira!!
    Uma pessoa abaixo de outra pode muito bem ganhar mais do que outras que estao acima. Porque? Bem antes de começarem a discutir aquilo que pouco sabem, procurem saber…

    O Sr. antes de falar, devia pensar muito bem nas coisas, porque senão arrisca-se a fazer figura de burro.

    Então é assim: QUAL É A PIRÂMIDE ONDE UMA PESSOA QUE ESTEJA POR BAIXO NÃO PODE GANHAR MAIS DO QUE A QUE ESTÁ POR CIMA?????

    Basta para isso recrutar mais pessoas do que os de cima. ISTO ACONTECE EM QUALQUER PIRÂMIDE – COM PRODUTOS, SEM PRODUTOS, ETC.

    A Agel não é uma excepção, obviamente, para mais tendo a questão das comissões dos 10% e da alavancagem em constante renovação períodica – mensalmente. É lógico que quem tiver recrutado mais pessoas, mas dinheiro ganha, podendo sobrepor-se aos que estão nas hierarquias acima.

    ENTENDEU?

    Portanto, aqui fica uma pergunta: em que é que a situação que descreve iliba a Agel de ser uma pirâmide?

    (já agora, as características de uma pirâmide medem-se um pouco ao contrário do raciocínio apresentado pelo Sr. Zé: uma pessoa para “se safar” tem de inscrever pessoas para colocar por baixo de si.)

    ——————

    “Ha e tal.. e se nao arranjar ninguem…” Quem aderiu à agel, pode estar interessado nos produtos e na forma de negocio; ou simplesmente apenas nos produtos!!

    Quem estiver interessado apenas nos produtos não tem nada a temer. Por duas razões: 1 – Podem não aderir à rede a tornarem-se clientes preferenciais – o preço a pagar pelos produtos é o mesmo. 2 – Quem, mesmo assim, aderiu à rede apenas por causa dos produtos (situação que considero altamente improvável), não se meteu a recrutar pessoas, e logo não está em incumprimento para com a lei.

    Por outro lado, quem recrutou… então é porque não estava interessado apenas em consumir os produtos.

    Caiam na realidade: a ASAE e a DECO chumbaram o modelo de negócio em utilização pela Agel em Portugal.

    Cumprimentos.

  81. permalink
    10/03/2008 10:35

    Parabéns Pedro Menard, já és advovado!
    E nao foi preciso andar 5 anos a tirar o curso! Vai-lhes contar este segredo fabuloso que para perceber de leis basta abrir o livrinho do codigo penal e já está :) Afinal andam la os outros a estudar para que..?!

    Caro colega tem de perceber que em termos judiciais (e em lingua portuguesa também), DO PARECER AO SER ha uma diferença grotesca! UM BURRO parece um cavalo, no entanto nao o é.

    ENTENDEU ?

    Por isso nao tente bancar o advogado se nao o é. Simplesmente nao nos compete.

    Ora veja:

    “da análise da documentação que nos remeteu, e salvo melhor opinião, constatamos que, estamos perante um contrato de “vendas em pirâmide” …”

    Sugerimos que contacte os Serviços do Ministério Público do Tribunal Criminal…” FAÇA ISSO.

    Parece-nos, pois, que as linhas gerais de enquadramento deste negócio integrarão a estrutura de venda em pirâmide…”

    Até agora só vi uma coisa… “PARECE ISSO OU PARECE AQUILO”

    Quando receber uma resposta de um orgao JUDICIAL COMPETENTE com UMA AFIRMAÇAOdefinitiva sobre a legalidade da empresa, a historia muda de figura.

    Só mais um parecer, empresas de Marketing Multi Nivel ja existem a mais de 20 anos.. Amway foi das primeiras e continua de pé. Porque será ? Deve ser por ser “ILEGAL” … mas ainda nao se aperceberam.

  82. permalink
    10/03/2008 10:45

    Mais uma coisa, nao tentem comparar coisas que nao devem ser comparadas. Como, exemplo, comparar a Agel com comprimidos.
    Façam comparaçao com produtos da mesma natureza. Como na SportZone vendem um produto semelhante por pelo menos 2.5€ cada. Por isso nao ha nada de exorbitante (muito pelo contrario)quando uma caixa da Agel que contém 30 unidades é vendida por 55€.

  83. 10/03/2008 13:36

    Caro Zé,

    Aprecio a sua insistência, combatividade e miopia degenerativa generalizada.

    PONTO 1 – Não vejo ao Sr. a responder à questão que propus, pelo que volto a colocá-la: em que é que o facto de determinada pessoa poder ganhar mais do que alguém no upline inviabiliza o negócio de ser uma pirâmide? (e agradeço que não volte a evadir-se à mesma, se não vou achar que o Sr. nem sequer pensou no argumento antes de o colocar online ).

    PONTO 2 – Não sou advogado e não tenho qualquer pretenção em fazer-me passar por um, nem em questões de entendimento da lei, nem em questões profissionais. É uma área que não tem qualquer interesse para mim. Mais: não está aqui em arbítrio se a minha competência para fazer de advogado é válida ou não. Subentende-se que não. Eu afirmo claramente: NÃO – eu não tenho competência para falar de leis.

    PONTO 3 –
    Comentando as suas afirmações relativas a este assunto, o Sr. diz:

    “da análise da documentação que nos remeteu, e salvo melhor opinião, constatamos que, estamos perante um contrato de “vendas em pirâmide

    Sugerimos que contacte os Serviços do Ministério Público do Tribunal Criminal… «FAÇA ISSO».

    Parece-nos, pois, que as linhas gerais de enquadramento deste negócio integrarão a estrutura de venda em pirâmide…

    «Até agora só vi uma coisa… “PARECE ISSO OU PARECE AQUILO»”

    >>>> O Sr. está a comentar a opinião da DECO – e nesse sentido, tem razão no que diz – é uma opinião. Salvo melhor opinião, a DECO pensa dessa forma.

    Já no que respeita à ASAE, entidade que o Sr. cuidadosamente deixou de fora da sua crítica, o caso muda de figura: É ELA A ENTIDADE ESTATAL – UM ORGÃO DA POLÍCIA CRIMINAL – A QUEM COMPETE FISCALIZAR O ASSUNTO. Só para lhe refrescar a memória, a ASAE, a determinada altura, diz o seguinte:

    “Assim, nos termos da lei, a prática descrita configura claramente uma “venda em cadeia””

    —————————————-

    Continuando com aquilo que o Sr. diz:

    “Quando receber uma resposta de um orgao JUDICIAL COMPETENTE com UMA AFIRMAÇAO definitiva sobre a legalidade da empresa, a historia muda de figura.”

    >>> Mais uma vez, a ASAE é a entidade que FISCALIZA o diploma em questão, caso não tenha reparado ou não tenha querido reparar. Não tente dar a volta à questão com o factor “judicial” – não estamos aqui em tribunal. E a ASAE pronunciou-se de forma inequívoca sobre o assunto.

    Quanto ao Ministério Público, por enquanto vou aguardar para ver o que é que acontece nos próximos tempos. Pode ser que a ASAE decida actuar. Não sei se reparou ou não a partir das repostas dadas por eles, mas vai haver mais entidades a terem conhecimento do assunto. Se nada acontecer, então eu tomarei por minha inicitiva as acções que achar apropriadas, incluindo a sugerida pela DECO e pelo Sr.. Esteja descansado que eu não me esqueço do assunto.

    ——————————

    “Só mais um parecer, empresas de Marketing Multi Nivel ja existem a mais de 20 anos.. Amway foi das primeiras e continua de pé. Porque será ? Deve ser por ser “ILEGAL” … mas ainda nao se aperceberam.”

    >>> Se calhar a Amway, em Portugal, não opera segundo os mecanismos piramidais que estão a tramar a Agel. Por acaso, eu sei que não o fazem, PORQUE INVESTIGUEI O ASSUNTO! E o Sr.? Será que investigou? Aposto que não.

    É que de Marketing Multinível a Agel apenas tem uma pálida aparência. Por baixo da máscara é uma pirâmide bem delineada.

    —————-

    PONTO 4 – Quanto à comparação de produtos, o Sr. comete dois erros crassos no seu comentário:

    1) Fala em produtos que existem nas lojas de desporto quando eu não menciono esse mercado na minha “análise comparativa de preços” – por enquanto ainda só vou nos multivitamínicos e nos artigos para as articulações. Quem está a comparar coisas que não devem ser comparadas é o Sr., caso não tenha reparado. Se é essa a sua melhor crítica ao meu trabalho, então acertou mesmo ao lado do alvo. Com grande pontaria e habilidade.

    2) 55€ mais portes de envio, ou será que se esqueceu desses? – Ora, pelas minhas contas, isso dá à volta de 65€!

    ——————–

    No global da sua reposta, só vejo tentativas fraquinhas para tentar negar o óbvio. Argumentos que não chegam para mais do que enfraquecer a sua posição nesta matéria.

    Cumprimentos,

  84. Renata permalink*
    10/03/2008 13:59

    “Assim, nos termos da lei, a prática descrita configura claramente uma “venda em cadeia”….” (trecho da resposta da Asae)

    A Asae informou categoricamente que a Agel infringe a lei. So nao interpreta desta forma quem nao sabe ler, com todo o respeito. Quais serao as consequencias, dificil prever. Mas que trata-se de um precedente fortissimo para combate a esquemas piramidais, ah, nao se pode negar.

    A existencia de MMN ha mais de 20 anos nao quer dizer nada, nao desqualifica as caracteristicas do negocio Agel.
    E a Amway esta muito mal das pernas, inclusive com um mega processo movido na Inglaterra. Informe-se, por gentileza.

  85. Só curiosidade permalink
    10/03/2008 20:48

    Gostaria que me explicassem a razão de um dos grandes grupos economicos deste pais ter aderido ao sistema de marketing multinivel no ramo das telecomunicações,asim como uma empresa de distribuição de pizas ou uma marca de telemoveis estas duas apenas em acções promocionais pontuais.

    Será que tambem estão ilegais?

    Ou afinal o sistema MLM é cada vez mais o meio preferencial para as empresas?
    Alguem pode analizar e colocar aqui as suas conclusões.

  86. augustohf permalink*
    10/03/2008 22:06

    Que grupo? Em que medida? É uma holding? Em que parte da “verticalização” o MMN vigora?

  87. gap permalink
    10/03/2008 22:48

    Gostaria que me explicassem a razão de um dos grandes grupos economicos deste pais ter aderido ao sistema de marketing multinivel no ramo das telecomunicações…

    Muito simples: o MMN dá retorno aos donos e aos distribuidores que ficarem no topo da organização. Já tem até um post falando sobre isso de maneira satírica -> https://industriadadecepcao.wordpress.com/2008/01/25/crie-sua-propria-empresa-de-mmn-em-10-passos/

  88. Ceptico permalink
    11/03/2008 6:23

    Boa, já existe á mais de 20 anos e daí, a prostituição já existe á bem mais tempo e não é por isso que é legal em Portugal, e não é por ser ilegal que desapareceu….

  89. garnier permalink
    11/03/2008 7:47

    Não deixa de ser extraordinário a forma leviana como as pessoas falam de algo que simplesmente não conhecem. Nos inumeros posts que aqui foram colocados os Anti-AGEL não conseguiram explicar o pq de tanto ódio.
    Quem entra na AGEL sabe perfeitamente a regras do negócio, sabe perfeitamente quais as formas de ganhar dinheiro e sabe perfeitamente q pode não ganhar nada. Aliás, como qualquer pessoa q abre um negócio por conta próprio. Qqr um de nós se for abrir uma loja se não tiver cliente fecha. Simples. Na AGEL é igual. Quem entrar na AGEL sabe q precisa de clientes para ganhar dinheiro, a diferença abissal para o resto é q esses clientes sabem perfeitamente q podem ganhar dinheiro com o negócio e assim sucessivamente. Ninguem aponta umaarma à cabeça do outro para que entre na AGEL. É apresentado o negócio e as pessoas aderem se acreditarem, se não acreditarem não aderem. Acho piada falarem da possivel saturação da AGEL quando a Herbalife existe à 26 anos e continua forte. Mostrem uma possibilidade de negócio q com tão pouco investimento possa ter um tão grande retorno?
    Pedem comprovativos dos rendimentos..mas pq? Vocês mostram os vossos? Mas descansem que muita gente não tem qqr problema em mostrar os ganhos…aliás é a maior arma que temos para mostrar o produto às outras pessoas. É q funciona meus caros, funciona mesmo. O conceito de negócio da AGEL é fantástico e é por isso q quem está debaixo de mim pode ganhar 10 vezes mais do q eu. O facto de vocês perguntarem como isso é possivel é a prova q vocês falam sem saberem do q estão a falar. É pena.
    E no hipotético cenário de a AGEL atingir o ponto de saturação rapidamente qual é o problema? irei continuar a consumir os produtos AGEL. Qts daqui q dizem mal da AGEL fumam? Pois…quem fumar um maço de tabaco por dia gasta tanto como eu em produtos AGEL por mês com a agravante q prejudica a sua saúde e dos outros enquanto q eu procuro cuidar da minha. E atenção os produtos AGEL não substituiem refeições, são suplementos alimentares, simplesmente a industria com maior potencial neste inicio de seculo. Por todo o lado se fala em saúde e bem estar, por todo o lado se fala dos problemas de obesidade, por todo o lado se fala da necessidade de comer melhor. isto não é a AGEL q diz, são TODOS os especialistas, TODOS os médicos….estarão todos controlados pela AGEL? Mesmo que a rede se sature (e isso vai demorar MUITOS anos) continuará a existir mercado para os produtos como existe para tantos outros. Por isso a Herbalife continua no mercado.
    Vocês não acreditam no negócio estão no vosso direito. Agora não julguem quem entra pq quem entra sabe o q está a fazer.
    Cumprimentos.
    PS: Caro Pedro Menard não duvido da sua honorabilidade mas dizer q o mundo publicitário não engana ninguem é um pouco forçado não?

  90. 11/03/2008 10:01

    Caro Garnier,

    Eu percebo, no essencial, a sua mensagem e o que quer afirmar com ela, mas acredito que está errada em muitos dos argumentos que utiliza.

    Passo a comentar:

    “Não deixa de ser extraordinário a forma leviana como as pessoas falam de algo que simplesmente não conhecem. Nos inumeros posts que aqui foram colocados os Anti-AGEL não conseguiram explicar o pq de tanto ódio.”

    >>> A maioria dos posts aqui colocados pelos denominados “Anti-Agel” não foram feitos de forma leviana -foram feitos com base em informações credíveis e confirmadas. Há excepções, contudo. Por outro lado, explicar o “ódio” não parece ser o objectivo de tais posts – parece-me que a denuncia de um sistema eticamente reprovável e possivelmente ilegal sejam os objectivos primários a atingir.

    ————

    “Quem entra na AGEL sabe perfeitamente a regras do negócio, sabe perfeitamente quais as formas de ganhar dinheiro e sabe perfeitamente q pode não ganhar nada.”

    >>> Embora esta afirmação seja muito discutível (porque a realidade diz o contrário), creio que quem se quiser informar devidamente chegará porventura a este “saber das regras” que o Sr. enuncia. Tudo bem, até aceito essa parte. Mas a questão não passa só por aqui: em qualquer sistema piramidal ilegal as regras também estão bem definidas e as informações sobre como ganhar dinheiro são claras: ou recrutas ou então nicles batatóides. Não é, portanto, apenas uma questão de regras, é uma questão de honestidade do próprio negócio – se é um conceito piramidal, então de que é que serve saber as regras, e saber que se pode falhar, se no essencial o negócio é uma “furada”?

    ————————

    “Aliás, como qualquer pessoa q abre um negócio por conta próprio. Qqr um de nós se for abrir uma loja se não tiver cliente fecha. Simples. Na AGEL é igual. Quem entrar na AGEL sabe q precisa de clientes para ganhar dinheiro,”

    >>> É tendencioso falar aqui em “clientes”. O que se passa na Agel, muito concretamente, é que é necessário angariar novos “distribuidores” para a rede.
    Para serem “clientes” seus era necessário que o Sr. lhes vendesse produtos.
    Podemos aproveitar a sua expressão de uma outra forma: o Sr. é um “cliente” da Agel, e a Agel paga-lhe a si para arranjar novos “clientes” para a empresa – sendo que para receber esses pagamentos, o Sr. tem de comprar produtos também.

    ——————

    “a diferença abissal para o resto é q esses clientes sabem perfeitamente q podem ganhar dinheiro com o negócio e assim sucessivamente. Ninguem aponta umaarma à cabeça do outro para que entre na AGEL. É apresentado o negócio e as pessoas aderem se acreditarem, se não acreditarem não aderem.”

    >>>> Certo. Tal como qualquer esquema em pirâmide. Repare que o seu argumento não muda de aplicabilidade fora da Agel.
    Isto não torna a Agel mais legal ou menos legal. Isto não altera absolutamente nada aos factos apresentados.
    Eu posso ainda argumentar que a forma como o negócio é apresentado às pessoas é feito para lá das regras saudáveis de marketing e publicidade. São utilizadas algumas táticas de guerrilha que levam as pessoas a pensar que ficarão todas milionárias em pouco tempo se aderirem ao esquema. Este assunto, por si só, dava pano para mangas, e já foi amplamente discutido por este mundo foram sempre que se fala em MML…

    ————————

    ” Acho piada falarem da possivel saturação da AGEL quando a Herbalife existe à 26 anos e continua forte.”

    >> Tem razão – mas à custa de quanto processo judiciais intrepostos (alguns ganhou, alguns perdeu) e de quantos milhares de pessoas a ficarem prejudicadas economicamente todos os anos?

    ———————–

    ” Mostrem uma possibilidade de negócio q com tão pouco investimento possa ter um tão grande retorno?”

    >>> Mostre-me percentagens de pessoas que efectivamente ganham dinheiro nesta tão boa oportunidade de negócio!!!! Essa pergunta não seria uma falácia se para maioria das pessoas o negócio representasse MESMO uma oportunidade credível de ganhar dinheiro.

    ————————–

    “Pedem comprovativos dos rendimentos..mas pq? Vocês mostram os vossos? ”
    >>> Não. Mas nós também não andamos aí a apregoar que ganhamos x e y por mês às custas de enfiarmos pessoas numa rede duvidosa. Há uma diferença. Quem diz que ganha isto e aquilo com “o sistema” deveria então provar que o ganha de facto. Há muita gente da Agel a dizerem que estão a ganhar dinheiro quando na verdade não estão – é apenas uma tática manhosa para recrutar pessoas. Conheço um caso muito concreto de uma pessoa que até publicou o quadro do backoffice com os rendimentos das pernas e que não deu explicação alguma sobre os valores – conclusão: quando eu percebi a que é que se referiam os valores entendi que ele estava a ganhar apenas 10% daquilo que dizia ganhar…

    ——————————–

    “Mas descansem que muita gente não tem qqr problema em mostrar os ganhos…aliás é a maior arma que temos para mostrar o produto às outras pessoas.”

    >>> Não creio, mas é uma quesstão de opinião. Desafio-o a si a mostrar a potenciais interessados não só o rendimento efectivo, mas a quantidade de pessoas que é necessário ter por baixo para obter esse rendimento, e já agora quantas delas está a ganhar e a perder dinheiro. Depois, no final, faça um rácio…

    ———————–

    ” É q funciona meus caros, funciona mesmo. O conceito de negócio da AGEL é fantástico e é por isso q quem está debaixo de mim pode ganhar 10 vezes mais do q eu. O facto de vocês perguntarem como isso é possivel é a prova q vocês falam sem saberem do q estão a falar. É pena.”

    >>>> Pois funciona, mas é só para uma pequena minoria, infelizmente, como em qualquer esquema em pirâmide. Mais uma vez, deixo o desafio:

    MOSTRE-ME EM QUE É QUE O FACTO DE UMA PESSOA QUE ESTÁ POR BAIXO DE OUTRA GANHAR MAIS DO QUE A DE CIMA INVIABILIZA O NEGÓCIO DE SER UMA PIRÂMIDE!

    —————————-

    “E no hipotético cenário de a AGEL atingir o ponto de saturação rapidamente qual é o problema? irei continuar a consumir os produtos ”

    >>> O Sr. talvez, mas os que ficarem nas últimas três camadas da pirâmide, nessa fase de saturação, duvido que o façam.

    ————————–
    “Qts daqui q dizem mal da AGEL fumam? Pois…quem fumar um maço de tabaco por dia gasta tanto como eu em produtos AGEL por mês com a agravante q prejudica a sua saúde e dos outros enquanto q eu procuro cuidar da minha. ”

    >>> Sim, e? Onde quer chegar com este raciocínio? Que fumar faz mal à saude e à carteira enquanto que a Agel é faz bem às duas coisas? (lol)

    —————————

    “E atenção os produtos AGEL não substituiem refeições, são suplementos alimentares, simplesmente a industria com maior potencial neste inicio de seculo. Por todo o lado se fala em saúde e bem estar, por todo o lado se fala dos problemas de obesidade, por todo o lado se fala da necessidade de comer melhor. isto não é a AGEL q diz, são TODOS os especialistas, TODOS os médicos….estarão todos controlados pela AGEL? ”

    >>> Mais uma vez, não entendo onde quer chegar com estas afirmações. Será que elas credibilizam a Agel de alguma forma? Se assim for, eu não entendo como, peço desculpa.

    ————————–

    “Mesmo que a rede se sature (e isso vai demorar MUITOS anos) continuará a existir mercado para os produtos como existe para tantos outros. Por isso a Herbalife continua no mercado.”

    >>>> Se a Agel está baseada num sistema de auto-consumo, como é que “haverá mercado” na fase de saturação?
    Eu prevejo outra coisa – prevejo que toda a gente que se inscreveu a pensar nos “lucros milinários” em pouco tempo comece a desistir da rede aos pouco e poucos. Isto se a empresa não fechar as portas antes com uma acusação de “piramidagem” antes.

    —————

    Vocês não acreditam no negócio estão no vosso direito. Agora não julguem quem entra pq quem entra sabe o q está a fazer.

    >>> Pois, o Sr. lá sabe.

    —————–

    “PS: Caro Pedro Menard… dizer q o mundo publicitário não engana ninguem é um pouco forçado não?”

    >>> Hmmm? Antes pelo contrário. É mesmo muito forçado fazer uma afirmação dessas.

    Cumprimentos.

  91. gap permalink
    11/03/2008 10:31

    Não deixa de ser extraordinário a forma leviana como as pessoas falam de algo que simplesmente não conhecem.

    Podem reparar que quem começa a defesa com essa argumentação é porque não tem o que falar.

    Quem entra na AGEL sabe perfeitamente a regras do negócio, sabe perfeitamente quais as formas de ganhar dinheiro e sabe perfeitamente q pode não ganhar nada.

    Menard, vc que participou das reuniões da Agel confirma isso? Eles deixam claro que as pessoas que entrarem na Agel podem vir a não ganhar um tusto? Ou eles enfatizam justamente o oposto?

    Ninguem aponta umaarma à cabeça do outro para que entre na AGEL. É apresentado o negócio e as pessoas aderem se acreditarem, se não acreditarem não aderem

    E precisa? É só o pessoal do topo da pirâmide mostrar o último cheque, que obviamente vai ser um cheque gordo, e dai prometer às pessoas, de maneira implicita, que elas poderão ganhar toda aquela grana caso se juntem à Agel. Victor Lustig, o mestre dos golpistas, não utilizava mais que saliva e a ganância alheia para aprontar das suas. Ninguém precisa de armas pra enganar o próximo.

    . Acho piada falarem da possivel saturação da AGEL quando a Herbalife existe à 26 anos e continua forte.

    De onde veio essa informação, de que a Herbalife está forte? Me diga como andam as vendas da Herbalife ai em Portugal. Só porque a empresa ainda existe não significa que anda bem. Claro que a Herbalife está sofrendo com saturação de mercado, isso já ocorreu até no Brasil que é quase 20X mais populoso que Portugal. Olha o desespero da empresa pra entrar na China. Mas eu entendo tua colocação, afinal de contas teus possiveis “clientes” não podem ficar sabendo da saturação pois senão ninguém entra, e dai tua chance de ouro vai pro ralo. Entra um, que traz mais dois, que trazem mais dois cada um, e assim sucessivamente, isso num periodo curtissimo. Só pra facilitar teus comentários: ninguém aqui nasceu ontem!

    Mostrem uma possibilidade de negócio q com tão pouco investimento possa ter um tão grande retorno?

    Procure por “David Portes” no google, um brasileiro que começou um negócio milionário com 12 reais. Isso sim é um empreendedor!

    Pedem comprovativos dos rendimentos..mas pq?

    Ué, mas cadê a fábrica de milionários? Cadê os zilhões de euros? Quem não deve, não teme.

    Vocês mostram os vossos?

    E por que deveriamos? Por acaso estamos oferecendo a oportunidade do século aos nossos leitores?

    aliás é a maior arma que temos para mostrar o produto às outras pessoas

    Isso todo mundo já sabe. No começo é óbvio que muitos vão ganhar dinheiro, afinal de contas é como o inicio de uma guerra: alvo e munição a vontade. Quero ver daqui a 5 anos, ou em bem menos tempo, se quem entrar vai ganhar alguma coisa.

    O conceito de negócio da AGEL é fantástico e é por isso q quem está debaixo de mim pode ganhar 10 vezes mais do q eu

    Ora, então troque de lugar com ele. Repito: saia da Agel e deixe pra entrar daqui a 10 anos, já que é possivel ganhar mais do que aqueles que estão acima de vc, vc não terá problemas pra ficar milionário mesmo entrando daqui a 10 anos. Correto? Entra daqui a 10 anos, prove tua teoria de que o mercado não satura e de que quem entra por baixo pode ganhar mais do que quem está acima.

    E no hipotético cenário de a AGEL atingir o ponto de saturação rapidamente qual é o problema?
    Pra quem está no topo da pirâmide não haverá problemas, o problema será para os pobres iludidos que entraram por último e que não irão recuperar nem um cêntimo.

    or todo o lado se fala em saúde e bem estar, por todo o lado se fala dos problemas de obesidade, por todo o lado se fala da necessidade de comer melhor. isto não é a AGEL q diz, são TODOS os especialistas, TODOS os médicos

    A mesma teoria da Herbalife. Por essa teoria todos da Herbalife teriam ficado milionários. Ninguém ficou, só os medalhões que haviam entrado bem no começo. Agel? Idem.

    Mesmo que a rede se sature (e isso vai demorar MUITOS anos) continuará a existir mercado para os produtos como existe para tantos outros.

    A questão não é o tamanho do mercado, a questão é quanto desse mercado uma empresa consegue galgar. A Herbalife usou essa mesma teoria pra convencer o pessoal, mas os produtos da hbl são carissimos e possuem um mercado potencial infimo. Andei olhando os preços da Agel, que também são carissimos, e digo que o cenário vai se repetir. Mas claro, entre no topo da pirâmide, ai vc ñ vai precisar se preocupar com mercado, saturação, preço, deixe isso para os pobres iludidos que entrarem depois.

    Vocês não acreditam no negócio estão no vosso direito. Agora não julguem quem entra pq quem entra sabe o q está a fazer.

    Ah claro, as pessoas sempre sabem quando estão caindo num golpe, mas caem porque gostam.
    Não é nem questão de acreditar, é questão de bom senso e de história. MMN já tem décadas de existência e é “carinhosamente” chamado de “American Scam” pelos especialistas em fraudes. A Agel é uma mistura de Amway com hbl, e já foi encaixada como esquema em pirâmide pela ASAE. Agora temos uma instituição de respeito de um país europeu corroborando nossas explanações.
    Vc é quem deve procurar mais informações.

  92. 12/03/2008 9:37

    A mensagem anterior a esta minha, deixada pelo Sr. Ângelo Costa, está repetida com outra que ele deixou no tópico “Autoridades Portuguesas confirmam a ilegalidade da Agel”, e como tal sugiro que seja apagada.

    ————————-

    “Quem entra na AGEL sabe perfeitamente a regras do negócio, sabe perfeitamente quais as formas de ganhar dinheiro e sabe perfeitamente q pode não ganhar nada.

    Menard, vc que participou das reuniões da Agel confirma isso? Eles deixam claro que as pessoas que entrarem na Agel podem vir a não ganhar um tusto? Ou eles enfatizam justamente o oposto?”

    >>>> Primeira: Não é verdade que quem entra na Agel sabe perfeitamente as regras do negócio. Por minha experiência pessoal, conheço quatro ou cinco pessoas que quando entraram para a rede não sabiam nem um quinto das regras e das formas de se ganhar dinheiro. Mais: passados uns meses ainda não sabiam alguma particularidades importantes, embora apregoassem sabê-las – e por esta via iam passando informações enganosas aos novos recrutas.

    Querem um caso concreto: vejam o blog do Sr. que decidiu escrever um diário do dia a dia desde que entrou na Agel – é calinada atrás de calinada.

    http://omeudiarioagel.blogspot.com/

    Há uma situação latente de “recrutamento descontrolado” no terreno. Muita gente tenta recrutar novos membros a torto e a direito, mesmo sem ter a certeza sobre muitas “regras do negócio”. – Eu sou também um caso concreto de uma dessas tentativas.

    Segunda: Nas reuniões, nas duas a que assisti, incute-se a ideia de que toda a gente por vir a ser como o Sr. Bruno Grilo e ganhar um rendimento milionário por mês – trata-se só de aproveitar as potencialidades do sistema de forma correcta – com três pilares a sustentar: recrutar muita gente, gerir bem a forma como se colocam as pessoas na rede, e maximixar o lucro que o plano de compesações permite. Claro que tudo é feito na base do “proporcionar uma oportunidade de negócio aos interessados” .

    O curioso é que em nenhuma das duas reuniões foi mencionada a palavra “Pirâmide” uma única vez. Houve várias referências à leglidade do negócio, mas sempre com justificação nos produtos: “estão legais para vender aqui, estão legais para consumir ali, têm estes certificados de aceitação, etc…”

    Terceira: ninguém fala em casos de insucesso. Ninguém diz que o negócio pode não vir a dar nada. É sugerida a ideia de que, nalguns casos, só à custa de muitos contactos e insistência (fala-se nisto como sendo “trabalho”) podem começar a surgir resultados concretos, mas não se fala nunca em “fracassar”. Por outro lado, é também sugerido que quem não entra para a rede iventa sempre falsas desculpas para não aderir. Quem não entra na rede são pessoas fracas de espírito e que não estão a avaliar devidamente esta óptima oportunidade – para essas pessoas, então é necessário refutar as desculpas que dão uma por uma.

    Quarta: Nas duas reuniões houve a mensagem clara de que a Agel era uma empresa legítima de Vendas Directas porque os membros da rede “compram o produto directamente à Agel” – não tenho mais comentários a fazer sobre esta falsidade, acho que já fiz passar a minha mensagem aneriormente.

    Conclusão: o comentário do Sr. Garnier é falso em todos os aspectos que foca. De qualquer forma, como pode o Sr. proferir tal afirmação? Conhecerá ele todas as situações reais?

    Cumprimentos.

  93. Renata permalink*
    12/03/2008 10:57

    Comentario repetido deletado.

  94. gap permalink
    12/03/2008 14:04

    esse cara do blog, diarioagel, olha só o que está escrito no blog dele:

    A minha rede Agel
    Membros Patrocinados: 1
    Perna Esquerda: 250 VC
    Perna Direita: 500 VC
    Ganho mensal: 35 + 25 = 60€
    Obrigação mensal: 131€

    kkk…. perdendo 71 euros por mês ele vai ficar milionário rapidinho….hehe… esses caras são patéticos.

  95. 12/03/2008 14:29

    Esses números já são de há dois meses atrás.

    O facto é que o tipo que o enfiou na rede fez muito bem o “trabalhinho” de o enganar: não é necesário encomendar daus caixas de produtos por mês, nem sequer para receber os bónus de recrutamento e 10% da perna mais fraca (para ambos só é necessária uma caixa) – e o Sr. em questão não sabia desse facto.

    Mais, os 250 VC da perna esquerda não sáo iguais a 25€, são iguais a 25$…
    O ganho mensal para esse mês seria de cerca da 50€, mas desceria no mês seguinte para 15€ se não houvesse novos recrutamentos.

    Os números são falaciosos.

    ——————

    Das duas uma: ou ele perdeu o interesse na Agel e desistiu do negócio, ou perdeu mesmo a vontade de actualizar o blog – que está parado, para todos os efeitos, há quase dois meses.

    Esse foi o mesmo Sr. que censurou um comentário meu a ridicularizar o que ele havia escrito (censurou no sentido de APAGOU).

    Cumprimentos.

  96. 14/03/2008 21:25

    Boas,

    Gostaria de ter acesso a essa documentação privilegiada acerca da ASAE e Deco terem reprovado o modelo de negócio da AGEL, de preferência algo que não sejam meras opiniões. É que eu tive acesso a certificações que até ao momento julgo reais de entidades como ASAE, Halal, Kosher, HFL entre outras, portanto gostaria de ter acesso a documentação oficial ou publicações que confirmem as alegações anteriores. Caso contrário considero que se tratem de opiniões mais conservadoras individuais acerca de um modelo de negócio.

    Gostaria igualmente de comentar a frase “Fala em produtos que existem nas lojas de desporto quando eu não menciono esse mercado na minha “análise comparativa de preços”. Efectivamente podemos sempre comparar os produtos Agel com as pastilhas que se vendem no LIDL (Já agora as lasanhas tb são boas!), ou então as caixinhas que se vendem no chinês e as tupperware, 10x mais baratas não fosse o senão de ficarem inutilizadas após as primeiras idas à máquina enquanto as outras duram 20 anos. Comparações podemos sempre fazer muitas, mas até que ponto é que alguns produtos são comparáveis?!

    Cumps,
    M

  97. 14/03/2008 21:48

    “Gostaria de ter acesso a essa documentação privilegiada acerca da ASAE e Deco terem reprovado o modelo de negócio da AGEL, de preferência algo que não sejam meras opiniões. É que eu tive acesso a certificações que até ao momento julgo reais de entidades como ASAE, Halal, Kosher, HFL entre outras, portanto gostaria de ter acesso a documentação oficial ou publicações que confirmem as alegações anteriores. Caso contrário considero que se tratem de opiniões mais conservadoras individuais acerca de um modelo de negócio.”

    >>> Acerca da documentação, ler últimos comentário no meu blog.
    Acerca da certificação ASAE, ler comentários “lá mais para trás” no meu blog. A saber: a ASAE NÃO passa certificados nenhuns. Os papéís que existem da ASAE a propósito de produto Agel são notificações a dizer que receberam produtos e documentos de tradução de para português.

    ——————

    “Gostaria igualmente de comentar a frase “Fala em produtos que existem nas lojas de desporto quando eu não menciono esse mercado na minha “análise comparativa de preços”. Efectivamente podemos sempre comparar os produtos Agel com as pastilhas que se vendem no LIDL (Já agora as lasanhas tb são boas!), ou então as caixinhas que se vendem no chinês e as tupperware, 10x mais baratas não fosse o senão de ficarem inutilizadas após as primeiras idas à máquina enquanto as outras duram 20 anos. Comparações podemos sempre fazer muitas, mas até que ponto é que alguns produtos são comparáveis?!”

    >>> Eu não sei o que é que é pior: se o soneto se a emenda. É o Sr. continua a fazer comparações descabidas. Enquanto o Sr. continuar no reino da fantasia estupidificante, eu reservo-me ao direito de não descer ao seu nível.

    Cumprimentos.

  98. 15/03/2008 8:49

    Pois mas não respondeu ao comentario anterior onde estão os originais dessas cartas que a deco e a ASAE lhe enviou?

    A directiva é EUROPEIA (EC/178/2002 artº17 )e a ASAE só tem que ser notificada (e foi,se quiserem cópia,ela está disponivel) que o produto com o rótulo tal e a composição tal deu entrada no mercado Português.

    A ASAE NÃO tem que emitir pareceres,certificados ou qualquer outra coisa.

    Um abraço

  99. 16/03/2008 4:06

    Boas,

    Para quem se queixa de ser insultado, parece-me que se pauta pelos mesmos princípios, a citar: É o Sr. continua a fazer comparações descabidas. Enquanto o Sr. continuar no reino da fantasia estupidificante, eu reservo-me ao direito de não descer ao seu nível.

    Quanto a comparações estupidificantes, desde que falou do holocausto, reservo-me ao direito de fazer as comparações que entender, nenhuma poderia ser mais estúpida do que essa.

    Aguardo ansiosamente por documentação oficial que comprove o que diz!

    Cumps,
    M

  100. Renata permalink*
    16/03/2008 11:44

    “>>> Acerca da documentação, ler últimos comentário no meu blog.
    Acerca da certificação ASAE, ler comentários “lá mais para trás” no meu blog. A saber: a ASAE NÃO passa certificados nenhuns. Os papéís que existem da ASAE a propósito de produto Agel são notificações a dizer que receberam produtos e documentos de tradução de para português.”

    Voces acessaram o blog e fizeram a solicitacao? Duvidam da autenticidade do que ali esta?

  101. 17/03/2008 12:39

    Caros Srs. J e M.

    Estão no vosso direito de não acreditarem nas mensagens publicadas no meu blog e eu estou no meu direito de exibir mensagens de E-mail (da DECO e da ASAE) da forma que me apetecer, desde que salvaguarde o conteúdo e o contexto original das mesmas – atitude aliás exigível em todas as referências/comentários a pareceres efectuados por terceiros.

    Não pactuo é com palhaçadas. Se querem discutir assuntos com seriedade, estou ao vosso dispor. Continuando o teor da conversa a tender para o disparate abusivo e continuado (e.g. “onde estão os originais dessas cartas que a deco e a ASAE lhe enviou?”), eu reservo-me ao direito de não vos responder de todo.

    No caso em questão, eu diria que os originais das “cartas” devem estar armazenados, sob o formato de bits e bytes, em endereços de memória digital em determinado servidor de correio electrónico da empresa Google. Se o Sr. quiser oferecer uma sugestão no sentido de publicar esses conteúdos de uma outra forma e num outro meio de comunicação que considere mais apropriado, por favor faça-o. A mim, logicamente, interessa-me que a verdade seja publicada de forma credível e inequívoca, PARA QUE NÃO SURJAM DÚVIDAS MESQUINHAS QUANTO À AUTENTICIDADE DA MESMA.

    ——————-

    Renata,

    “Voces acessaram o blog e fizeram a solicitacao? Duvidam da autenticidade do que ali esta?”

    >>> Claro que acessaram. Estão é a ver se descredibilizam a informação que eu publiquei, na impossibilidade de oferecerem argumentos contrários às evidências de que o negócio da Agel viola a lei portuguesa.

    Seria oportuno perguntar ao Sr. que tão ansiosamente aguarda pelas “cartas” que acções desenvolveu ele, junto das entidades mencionadas, para verificar a autenticidade das mensagens. Acho curioso que seja a mim que me venham questionar, uma vez que a minha resposta iria ser sempre: “É tudo verdade!”.

    Cumprimentos.

  102. 17/03/2008 15:55

    Boas,

    Uma vez que eu tb não compactuo com palhaçadas, vamos dar por terminada a nossa conversa. O que vos solicitava era que me transmitissem se existe uma publicação ou um documento oficial em que fosse assumida uma posição por parte das entidades citadas. Algo que demarque uma posição da instituição. Pelo que constato tal não existe! O que existirá será uma mera troca de e-mails em que serão expressadas opiniões de carácter mais ou menos conservador e aconselhamentos.

    Não questiono a veracidade dos e-mails que trocaram, o que vos pedia era que me fosse transmitido onde poderia consultar essa informação (no site da DECO?) algo que demarcasse com clareza uma posição por parte das instituições e não um e-mail que até pode estar cheio de ressalvas.

    No momento em que existir essa publicação ou essa documentação, agradeço que comuniquem (quanto aos e-mails com pouco ou nenhum valor dispenso!)

    Atenciosamente,
    M

  103. 17/03/2008 16:46

    M,

    “O que vos solicitava era que me transmitissem se existe uma publicação ou um documento oficial em que fosse assumida uma posição por parte das entidades citadas.”

    >>> Que eu tenha conhecimento, tal publicação ou documento “oficial” não existe.

    —————-

    “”O que existirá será uma mera troca de e-mails em que serão expressadas opiniões de carácter mais ou menos conservador e aconselhamentos.”

    >>> Existe uma troca de e-mails. Correcto. Nesses e-mails são expressadas opiniões acerca de questões concretas.

    Se essas opiniões têm um caracter “mais ou menos” conservador, isso caberá a cada um avaliar, embora eu não perceba muito bem a que é que se está a referir em concreto.

    Aconselhamentos, os únicos que vejo são a sugerir que outras entidades sejam contactadas a fim de 1) Esclarecer em relação a questões que não são da competência da ASAE (nomeadamente as 3, 4 e 5); 2) Apresentar queixas formais (eventualmente judiciais) contra a Agel – os serviços do Ministério Público são mencionados numa das mensagens.

    Temos, portanto, uma série de perguntas feitas às entidades em questão, e uma série de repostas, devolvidas pelo mesmo canal de comunicação – o e-mail -, a essas mesmas perguntas.

    ——————————

    “Não questiono a veracidade dos e-mails que trocaram, o que vos pedia era que me fosse transmitido onde poderia consultar essa informação (no site da DECO?) algo que demarcasse com clareza uma posição por parte das instituições e não um e-mail que até pode estar cheio de ressalvas.”

    >>> As mensagens constantes dos e-mails, volto a afirmar, estão completas. Não omiti nem acrescentei nada. Não há “ressalvas” de qualquer espécie – e não há pelo meio “factores terceiros”, como por exemplo “cunhas”. (Se eu tivesse uma cunha na ASAE, podem ter a certeza que o caso já tinha sido denunciado de outra maneira – a contiga era outra – e não, eu não teria qualquer problema de consciência para recorrer à dita hipotética cunha – quando é para denunciar uma aldrabice, nem olho para o lado. Não tenho nenhuma “cunha”, é pena.).

    ———————-

    “No momento em que existir essa publicação ou essa documentação, agradeço que comuniquem (quanto aos e-mails com pouco ou nenhum valor dispenso!)”

    >>> O mesmo lhe peço a si. Se por acaso der por alguma comunicação oficial, por favor informe.

    Eu também dispenso e-mails com pouco ou nenhum valor. ;-)

    Compreendo perfeitamente aquilo que está a tentar fazer, não é preciso ser uma grande cabeça para o vislumbrar – está a tentar que os e-mails sejam como que constituidos assuntos sem relevância ou poder vinculativo – meras opiniões sem importância. Devo lembrá-lo que as entidades em questão não emitem pareceres aleatórios, por “dá cá aquela palha” – creio que tal prática seria, se alguma vez fosse utilizada e depois viesse a público, altamente prejudicial para as mesmas entidades. Seria o descredibilizar de Instituições que têm neste momento valor e mérito reconhecidos. Seria a mesma coisa que dizer que não vale a pena consultá-las (por e-mail) para nada, pois as repostas não têm qualquer valor prático e em último caso não espelham a opinião real das entidades.
    É um caminho perigoso, esse que o Sr. escolheu para criticar…

    Por outro lado, creio que nunca haverá uma “publicação” oficial das opiniões constantes dos e-mails, como o Sr. tanto pretende, mas pode ser que eu esteja enganado (e espero bem que sim, que venha a haver essa denúncia pública).

    Cumprimentos.

  104. 17/03/2008 16:47

    Oooops… a mensagem anterior está mais ou menos repetida. Peço desculpa.

    Por favor apaguem a primeira “tentativa” (e já agora esta mesma mensagem que estão a ler neste momento).

    Cumprimentos.

  105. Sponsor08 permalink
    17/03/2008 23:19

    Caros,

    Uma vez que não me revejo inteiramente em nenhuma das opiniões anteriores, decidi participar na discussão do tema.

    Antes de mais, é importante que saibam que sou membro da Agel desde o início do ano.

    Para começar, penso que há argumentos pertinentes e descabidos em ambos os lados da barricada. Não vou discuti-los. Partilharei antes o meu ponto de vista, da forma mais construtiva de que sou capaz.

    É a Agel uma empresa baseada numa filosofia de inspiração piramidal?

    Claro que sim. Não vejo porque não o admitir de uma vez por todas.

    É este um negócio sustentável no longo prazo?

    Todos sabemos que à medida que o tempo passa, estamos mais próximos do esgotamento do mercado, o que pode acontecer daqui a 5 anos, 10, 15, 20 – quem sabe? Estamos sem dúvida, neste momento, numa fase de expansão, mas, como em qualquer outro negócio, enfrentaremos uma etapa de abrandamento que, neste caso, quando se transformar em estagnação, ditará o fim da empresa.

    Estou em vias de enriquecer?

    Estou certa que não, até mesmo porque nunca ninguém me tentou convencer disso. Acredito, apenas, estar perante uma boa possibilidade de melhorar o orçamento mensal. Tudo depende da sorte e principalmente do meu emprenho. Sucesso e fracasso são possibilidades a considerar quando se abraça qualquer desafio – a isso chama-se risco.

    E agora, a questão mais importante: Trata-se de um embuste?

    Na minha opinião não, por um motivo muitíssimo simples: os produtos têm qualidade – posso afirmá-lo de experiência própria.

    Antes de agarrar esta oportunidade, comecei por informar-me acerca da empresa. Li tanto o material “institucional”, como fóruns de opinião semelhantes a este, em que argumentos pró e contra se digladiam numa interminável guerra aberta. Optei por tentar formar a minha própria opinião e o caminho foi testar os produtos, o que aconteceu com sucesso.

    Foi assim que concluí que se os produtos podiam ser bons para mim, também o podiam ser para outras pessoas. Não para todas, porque, de facto, nem todos necessitam da suplementação alimentar – refiro-me, em especial, a quem consegue a proeza fazer uma alimentação equilibrada o que, pelo meu ritmo de vida, não é o meu caso. Este aspecto foi determinante na minha decisão, uma vez que jamais daria a minha cara por um projecto em que não acreditasse, só pelo dinheiro. Não troco amigos e credibilidade por estabilidade financeira. É por isso que não estou nisto com a postura de que para me dar bem, tenho de enganar os outros. Penso que o negócio poderá ser muito bom, para um número considerável de pessoas durante um período limitado de tempo. Isto faz de mim uma agente do mal, ao serviço de uma organização demoníaca? Considero-me uma pessoa de bem, honesta e capaz de pensar pela minha própria cabeça. Há na estrutura da empresa pessoas sem escrúpulos? Imagino que sim – onde não as há?

    Eu tive a sorte de entrar através de um amigo que me pôs as cartas na mesa e me ajudou a identificar as vantagens e desvantagens do negócio, que é afinal a única postura que podemos esperar de alguém que consideramos nosso amigo. Tenho adoptado a mesma com as pessoas a quem apresento o projecto.

    Confesso que fui a medo ao primeiro ABB (Agel Business Briefing), temendo que me tentassem fazer uma espécie de lavagem ao cérebro, o que seria, inequivocamente, uma grande desilusão. Surpreendentemente, ouvi um discurso muito menos tendencioso do que estava à espera, em que os oradores chamam à atenção para as dificuldades que os new comers irão enfrentar. Deixam claro que não estamos perante a galinha dos ovos de ouro e que sem trabalho não há milagres. Quem acredita no contrário?

    Em Portugal, são membros da Agel pessoas de todos os quadrantes da sociedade – professores, reformados, médicos, enfermeiros, desempregados, pilotos, empresários, donas de casa, mulheres e homens de um grande leque de idades, mais ou menos abastados. Estão todos a ter um sucesso estrondoso? Certamente que não, mas, sem prejuízo do facto de alguns terem entrado mal informados, através de pessoas com posturas pouco recomendáveis, não vamos partir do princípio que foram todas enganadas e manipuladas no sentido de colaborar num esquema obscuro. São em grande parte pessoas instruídas, que concluíram estar perante uma boa oportunidade e qualquer opinião contrária é tão válida e respeitável como esta. É uma questão de opção, livre opção.

    Interessa ainda acrescentar que um dos aspectos que me alicia na Agel é o facto de estar a conhecer pessoas interessantes, optimistas e orientadas para o sucesso o que, em Portugal, nem sempre é fácil, dada a mentalidade generalizadamente derrotista e negativa. Além disso, esta experiência, à margem dos resultados financeiros, já me obrigou a pôr à prova a minha autoconfiança (lidar com nãos e com pessoas que pensam que entrei numa canoa furada exige muita!), a melhorar a forma como lido e abordo as outras pessoas e, sobretudo, a ser mais combativa, determinada e positiva. Estes upgrades pessoais para mim não têm preço. Atravesso momentos de dúvida e desânimo? Claro que sim! Mas o facto de ainda não me ter desviado deste caminho faz-me acreditar que, neste momento, e, pelo menos por enquanto, é o certo. Quando deixar de acreditar nisto, abandonarei o desafio, com a mesma serenidade com que o aceitei.

    Em suma, tenho-me esforçado por ter uma visão de conjunto tão equilibrada quanto possível. Tento gerir o sonho de ter um orçamento mais folgado, sem no entanto não tirar os pés do chão. Posso ganhar e posso perder. Sei disso desde o primeiro momento.

    Para terminar, gostaria de apelar às pessoas que têm travado uma guerra sem quartel contra a Agel, por motivos que confesso não compreender, que despendessem mais o seu tempo a lutar, por exemplo, contra o aquecimento global, que a tentar defender pessoas que, na esmagadora maioria dos casos, não precisam de defesa.

    Sejam Agel ou não – a escolha é só vossa!

    Cumprimentos,

    Sponsor08

  106. 18/03/2008 10:25

    Caro Sponsor08,

    Os meus sinceros parabéns.

    Devo dizer que o seu comentário foi de longe o melhor e mais equilibrado que li de alguém que está inscrito na Agel. Creio que partilho de quase todas as suas opiniões a respeito da “postura a adoptar” quando se analisa a proposta Agel.

    A única pergunta que lhe coloco, e que o Sr. não aborda/desenvolve na sua mensagem, é a seguinte: e quanto ao facto da Agel ser uma pirâmide (em termos de conceitos) e uma ilegalidade (em termos de lei portuguesa)? Não lhe incomoda pensar que pertence a um esquema desse género (embora não sendo um “embuste” segundo a sua opinião), que no final da linha vai lesar milhares de pessoas que depositaram determinadas expectativas num negócio que está condenado ao falhanço?

    Um estudo levado a cabo pela Comissão Europeia, 1999 , e que pode consultar no meu blog, alertava para o facto das pirâmides modernas poderem trazer a oferta de produtos de excelente qualidade. Isto, sendo o caso em questão, deixa-nos um problema difícil de solucionar, um dilema, para todos os efeitos: como encarar uma empresa que comercializa produtos de que eu gosto bastante, mas que utiliza procedimentos de negócio duvidosos, se não mesmo ilegais?

    Felicito, mais uma vez, a sua lucidez e a sua postura. Comentários deste calibre favorecem uma discussão saudável e mantêm o interesse no debate.

    Cumprimentos,

    Pedro Menard

  107. gap permalink
    18/03/2008 13:47

    Para terminar, gostaria de apelar às pessoas que têm travado uma guerra sem quartel contra a Agel, por motivos que confesso não compreender, que despendessem mais o seu tempo a lutar, por exemplo, contra o aquecimento global…

    Sim, agora as pessoas talvez estejam ganhando algum dinheiro, afinal de contas há alvo e munição a vontade. E daqui a 5 anos? Não pense que daqui a 5 anos, qdo o mercado já estiver saturado, os lideres falarão:”não entrem na Agel, o mercado está saturado e a probabilidade de perderem dinheiro é certa”. Eles mostrarão seus gordos cheques e falarão: “há 5 anos atrás eu estava na minha primeira reunião da Agel, como vcs estão nesse momento, e tive a visão de entrar no negócio e agora estou milionário. Vcs podem fazer o mesmo”, mas claro que isso é mentira, as vagas pra milionários são limitadas nesse negócio – como em outro qquer, mas nos outros negócios ninguém promete riqueza como no MMN. Vá numa reunião da Herbalife e verá que eles aindam pregam que quem entra agora está sendo pioneiro. Com relação aos produtos fazerem bem às pessoas, leia o último post desse blog sobre um artigo que saiu nos EUA sobre os suplementos aumentarem os riscos de câncer.
    Com relação ao blog sobre aquecimento global é só acessar o wordpress.com e montar seu blog sobre esse assunto. Moramos num país livre e continuaremos expondo empresas de MMN que se comportam como esquemas piramidais.

    que a tentar defender pessoas que, na esmagadora maioria dos casos, não precisam de defesa.
    Não generalize, pois já existem dezenas de pessoas no ebay tentando se desfazer dos produtos Agel e também muitas pessoas em POrtugal se queixam em fóruns que não conseguiram recuperar o investimento. Hoje é provável que a maioria esteja a ganhar um dinheiro extra, mas isso não vai acontecer com as gerações futuras que se juntarem à Agel. É matemático, a questão não é “SE” o mercado vai saturar, minando qualquer chance de sucesso dos futuros recrutados, a questão é “QUANDO” isso vai acontecer. As pessoas que pensarem em entrar na Agel hoje precisam ficar sabendo que seus lucros no futuro podem ser fruto do prejuizo de pessoas na base da organização, os últimos recrutados. E quem entrar daqui a 3 anos na Agel precisa entrar sabendo que suas chances de sucesso são minimas. Afinal de contas, se o Barry Minkow tivesse feito seu relatório expondo a Herbalife há 5 anos atrás, muitas pessoas não teriam perdido milhares de reais investindo nessa empresa.

  108. 18/03/2008 21:12

    Pondo de parte tantos testemunhos de ambos os lados, vamos falar do que realmente interessa. Há alguém a ganhar muitos e fundos como a Agel promete? Desafio os senhores do lado da Agel a ganharem um argumento credivel utilizando para isso como uma prova de qual foi o seu ultimo salário. Valerá mesmo a pena perder o amor a 200 e poucos euros e ir para a guerra das vendas? Gostaria que me provassem que a Agel rende.
    Obrigado pela atenção e fica lançado o desafio!
    Pre-AgelTeamMember

  109. Mico permalink
    19/03/2008 14:53

    Pre-AgelTeamMember

    O meu sucesso ou fracasso não representa a garantia do seu, eu tiro cerca de 250e fixos por mês na Agel… será que isto faz com que seja garantido que tem sucesso? Nunca falo no que ganho nem no que ou outros ganham, pois cada caso é um caso há pessoas abaixo de mim que já ganham mais que eu outras não … Provas? Não! trabalho é palavra chave para o sucesso… se procura um algo sem riscos isso não se chama negocio próprio mas sim emprego… será que os tais 200 e poucos euros mesmo que os perdesse iria morrer por isso? e se eles renderem muito será que vai doar o que esta a ganhar a mais das suas expectativas?

    No dia em que entenderem que a Agel não é um esquema de pirâmide nem um negocio de vendas e sim uma rede de Consumo entendem que só interessa pessoas como eu, que consomem os produtos mensalmente… tudo o resto é pura perda de tempo.

    Sei que o povo português esta muito escaldado com muitos negócios que por ai andam, muita gente perdeu já muito dinheiro por exemplo na Herbalife, vamos as reuniões deles e ali sim eles não são verdadeiros, considero aldrabões pois não explicam o plano de marketing ao pormenor, vão para la fulanos a mostrar cheques e tal e depois como é com as qualificações? pois é muito dinheiro que é necessário. temos também o caso das pirâmides de dinheiro, principalmente no norte do pais, 300 contos que era na altura… meu Deus… sim com toda a certeza o povo português tem razoes para ser os mais desconfiados, mas também somos nos os mais vigários, não fôssemos nos conhecidos por Piratas. Sou Agel com muito Orgulho!

    Por isso um conselho de um ageloide se é dos que tem medo de arriscar, guarde o seu dinheirinho (231€) no banco que la ele rende mais ;)

  110. Mico permalink
    19/03/2008 14:55

    Uma correcção já que não da para editar o post que coloquei, eu tiro cerca de 2500€ não 250 isto em apenas 3 messes

  111. 19/03/2008 16:12

    Cara Sponsor08,

    O seu comentário é bastante revelador da atitude Agel, nunca me pareceu que pudesse ser de outra forma, neste momento gostava de partilhar consigo que das apresentações que efectuei arranjei mais pessoas interessadas nos produtos do que às vezes no próprio modelo de negócio, situação que me deixa confiante da longevidade do mesmo.

    Cumprimentos,
    M

  112. 19/03/2008 16:32

    Caro Mico,

    “No dia em que entenderem que a Agel não é um esquema de pirâmide nem um negocio de vendas e sim uma rede de Consumo entendem que só interessa pessoas como eu, que consomem os produtos mensalmente… tudo o resto é pura perda de tempo.”

    >>> Sim senhor… muito bem!!!! Uma “rede de consumo”.

    Eu gosto destas “redes de consumo” que colocam ilhas paradisíacas e carros de luxo na publicidade. Gosto de “redes de consumo” que se afirmam como negócios de “Vendas Directas” (viram essam nuance hilariante: rede de consumo = vendas directas?), e que se inscrevem na DSA para se tentarem fazer passar por lícitas. Gosto de “redes de consumo” em os inscritos entram apenas e porque há uma perpectiva de ganhar dinheiro em cima da mesa. Gosto de “redes de consumo” em que as pessoas desistem porque não gostam nem do produto nem do negócio e depois nunca mais vêm o dinheiro (algumas delas andam a vender o escesso de stock em sites de leilões por aí espalhados).

    Gosto ainda mais das pessoas que pertencem a essas “redes de consumo” e tentam a todo o custo dizer que não é uma pirâmide, sem que no entanto apresentem UM ÚNICO argumento contrário. Gosto dessas pessoas até mesmo quando a entidade responsável pela fiscalização da lei diz que a rede é ilegal e ela insistem em que não é – e que os relatos são forjados, e que nada mais interessa ver. Gosto dessas pessoas porque atacam outras redes de interesse duvidoso e prejuízo garantido para dizerem que a sua é que é “legítima” – as outras são todas para esquecer (uma atitude moral e ética muito interessante, aliás de acordo com a política de valores da rede a que aderiram).

    Gosto, por fim, também daqueles que dizem ganhar 2500€ por mês, sabendo que para se estar a ganhar esse dinheiro mais de uma centena de pessoas está a pagá-lo à custa dos seus próprios prejuízos (num “negócio” que, afinal de contas, tem um valor de investimento “muito baixo”).

    É tudo maravilhoso na Agel. Se eu tivesse ouvido estes argumentos logo no dia em que me propuseram o negócio, era certinho que tinha entrado para a rede.

    Cumprimentos.

  113. Mico permalink
    19/03/2008 17:08

    Bem se vamos por esse lado, temos… taparuer, kirby, seleções, etc etc etc… tudo idêntico e não me venha com a conversa que não… há ja nao falando de bancos onde se paga uma fortuna por um empréstimo, supermercados onde o consumidor paga ene comissões por onde os produtos passam, desde fabricantes transportadoras, etc etc etc, tudo nesta vida funciona assim, bem não coma, não beba vá respirando que ainda é das poucas coisas que são de graças e onde ai sim pode ter a sua consciência tranquila que não “atropela” ninguém ;)

    você faz me lembrar, um dia ao ver “O Segredo”, você parece daqueles que não quer que no mundo as pessoas procurem qualidade de vida e bem estar. Veja o filme, não o livro, veja o filme pode ser que lhe faça bem.

    Quanto a publicidade que fazem eu não a conheci assim o meu sponsor mostrou me e mostra um negocio onde se tem um investimento, um pequeno risco, e muito trabalho pela frente… A vida é feita de coisas destas as quais são chamadas de negócios, contudo vamos la ver quantas empresas fazem publicidade desse tipo que você considera enganosas… esses objectivo são neste momento perfeitamente atingíveis na agel, agora há que trabalhar. quanto ao seu post onde fala em redes de consumo que é Agel entende o que isto é, mas eu explico lhe caso deseje, para ver se fica claro…

  114. 20/03/2008 7:07

    Caro Mico,

    “Bem se vamos por esse lado, temos… taparuer, kirby, seleções, etc etc etc… tudo idêntico e não me venha com a conversa que não… há ja nao falando de bancos onde se paga uma fortuna por um empréstimo, supermercados onde o consumidor paga ene comissões por onde os produtos passam, desde fabricantes transportadoras, etc etc etc, tudo nesta vida funciona assim, bem não coma, não beba vá respirando que ainda é das poucas coisas que são de graças e onde ai sim pode ter a sua consciência tranquila que não “atropela” ninguém ;)”

    >>> Creio que não é razoável generalizar o assunto a outros negócios e empresas, até porque se tratam de coisas totalmente diferente. Mas se quiser ir por aí, esteja à vontade, eu não o vou impedir (leia o que aconteceu no caso FTC vs Equinox para entender o que quero dizer…)

    ——————-

    “você faz me lembrar, um dia ao ver “O Segredo”, você parece daqueles que não quer que no mundo as pessoas procurem qualidade de vida e bem estar. Veja o filme, não o livro, veja o filme pode ser que lhe faça bem.”

    >>> Acho que esse é mais um daqueles livros que os agéis vão gostat de ler..
    Por mim, prefiro manter-me longe dessas indigestões lietrárias.

    ——————

    “Quanto a publicidade que fazem eu não a conheci assim o meu sponsor mostrou me e mostra um negocio onde se tem um investimento, um pequeno risco, e muito trabalho pela frente… A vida é feita de coisas destas as quais são chamadas de negócios, contudo vamos la ver quantas empresas fazem publicidade desse tipo que você considera enganosas… esses objectivo são neste momento perfeitamente atingíveis na agel, agora há que trabalhar. quanto ao seu post onde fala em redes de consumo que é Agel entende o que isto é, mas eu explico lhe caso deseje, para ver se fica claro…”

    >>> Meu caro, caso não tenha reparado, esSa lenga lenga toda está a ser aplicada num negócio ILEGAL. Já agora, se o Sr. pensar numa pirâmide SEM PRODUTOS, a lenga lenga toda também se aplica – pequeno investimento, pequeno risco, muito trabalho (de recrutamento) pela frente, objectivos perfeitamente atingíveis, etc. etc. etc..

    Espero que não esteja a tentar convencer ninguém acerca da legitimidade do negócio através desses argumentos, porque se estiver, então está-se também a colocar numa posicao de muito baixa credibilidade.

    Gostaria que me respondesse a uma questão muito concreta, e que de cada vez que eu a faço aqui as pessoas não respondem e deixam até de participar:

    QUE ARGUMENTOS TEM O SR. PARA APRESENTAR E QUE ATESTEM QUE A AGEL NÃO É UMA PIRÂMIDE?

    Até agora não obtive UMA ÚNICA RESPOSTA A ESTA PERGUNTA.

    É tudo.

    Cumprimentos.

  115. 20/03/2008 8:44

    E nós estamos á espera que as suas provas de ilegalidade apareçam.

    Já agora envio aqui excerto do decreto lei nº136/2003 de 28 de Junho:

    “Um regime alimentar adequado e variado, em circunstâncias normais, fornece a um ser humano todas as substâncias nutrientes necessárias nas quantidades estabelecidas e recomendadas por dados científicos ao seu bom desenvolvimento e à sua manutenção num bom estado de saúde.
    Todavia, esta situação ideal não está a ser alcançada em relação a todas as substâncias nutrientes nem a todos os grupos populacionais devido, designadamente, ao estilo de vida.
    Os consumidores podem, no entanto, optar por complementar as quantidades ingeridas de algumas substâncias nutrientes através do consumo de suplementos alimentares.”

    E se quiserem consultar a directiva comunitaria :
    (Norma EC/178/2002 artº17

    A prova de que algo o move contra o negócio da agel é a sua insistencia em sublinhar que o negócio é ilegal apesar de não existirem nenhuns dados concretos que o garantam.

    Mas como publicitario que é claro que sabe que uma mensagem muitas vezes passada tem fortes possibilidades de ser assimilada mesmo que não seja verdadeira.
    Se o motivo da sua insistencia fosse de facto algo contra os negócios piramidais teria muito por onde analisar e comentar e de certeza que precisava de mais tempo para enviar mails para ASAE,DECO,MIINISTERIO DA JUSTIÇA,ETC.
    Basta dar uma vista de olhos na internet e encontra dezenas de negócios piramidais completamente ridiculos , mas que funcionam.

    A conclusão que chego é que a AGEL estará de alguma forma a prejudicar qualquer negócio em que esteja envolvido tal como está a fazer com muitos negócios.

    De qualquer das formas quem quiser dar uma vista de olhos no JN de 15 de Março têm uma reportagem sobre o multinível e a sua expansão em todo o mundo.
    Se não conseguirem posso enviar pdf com a reportagem,basta pedirem por mail jpfrsr@hotmail.com

    E bons negócios para todos sejam eles quais forem desde que legais como o nosso.

  116. 20/03/2008 11:57

    Caro JPRAM,

    “E nós estamos á espera que as suas provas de ilegalidade apareçam.”

    >>> As repostas da DECO e da ASAE são bastante explícitas. O Sr. que as interprete como entender.

    Há uns tempos atrás alguém da Agel me incitava, até com bastante furor, a falar com as autoridades competentes a apresentar depois os resultados – gente essa que entretanto não voltou a abrir a boca.

    E estamos apenas a falar das questões meramente legais, porque se considerarmos os conceitoe em avaliação em cima da mesa, então o caso ainda se agrava mais (quem diria) para o lado da AGEL – só para mencionar os factores mais importantes, temos: uma rede de “consumo interno”, com poucas ou nenhumas vendas para fora, e ainda um prazo ridículo de devolução de mercadorias, 1 mês, quando a garantia dada aos produtos é de 1 ano.

    E se pensa que o o assunto ASAE e DECO é o final da linha para mim, então pense melhor – ainda tenho muito trabalho pela frente.

    ————————

    Já agora envio aqui excerto do decreto lei nº136/2003 de 28 de Junho:

    “Um regime alimentar adequado e variado, em circunstâncias normais, fornece a um ser humano todas as substâncias nutrientes necessárias nas quantidades estabelecidas e recomendadas por dados científicos ao seu bom desenvolvimento e à sua manutenção num bom estado de saúde.
    Todavia, esta situação ideal não está a ser alcançada em relação a todas as substâncias nutrientes nem a todos os grupos populacionais devido, designadamente, ao estilo de vida.
    Os consumidores podem, no entanto, optar por complementar as quantidades ingeridas de algumas substâncias nutrientes através do consumo de suplementos alimentares.”

    E se quiserem consultar a directiva comunitaria :
    (Norma EC/178/2002 artº17″

    >> Agradeço a gentileza de nos ter prestado tão importante informação.

    Continuamos, contudo, no mesmo ponto de partida, e passo a repetira para quem se estiver a fazer de sudrdo:

    QUE ARGUMENTOS TEM OS SRS. PARA APRESENTAR QUE ATESTEM QUE A AGEL NÃO É UMA PIRÂMIDE?

    Até agora não obtive UMA ÚNICA RESPOSTA A ESTA PERGUNTA.

    ———————

    “A prova de que algo o move contra o negócio da agel é a sua insistencia em sublinhar que o negócio é ilegal apesar de não existirem nenhuns dados concretos que o garantam.”

    >>> Correndo o risco de entrar numa onda de repetição ininterrupta: temos a ASAE e a DECO a oferecerem as suas opiniõe sobre a matéria. A ASAE, para quem não sabe, é a ENTIDADE RESPONSÁVEL POR FISCALIZAR A MATÉRIA “VENDAS AO DOMICÍLIO” E VENDAS EM PIRÂMIDE”.

    ———————

    “Mas como publicitario que é claro que sabe que uma mensagem muitas vezes passada tem fortes possibilidades de ser assimilada mesmo que não seja verdadeira.”

    >>> Certíssimo. É com isso que a Agel conta ao divulgar em bastantes sites dos seus distribuidores que “uma pirâmide não movimenta produtos, baseia-se apenas na passagem de dinheiro entre os membros da rede”.

    ———————————

    “Se o motivo da sua insistencia fosse de facto algo contra os negócios piramidais teria muito por onde analisar e comentar e de certeza que precisava de mais tempo para enviar mails para ASAE,DECO,MIINISTERIO DA JUSTIÇA,ETC.”

    >>> Neste momento a minha luta é contra a Agel. Se pelo meio vou batendo em outros negócios piramidais de índole semelhantes (Herbalife e Amway, por exemplo), é por mera associação de ideias, já que não conheço a fundo, como conheço na Agel, os modelos de negócio e os modelos de “recrutamento” de novos incautos.

    ——————-

    “Basta dar uma vista de olhos na internet e encontra dezenas de negócios piramidais completamente ridiculos , mas que funcionam.”

    >>> Claro que funcionam, pelo menos durante algum tempo. Tal como a Agel também funciona.

    ————————-

    “A conclusão que chego é que a AGEL estará de alguma forma a prejudicar qualquer negócio em que esteja envolvido tal como está a fazer com muitos negócios.”

    >>> É livre de pensar o que quiser. Não é o caso. Mesmo que fosse, os argumentos que utilizo mantêm-se válidos, bem como as opiniões da DECO e da ASAE. A Agel opera na ILEGALIDADE em Portugal.

    ———————–

    “De qualquer das formas quem quiser dar uma vista de olhos no JN de 15 de Março têm uma reportagem sobre o multinível e a sua expansão em todo o mundo.”

    >>> Eu li a reportagem. Infelizmente a Agel não tem nada a ver com os negócios que por ali são discutidos – ali fala-se em Vendas Directas, não sei se reparou (expressão que até faz parte do título da reportagem), algo que não existe no modelo de negócio da empresa em questão.

    Diga-me lá a percetnagem de dinheiro que o Sr. ganha através das suas Vendas, ou através das Vendas de Vendedores (termo utilizado no artigo) que façam parte da sua equipa? Coloque aqui (ou noutro local qualquer) facturas que o comprovem.

    Por acaso a reportagem pouco fala da “expansão do multinível no mundo”. Fala mais da expansão do multinível em Portugal.

    ————–

    “Se não conseguirem posso enviar pdf com a reportagem,basta pedirem por mail jpfrsr@hotmail.com

    >>> Pode-me enviar uma cópia, por favor. Eu estava a planear digitalizar a notícia para usar num futuro artigo no meu blog, e dessa forma poupa-me esse trabalho. Obrigado.

    ————–

    “E bons negócios para todos sejam eles quais forem desde que legais como o nosso.”

    >>>> Desde que sejam “legais como o vosso”, está certo…

    Continuo à espera que ALGUÉM DA AGEL ME CLARIFIQUE A QUESTÃO DA PIRÂMIDE. ARGUMENTOS, HÁ ALGUM?

    Quando alguém apresenta os factos que apresenta e depois ninguém refuta nada de modo nenhum, deu diria que a reputação da Agel vai descendo a cada dia que passa (e já não era lá grande reputação, para começar)…

    Cumprimentos.

  117. Rui permalink
    30/03/2008 22:26

    Concordo plenamente. Entrei para a Agel e paguei caro, 900 euros que me custou. Não consegui por ninguem porque expliquei as coisas com demasiada honestidade, peço desculpa mas não sou pessoa para lixar o proximo.
    Quem me meteu nisto foi um amigo, explicou tudo mal para que eu entrasse, isto e o que o pessoal mais faz, a tese é de (nas reuniões) se perguntarem uma coisa que nao sabes, inventa.

    A Agel é realmente um esquema em pirâmide, e não aconselho ninguem a entrar a nao ser que queira ficar sem amigos ou sem dinheiro.

    Bem, já que nao da para devolver esta porcaria vou beber sumos o ano inteiro.

    (Os lucros serem pagos em dolares é inteligente porque os portugueses recebem assim quase 0.5 do que fazem – cambio)

    Abraço

  118. 31/03/2008 7:11

    Caro Rui,

    Porque não devolveu os produtos à Agel? (passou do prazo de um mês? – já tentou contactar a Agel para ver se eles aceitam o produto de volta mesmo assim, devolvendo-lhe o dinheiro?)

    Em alternativa, porque não os vende à pessoa que o meteu? Ele devia ser responsabilizado pelas suas perdas, já que não foi totalmente honesto consigo.

    Sugiro-lhe que denuncie a situação à ASAE, à DECO, e ao Instituto do Consumidor. Ainda este fim de semana, no Expresso, saiu um artigo sobre a ACN, uma empresa de “telecomunicações” que está a ser acusada de ser uma pirâmide pelo Instituto do Consumidor, para onde já houve várias queixas.

    Se o Sr. ficar no silêncio, muitas mais pessoas serão futuramente prejudicadas pela Agel.

    Cumprimentos.

  119. Ceptico permalink
    31/03/2008 7:11

    Grande Rui,

    Os meus parabens, finalmente alguem que os tem no sitio par admitir as coisas como elas são realmente.

    Não tenho duvidas de que alguem fique rico com a Agel, mas tem de estar muito lá em cima.

    Com este exemplo podemos ver a piramide ao contrario, o Rui saiu pois nao consegui meter ninguem, o seu amigo acabou de perder um amigo e um membro na sua perna logo menos rendimento, se tiver mais alguem nas suas pernas na mesma situação do Rui e sair, o seu amigo talvez tambem saia e por ai fora ate que tudo isto acabe, onde quem está no topo já está rico e é indiferente pois apenas tem de se procupar em arranjar um novo esquema, para quem entrou agora e deitou 900€ pela janela pode ter sido a perda das poupanças de muitos anos, para umas ferias, uma entrada paar um carro melhor etc, etc… Parabens mais uma vez Rui, e lamento a sua perda de dinheiro pois com amigos assim a perda ainda se torna pior.

  120. Ceptico permalink
    31/03/2008 10:34

    Rui,

    Pode ser que interesse:
    http://www.queixas.co.pt/popup.php?id_queixa=194425

  121. gap permalink
    31/03/2008 20:05

    Rui
    Infelizmente vc não foi o primeiro e nem será o último a perder dinheiro na Agel.
    Na Agel claramente não é questão “SE” as pessoas vão perder dinheiro, a questão é “QUANDO” elas vão começar a perder.
    900 euros é uma boa grana em qualquer lugar desse planeta, e muitas pessoas vão perder ainda mais que isso. Por isso alerte o máximo de pessoas que puder e, como foi indicado, procure seus direitos e entre com queixas na DECO e ASAE, e demais orgãos apropriados.
    Vc não pode se calar e entrar na onda deles, que provavelmente vão tentar desmerecer a sua pessoa chamando-lhe de “fracassado”, “incompetente” e coisas dessa linha.
    É assim mesmo que a engrenagem funciona, eles vão trocando o pessoal da base e enriquecendo do prejuizo dessas pessoas, fique certo de que só ficarão ricos o sr. Randy Gage e mais uma meia dúzia dos que estão BEM NO TOPO da pirâmide.

  122. 02/04/2008 8:11

    Caro Rui,

    Quanto tempo esteve na Agel?

    Cumprimentos,

    M

  123. 03/04/2008 18:39

    Acho que culpar os outros ou os negócios é muito facil,não sei quanto tempo esteve na agel mas parece-me que não obteve toda a informação que devia senão vejamos:

    “Bem, já que nao da para devolver esta porcaria vou beber sumos o ano inteiro.”

    Nenhum produto da Agel é á base de sumo mas sim de gel ,ou esteve noutro negócio multinivel á base de sumos que toda a gente conheçe ou se se inscreveu na Agel sem saber quais os produtos,modelo de negócio etc peço desculpa mas o erro é totalmente seu,alem de que de facto a ideia é mesmo essa :
    -Ser consumidor dos fantasticos produtos como membro
    – Ser consumidor como cliente preferencial
    -Têr a possibilidade de obter rendimentos ao indicar as qualidades do produto a possiveis membros ou clientes preferenciais.

    Se entrou para a Agel a pensar que iriam cair dolares do céu enganou-se ou enganaram-no e para isso deveria fazer queixa dessa pessoa.

    (Os lucros serem pagos em dolares é inteligente porque os portugueses recebem assim quase 0.5 do que fazem – cambio)

    A Agel tem um cambio estipulado sem oscilações de 1.25 que ao contrario do que diz é uma vantagem visto o cambio bancario oficial ser superior de facto.

    As suas afirmações levam-me a concluir que não se informou devidamente o que para alguem que se involve em qualquer negócio é sinal de insucesso.

    Caso não saibam a Agel foi considerada em 2007 o 3º melhor multinivel.
    Em concorrencia com milhares de empresas de multinivel (legais ) existentes em todo o mundo parece-me ser um excelente resultado.

    O conselho que gostaria de aqui deixar é de que não caiam na tentação de pelo facto de não terem analisado bem o que vão fazer não culpem as empresas,os tipos de negócios etc pelo vosso insucesso,por que senão temos que culpar dezenas de negócios que abrem falência neste país e que deixam milhares de pessoas no desemprego.

    Façam como eu fiz antes de me inscrever como membro na Agel:

    Analisem,pesquisem,informem-se,estudem,aconselhem-se e depois decidam.

  124. 03/04/2008 19:47

    Caro JPRAM,

    Só uma correcção:

    “Nenhum produto da Agel é á base de sumo mas sim de gel”

    Antes pelo contrário. Todos os produtos Agel são à base de… água. É o ingrediente mais abundante em qualquer um dos produtos da Agel. Os dois compentes “gelificantes” (Guar e Xanthan) contribuem, em termos de quantidade, com uma muito pequena parcela no total de todos os ingredientes. Abaixo deles, só mesmo o Benzoato de Sódio.

    Na prática, é como na gelatina. A água é o componente mais abundante, mas basta juntar uns pós gelatinosos e tudo fica muito mais expesso.

    Portanto, não sei até que ponto é disparatado dizer que a maioria dos produtos são “sumos”. Sumos gelificados, é certo, mas ainda assim, sumos.

    Cumprimentos.

  125. Renata permalink*
    03/04/2008 20:40

    Pedro

    é dicífil argumentar contigo….rsrsrs….ainda bem que concordo com mais de 99,9% do que diz………

  126. 04/04/2008 6:52

    Renata,

    Eu sei que sou muito teimoso. (appologise humbly)

    A minha preocupação, no caso, foi tentar alertar para a “relativa relatividade” de algumas questões que estão em debate. Apelidar os produto Agel de “sumos” é tão válido ou tão irrelevente como chamar-lhes “géis”. E de facto há um dos produtos, por exemplo, que é uma simples combinação de sumo de vários frutos diferentes (“gelificados” posteriormente).

    Interessaria muito mais saber se há benefícios concretos em tomar os produtos da Agel (e pagar por eles o seu elevado valor), em alternativa a outras propostas que estão à venda nas lojas. Interessaria saber se é de todo importante tomar os produtos Agel (creio que para grande parte das pessoas não é importante). Não estou, por isso, nada preocupado com a questão “sumo”, “gel”, ou mesmo “água com minerais”.

    Não é por esse lado que a porca torce o rabo (expressão idiomática portuguesa, que significa, mais ou menos: “não é por aí que avaliamos correctamente o problema”).

    Já quanto à culpa ser do distribuidor ou da companhia que o recrutou, o caso muda de figura. O problema com que o Sr. Rui se debateu, e que o levou a desistir da Agel (supondo que o caso é real), tem muito a ver com a chamada “saturação de mercado”. Como ele diz, tentou ser honesto com a pessoas, ao explicar-lhes o negócio da Agel, e mesmo assim ninguém quis aderir. Esta é uma realidade com a qual a maior parte das pessoas se vão deparar a determinada altura do campeonato. Se a culpa é dele(s) ou não, isso será sempre discutível e debatível (de facto, há gente mais talhada para “recrutar” do que outras), mas o problema existirá sempre (para os tais 90% ou mais).

    O Sr. Rui entrou para a Agel pensando que para ser bem sucedido teria necessáriamente de recrutar pessoas (corrija-me se estiver errado). Nunca lhe disseram que tinha de vender produtos. Se calhar, se soubesse que o negócio afinal passaria também pelas “vendas”, nem sequer tinha ponderado entrar na rede (vender Agel ao preço sugerido e tentar ganhar diheiro dessa forma é puro suicídio comercial).

    Em qualquer dos casos (seja de quem for a culpa), temos a outra questão: então e a ética da Agel e da DSA? Então e o tal prazo alargado para devolução de produtos (12 meses)? Se tal prazo existisse, o Sr. Rui teria apenas de devolver aquilo que não pretende consumir. No formato existente actualmente, quem sai SEMPRE beneficiado é a Agel, e quem fica SEMPRE sem o dinheiro são os que entretanto se sentem enganados e encurralados (e voltamos nós ao assunto “Pirâmide”…)

    Cumprimentos.

  127. gap permalink
    04/04/2008 11:06

    Na minha visão, no caso de fracasso, a culpa é da empresa, sem dúvida. Existem alguns casos em o distribuidor nem sequer faz esforço pra progredir, mas diria que esses casos são raros, e o mais comum é o sujeito se matar de trabalhar no negócio e fracassar – ah, a velha lei oferta X demanda é implacável, a saturação nesse sistema é questão de tempo.
    A culpa é da empresa porque os distribuidores vão recrutando sem ter a minima idéia se o mercado tem capacidade para sustentar mais membros. Não adianta falar que é “rede de consumo”, porque “rede de consumo” cai dentro da definição de pirâmide, é estabelecimento de mercado fechado, é crime.
    A Agel sabe disso, pois, como o Menard já mostrou, no contrato eles alegam que a fonte PRINCIPAL de renda seja a venda a terceiros. Nesse caso a saturação ocorre – numa rede de consumo tb -, e quem entrou no final da feira vai ficar com os bagaços, com o prejuizo.
    A empresa não faz nada pra evitar isso, não possui mecanismos pra evitar – diferente de um sistema de franquia, por exemplo – e, ainda incita seus distribuidores, mesmo num mercado saturado, a trazerem mais pessoas ainda para o negócio. É apagar fogo com gasolina.

  128. Renata permalink*
    04/04/2008 13:43

    O modelo de negócio é responsável pelo índice de mais de 90% de fracasso.
    E o MMN tem um lema que “todo mundo pode fazer”. Isto incita a entrada de pessoas despreparadas e que não são “treinadas” para desenvolvimento profissional, são treinadas para repetir o bla bla bla para recrutar com mais facilidade.

    Esta de que o distribuidor é culpado é mais uma balela para recrutar. Minha opinião. Apesar de saber que muita gente não tem talento pra vendas ou relacionamento interpessoal, o índice de fracasso é alto demais.

  129. lkäs permalink
    09/04/2008 19:29

    é bom ver tantas duvidas, é mais que obvio que não há nada que seja perfeito, não existe um negocio bom em todos os aspectos.
    eu não faço parto de negócio nenhum, e vou por isso ser sincero e digo que não vejo o produto da agel como um produto para o meu estilo de vida, apesar de já o ter experimentado, mas acho que o produto tem as suas vantagens.

    não é preciso ser muito sabio ou utilizar palavras caras para puder avaliar a agel.

    na natureza existe o equilibrio, o equilibrio que faz a natureza continuar a existir e a evoluir.
    mas apesar de existir essa perfeição do equilibrio continuam os frutos a cair das arvores, claro porque se não o equilibrio não serviria de nada…eu acho que o mesmo se passa com o negocio da agel, claro que haverá um fim neste negocio tal como as frutos cairem das arvores…acho portante que devam aproveitar enquanto a fruta dura, uma parte da fruta apodrece a outra desenvolve… é assim e será sempre assim.

    não precisamos de por aqui em prova leis e decretos quando sabemos que existe uma lei básica que comanda a nossa vida.. viva a lei da natureza e o seu equilibrio..

    ah e eu acho que sim que vou aproveitar deste negocio, tenho que arranjar maneira de puder pagar os meus estudos, alojamento e sobreviver neste mundo inundado de corrupção, guerra e tanta coisa desnecessária para equilibrar o nosso bem estar..
    podiamos respeitar nos todos um pouco mais e aceitar a opinião de cada um, há comentários que parece que podiam acabar em porrada pá…calma lá com isso então..

    haha,

    comprimentos

  130. renata24 permalink*
    14/04/2008 20:39

    “podiamos respeitar nos todos um pouco mais e aceitar a opinião de cada um, há comentários que parece que podiam acabar em porrada pá…calma lá com isso então..”

    Aceitamos a opinião de todos. Se assim não fosse, não haveriam tantas manifestações divergentes neste blog.

    Reservamo-nos o direito de refutar o que não é consistente. Isto não é desrespeito, é liberdade de expressão. “Porrada” não é conosco mesmo….rs……

  131. lkäs permalink
    15/04/2008 16:46

    “Bom, contradições à parte, no seu comentário vc diz que vê vantagens no produto AGEL. Quais vantagens? ”

    e eu não estou em nenhum negocio, pode ser que aproveite da oportunidade em entrar na agel, mas não estou certo disso.
    Vantagens para outras pessoas, não para mim. E mesmo que o produto fosse algo como um placebo, não vejo o problema se no entanto ajuda mesmo as pessoas, ou não?
    Enquanto a questões financeiras, certo é caro o produto, mas o que é que isso interessa depois quando entra muito mais dinheiro?
    No meu caso o produto não me interessa para nada, não faz parte do meu estilo de vida como já enunciei antes, e acho que não sou o unico, mas como não é possivel fazer negocio com ar, é preciso de um produto inovador, e isso de certeza que a agel é, quer seja placebo ou não.

    “Reservamo-nos o direito de refutar o que não é consistente. Isto não é desrespeito, é liberdade de expressão. “Porrada” não é conosco mesmo”

    claro que a “porrada” não é convosco. Foi apenas um termo para afirmar que sim há comentários um pouco ofensivos, agressivos e demasiado ignorantes, acho que não é necessário recorrer a esses meios só para defender a sua própria opinião. Secalhar abusei da expressão e foi por isso mal interpretada, peço desculpa.

    obrigado pelos comentários..

  132. Hélder Gomes - Membro AGEL permalink
    21/04/2008 11:35

    Ola a todos!

    Tenho um conselho a dar a TODOS vós!

    Percam 9 minutos da vossa vida e entrem no youtube e procurem:
    Daniel Godri – Mantendo sempre cheio o seu balão

    Pode ser q sejam os primeiros 9 minutos melhores das vossas vidas.

    Façam alguma coisa por este nosso mundo….

  133. renata24 permalink*
    21/04/2008 13:14

    Olá Hélder

    Acabei de assistir ao vídeo motivacional.

    Não entendi qual a relação entre o vídeo e o objeto do post, o fato de que o negócio Agel é considerado pirâmide pela ASAE E DECO e qual seria também a relação entre o fato de que o modelo de negócio praticado pela Agel condena mais de 90% dos participantes ao fracasso (http://www.mlm-thetruth.com/EvalsA-D.htm)

    “Façam alguma coisa por este nosso mundo….”

    infelizmente, a “bola murcha” aqui é o próprio modelo de negócio utilizado pela Agel. Fazemos um ótimo negócio para muitas pessoas deste nosso mundo neste blog.
    Trazemos os dados.

    De todo modo, valeu a dica.

  134. augustohf permalink*
    21/04/2008 18:50

    Só assisti até a metade, pois comecei a ficar irritado com o papo do cara, seus comandos embutidos e generalizações. Típico vídeo de auto-ajuda, e que não tem nada a ver com o assunto tratado no post.

  135. 21/04/2008 20:03

    lkäs,

    Fez uma observação que merece um comentário de minha parte:

    “Enquanto a questões financeiras, certo é caro o produto, mas o que é que isso interessa depois quando entra muito mais dinheiro?”

    >>> Precisamente. Não interessa nada, uma vez que a perspectiva primária dos membros da rede é fazer dinheiro à custo do que vem “a seguir”.

    O problema é que o “a seguir” pressupõe que, para ganharmos “muito mais dinheiro”, tenhamos de ter uma quantidade enorme de gente no downline, a maioria sempre a pagar/perder. É uma espécie de parasitismo empresarial que a empresa nos encoraja a promover.
    Há muita gente que se sente bem com este tipo de procedimentos (é “uma oportunidade de negócio que te estou a oferecer”). Eu, decididamente, não me sinto nada bem. As autoridades portuguesas, pelos vistos, também não. A coisa é de tal ordem que o associativismo resultante do negócio – enriquecer às custas dos que entram para a rede por baixo de nós- é considerado uma ilegalidade.

    Em qualquer caso, o “caro” que está aqui em questão é um preço praticado por necessidade. Um preço que não resulta directamente do custo de fabricação do produto. As margens elevadas são praticadas com o propósito de pagar comissões a um upline volumoso, para além de terem de garantir, obviamente, a margem de lucro da empresa. Faça as conta a quanto custa fabricar um produto que chega às mão dos membros da rede a cerca de 65€/70€, tendo em contas as variáveis em questão.

    Cumprimentos.

  136. Hélder Gomes - Membro AGEL permalink
    22/04/2008 8:23

    Olá Renata!

    “…pela Agel condena mais de 90% dos participantes ao fracasso”

    Se isso é verdade isso nao sei! Mas se for, quero estar nos outros 10% mas para isso tenho q fazer pela vida, e nao ficar á espera que esses 10% me caiam em cima do nada…

    Qdo nós nos deitamos todos os dias p dormir tem a certeza q vai acordar no outro dia?
    Entao como neste e qq negocio tudo é um risco, agora acho q tem q respeitar que arrisca neste negocio como em outro qq.

    Se é legal???

    Bem isso tb nao tenho certeza mas tenho a certeza que a ASAE, sendo a nova PIDE destes tempos, se soubesse ou tivesse argumentos p ir BUSCAR DINHEIRO (c multas, etc..) p este governo pagar reformas milionarias e obras publicas ao triplo/quadruplo/(Casa da Musica no Porto 10 vezes +),etc… do preço inicialmente previsto, tenho a certeza q a ASAE ja o teria feito!!!

    Nao acham????

    Agora gostava d saber se alguem ja foi tentar “derrubar” a AGEL na ASAE e nao teria sido capaz e agora esta a tentar derrubar a empresa na Praça Publica???

    Em todos os comentarios q tenho visto foi a conclusao a q cheguei!

    Boa sorte p todos nós neste magnifico país!

  137. renata24 permalink*
    22/04/2008 11:31

    “Qdo nós nos deitamos todos os dias p dormir tem a certeza q vai acordar no outro dia?
    Entao como neste e qq negocio tudo é um risco, agora acho q tem q respeitar que arrisca neste negocio como em outro qq.”

    Não desrespeito de forma alguma quem participa do negócio.
    Acho que fui mal interpretada. Há estatística de fracasso superior a 90%, no site que indiquei (espero que tenha analisado).
    A opção entre entrar num negócio com este percentual de fracasso é personalíssima e eu respeito.

    “Agora gostava d saber se alguem ja foi tentar “derrubar” a AGEL na ASAE e nao teria sido capaz e agora esta a tentar derrubar a empresa na Praça Publica???”
    Em todos os comentarios q tenho visto foi a conclusao a q cheguei!”

    A Agel sequer ingressou no mercado brasileiro, improcede a insinuação.

    Nosso objetivo é alertar consumidores para o modelo de negócio. Não nos unimos para “tentar derrubar” o que quer que seja. Leia o nosso objetivo, por gentileza.

    Agora, o que me espantou foi a sua falta de interesse sobre a legalidade da Agel e a tentativa de desqualificar a ASAE.

  138. 22/04/2008 18:23

    Gostaria, simplesmente e só, de perguntar ao Sr. Hélder Gomes se já falou, pelos seus próprios meios, com a ASAE e com a DECO a propósito da legalidade do negócio da Agel.

    Cumprimentos.

    PEdro

  139. Diogo Baptista permalink
    14/06/2008 12:47

    Olá a todos. O meu nome é Diogo Baptista e sou Farmacêutico. Já me dói a cabeça de ter lido (quase) todos os “posts” de enfiada. Gostaria de salientar apenas dois ou três factos que me parecem tão pertinentes, quanto óbvios.

    1- Os produtos Agel (suplementos alimentares) não são inovadores na sua composição, uma vez que todos os constituintes são antigos e mais do que estudados, no que diz respeito aos benefícios para a saúde.
    Se um utente for à minha Farmácia e me pedir um Centrum e me perguntar se aquilo é bom, eu não tenho estudos científicos para lhe dizer, que o Centrum, faz bem. Tenho sim, estudos separados, que demonstram que a vitamina A, D, E, etc, etc, fazem bem em determinadas concentrações diárias. É assim com a maioria dos suplementos alimentares, categoria na qual se enquadram os produtos AGEL. Dito isto, posso dar o meu parecer profissional, relativamente à “alegada” composição dos produtos. Todos eles podem ser considerados médios-bons, com a excepção do FLEX, que quanto a mim poderia ser considerado um verdadeiro medicamento. Existem medicamentos comparticipados pelo estado português que ficam a dever muito a este FLEX. As vitaminas, por outro lado, são normalíssimas. O melhor produto farmacêutico para emagrecimento há dois anos atrás, foi o fit form, que possui 300mg de Garcinia Cambogia. Ora, o FIT da AGEL tem 1200 ou 1400, não sei precisar… Portanto, no geral, posso afirmar que relativamente à COMPOSIÇÃO os produtos, são BONS.
    No que diz respeito ao que vem em cada saqueta, não sei precisar, mas infelizmente o LEF (Laboratório de Estudos Farmacêuticos) não respondeu a um mail que lhes enviei, para que se procedesse à análise qualitativa e quantitativa dos produtos AGEL (provavelmente não o farão, uma vez que se tratam de suplementos alimentares e não de medicamentos). Neste momento, ando à procura de alguma entidade que o faça, para pelo menos se desmistificar a qualidade dos produtos.

    2- Comparação do preço. É óbvio que pode ser considerado caro, mas (no meu caso) se o produto é bom, e ainda me pode dar um retorno financeiro, qual é o problema?? O Centrum não me dá nada, nem o Viartril… E além do mais, tenho a certeza, que por o estar a pagar mais caro, mais facilmente cumprirei a terapêutica….

    Ninguém entra para a Agel enganado, ou pelo menos, não deveria. Admito que quando entrei, fazia um alarido enorme, das fortunas que se ganharia com o negócio. Hoje, e passado 6 meses, tenho a consciencia que não é assim e não o promovo dessa maneira. Quem trabalhar com método e seriamente, terá um bom retorno, quem se encostar, terá produto para consumir. A Agel é um negócio. Como tal, cada um terá um retorno, na medida do seu empenho (leia-se, qualidade) para vender o seu negócio. Por isso é que há gente que ganha muito dinheiro e outros que não ganham nada.

    3- Relativamente à saturação de mercado, acho, sinceramente, que não será um problema, porque o consumo do produto não se esgotará e, muito mais importante que isso, o negócio não está confinado a Portugal… Por isso mesmo, e por se poder adicionar um membro à equipa em qualquer um dos 40 e tal países a oportunidade para a expansão é realmente grande.

    4- Tenho pena, que não se desmistifique, todas estas tecnicalidades e/ou (in)verdades acerca da AGEL, por parte da sede, para acabar de uma vez por todas com as dúvidas. A verdade é que o negócio continua a crescer, porque as vendas continuam a aumentar, e essa é (acho que é) a verdade.

    Grande abraço a todos e obrigado pela atenção.

  140. 16/06/2008 18:23

    Caro Diogo,

    Não é todos os dias que aparece alguém com certificação profissional para debater os produtos da Agel neste espaço, e dada a situação, felicito-o por o ter feito.

    Mesmo sem ter a formação adequada para o fazer, Já tinha chegado a algumas das conclusões que compõem a sua mensagem, nomeadamente no caso do Flex, que passa bem por medicamento, uma vez que é feito à base dos mesmos ingredientes que entram na composição de medicamentos efectivos (vendidos apenas com receita médica), e no caso dos multivitamínicos Agel, que são compostos pelos mesmas vitaminas dos Centruns e afins.
    Seria muito BOM obter essa análise por parte de alguma entidade certificada, e já agora peço-lhe que preste especial atenção à percentagem final de Benzoato de Sódio (que em doses elevadas pode “reagir mal” com outros ingredientes dos produtos Agel) , e a mesma coisa em reação ao Hoodia Gordonii no FIT (por ser um produto que não se sabe ao certo se faz parte da sua composicão e que é proibido no Brasil). E quem sabe se não encontramos doses elevadas de chumbo nestes produtos também…

    Quanto aos preços dos produtos, a questão do retorno financeiro é uma falácia. Esse suposto retorno – que é o principal responsável pela inscrição da maioria das pessoas na rede – não vai funcionar para mais de 90% do total de aderente, e nestes casos, portanto, isso significa um GRANDE problema. Como o Sr. bem sabe (e como diz mais à frente na sua mensagem), o alarido todo em torno dos ganhos “não é bem assim”, e só com uma grande quantidade de membros no downline é que as coisas começa, a ganhar forma – quantidade essa que, pelo evidente formato da rede, só vai chegar a uma pequena quantidade de “sortudos”.

    Contra os produtos, e até prova em contrário, não tenho especiais críticas a fazer (salvo na questão preço). É contra o negócio que eu me insurjo.

    A saturação de mercado é um conceito diferente daquele que o Sr. está a indicar (e eu, de início, interpretei mal esse conceito). Concordo consigo que a rede não vai recolher de volta para o nada e que enquanto houver consumo voluntário do produto a rede mantêm-se (pelo menos parcialmente). A saturação de mercado ocorre quando a rede não cresce mais – quando as camadas de baixo não permanecem tempo suficiente para poderem ganhar dinheiro e vão-se renovando ad-eternum, que é o que sucede em muitas outras redes de MLM. Nessa altura, a possibilidade de atingir um nível alto é quase ínfima (ainda mais do que o que já é neste momento) e haverá quansa tantas desistência por ano como novas aderâncias.

    Da parte da sede nunca haverá nenhuma desmistificação das inverdades que o Sr. aponta (e que não sei ao certo quais são), até porque o segredo, neste caso, é de facto a regra do negócio.

    A Agel tem dados concretos para poder informar quantas pessoas há a ganharem e a perderem dinheiro, quantas desistiram até agora, quanto tempo permaneceram na rede, quais são as médias efectivas de receita e custos por nível hierárquico, qual o factor de crescimento por região, etc, etc, etc. MAS NUNCA IRÁ DIVULGAR nenhum destes valores, porque a pirâmide ficaria com a careca a descoberto. Porque é que o Sr. não tenta escrever por mail para a Agel também, para ver o que é que eles lhe respondem? Digo isto sem ponta de ironia, acredite. Estou mais que interessado em saber a resposta.

    Cumprimentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: